ACESSE TODAS AS POSTAGENS E SAIBA TUDO SOBRE O MUNDO AUTOMOTIVO.

sexta-feira, 8 de junho de 2018

8º Salão Moto Brasil que aconteceu no Rio de Janeiro levou cerca de 75 mil pessoas ao Riocentro, mas o evento registrou uma queda de 25% dos visitantes atribuída à greve dos caminhoneiros. 300 motociclistas e suas Harley-Davidson abrilhantaram o salão


Mais de 73 mil visitantes apaixonados por motocicletas e motoclubes vindos de todos os cantos do País estiveram reunidos de 31 de maio a 2 de junho no Pavilhão 2 do Riocentro conferindo de perto a 8ª edição do Salão Moto Brasil. 
O evento, que integra o calendário anual do motociclismo nacional – é o maior do setor no Rio de Janeiro e um dos maiores do segmento duas rodas no Brasil –, contou mais uma vez com o prestígio do público.

Foram três dias movimentados com muita diversão, adrenalina e até manobras radicais por conta da equipe Força & Ação que marcou presença na quinta-feira (31). Nem o adiamento por conta da greve dos caminhoneiros apagou o brilho do Salão Moto Brasil que, como acontece todos os anos, reúne as principais marcas do mercado e tem como objetivo gerar negócios, entretenimento, educação e turismo.

De acordo com a Rioplan, organizadora do evento, “esta edição reagendada mostrou a união do setor: expositores se mantiveram e o público compareceu, mesmo com toda a dificuldade que o país viveu naqueles dias. Apesar do número expressivo de visitantes, a queda de 25% em relação ao último ano ocorreu justamente devido aos acontecimentos conturbados no cenário nacional”.

Coordenada por Gustavo Lorenzo, a equipe da Rioplan é quem acompanha de perto todos os preparativos do evento, desde a definição da data até a realização e encerramento. Também está à frente das parcerias firmadas, como a cortesia do estacionamento para motos e triciclos oferecida pelo Santander e Mastercard. Clientes das duas marcas ainda tiveram desconto na compra de ingressos na bilheteria do local.

A 8ª edição do Salão Moto Brasil também escreveu um novo capítulo na história da Muteki, uma das maiores importadoras de motopeças do País. Através da recente parceria firmada com a italiana SWM (Speedy Working Motors), a Muteki passa a comercializar as motos SWM e escolheu o evento que mais entende o mundo duas rodas para lançar os modelos Superdual X e T, RS300R, RS500R, Gran Milano e SM500R. A importadora também levou ao Riocentro peças das marcas Vesrah, JT Sprockets, Potenza, Orkaan, SBS, Ariete, Regina, entre outras.

A grande novidade desta edição foi a realização do evento no mês dedicado ao Maio Amarelo, movimento internacional de conscientização para redução de acidentes de trânsito. “Fizemos nossa parte e continuaremos fazendo nas próximas edições e sempre que possível. 
Segurança e educação no trânsito estão entre nossos pilares e sempre teremos espaço para elas”, ressalta Gustavo.

Como é desde cedo que se educa, o público infantil contou com uma área exclusiva. 

Cerca de 550 crianças passaram pelo Clubinho Honda, iniciativa que a marca realiza a cada nova edição do Salão, buscando ensinar desde cedo as regras e cuidados no trânsito.

Para os adultos, dentre outras ações, foram realizados dois painéis com a presença do deputado federal Hugo Leal, autor da Lei Seca (Lei 11.705/2008). De acordo com o parlamentar, “é impossível contestar a vitória da vida, e a realidade dessa segurança maior nas ruas está tão nítida quanto a visão e a consciência de um motorista responsável”.
Distribuídas em 104 estandes, o Salão contou com a exposição de mais de 100 motos das principais marcas do País.

No auge de seus 115 anos de história, a Harley-Davidson “causou”. 

Dona do maior estande (380m²), a lendária fabricante de Milwaukee reuniu mais de 300 harleyros no tradicional comboio que foi recepcionado com muito rock’n’roll. Os principais destaques foram as novas Fat Bob, Fat Boy, Heritage Classic e a CVO RoadGlide.
Todos os anos, o Salão Moto Brasil representa a maior oportunidade do Rio de Janeiro reunir todos os amantes do motociclismo. Num único espaço puderam ser vistas todas as novidades e relevâncias, além da possibilidade de estreitamento no relacionamento com os clientes, ouvindo suas necessidades e opiniões.

Ao longo dos 300m² de seu estande, a Honda levou ao público 14 de seus principais modelos. Dentre os destaques, a CRF 1000L Africa Twin, uma big trail com design marcante, desenvolvida para obter a melhor aerodinâmica para uma pilotagem versátil, transmitindo conforto para viagens, agilidade na cidade, e leveza para o uso off-road. O modelo XRE 190 ABS foi outra novidade da marca japonesa, que traz na linha 2018 o posicionamento de QR codes na carenagem traseira e no tanque do modelo com as principais informações do manual do proprietário em realidade aumentada.

Outra grande estrela da marca foi a recém-chegada ao mercado brasileiro X-ADV, concebida e desenvolvida na Itália. O modelo é um novo conceito de maxi-scooter e estilo crossover, ideal para rodar tanto nas áreas urbanas ou nas grandes aventuras estrada afora. Conta com sistema ABS eletrônico de última geração, smart key, suspensão dianteira invertida up side down e computador de bordo.
Marcando presença também na área externa, a Honda realizou cerca de 600 test rides em sua área de 2.500m² com modelos de baixa e alta cilindradas.

Nos três dias de Salão Moto Brasil também foram realizados 1.500 test rides no Priceless Ride, patrocinado pelo Santander Mastercard e administrado pelo GPR Motorcycle Course e Hooters Motors. Nesta área de testes, o público pilotou modelos das marcas Harley-Davidson, Indian, BMW, Triumph e Suzuki. Para uso no local, o participante recebia uma pulseira Santander Pass que liberava  a cancela Santander Mastercard localizada em um determinado trecho do percurso.

A Indian Motorcycle apresentou ao público as novidades da linha Dark Horse: Scout Bobber Dark Horse, Chief Dark Horse & Chieftain Dark Horse. A custom Roadmaster, de R$ 105 mil, também estava exposta no estande. 
De acordo com o representante Marcelo Fernandes, além da comercialização de modelos como Scout e Springfield (que dispensa chave para ignição), “várias sementes foram plantadas para colhermos bons frutos nos próximos meses”. Nos dois primeiros dias de evento, a marca vendeu R$ 18 mil em acessórios. Para o sábado foram oferecidos descontos especiais aos clientes que estavam no Salão.

Presente mais uma vez no Salão Moto Brasil, a Suzuki levou 20 modelos ao estande. Um dos destaques ficou por conta da GSX-R1000R equipada com suspensão BFF, Quick Shift, controle de largada e cornering brake mais aguçado. O modelo V-STROM 650 XT também chamou a atenção, desenvolvido para fornecer o máximo de diversão em longas viagens com versatilidade e conforto. A Suzuki também apresentou ao público os modelos que está comercializando da Haojue (DK 150) e da Kymco (People GTi 300 e Downtown 300i ABS).

Quem visitou o estande da alemã BMW pode conferir os 13 modelos expostos pela marca. Dentre eles, a S 1000 RR, que revolucionou a classe das superesportivas e tornou-se ícone. Outros modelos de destaque no estande foram a F 800 GS, considerada a mais esportiva da família GS, e a R 1200 GS. Por mais de três décadas, a R 1200 GS vem definindo seu segmento e tem provado ser uma companhia confiável em qualquer aventura sobre duas rodas.

Recorde em tempo de venda, nas primeiras horas do Salão a Triumph já havia vendido o modelo mais caro do estande, a ‘nova’ Tiger 1200. O acionamento do modelo adventure é o mais potente por eixo de transmissão da categoria, e oferece 141 CV de potência. 

O motor de 1200cc entrega torque imediato em baixa rotação e proporciona um som ainda melhor.

Quem também marcou presença no Salão foi a Kawasaki. Na linha sport, a marca levou a Ninja 1000, de 1.043cc, versátil tanto para estrada quanto para cidade. A cruiser Vulcan S também atraiu visitantes ao estande com seu motor bicilíndrico em paralelo, desenho único do quadro e um novo plano de suspensão. Já quem gosta de adventure, o design imponente da Versys-X 300 chamou a atenção.
Outro modelo de moto que fez sucesso entre o público foi a nova KTM Duke 390, no estande da Moto Rio. Recém-chegada ao Brasil, a naked ganhou acelerador eletrônico, faróis de LED na vertical e o ‘KTM My Ride’, sistema através do qual é possível espelhar o smartphone ao painel de TFT colorido.

Uma das grandes sensações desta edição foi o airbag Air Hoof, da marca Hit-Air produzida pela Mugen Denko. Ainda sem data de comercialização no Brasil, o item de segurança é acionado manualmente por uma válvula. Outra novidade apresentada no Salão foi o Cosmo Connected. De fabricação francesa, o dispositivo eletrônico, que se conecta à parte traseira do capacete, emite uma luz vermelha que simula a luz de freio da moto melhorando a visibilidade da motocicleta.

O público se encantou e também soltou a voz! O Festival Moto Brasil Jazz & Blues teve shows diários no palco instalado junto à Praça de Alimentação, em uma área de 2,5 mil m² e contou com a realização da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, Secretaria da Cultura e Lei Municipal de Incentivo à Cultura (Lei do ISS) e patrocínio do Grupo Assim Saúde e Grupo AB.

Alguns concursos também foram realizados ao longo do evento. Parceria entre a organização e a Estácio de Sá, 20 alunos de Design Gráfico da universidade participaram do concurso de customização de capacetes, vencido por Gabriel Almeida, com o tema ‘Lobo’.

O 4º Bike & Art Show apresentou as obras de 12 customizadores que ficaram expostas durante os três dias de evento. 

Eric Nobre – Redlab Garagem do Rio de Janeiro foi o vencedor no voto popular. Customizador da Maria, moto oficial do Salão Moto Brasil, Leo Dalla – Circumano Design de Vitória (ES) ganhou no júri técnico.
O Salão Moto Brasil teve como apoiadores institucionais Estácio, DETRAN-RJ, Operação Lei Seca, CET-Rio e FMCRJ (Federação de Motoclubes do Rio de Janeiro). E, como patrocinadores, o Grupo Assim, Santander / Mastercard.
Diante de tantas novidades e informações, já começa a contagem regressiva para a 9ª edição do Salão Moto Brasil. Até 2019!!
Salão Moto Brasil (Rio de Janeiro, RJ – Brasil)
Curta nossa página:  www.facebook.com/salaomotobrasil