quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Fernando Calmon em busca de alternativas



Fernando Calmon         


Nº 1.034 — 28/2/19




EM BUSCA DE ALTERNATIVAS


Causou impacto no exterior a comunicação, nesta terça-feira, pela Porsche: a próxima geração do Macan, um SUV médio (compacto, no padrão americano), será totalmente elétrica, sem opção por motor a combustão. 

As primeiras análises indicam decisão de risco, embora a empresa reafirmasse a continuidade de desenvolvimento de soluções híbridas e a gasolina para os demais modelos, pelo menos nos próximos 10 anos. Até 2025, no entanto, a Porsche espera que metade dos seus novos modelos sejam híbridos plugáveis ou elétricos.

Por se tratar do carro de maior comercialização da marca alemã, pode ser escolha estratégica a fim de baixar as emissões diretas de CO2, na média dos seus modelos à venda, e se manter dentro das severíssimas restrições da União Europeia. 

E, no resto mundo, como fará?
Interessante observar que, duas semanas atrás, houve certa “rebelião” nos posicionamentos de altos executivos da indústria automobilística mundial. Eles se reuniram em Paris para comemorar o centenário da Oica (na sigla original em francês, Organização Internacional dos Fabricantes de Automóveis). À noite de gala compareceu o presidente francês, Emmanuel Macron.

O novo presidente da Oica, Christian Peugeot, foi além de simplesmente afirmar que o automóvel faz parte também da solução para problemas de mobilidade. Pediu a neutralidade dos governos sobre a melhor opção para cumprir metas ambientais.

Pouco antes, Matthias Wissmann, seu antecessor na entidade e ex-ministro de Transportes da Alemanha, defendeu a possibilidade de escolhas, além da tecnologia elétrica. 

Para ele, combustíveis sintéticos poderiam alcançar os mesmos resultados em motores a combustão interna, sem precisar de investimentos pesados na construção de toda uma nova e caríssima infraestrutura para recarregar baterias.

Macron, no entanto, foi reticente. Como último a discursar, saiu do texto lido para dizer que rotas tecnológicas são traçadas pelo governo. Na realidade estava despreparado para ouvir alternativas, ao defender a instalação de fabricantes de bateria em território francês.

O próprio Peugeot, em entrevista na véspera do evento, disse à coluna que aplicar a mesma solução globalmente pode ser inviável. Citou o Brasil, onde o etanol tem forte papel a cumprir como combustível quase neutro em CO2, no ciclo fechado de produção e uso. Também destacou que governos não têm como bancar subsídios permanentes, nem dispensar altos impostos incidentes sobre combustíveis atuais.

Em seminário organizado, no dia seguinte ao evento, houve outras colocações de alguns representantes de 39 entidades nacionais filiadas à Oica. Na Índia, por exemplo, poeira em suspensão no ar é um grave problema e até modelos autônomos sofrerão resistência em razão de boa parcela da população sobreviver como motorista ou motociclista. Biometano foi citado como capaz de zerar emissões locais e até diminuir CO2 acumulado na atmosfera.

Definitivamente, há diversidade para mover o carro do futuro. A opção da Porsche talvez funcione, no caso específico. Para fabricantes generalistas os riscos continuam, inclusive sobre o papel dos governos e direcionamentos por simples voluntarismo.

ALTA RODA

PEUGEOT pode começar em breve as vendas dos SUVs importados 3008 e 5008 também em versões mais simples, provavelmente chamada Allure, na faixa de R$ 120.000,00 para o 3008, segundo fonte ligada às concessionárias. Consultada, a marca respondeu: “Sempre estudamos possibilidades para animar nossa gama, mas no momento não há confirmação”.

SAIU a lista dos dez modelos mais vendidos na Europa, em 2018. Na ordem decrescente: VW Golf, Renault Clio, VW Polo, Ford Fiesta, VW Tiguan, Nissan Qshqai, Peugeot 208, Toyota Yaris, Opel/Vauxhall Corsa e Renault Sandero. Apesar dos avanços, só 2 SUVs, na 5ª e 6ª posições. À exceção do Nissan, todos eles são ou já foram comercializados também no Brasil.

TOYOTA YARIS hatch, na versão XL com motor de 1,3 L (101 cv/etanol) e câmbio automático CVT, destaca-se pelo estilo atual e evolução nos materiais de acabamento. Vem bem equipado, inclusive chave presencial, partida por botão e central multimídia, mas sem parear com Android Auto. Desempenho apenas regular. Suspensão apresenta ótimo equilíbrio conforto-estabilidade.

ÍNDICE de inadimplência nos financiamentos de veículos para pessoas físicas caiu quase 70% desde o pico ruim de 2013, informa o Itaú. No ano passado, a concessão de crédito do banco alcançou expressivos R$ 15 bilhões ou 42% a mais que em 2017. No último trimestre de 2018, tíquete médio de R$ 33,5 mil, prazo de 42 meses e entrada correspondente a 38% do valor do veículo.

RESSALVAS: preços do VW T-Cross variam de R$ 84.990 (câmbio manual, versão de entrada) a R$ R$ 99.990 com câmbio automático e sempre com motor 1-litro turbo. Versão de topo, 1,4-litro turbo, parte de R$ 109.990. Quanto ao CAOA Chery Tiggo 7, apenas este tem câmbio automatizado de duas embreagens; sedã Arrizo 5 usa o mesmo motor, mas câmbio é CVT.
_________________________________________________________________________________
fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Conheça detalhes dos produtos da linha Chevrolet, marca líder absoluta em vendas no mercado desde setembro de 2015.


O Chevrolet Camaro o superesportivo mais vendido do país com mais de 6 mil unidades emplacadas desde 2010 chega na versão cupê e do conversível em 2019  com visual mais imponente, tecnologias inovadoras de conveniência e conectividade. 
Com uma inédita transmissão de 10 marchas, que trabalhar em conjunto com o poderoso motor V8 6.2 de 461 cavalos o Camaro é muito mais econômico.

O Chevrolet Onix é o atual modelo preferido do consumidor brasileiro. Caminha para o quarto ano de liderança consecutiva e já emplacou um milhão de unidades em seis anos de produção, dois recordes para a Chevrolet. O modelo 2019 traz evoluções de acabamento e conteúdo também para a configuração de entrada Joy.

Prisma é o sedã mais emplacado do País. Destaca-se pelo baixo custo de manutenção, design contemporâneo, conectividade total e por trazer de série os itens mais valorizados pelo consumidor seguindo a mesma receita de sucesso do Onix. O Prisma 2019 traz evoluções de acabamento e conteúdo também para a configuração de entrada Joy, o sedã flex mais econômico do País.

Cobalt é o sedã médio-compacto que une amplo espaço interno e uma extensa lista de equipamentos de série com opção de conectividade total e acabamento premium. Motor 1.8 de alto torque e transmissão de seis velocidades (manual ou automática) completam o conjunto. A linha 2019 adicionou uma configuração direcionada ao público PcD.

Spin ganhou design mais esportivo e sofisticado característico de crossovers além de tecnologias inovadoras. As novidades abrangem a versão aventureira Activ, que passou a ser ofertada também na configuração de sete lugares. Já o banco traseiro com ajuste corrediço, presente nas demais versões, permite ampliar ainda mais o espaço dos ocupantes ou para bagagens. É o modelo mais emplacado do segmento.

Tracker é o SUV urbano da Chevrolet. Diferencia-se em sua categoria pelo motor turbo e transmissão automática de seis marchas de série. Na linha 2019, estende o controle eletrônico de estabilidade e tração também para o modelo de entrada. Outra novidade é a versão Midnight, com carroceria e acabamentos “todo preto”, inspirado em carros customizados.

Cruze é um dos mais premiados Chevrolet por seu elevado nível tecnológico. Além de motor turbo, conectividade total e acabamento premium, o modelo oferece sistemas semi-autônomos de condução e de estacionamento. A versão Black Bow Tie, acessorizada de fábrica, estreia com a linha 2019. Será comercializada nas versões sedã ou hatch, onde o Cruze é o líder de vendas.
Equinox é o SUV da Chevrolet mais vendido no mundo. No Brasil, o veículo se destaca pelo conteúdo acima da média da categoria. Debaixo do capô está o motor 2.0 turbo de 262 cv que trabalha em conjunto com a transmissão automática de nove marchas. A novidade para 2019 é o detector de pedestre, capaz de identificar o risco de um atropelamento e frear o veículo para mitigar o acidente.

Trailblazer une a valentia de um verdadeiro utilitário esportivo 4x4 com o conforto de um modelo de sete lugares. É oferecido apenas na versão com acabamento de luxo (LTZ) e duas opções de motorização: 2.8 Tubo Diesel com mais de 50 kgmf de força ou V6 3.6 com injeção direta de gasolina e 279 cavalos de potência.

Montana é a picape do segmento com maior capacidade de carga (756 quilos) e a única a vir com direção hidráulica de série. O modelo também se destaca pelo baixo consumo de combustível e por ter o menor custo de propriedade em sua categoria.

S10 é a picape média com a melhor relação entre robustez, conforto e desempenho. O modelo, que ganhou opção de seis airbags e a versão Midnight na linha 2019, oferece três tipos de carroceria (chassi, cabine simples, cabine dupla), seis versões de acabamento (LS, LT, Advantage, Midnight, LTZ e Hight Country) e duas opções de motorização (2.8 TD e 2.5 Flex).
Bolt EV é o primeiro carro elétrico do mundo a combinar preço acessível e autonomia semelhantes ao de um carro médio a combustão igualmente bem equipado. No Brasil, o veículo começa a ser vendido este ano. Freios regenerativos, sistema multimídia interativo e retrovisor central com câmera são outros diferenciais.

A Volvo CE anuncia bons resultados de sua atividade no Brasil e na América Latina em 2018



A Volvo Construction Equipment Latin America teve um bom desempenho em 2018, principalmente no Brasil. Juntas, Volvo e SDLG cresceram 47,7% no mercado brasileiro no ano passado, na comparação com o exercício anterior. Somente a Volvo aumentou suas vendas em 67,4% no Brasil. A expansão das vendas é resultado principalmente da retomada da economia no Brasil e do crescimento do setor de equipamentos de construção. Em 2018 a Volvo CE também bateu um recorde de número de lançamentos de novas máquinas na América Latina.

“Os números mostram a continuidade da recuperação da economia. Praticamente todas as linhas de máquinas apresentaram aumento de vendas no País, depois de um período bastante difícil”, declara Luiz Marcelo Daniel, presidente da Volvo CE Latin America. 
No segmento de máquinas de grande porte (carregadeiras, escavadeiras e caminhões articulados), a Volvo também teve uma boa performance, aumentando suas vendas em 59%, resultado ligeiramente acima do mercado total.
A SDLG é uma empresa pertencente à Volvo CE e já representa um terço dos negócios. Ambas as marcas convivem nos mercados onde estão presentes. 
A Volvo oferece equipamentos com grande produtividade, alta tecnologia embarcada e serviços de telemática, enquanto a SDLG comercializa máquinas com ótima relação custo-benefício e tecnologia na medida certa.

Escavadeiras e carregadeiras
A maior parte das vendas da Volvo foi de escavadeiras e carregadeiras. “São máquinas de diferentes portes com grande aceitação em vários segmentos da economia, principalmente em virtude de sua grande produtividade e alto grau de tecnologia embarcada”, destaca Luiz Marcelo. 

“As carregadeiras Volvo, por exemplo, são muito utilizadas numa variada gama de tarefas e boa parte delas é vendida para o segmento de construção”, complementa Gilson Capato, diretor comercial da Volvo CE no Brasil.

Os segmentos que mais se destacaram em 2018 na aquisição de carregadeiras e escavadeiras da marca foram a mineração, principalmente de metais nobres, e a atividade florestal, que usa estes modelos em toda a sua cadeia produtiva – desde o corte e o processamento, passando pelo transporte na floresta, até tarefas dentro da indústria.

Agronegócio
Outro setor que no ano passado firmou-se como um importante negócio foi o agribusiness. Os equipamentos da Volvo e da SDLG estão trabalhando na movimentação de adubos e fertilizantes, nos portos, nas fazendas e em atividades correlatas. 

“O agronegócio é um setor que está sempre batendo recordes. É um dos mais competitivos do mundo e cada vez mais busca adquirir equipamentos adequados para sua produtividade”, afirma Capato. 

Outros segmentos em destaque no ano passado para as máquinas da Volvo foram as empresas de celulose e exportação de laminados, manejo de madeira, os setores ceramista e de desagregação de material, além da indústria siderúrgica e a movimentação de minério de ferro.


Região hispânica
A região hispânica apresentou um bom resultado de uma maneira geral. Com exceção da Argentina, todos os principais mercados da região cresceram na comparação com o ano anterior. Somando-se Volvo e SDLG, o Brasil teve uma participação maior nas vendas no continente, com 56%, ante 44% da região hispânica.


Volvo lança o Co-Pilot, inovador 
sistema de assistência ao operador

A Volvo Construction Equipment está lançando o revolucionário sistema Co-Pilot na América Latina. A estreia acontece com as plataformas Load Assist e Haul Assist, para carregadeiras e caminhões articulados. “O sistema irá aumentar ainda mais a eficiência e produtividade de nossos equipamentos e contribuirá para a rentabilidade dos negócios de nossos clientes”, declara Luiz Marcelo Daniel, presidente da Volvo CE Latin America.

“É uma tecnologia que contribui para gerar melhores resultados na operação, entregando maior qualidade em menos tempo e com menos esforço do operador”, complementa Gilson Capato, diretor comercial da Volvo CE no Brasil. “O Co-Pilot estabelece um novo patamar para o setor, colocando o usuário no centro da operação. Com seus aplicativos inteligentes para assistência, o sistema possibilita aos operadores trabalharem de forma cada vez mais eficiente e segura”, destaca Boris Sánchez, gerente de suporte regional a vendas da Volvo CE LA.

O sistema Co-Pilot serve de base para diversas plataformas de aplicativos de assistência ao operador. Cada plataforma de aplicativos está sendo lançada com um ou mais aplicativos. A gama de aplicativos irá aumentando com o desenvolvimento tecnológico e as demandas dos clientes nos diversos segmentos e aplicações.

Load Assist

As carregadeiras L150H, L180H, L220H e L260H, já lançadas no mercado latino-americano, têm agora à disposição a plataforma chamada Load Assist, ou assistente de carregamento. O Load Assist está sendo lançado com dois aplicativos: sistema de medição de carga e câmera de visibilidade traseira.

O sistema de medição de carga foi projetado para fornecer ao operador informação precisa e em tempo real sobre a condição de carga. Ao evitar excesso ou falta de carga, além do desgaste adicional de máquina e até mesmo eventuais multas contratuais, o Load Assist promove uma operação com eficiência máxima e maior segurança. Totalmente automático, o sistema registra toda informação de carga e as medições são exibidas para o operador na tela dentro da cabine.

Load Assist é ideal para aplicações de ciclo curto ou carregamento de caminhões, em projetos de pedreiras, mineração e infraestrutura. O sistema é dinâmico e torna a operação de carga mais eficiente, diminuindo o desperdício de material, garantindo ciclos de carga mais rápidos e aumentando a produtividade.

Haul Assist

O Haul Assist é a plataforma de aplicativos para caminhões articulados Volvo. Estará disponível para os modelos A25G, A30G, A45 G e A60H. O primeiro aplicativo da plataforma Haul Assist é o sistema de pesagem a bordo. Da mesma forma que o Load Assist, os dados coletados podem ser acessados remotamente graças ao sistema de telemática Caretrack, facilitando a gestão da produção e da frota de transporte.

Futuramente, outros aplicativos serão lançados visando melhorar a eficiência da operação, não limitando-se apenas à operação dos equipamentos de forma isolada, mas à frota como uma operação sistêmica, através de maior conectividade entre as máquinas. 
“Na lista de aplicativos futuros para Haul Assist, por exemplo, teremos aplicativos que permitem visualizar o local de trabalho e a localização dos diversos equipamentos (Site Map) e aplicativos que, em função desta localização, sugiram a velocidade de deslocamento (Speed Advisor). Isto promove não apenas eficiência operacional como principalmente segurança na operação”, finaliza Sánchez.
Volvo CE quer 1 mil máquinas monitoradas com ActiveCare Direct™ até o final de 2019

A Volvo Construction Equipment espera alcançar perto de 1 mil máquinas monitoradas com o ActiveCare Direct (ACD) na América Latina até o final deste ano. A projeção é fruto dos excelentes resultados que vêm sendo obtidos com o novo serviço. Lançado recentemente no Brasil, o ACD é uma solução de monitoramento proativo da frota de equipamentos da marca, com informações obtidas por meio do sistema de telemática CareTrack™.


Somente neste período inicial de cinco meses em 2018, o potencial de economia com prevenção chegou a R$ 350 mil em 250 máquinas monitoradas. 

Funcionando durante todo o tempo em que o equipamento está trabalhando, o ACD detecta uma série de situações, desde o uso excessivo da marcha lenta e erros operacionais, até o consumo exagerado de combustível e eventuais riscos de falhas da máquina. 

Em muitos casos, o serviço é muito útil para mostrar que existem oportunidades de melhoria na operação, por meio de treinamento dos operadores.

As máquinas da Volvo já saem com o ACD de fábrica desde dezembro de 2018, numa campanha que não prevê custos de subscrição durante um ano. Basta o cliente manifestar interesse em ativá-lo. 

“Cada vez mais os clientes enxergam a importância de serem proativos e de otimizarem as frotas, cortando custos desnecessários”, afirma Alexandre Flatschart, diretor de Customer Solutions da Volvo CE LA. Ele diz que a meta é praticamente triplicar a base de equipamentos com o sistema até o final deste ano.

Prevenir paradas não planejadas

“O ACD é uma excelente ferramenta para aumentar a disponibilidade dos equipamentos ao se prevenir paradas não planejadas”, complementa Renan Wagner, responsável pela área de Desenvolvimento de Negócios de Pós-Venda da Volvo CE LA. No Brasil, as empresas que já optaram por ativar o ACD atuam em diversas áreas, desde mineração e pedreiras, passando por movimentação de calcário e pelo segmento de concreto, até o setor de construção civil pesada.

“A frota monitorada com ACD está crescendo desde que o serviço começou a funcionar, porque a percepção dos benefícios é imediata”, destaca Leonardo Zaia, que coordena o trabalho de monitoramento. O ACD detecta o uso excessivo da marcha lenta e erros operacionais, o consumo de diesel, eventuais riscos de falhas da máquina e uma série de outras situações. 

“Em muitos casos podemos atuar promovendo melhorias no treinamento de operadores, almejando diminuir custos e aumentar a disponibilidade dos equipamentos”, destaca Zaia.

Tudo é feito ​​em tempo real, acompanhando a integridade e o desempenho da máquina. Usando esses dados, a Volvo regularmente gera relatórios indicando possíveis oportunidades para aumentar a produtividade e diminuir os custos operacionais, alertando, por exemplo, sobre a necessidade de troca de alguma peça ou sobre algum problema recorrente. 

“O ACD garante maior previsibilidade na manutenção, permitindo ações preventivas que podem evitar a quebra de componentes mais caros e o desembolso de um valor maiorfato que normalmente ocorre em intervenções corretivas”, explica Samuel Albuquerque, gerente de Marketing e Vendas de Peças da Volvo CE LA.

Relatórios detalhados

Os relatórios do ACD permitem visualizar o percentual de utilização da máquina trabalhando em relação ao tempo ocioso – sem produzir. Esta comparação pode ser para a frota inteira ou somente para um equipamento, separando por modelo, tipo e aplicação. 

Além de todos os dados de consumo de combustível, o sistema gera e-mails para o distribuidor Volvo, orientando sobre o passo a passo para a solução dos problemas identificados via códigos de falha.

Casos de uso indevido do equipamento também são registrados para identificar necessidades de treinamento do operador, como, por exemplo, no caso de reversão em alta velocidade e desligamento do turbo a quente. As informações ajudam o cliente, a Volvo e o distribuidor a identificar as ações que podem afetar disponibilidade da máquina.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

O BMW C 400 GT junta-se ao seu irmão o BMW C 400 X, para revolucionar a mobilidade urbana no México



BMW Motorrad estende a sua gama de produtos para a mobilidade urbana com a chegada ao México do BMW C 400 GT, scooter de tamanho médio, orientada para maior conforto e mais capacidade de viajar, seja como motorista ou passageiro.

Tanto o BMW C 400 GT e o BMW C 400 X têm um motor de 350 cc de cilindro único, eficiência otimizada com uma potência de 34 HP. Usa uma caixa de engrenagens de transmissão variável contínua (CVT) e um braço oscilando da rigidez de torção com um rolamento inovativo para uma vibração mínima que dê o maior conforto, quando o controle de estabilidade automático (ASC) fornecer mais segurança no Aceleração em superfícies escorregadias.


BMW C 400 GT
Preço de retalho sugerido de $185 MXN

Motor
Configuração: Monocilíndro de quatro tempos, líquido-refrigerado, 4 válvulas por o cilindro, eixo de cames aéreo, com balancim e lubrificação molhada do cárter
Deslocamento: 350 cc
Potência nominal: 34 HP a 7,500 rpm
Torque: 35 Nm a 6, 0 rpm

Transmissão
Embreagem: centrífuga seca
Caixa de engrenagens progressiva de CVT

Desempenho
Velocidade máxima: 139 km/h

Dimensões/pesos
Altura do assento: 775 mm
Comprimento total: 2,210 mm
Largura total com espelhos: 835 mm
Peso em ordem de marcha (de acordo com 93/93/EEC): 212 kgs
Peso total admissível: 415 kgs

Equipamento de série
Abs

Keyless ride

Farol LED

Opcional
Luzes de condução diurna

Controle de luz de freio

Sistema de alarme

Conectividade de TFT

Pacote conforto
Assento aquecido

Punhos aquecidos

Cor
Branco alpino

Blackstorm metal


Moonwalk Grey


Quer saber o preço dos modelos BMW em Portugal? É só clicar no link abaixo



Tabela de Preços BMW em vigor a partir de 1º de março de 2019, em Portugal.

Clique no link abaixo:

Honda Racing reforça equipe oficial em busca de mais títulos em 2019 Entre as novidades, estão os pilotos de Enduro FIM Bárbara Neves, a primeira mulher a integrar o time mais tradicional no motociclismo brasileiro, e o atual campeão brasileiro Bruno Crivilin; Outro destaque é a introdução da moto nacional Honda CRF 250F às competições



São Paulo (SP) - Com mais de 40 anos de incentivos ao motociclismo brasileiro, a Honda está pronta para escrever um novo capítulo de sua história na temporada 2019. A Honda Racing anunciou nesta terça-feira (26), em grande evento para imprensa e parceiros na capital paulista, as equipes oficiais de Motovelocidade, Motocross, Rally Cross Country, Enduro FIM e Enduro de Regularidade. A marca também revelou os eventos patrocinados no segmento de competições para o ano.

Entre as novidades, está a chegada da primeira mulher à equipe de fábrica mais tradicional do esporte sobre duas rodas no país. A goiana Bárbara Neves vai acelerar a novíssima Honda CRF 250F nas provas de Enduro FIM. A motocicleta nacional também será destaque nas equipes Honda Racing de Rally Cross Country e de Enduro de Regularidade.


A presença de Bárbara Neves foi recebida com extremo entusiasmo, como mostra Marcos Monteiro, Gerente Geral Comercial da Moto Honda da Amazônia. 

“A mulher ocupa o espaço que tem direito na sociedade, e no esporte não é diferente. A chegada da Bárbara Neves é um caminho natural para o motociclismo feminino, que a cada ano ganha mais força e representatividade”, comemorou. 

“A Bárbara já é uma inspiração para todas as mulheres, até mesmo para as que ainda não andam de moto”, continuou Monteiro.

A jovem piloto prometeu empenho máximo na equipe Honda Racing de Enduro FIM. “É uma grande honra, para mim, integrar a equipe mais importante do motociclismo e ainda ser a primeira mulher a vestir essa camisa. Vou me dedicar ao máximo para retribuir a oportunidade com muitas vitórias. Quero representar a Honda Racing e o esporte feminino da melhor maneira possível”, afirmou Bárbara Neves.


Bruno Crivilin

O time oficial de Enduro FIM recebeu outro reforço de peso, o atual campeão brasileiro das classes E1 e Enduro GP, o capixaba Bruno Crivilin. Ele irá pilotar a nova versão da moto Honda CRF 250RX. Gabriel Soares, na classe E2, e Nicolás Rodrigues, na E3, completam o esquadrão vermelho da modalidade com as motos Honda CRF 450RX. 

Gabriel Soares

A Honda ainda anunciou o patrocínio inédito ao Campeonato Brasileiro de Enduro FIM na temporada 2019.

Honda Talent Test (HTT) e nova equipe satélite no Motocross - A filosofia de incentivo aos novos talentos do motociclismo nacional foi mantida com a realização do Honda Talent Test (HTT). Desta vez, o foco foram os pilotos do Motocross e o aprovado, o goiano Matheus Klysman. Ele competirá pela classe MX2 no Campeonato Brasileiro da modalidade.


“Pelo segundo ano consecutivo, o HTT reuniu, na pré-temporada, os jovens que sonham ingressar na equipe Honda Racing. É promovida uma bateria de testes físicos e com a moto, para avaliar os candidatos com transparência. O desempenho dos pilotos é acompanhado de perto pelo staff da Honda Racing, formado por chefes de equipes, dirigentes, treinadores, preparadores físicos e pilotos profissionais”, explicou Odair Dedicação Júnior, Gerente de Marketing da Moto Honda da Amazônia.

“O HTT é motivo de muito orgulho para a Honda, já que a evolução do esporte está na renovação das categorias de base”, acrescentou o executivo. Klysman terá como companheiros de MX2 outros dois pilotos revelados no HTT, só que em 2018: os catarinenses Lucas Dunka e Leonardo Souza. Na MX1, a Honda Racing conta com o atual campeão brasileiro da MX Elite, o equatoriano Jetro Salazar, e com o paulista Hector Assunção a bordo das motos Honda CRF 450R.


A Honda anunciou a criação de uma nova equipe satélite para o Motocross, a Circuit Honda, que absorveu outros dois jovens talentos que se destacaram no HTT 2019. Reginaldo Ribeiro irá competir pela MX2 e Rafael de Araújo, o Bubinha, defenderá o time na MX2 Júnior. A equipe terá um representante na MX1, o venezuelano Humberto Martin.

Além do Campeonato Brasileiro de Motocross, a Honda manterá o patrocínio ao Arena Cross em 2019, no qual os pilotos da equipe vermelha estarão na briga pelo título da classe Pró.

Jetro Salazar, Hector Assunção, Lucas Dunka e Leonardo Souza ainda estão confirmados na abertura do Campeonato Mundial de Motocross, o GP da Patagônia, dias 2 e 3 de março na Argentina. É o segundo ano consecutivo que a equipe brasileira da Honda Racing abre a temporada testando máquinas e pilotos ao lado dos melhores do planeta.


Honda CRF 250F pronta para as competições
Além das provas de Enduro FIM, com Bárbara Neves, a nova moto Honda CRF 250F é novidade nas equipes de outras modalidades. Considerado o “Rei da CRF 230F”, o piloto paulista Júlio “Bissinho” Zavatti ganhou mais cilindradas para a temporada 2019. Ele irá acelerar a nova Honda CRF 250F para manter a hegemonia entre as motocicletas nacionais nas provas do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country, o que inclui o Rally dos Sertões.

Tunico Maciel, mineiro vencedor das motos no Rally dos Sertões 2018, e o gaúcho Gregório Caselani, atual campeão brasileiro da modalidade (na geral e na classe Super Production) seguem na equipe, bem como o multicampeão Jean Azevedo. Todos aceleram as motos Honda CRF 450RX. Pelo oitavo ano seguido, a Honda será patrocinadora oficial do Rally dos Sertões, o maior do país.

No Enduro de Regularidade, a Honda Racing começou a temporada da melhor forma possível, com o tricampeonato de Tunico Maciel na categoria Master do Rally Piocerá / Cerapió. Nas mãos de Dário Júlio, que retornou à categoria de elite da modalidade, a Honda CRF 250F estreou em grande estilo nas competições, com o terceiro lugar da Master.

A dupla irá defender a equipe vermelha nas provas do Campeonato Brasileiro de Enduro de Regularidade e no Enduro da Independência, do qual a Honda é patrocinadora oficial em 2019. Vale lembra que o Consórcio Honda patrocinou o Rally Piocerá, realizado em janeiro de 2019.

Força total na Motovelocidade - Com a motocicleta Honda CBR 1000RR Fireblade, a equipe Honda Racing acelera forte no SuperBike Brasil, o principal campeonato de Motovelocidade do país. O bicampeão Eric Granado, de São Paulo, e o gaúcho Pedro Sampaio, revelado no HTT 2018, irão representar a equipe oficial na categoria de elite, a Superbike Pro. 

A Honda manteve o patrocínio ao SuperBike Brasil na temporada 2019, bem como o incentivo às categorias de entrada para novos pilotos da Motovelocidade, a Junior Cup e a classe CBR 500R.

Livro comemorativo “Honda Racing - Liderando o Pódio há 40 Anos” - A Honda completou 40 anos de incentivos às competições brasileiras em 2018. Para eternizar o capítulo inicial dessa história, a empresa lançou o livro comemorativo “Honda Racing – Liderando o Pódio Brasileiro há 40 Anos”.

São 160 páginas dedicadas a traçar a linha do tempo da jornada percorrida pela Honda em quatro décadas de esforços em benefício do esporte, desde a criação da Fórmula Honda 125, em 1978. O livro traz os ídolos, fotos antigas e atuais, curiosidades e as competições que marcaram o período.

Confira as formações das equipes oficiais da Honda Racing para a temporada 2019:

MOTOVELOCIDADE
Chefe de equipe: Reinaldo Campos

Eric Granado
Idade: 22 anos
Natural de: São Paulo (SP)
Competição em 2019: SuperBike Brasil
Categoria: Superbike Pro
Moto: Honda CBR 1000RR Fireblade
Destaques da carreira: 
Bicampeão do SuperBike Brasil (2018 e 2017) / Categoria Superbike Pro
Campeão europeu de Motovelocidade 2017 / Categoria Moto2
Campeão do SuperBike Brasil 2016 / Categoria Supersport 600cc
Campeão brasileiro de Motovelocidade 2015 / Categoria GP 600

Pedro Sampaio
Idade: 21 anos
Natural de: Bento Gonçalves (RS)
Competição em 2019: SuperBike Brasil
Categoria: Superbike Pro
Moto: Honda CBR 1000RR Fireblade
Destaques da carreira: 
Campeão do SuperBike Brasil 2017 / Categoria SuperSport 600cc
Campeão brasileiro de Motovelocidade 2013 / Categoria GP 250
Cinco vezes campeão gaúcho de Motovelocidade

ENDURO FIM 
Chefe de Equipe: Felipe Zanol


Bárbara Neves
Idade: 18 anos
Natural de: Goiânia (GO)
Competição em 2019: Campeonato Brasileiro de Enduro FIM
Categoria: EFeminina
Moto: Honda CRF 250F
Destaques da carreira: 
Campeã latino-americana de Enduro FIM 2018 / Categoria Mulheres Open Júnior
Campeã brasileira de Cross Country 2018 / Categoria Feminina
Campeã do Enduro da Independência 2018 / Categoria Feminina
Campeã brasileira de Enduro FIM 2017 / Categoria EFeminina

Bruno Crivilin
Idade: 21 anos
Natural de: Aracruz (ES)
Competição em 2019: Campeonato Brasileiro de Enduro FIM
Categorias: E1 e Enduro GP 
Moto: Honda CRF 250RX
Destaques da carreira: 
Campeão brasileiro de Enduro FIM 2018 / Categorias E1 e Enduro GP
Campeão Romaniacs Hard Enduro 2017 / Categoria Silver 
Campeão brasileiro de Enduro FIM 2015 / Categoria EJr

Gabriel Soares
Idade: 21 anos
Natural de: Divinópolis (MG)
Competição em 2019: Campeonato Brasileiro de Enduro FIM
Categorias: E2 e Enduro GP 
Moto: Honda CRF 450RX
Destaques da carreira: 
Vice-campeão da Copa EFX 2018 / Categoria Elite 
Campeão mineiro de Enduro FIM 2017 / Categoria EJ 
Tetracampeão mineiro de Motocross

Nicolás Rodriguez
Idade: 21 anos
Natural de: Rio de Janeiro (RJ)
Competição em 2019: Campeonato Brasileiro de Enduro FIM
Categoria: E3 
Moto: Honda CRF 450RX (com kit adicional)
Destaques da carreira: 
Campeão da Copa EFX 2018 / Categoria E1
Campeão da Copa EFX 2017 / Categoria E3

MOTOCROSS
Chefe de equipe: Cale Neto

Jetro Salazar
Idade: 27 anos
Natural de: Quito (Equador)
Competições em 2019: Campeonato Brasileiro de Motocross e Arena Cross
Categoria: MX1 / Pró 
Moto: Honda CRF 450R
Destaques da carreira: 
Campeão brasileiro de Motocross 2018 / Categoria MX Elite
Campeão brasileiro de Motocross 2016 / Categoria MX1
Campeão latino-americano de Motocross 2015 / Categoria MX1

Hector Assunção
Idade: 26 anos
Natural de: Osasco (SP)
Competições em 2019: Campeonato Brasileiro de Motocross e Arena Cross
Categoria: MX1 / Pró
Moto: Honda CRF 450R
Destaques da carreira: 
Hexacampeão brasileiro de Motocross
Tetracampeão do Arena Cross

Lucas Dunka (piloto Honda Talent Test 2018)
Idade: 20 anos
Natural de: Balneário Camboriú (SC)
Competições em 2019: Campeonato Brasileiro de Motocross e Arena Cross
Categoria: MX2 / Pró
Moto: Honda CRF 250R
Destaques da carreira: 
Duas vezes campeão catarinense de Motocross em 2016 / Categorias MX1 e MX2
Campeão catarinense de Motocross 2014 / Categoria Intermediária

Leonardo Souza (piloto Honda Talent Test 2018)
Idade: 21 anos
Natural de: Balneário Camburiú (SC)
Competições em 2019: Campeonato Brasileiro de Motocross e Arena Cross
Categoria: MX2 / Pró
Moto: Honda CRF 250R
Destaques da carreira: 
Duas vezes campeão mineiro de Motocross em 2017 / Categorias MX2 e MX2Jr

Matheus Klysman (piloto Honda Talent Test 2019)
Idade: 20 anos
Natural de: Anápolis (GO)
Competições em 2019: Campeonato Brasileiro de Motocross e Arena Cross
Categoria: MX2 / Pró
Moto: Honda CRF 250R
Destaques da carreira: 
Campeão goiano de Motocross 2018 / Categoria Nacional
Campeão goiano de Motocross 2011 / Categoria 65cc
Duas vezes campeão tocantinense de Motocross

RALLY CROSS COUNTRY
Chefe de equipe: Dário Júlio Lopes

Tunico Maciel 
Idade: 25 anos
Natural de: Lavras (MG) 
Competições em 2019: Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country (o que inclui o Rally dos Sertões)
Categoria: Production Aberta 
Moto: Honda CRF 450RX
Destaques da carreira: 
Campeão do Rally dos Sertões 2018 / Geral e categoria Production Aberta
Duas vezes campeão brasileiro de Rally Cross Country (2018 pela Production Aberta e 2015 pela Marathon) 
Campeão do Rally dos Sertões 2015 / Categoria Marathon

Gregório Caselani
Idade: 31 anos
Natural de: Caxias do Sul (RS)
Competições em 2019: Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country (o que inclui o Rally dos Sertões)
Categoria: Super Production 
Moto: Honda CRF 450RX
Destaques da carreira: 
Bicampeão brasileiro de Rally Cross Country (2016 e 2018) / Geral e categoria Super Production
Campeão do Rally dos Sertões 2016 / Geral e categoria Super Production 
Campeão do Rally dos Sertões 2013 / Categoria Production Aberta
Campeão brasileiro de Rally Cross Country 2012 / Categoria Production Aberta

Jean Azevedo
Idade: 45 anos
Natural de: São José dos Campos (SP)
Competições em 2019: Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country (o que inclui o Rally dos Sertões)
Categoria: Super Production 
Moto: Honda CRF 450RX
Destaques da carreira: 
Dez vezes campeão brasileiro de Rally Cross Country / Geral e categoria Super Production
Heptacampeão do Rally dos Sertões (maior vencedor das motos) 
Três vezes campeão do Rally Dakar (1997 e 2003 na categoria Production; 2011 na Super Production)
Único brasileiro a vencer etapas do Rally Dakar com motocicletas (uma em 2005 e outra em 2007)

Júlio “Bissinho” Zavatti 
Idade: 32 anos
Natural de: Monte Alto (SP)
Competições em 2019: Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country (o que inclui o Rally dos Sertões)
Categoria: Rally Brasil 
Moto: Honda CRF 250F
Destaques da carreira: 
Campeão brasileiro de Rally Cross Country 2018 / Categoria Rally Brasil
Campeão das últimas quatro edições do Rally dos Sertões / Categoria Rally Brasil e divisão Brasil - CRF 230F
4º lugar na classificação geral das motos do Rally dos Sertões 2017 com a Honda CRF 230F

ENDURO DE REGULARIDADE
Chefe de equipe: Dário Júlio Lopes

Tunico Maciel
Idade: 25 anos
Natural de: Lavras (MG) 
Competições em 2019: Rally Piocerá, Campeonato Brasileiro de Enduro de Regularidade e Enduro da Independência
Categoria: Master 
Moto: Honda CRF 450RX
Destaques da carreira: 
Atual tricampeão do Cerapió/Piocerá
Atual bicampeão do Enduro dos Ipês Off-Road
Campeão do Enduro da Independência 2012 / Categoria Sênior

Dário Júlio 
Idade: 41 anos
Natural de: Lavras (MG) 
Competições em 2019: Rally Piocerá, Campeonato Brasileiro de Enduro de Regularidade e Enduro da Independência 
Categoria: Master 
Moto: Honda CRF 250F
Destaques da carreira: 
Campeão brasileiro de Enduro de Regularidade 2018 / Categoria Over 40
Tricampeão brasileiro de Enduro de Regularidade (2007, 2008 e 2009) / Categoria Master
Seis vezes campeão do Enduro da Independência, sendo quatro títulos pela categoria Master.

ACESSE TODAS AS POSTAGENS E SAIBA TUDO SOBRE O MUNDO AUTOMOTIVO.