quinta-feira, 30 de abril de 2015

A BMW MOTORRAD QUE JÁ FABRICA CAPACETES, BOTAS E LUVAS PRÓPRIOS PARA MOTOCICLISTAS ACABA DE PRODUZIR, EM PARCERIA COM A ALPINESTARS, UMA JAQUETA QUE CONTEM UM COLETE COM UM AIRBAG, QUE PROTEGE A PARTE SUPERIOR DO CORPO: OMBROS, COSTAS E DORSO.



A BMW Motorrad e a Alpinestars anunciam parceria exclusiva para a inovação de equipamentos de segurança para motociclistas. 

O primeiro produto a ser lançado sob esta cooperação será uma jaqueta BMW Motorrad, assinada por ambos os fabricantes, que apresenta um colete dotado de airbag, o qual foi desenvolvido usando a tecnologia da Alpinestars. 

A nova jaqueta estará disponível tanto nas versões masculina como feminina, e sua apresentação ao público será realizada ainda neste ano.

O colete com airbag se baseia no Tech-Air™ da Alpinestars, o primeiro sistema urbano de airbags autossuficientes, que funcionam de forma independente, sem a necessidade de que sensores sejam instalados na motocicleta ou de adequar uma motocicleta específica ao sistema de airbag utilizado pelo motociclista. 


Isto significa que o colete com airbag oferece a liberdade de se conduzir qualquer motocicleta sobre qualquer piso em todos os momentos, e pode ser usado com qualquer tipo de motocicleta ou maxi-scooter BMW Motorrad, permitindo que o piloto troque facilmente de motocicleta sem precisar reconfigurar ou reinicializar os ajustes pessoais. 

Portanto, o sistema encontra-se imediatamente pronto para o uso, e nenhum tempo é gasto com ajustes na compatibilização eletrônica entre o motociclista e/ou passageiro e a motocicleta.

Esta jaqueta BMW Motorrad/Alpinestars e o colete com airbag oferecem uma proteção abrangente para a parte superior do corpo, incluindo os ombros, costas e dorso frontal. 

Incorporando os seus sensores próximos ao corpo do motociclista, o sistema de airbag é ativado sem necessidade de se acionar sinais sem fio a serem enviados pela motocicleta.


A BMW Motorrad é a única fabricante de motocicletas a ter desenvolvido uma gama completa de equipamentos para motociclistas a partir da década de 70 - desde capacetes até vestuários para os motociclistas, como botas e luvas. 

Ao fazer isto, uma alta prioridade é atribuída ao máximo de conforto para o motociclista e o passageiro, bem como para minimizar as potenciais consequências de acidentes.

A BMW Motorrad sempre considerou o motociclismo e a segurança inseparavelmente ligados e ancorados no princípio de “Segurança 360°". 

A "Segurança 360°" divide o conceito global de motociclismo seguro em três aspectos: tecnologia de segurança no veículo, segurança que provém do equipamento do motociclista e segurança por meio do treinamento.

A Alpinestars vem inovando a tecnologia para a proteção do motociclista, desempenho e conforto há mais de 50 anos. 


O sistema de airbag Tech-Air™, que forma a base de sua cooperação de segurança ativa com a BMW Motorrad, é o resultado da pesquisa e desenvolvimento intensivos da Alpinestars, que teve início em 2001.

Durante décadas, ambas as companhias vêm mantendo um papel de liderança na segurança ativa e passiva do motociclismo. 

Esta nova parceria entre a BMW Motorrad e a Alpinestars agora se estende ainda mais, por meio deste acordo de desenvolvimento conjunto.

A CRISE QUE O BRASIL ESTÁ EXPERIMENTANDO FAZ SE SENTIR FORTE NO SETOR AUTOMOTIVO. AS MONTADORAS ESTÃO USANDO TODOS OS MEIOS À SUA DISPOSIÇÃO PARA VENDER SEUS CARROS, INCLUSIVE INCENTIVANDO A VOLTA DOS CONSÓRCIOS. ENTRETANTO, QUEM ESTÁ SE BENEFICIANDO SÃO OS VENDEDORES DE USADOS


Alta Roda 

Nº 834 — 28/4/15
Fernando Calmon


TENTATIVA VÁLIDA

Com a perspectiva de aprofundamento da crise de vendas neste ano, várias ações criativas estão em curso. 

Todo o elenco de estratégias – desde a “troca com troco” até os intermináveis feirões – foi sacado numa tentativa de animar o comprador a entrar na loja e sair com um carro zero-quilômetro.

Apenas o mercado de veículos usados conseguiu uma reação – previsível – depois de anos de apatia e queda de preços. 

Há clara tendência de valorização do usado e movimentação de trocar um modelo mais antigo por um menos antigo, ou mesmo seminovo (até cinco anos de fabricação pelo entendimento geral). 

A maioria das concessionárias vem tomando ações proativas para ter mais relevância neste mercado. 

Em suas entrevistas coletivas mensais a Anfavea tem citado com frequência as estatísticas da Fenauto, associação dos lojistas independentes que tem forte presença na compra e venda de veículos usados inclusive na formação de preços.

Agora as atenções se voltam ao consórcio, por duplo motivo: oferta menor (e a juros maiores) de crédito e estoque de cotas contempladas que não se transformaram em vendas efetivas. 

A indústria automobilística sempre viu com bons olhos o crescimento desta modalidade ao garantir uma demanda fixa por seus produtos. 

Segundo a Abac (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios), o número de consorciados aumentou 8% no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período do ano passado.

Embora não existam estatísticas precisas – só o Banco Central tem controle efetivo sobre cartas de crédito em circulação –, o sistema de consórcio responde em média por 10% das vendas de veículos leves, podendo dobrar essa participação em períodos de crise como o de hoje. 

A situação atual está mais delicada porque 8% dos três milhões de consorciados de veículos leves e pesados (sem contar motocicletas) foram contemplados em sorteio e decidiram não usar o seu crédito. 

São 240.000 compradores que simplesmente preferiram sentar em cima do dinheiro (que continua aplicado pelas administradoras) e não adquirir nenhum veículo.

Esse cenário motivou Anfavea, Fenabrave e Abac a lançarem, em conjunto, uma promoção, inicialmente por 45 dias, para tentar convencer as pessoas a usar imediatamente suas cartas de crédito. 

Sempre há um percentual de compradores que adiam compras por motivos variados, como aguardar um lançamento, mudança de ano de fabricação e até a contemplação por sorteio antes do período planejado. 

De início, 16 fabricantes aderiram e prometem oferecer condições especiais (descontos e opcionais e IPVA grátis).

Todos os tipos de ações promocionais são válidos, mas essa em especial talvez obtenha alcance limitado. 

O contemplado pode simplesmente estar se sentido inseguro em retirar o carro no momento em que a falta de confiança permeia a economia brasileira. 

Afinal, tem de enfrentar despesas correntes de uso (combustível, manutenção, impostos, estacionamento, multas injustas), além de se sentir perseguido só por usar um automóvel.

A Abac afirma que os 8% de contemplados sem uso imediato do seu crédito estão dentro da média histórica. 

Se for isso mesmo, poucos estariam à espera de dias melhores para efetuar sua compra, o que não parece refletir a realidade atual.

RODA VIVA

DECISÃO pragmática e elogiável do governo, publicada em 26 de março, estimulará adoção de novos recursos para aumentar eficiência energética (economia de combustível) dentro do programa Inovar-Auto. 

Estão contemplados o sistema desliga-liga o motor de forma automática, monitor de pressão dos pneus, indicador de troca de marcha e ajuste aerodinâmico de grades frontais.

SUZUKI S-Cross é novo contendor interessante na faixa de SUVs e crossover compactos que oferece, além de bom acabamento, a racionalidade de aliar um motor de 1,6L/120 cv a peso contido (1.125 kg com câmbio automático CVT). 

Oferece versões 4x2 e 4x4 (com controle eletrônico sofisticado), além de porta-malas de 440 litros. 

Preço começa em R$ 74.900 e vai a R$ 105.900.

TOUAREG na versão de topo agora inclui acabamentos antes cobrados à parte na versão R-Line. 

Preço é alto – R$ 298.800 –, porém mais em conta que um Porsche Cayenne com o qual divide o projeto. 

Destaques: posição de dirigir, suave motor V-8 de 360 cv, câmbio automático de oito marchas e consumo de combustível razoável para o alto desempenho oferecido.

ANTECIPAR a venda do subcompacto QQ reestilizado, antes de sua produção nacional no segundo semestre, ajuda a Chery a enfrentar a greve que paralisa a fábrica onde produz o Celer. 

Agora, partindo de R$ 31.990 – 25% mais caro do que a versão básica anterior, montada no Uruguai – já embute, além das melhorias técnicas e de acabamento, as dores do chamado Custo Brasil.

SMART Light Evolucar, lanterna extra vendida como acessório com sensor que detecta movimentos do veículo para indicar mudança de direção pode exacerbar o pouco uso convencionais, sem contar o mau hábito de esquecer de consultar os espelhos. 

Outros acham que ligar a seta é suficiente, sem ter certeza se a manobra foi consentida ou percebida.
____________________________________
fernando@calmon.jor.br e twitter.com/fernandocalmon

FORD É ELEITA NA EUROPA A “MARCA DE VOLUME MAIS INOVADORA” E O NOVO FOCUS É VENCEDOR NA CATEGORIA. CONCORRERAM À PREMIAÇÃO INOVAÇÕES APRESENTADAS POR 18 GRUPOS GLOBAIS DE AUTOMÓVEIS, REPRESENTANDO 53 MARCAS. O MONDEO FICOU ENTRE OS TRÊS PRIMEIROS E A MONTADORA GANHOU PRÊMIOS PARA SISTEMAS DE SEGURANÇA E ASSISTÊNCIA AO MOTORISTA


O novo Focus também foi o vencedor no seu segmento e o novo Mondeo ficou entre os três primeiros da categoria.

A Ford ganhou os prêmios para sistemas de segurança e assistência ao motorista com o estacionamento automático

A Ford foi eleita a "Marca de Volume Mais Inovadora de 2015" por suas tecnologias de segurança e assistência ao motorista, na décima edição do prêmio AutomotiveINNOVATIONS, promovido pelo Centro de Gestão Automotiva da Alemanha. 


Concorreram à premiação inovações apresentadas por 18 grupos globais de automóveis, representando 53 marcas. 

O novo Focus também foi o vencedor no seu segmento e o novo Mondeo ficou entre os três primeiros da categoria.


A Ford ganhou os prêmios para sistemas de segurança e assistência ao motorista com o estacionamento automático, capaz de manobrar o carro em vagas paralelas e perpendiculares, e com a assistência de frenagem de emergência (Active City Stop), que freia o veículo automaticamente para evitar acidentes em velocidades de até 50 km/h.



O Centro de Gestão Automotiva é um instituto independente voltado à pesquisa automotiva e da mobilidade e à consultoria estratégica na Universidade de Ciências Aplicadas de Bergisch Gladbach, na Alemanha. 

O prêmio AutomotiveINNOVATIONS é um reconhecimento à inovação na área da engenharia automotiva. 

O júri, liderado pelo diretor do Centro, prof. dr. Stefan Bratzel, em parceria com a PricewaterhouseCoopers AG, informou que os sistemas de assistência ao motorista responderam por cerca de 300 das inovações inscritas.

"O prêmio AutomotiveINNOVATIONS identificou as futuras tendências da indústria automotiva em uma base de mais de 1.200 inovações técnicas", disse Bratzel.

O júri reconheceu também a Ford pelo motor EcoBoost 1.0, que no ano passado foi o primeiro a vencer por três anos consecutivos o título de Motor Internacional do Ano, e pela tecnologia do seu controle eletrônico de estabilidade.

Joe Bakaj destacou também o Ford Smart Mobility, plano da empresa para ajudar a preservar a mobilidade e mudar a maneira como o mundo se move, enfrentando o desafio das cidades cada vez populosas e urbanizadas. 

Na primeira fase do plano, em janeiro, foram lançados 25 projetos-piloto de mobilidade em diferentes cidades do mundo para promover a inovação nas áreas de conectividade, mobilidade, veículos autônomos, experiência do cliente e “big data”.

VOLVO COLOCA EM PAUTA A QUALIDADE DO TRANSPORTE PÚBLICO NO CONGRESSO SMART CITY BUSINESS QUE ACONTECERÁ DE 19 A 21 DE MAIO, EM CURITIBA. ENTRE OS PALESTRANTES O ARQUITETO JAIME LERNER, EDWARD JOBSON, DIRETOR DE MEIO AMBIENTE DA MONTADORA E HITOSHI NAKAMURA, DO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DO JAPÃO


Fomentar a discussão e multiplicar informações que contribuam para a melhoria da mobilidade urbana. 


Este é o objetivo do debate sobre a qualidade dos sistemas de transporte promovido pela Volvo e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP) durante o congresso Smart City Business, evento sobre a gestão das cidades, em Curitiba, de 19 a 21 de maio.


O fórum reúne especialistas em mobilidade para apresentar e debater soluções que contribuam para aumentar a eficiência e a qualidade do transporte urbano de passageiros. 


Participam do evento o arquiteto e urbanista Jaime Lerner; o especialista em mobilidade sustentável e diretor de Meio Ambiente da Volvo Bus, Edward Jobson; e o especialista em segurança e design urbano do Instituto Shibaura de Tecnologia do Japão, Hitoshi Nakamura.

Também participam da discussão os presidentes da ANTP (Associação Nacional do Transporte Público), Ailton Brasiliense e da NTU (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos), Otávio Cunha e o presidente da Logit (empresa de consultoria de transportes), Wagner Colombini.


“A mobilidade urbana precisa ser vista como instrumento de desenvolvimento social, econômico e ambiental” afirma Ayrton Amaral, especialista em mobilidade da Volvo Bus Latin America. 

De acordo com o executivo, um sistema de ônibus, para ser reconhecido como de qualidade, precisa ter a mesma infraestrutura que sistemas de trilhos.

Para que um sistema de ônibus seja reconhecido como eficiente pela população, é necessário que reúna características como vias segmentadas para ônibus, pré-pagamento de tarifas, segurança, pontualidade, terminais de integração e informação ao passageiro. 

 “Sistemas de transporte bem organizados, além de melhorarem a qualidade de vida das pessoas através do ganho no tempo das viagens, oferecerem maior conforto e segurança, também melhoram a saúde pública e o meio-ambiente reduzindo a emissão de gases na cidade”, argumenta Amaral.

A programação completa pode ser conferida no site: www.smartcitybusiness.com.br


Fórum Moblidade Volvo

Data: 20 de maio

Hora: das 9h às 17:30h

Local: Centro de eventos Unimed – Universidade Positivo

Endereço: Av Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 – Campo Comprido

quarta-feira, 29 de abril de 2015

PSA PEUGEOT CITROËN REGISTRA UM AUMENTO DE 4,6% DAS VENDAS NO 1º TRIMESTRE DESTE ANO


No primeiro trimestre de 2015, as vendas de PSA Peugeot Citroën totalizaram 13,67 bilhões de euros, um aumento de 4,6% em comparação com as receitas do primeiro trimestre de 2014. 

As vendas do setor automotivo, excluindo a contribuição de joint-ventures chinesas, é da ordem de 8,95 bilhões de euros, apresentando leve aumento em comparação a 2014. 


As receitas de vendas de veículos novos aumentaram 1,1%, devido tanto ao mix de produtos como aos efeitos positivos dos preços e das taxas de câmbio, especialmente com relação à libra esterlina, que compensou a queda nos volumes.

As vendas da divisão Automotiva pro forma, incluindo a nossa quota de joint-ventures chinesas, elevaram-se a 10,21 bilhões de euros. 

Trata-se de um aumento de 3,3%, marcado pelo forte crescimento das vendas na China.

No primeiro trimestre de 2015, as vendas de veículos montados registraram aumento considerável na Ásia, África, Oriente Médio e região Índia Pacífico, apresentando uma pequena redução na Europa. 

As vendas também estão em queda na América Latina e na Eurásia, onde os custos fixos estão sendo redimensionados.


Na Europa, apesar de as vendas de veículos apresentarem leve queda (-1%), as vendas do Grupo PSA aumentaram 4% no trimestre. 

Do ponto de vista do crescimento do mercado, o Grupo anunciou o aumento de sua produção em 10% durante os próximos quatro meses, enquanto mantém sua política para melhorar o posicionamento de preço das suas três marcas Peugeot, Citroën e DS.
Na Ásia, as vendas do Grupo cresceram 9%, impulsionadas por um mercado chinês em alta.

Na América Latina e na Eurásia, as vendas do Grupo apresentaram queda de 35% e de 86%, respectivamente, em mercados que passam por significativa retração (-12% e -36%). 


A gestão de vendas segue a lógica de retorno ao equilíbrio financeiro em 2017, graças à forte queda do breakeven, preservando a capacidade de recuperação.
Nas regiões do Oriente Médio-África e Índia-Pacífico, as vendas do Grupo apresentaram alta significativa de 19% e 32%, respectivamente, com um desempenho particularmente forte na Turquia (+ 47%).

No final de março de 2015, os estoques totalizaram 370.000 veículos (incluindo inventário da rede), uma queda de 54.000 unidades comparado ao mesmo período de 2014. 

As vendas de Faurecia no primeiro trimestre atingiram 5,14 bilhões de euros, um aumento de 13,8%.


As receitas do Banco PSA Finance, a uma base de 100%, é de 424 milhões de euros no período, com crescimento de 1,4%.[3]
No momento da publicação dos resultados, Jean-Baptiste de Chatillon, diretor Mundial Financeiro do Grupo PSA, revelou que "estamos acelerando a implementação do nosso plano de reconstrução "Back in the Race". 


BELO HORIZONTE TEM O PRIMEIRO VEÍCULO DE ENTREGAS DA EMPRESA PATRUS TRANSPORTES QUE ADQUIRIU DA RENAULT UM FORGÃO ELÉTRICO KANGOO Z.E.


A Renault vendeu seu furgão elétrico Kangoo Z.E. (Zero Emissão) para a Patrus Transportes, uma das mais importantes empresas de transportes rodoviários do Brasil, sediada em Contagem (MG). 

Este é primeiro veículo elétrico de entregas a rodar em Minas Gerais, em uma iniciativa sustentável da empresa mineira. 

O modelo zero emissão de CO2 já é utilizado nas Entregas Porta a Porta (EPP) em Belo Horizonte.

O Kangoo Z.E. é o primeiro furgão 100% elétrico disponível no mercado. 

A versão amiga do meio ambiente mantém as mesmas qualidades funcionais do Kangoo com motor de combustão interna, idêntico volume de carga (650 kg) e o mesmo padrão de conforto. 

O modelo é equipado um pacote de baterias de íon-lítio que permite rodar 170 km com uma só carga e pode ser recarregado entre 6 e 8 horas, variando de acordo com a rede de energia da cidade. 


O motor elétrico é capaz de gerar 44 kW (60cv) e 23,0 kgfm, levando o furgão a uma velocidade máxima de 130 km/h limitada eletronicamente.

Altamente sustentável, o Kangoo Z.E. não emite poluentes na atmosfera e consome somente 3KVA/16A de energia para rodar 120 km, o equivalente a um banho de 15 minutos com chuveiro elétrico. 

Um dos grandes diferenciais do furgão elétrico é o quadro de instrumentos com indicadores de autonomia, capacidade da bateria e média de consumo instantâneo.

O Renault Kangoo Z.E. foi escolhido pela Patrus Transportes por ser 100% elétrico e homologado para rodar no País, encaixando-se na decisão da empresa de adotar uma política de ações de sustentabilidade. 


INSCRIÇÕES PARA INCUBADORA FÓRMULA INTER PODEM SER FEITAS AINDA NESTA QUINTA-FEIRA. OS PILOTOS QUE QUE CONCORREREM A ATÉ 10 CORRIDAS TERÃO FORMAÇÃO SEM CUSTOS


Encerra-se à meia-noite desta quinta-feira (30/4) o prazo de inscrição para a Incubadora Fórmula Inter, nova categoria do automobilismo com monopostos no sistema Seat & Drive, com custo reduzidos, que a partir do final do ano vai preparar quem sai do kart ou de outras categorias regionais para seguir carreira na Fórmula 3 Brasil ou categorias internacionais, como Fórmula 4, Fórmula Renault e Fórmula 3 Européia, ou Fórmula USF2000, Fórmula Mazda e Indy Lights, nos Estados Unidos.

Para que qualquer pessoa tenha oportunidade de fazer pelo menos uma corrida de Fórmula Inter, foi criada esta inédita promoção. 


"A Incubadora Fórmula Inter na realidade é um programa que visa ajudar pessoas que sonham ser piloto de automobilismo, mesmo sem ter todos os recursos financeiros necessários, e torna possível a sua meta com orientação e através de seu próprio esforço, inclusive para praticar o esporte profissionalmente", explica o empresário Marcos Galassi, criador da modalidade.

O candidato à Incubadora da Fórmula Inter terá que enviar um vídeo com 30 segundos de duração para o e-mail formulainter@formulainter.com.br, ou por WeTransfer, dizendo por que quer participar da Incubadora para ser piloto da Fórmula Inter.

Qualquer pessoa, a partir dos 14 anos de idade - mas que complete os 15 anos até o final do mês de novembro -, até a idade máxima de 65 anos poderá se candidatar na Incubadora Fórmula Inter. 

Mesmo quem já é piloto poderá se candidatar, mas se aprovado também terá que participar de todas as atividades propostas.


No dia 1º de maio todos os vídeos inscritos serão postados na página do facebook (www.facebook.com/formulainter) da Fórmula Inter, quando terá início uma votação pública online por 10 dias. 

Os candidatos que receberem mais votos formarão a primeira turma da Incubadora Fórmula Inter. 

A lista dos contemplados será anunciada no dia 11 de maio.

A partir daí começam as obrigações e direitos dos candidatos selecionados para a Incubadora Fórmula Inter, que não é gratuita. 

No entanto, os escolhidos terão um subsídio para ter direito a fazer uma corrida de Fórmula Inter no carro da Incubadora. 

Cada um terá que pagar por 10 meses seguidos uma mensalidade de R$ 1.149,00, a partir de maio, e terá uma corrida garantida na próxima temporada, com testes e todos os treinos inclusos.

Necessariamente, o selecionado da Incubadora Fórmula Inter terá que se filiar à Federação de Automobilismo de São Paulo (FASP), através do Interlagos Motor Clube, antes de fazer a sua corrida de Fórmula Inter. 

Para quem ainda não é piloto, a Incubadora vai oferecer um desconto junto à Escola de Pilotagem Alpie, podendo pagar em até 10 vezes e fazer o curso já no monoposto da Fórmula Inter. 

O equipamento de segurança pessoal (macacão, luvas, sapatilhas, capacete, balaclava e Hans) também terão desconto concedido pela Corsa para os selecionados.

Como direito inicial todos os selecionados receberão uniforme da Incubadora Fórmula Inter e terão uma página personalizada no site da Fórmula Inter, como todos os pilotos da categoria, inclusive com foto no Fórmula Inter. 

A partir daí o selecionado passa a ter o status de piloto da F-Inter, podendo ter acesso a todas as propriedades da categoria (escritório central e fábrica), participar de todas as atividades, como reuniões com os pilotos, filmagens, acompanhar os testes e corridas - mesmo que não participe da prova.

Terão direito também a frequentar todas as palestras e cursos que serão ministrados na Academia F-Inter, como aulas de Marketing, Vendas, Relações Públicas, Mecânica, Mídia Training, etc. 

E também terão todo o suporte da área comercial da Fórmula Inter, com acesso a todo o material comercial para a venda de patrocínio e suporte nas reuniões de vendas.

A Incubadora Fórmula Inter vai medir regularmente a capacidade de cada candidato. 

Todos os quesitos das participações serão avaliados, com os incubados recebendo pontos, desde o vídeo inicial. 

A interação nas mídias sociais também será avaliada, com pontuação por fãs captados na Fan Page dentro do site da F-Inter.

Os cinco que atingirem as maiores pontuações após todo o processo de aprendizado concorrerão a uma segunda corrida, totalmente gratuita, através de votação no facebook da Fórmula Inter. 

"Quem obtiver a maior pontuação ao final da primeira turma da Incubadora Fórmula Inter ganhará uma temporada inteira gratuitamente", revela Marcos Galassi.

Maiores detalhes em www.formulainter.com.br
Curta www.facebook.com/formulainter
Acompanhe em https://instagram.com/formulainter

DONOS DE PORSCHE, MERCEDES-BENZ, VOLKSWAGEN E ALFA ROMEO JÁ TÊM À DISPOSIÇÃO PEÇAS ORIGINAIS NO MERCADO DE REPOSIÇÃO GARANTE A KSPG


O Grupo KSPG Automotive, através das suas marcas Kolbenschmidt (KS) e Pierburg, passou a fornecer novos produtos originais para os modelos Porsche 918 Spyder, Alfa Romeo 4C, Mercedes-Benz Classe C e Volkswagen Golf GTE.


Estas marcas são parceiras de longa data da empresa, para as quais ela desenvolve componentes e soluções de sistemas inovadores nas áreas de alimentação de ar e na redução de emissões poluentes em bombas de óleo, água e vácuo, pistões, bronzinas e válvulas.


Estes produtos que agora passam a fazer parte na linha de montagem dos veículos Porsche 918 Spyder com válvulas solenoides e bronzinas; Alfa Romeo 4C com válvula reguladora da pressão de admissão e de vácuo, bombas de óleo, de vácuo e de água, e pistões; Mercedes-Benz Classe C com bomba de água e pistões; e Volkswagen Golf GTE com sistema de ar secundário, bronzina de mancal e arruelas de encosto.


Ressalte-se que todos os produtos que constam no portfólio do Grupo KSPG, cumprem os mais altos padrões de qualidade da indústria automotiva. 



Assim, a baixa emissão de poluentes, melhor consumo de combustível, confiabilidade, qualidade e segurança são os fatores essenciais para as inovações desenvolvidas pelo grupo.


* Os produtos da marca KOLBENSCHMIDT (KS) e Pierburg são comercializados no mercado brasileiro de reposição pela MS Motorservice Brazil, divisão do Grupo KSPG AG responsável pelas atividades de vendas e prestação de serviços para o aftermarket.

AUDI ENRIQUECE SEU PORTFÓLIO BRASILEIRO COM A CHEGADA DE DUAS MAQUINAS INFERNAIS, TRAVESTIDAS DE STATION WAGON FAMILIARES, O RS 6 AVANT QUE ESTÃO ENTRE OS CARROS MAIS RÁPIDOS DO MUNDO: GRAÇAS AO MOTOR V8 BITURBO 4.0 TSFI, DE 540 CV, VÃO DE 0 A 100 KM/H EM 3,9 SEGUNDOS, COM ABSOLUTA SEGURANÇA COM SUA TRAÇÃO INTEGRAL. CONFORTÁVEIS, CONFIÁVEIS E COM ALTERAÇÕES NO DESIGN, OS CARROS JÁ ESTÃO À VENDA. E CONHEÇA A HISTÓRIA DO RS


Quem desejar possuir um automóvel familiar com DNA de carro de corrida já pode se dirigir a uma concessionária Audi em todo o Brasil e escolher entre as novas versões dos esportivos Audi RS 6 Avant e RS 7 Sportback


Com novidades no design, ainda mais atraente e agressivo, os dois modelos topo de linha oferecem um extraordinário desempenho, digno de verdadeiros carros-esporte, e um amplo e confortável interior, com espaço para quatro ocupantes.

Tanto o RS 6 Avant como o RS 7 Sportback são impulsionados pelo avançado motor V8 4.0 TFSI de 560 cv. 

A combinação do poderoso motor V8 biturbo de quatro litros com a tecnologia de cilindros sob demanda (Cylinder on Demand - COD), aliada à tração integral quattro e sua construção de baixo peso, tornam os dois modelos em brilhantes peças de equipamento esportivo. 

Com toda essa tecnologia, o RS 6 Avant e o RS 7 irão agradar plenamente os fãs de uma condução dinâmica e, simultaneamente, eficiente.

Audi RS 6 Avant


Uma impressionante combinação entre a praticidade de uma station wagon com o temperamento de um verdadeiro esportivo, o Audi RS 6 Avant traz o mesmo sistema propulsor do RS 7 Sportback: motor V8 biturbo 4.0 TFSI, câmbio esportivo tiptronic com oito marchas e tração integral quattro

Os números de desempenho também são idênticos e a station wagon acelera de 0 a 100 km/h como um verdadeiro carro-esporte em 3,9 segundos, com  velocidade máxima de impressionantes 305 km/h.


Station wagons são muito apreciadas como veículos familiares e pelos esportistas ao ar livre, que exigem grandes equipamentos, devido ao seu espaço interno.

Exatamente por essas características, a RS 6 Avant se destaca na paisagem urbana e nas estradas por sua aparência radicalmente dinâmica, com elementos aerodinâmicos incorporados à carroceria, baixa altura em relação ao solo, grandes rodas e largos pneus.


Linhas bem definidas, enfatizando os traços horizontais, mescladas a superfícies com características quase atléticas, compõem o design preciso e elegante da RS 6 Avant.  

O visual foi cuidadosamente refinado na nova versão, com mudanças na grade Singleframe, faróis, entradas de ar, saias laterais, lanternas traseiras e ponteiras do escapamento. 


Internamente, acabamento em fibra de carbono e os bancos com couro Alcântara também garantem uma bela visão por dentro desse RS.

Uma característica importante da RS 6 Avant é sua possibilidade de uso cotidiano. Suas características esportivas podem ser atenuadas, por meio da tecnologia Drive Select, e não provocam reações bruscas na condução urbana. 


Quando não solicitada a mostrar seus ‘músculos’, a station se comporta como um carro absolutamente para o dia-a-dia. 

Graças à sua concepção inteligente, reunindo diferentes materiais, a station esportiva tem uma carroceria extremamente rígida e segura. 

Componentes em alumínio e aço estampado a quente formam a espinha dorsal de uma estrutura leve e garantem um excelente conforto com reduzida vibração. 

O nível de ruído na cabine também é extremamente baixo.


RS 6 Avant – ficha técnica

Motor: 4.0 biturbo FSI
Cilindros: 8 em V
Cilindrada (cm3) / Nº válvulas por cilindro 3.993 / 4
Potência (cv): 560 @ 5.700 - 6.600 rpm
Torque (Nm): 700 @ 1.750 - 5.500 rpm


Transmissão
Tração quattro®
Câmbio: Tiptronic 8 velocidades

Pesos / Capacidades
Peso (kg): 2.010
Comprimento (mm): 4.979
Largura (mm): 1.936
Altura (mm): 1.461
Distância entre eixos (mm): 2.915
Capacidade do tanque de combustível (l) 75
Capacidade do porta-malas (l) 565

Performance
Aceleração 0-100 km/h (s): 3,9
Velocidade máxima (km/h): 305


Audi RS 7 Sportback
O Audi RS 7 Sportback revela sua personalidade dinâmica ao primeiro olhar: o longo capô do motor, as colunas traseiras esportivas fluidas e a forte inclinação na traseira provocam uma flagrante sensação de movimento. 

As mudanças no design começam pela grade Singleframe com a colmeia preta, típica dos modelos RS, com os cantos agora mais marcados e diferenciados. 


Pequenas mudanças também foram feitas no para-choques, que se destaca pelas grandes entradas de ar.

Os faróis, também adaptados à nova grade, vêm com tecnologia LED como item de série e trazem um novo desenho para as luzes de condução diurna.


No elegante interior negro, dominado pelos bancos esportivos RS, os designers revisaram sutilmente o conjunto de instrumentos, os controles de saída de ar das aberturas de ventilação, os “shift-paddles” de mudança de marchas atrás do volante e o emblema quattro no painel de instrumentos. 

O carro também oferece um painel com tecnologia Head-up Display, que permite o motorista manter os olhos na pista, ao mesmo tempo em que vê as informações do painel.

O sistema MMI navigation plus, de série, com MMI touch, agora utiliza a plataforma modular de infotainment de última geração: seu ponto alto é um eficiente processador gráfico desenvolvido pela Nvidia, parceira da Audi.

O sistema permite que motorista aprecie uma navegação 3D, TV digital e DVD Player em um sistema de som de alta definição da Bang&Olufen. 

Destaca-se ainda o acabamento em carbono em algumas partes e bancos revestidos em couro em Alcântara.

O motor 4.0 TFSI do Audi RS 7 Sportback disponibiliza 560 cv com 700 Nm de torque entre 1.750 e 5.500 rpm, levando o cupê de cinco portas até 100 km/h em apenas 3,9 segundos e atingindo velocidade máxima de 305 km/h. 


Para a máxima eficiência, o sistema de cilindros por demanda (Cylinder on Demand - COD), que pode desligar quatro cilindros quando o motor opera sob carga parcial, contribuindo na economia de combustível.

Um câmbio tiptronic de oito marchas especialmente desenvolvido para desempenho esportivo, com oitava marcha bastante alongada, direciona a força do motor de oito cilindros para a tração integral permanente quattro, que conta com o diferencial esportivo no eixo traseiro para melhor comportamento em curvas. 

O mecanismo permite uma distribuição correta de força entre as rodas traseiras e dianteiras para proporcionar maior segurança e diminuição de chance de derrapagens.


O Audi RS7 Sportback vem equipado de série com suspensão RS sport plus, mais rígida, com Dynamic Ride Control (DRC - controle dinâmico de rodagem), que praticamente elimina a rolagem da carroceria em curvas. 

Outro item importante é a direção dinâmica, com relação de redução continuamente variável. 

Ela permite uma mudança de comportamento do volante, dependendo da velocidade do carro, para criar maior conforto ao condutor. 

O Sistema de Estabilização Eletrônico (ESC) tem um modo Sport que pode ser ativado caso o condutor deseje, que permite uma condução mais divertida ao exigir um maior controle do motorista para estabilizar o automóvel. 

O carro também pode ser equipado com Night Vision, que auxilia a visão do motorista em condições noturnas.

O Audi RS 7 Sportback 2015 é equipado de série com rodas de liga leve 21 polegadas. Os quatro discos de freio, ventilados internamente, têm design ondulado para redução de peso e são de cerâmica, o que permite seu uso em condições extremas.

RS 7 Sportback – ficha técnica

Motor: 4.0 Biturbo FSI
Cilindros: 8 em V
Cilindrada (cm3) / Nº válvulas por cilindro: 3.993 / 4
Potência (cv): 560 @ 5.700 - 6.600 rpm
Torque (Nm): 700 @ 1.750 - 5.500 rpm

Transmissão
Tração: quattro®
Câmbio: Tiptronic 8 velocidades

Pesos / Capacidades
Peso (kg): 1.995
Comprimento (mm): 5.012
Largura (mm): 1.911
Altura (mm): 1.419
Distância entre eixos (mm): 2.915
Capacidade do tanque de combustível (l): 75
Capacidade do porta-malas (l): 535

Performance
Aceleração 0-100 km/h (s): 3,9
Velocidade máxima (km/h): 305

20 anos de desempenho - 
a história dos Audi RS no Brasil




A sigla RS deriva da palavra alemã Rennsport, que pode ser traduzida como automobilismo esportivo. 

Ela surgiu em 1994, com a apresentação do Audi RS 2 Avant, o precursor de uma série de modelos derivados de produtos de série com características, até então, exclusivas de carros-esporte. 

No Brasil, a RS2 foi apresentada oficialmente no Salão Internacional do Automóvel, em fins de 1994, como a perua mais rápida do mundo. A comercialização dela começou em maio de 1995.

A quattro GmbH, que fabrica os modelos Audi S e RS, foi fundada em 1983 como uma subsidiária da AUDI AG. 

 Ela começou comercializando acessórios e iniciou a individualizar carros em 1995. 

Em 1996, passou a ser a fabricante dos modelos de alta performance da Audi, produzidos com a marca Audi Sport. 

A empresa hoje tem duas fábricas, em Neckarsulm e Ingolstadt.


1994 – Audi RS 2 Avant
A Audi abre um novo caminho

Apresentado em 1994, o Audi RS 2 Avant foi um desbravador - o primeiro carro-esporte de alto desempenho do mundo com espaço para cinco ocupantes e um grande compartimento de bagagem. 

O design externo diferenciado e o interior com acabamento refinado também eram dignos de nota. 


Seu motor turbo de cinco cilindros com 2,2 litros gerava 315 cv, acelerando o RS 2 Avant da imobilidade a 100 km/h em apenas 5,4 segundos e levando-o até 262 km/h. 

A Porsche AG, que atuou como parceira no desenvolvimento e produção do carro, fornecia peças como freios e rodas.

O RS 2 Avant não demorou a chegar ao Brasil: apresentado no Salão do Automóvel de 1994, começou a ser vendido no país no ano seguinte.



1996 – Audi S6 Plus
O primeiro carro da quattro GmbH

O Audi S6 plus ainda não ostentava o emblema RS, mas foi o primeiro modelo manufaturado pela quattro GmbH. 


Ele tinha um V8 com 4,2 litros e 326 cv e câmbio manual de seis velocidades. A arrancada até 100 km/h tomava 5,6 segundos. 


Apesar do S6 plus também ser oferecido como sedã, a maioria dos compradores optou pela versão Avant (perua).


2000 – Audi RS 4 Avant
Motor compacto e muita potência

O desenvolvimento do primeiro RS 4 Avant também envolveu um parceiro, a empresa inglesa Cosworth Technology Ltd. 

Juntamente com a quattro GmbH, a empresa inglesa ajudou a elevar a potência do V6 biturbo de 2,7 litros para 380 cv. 


O resultado foi uma arrancada de 0 a 100 km/h em 4,9 segundos. A procura pelo RS 4 Avant foi tão alta que a Audi teve que dobrar o volume de produção inicialmente planejado.



2002 – Audi RS 6
A força do turbo num grande V8

O Audi RS 6 teve sua apresentação em 2002, oferecido tanto como sedã como na versão Avant. 

Seu V8 4,2 litros, alimentado por dois turbocompressores, gerava 450 cv. A Cosworth se encarregava da montagem do motor de cinco válvulas por cilindro. 

Com o câmbio tiptronic de cinco marchas de série, o Audi RS 6 acelerava de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos. 

Ao mesmo tempo, o sistema Dynamic Ride Control (DRC - controle dinâmico de rodagem), também fazia sua estreia. 

O RS 6 plus chegou em 2004, com potência de 480 cv e velocidade máxima de 280 km/h.


2005 – Audi RS 4
Dinamismo em três formatos

A segunda geração do RS 4 apareceu em 2005, inicialmente como sedã e Avant e, posteriormente, como Cabriolet. 

 O motor era o totalmente novo V8 de 4,2 litros e alta rotação. 

A unidade com injeção direta e aspiração natural gerava 420 cv. O RS 4 Sedan saltava de 0 para 100 km/h em 4,8 segundos. 


Entre seus destaques tecnológicos estavam a tração quattro com a nova distribuição assimétrica de torque e freios de cerâmica reforçados com fibra de carbono opcionais.



2008 – Audi RS 6
O mais potente Audi produzido em série

O RS 6 2008 era o carro da Audi produzido em série mais potente até então. 

Seu V10 biturbo com cinco litros de cilindrada tinha 580 hp - o suficiente para uma arrancada até 100 km/h em 4,6 segundos e velocidade máxima de 280 km/h. 

As duas linhas de equipamento "plus" que se seguiram, em 2010, permitiam uma velocidade máxima de 303 km/h. 

Um câmbio tiptronic de seis marchas com trocas rápidas transmitia a força do motor para o sistema de tração quattro. 


A segunda geração do RS 6 foi oferecida nas versões sedã e Avant.



2011
– Audi RS 3 Sportback
Potência em forma compacta

Com o RS 3 Sportback, a Audi trouxe a filosofia RS para o segmento dos carros compactos premium. 

O motor turbo 2,5 litros, com cinco cilindros, gerava 340 hp, consumindo pouco mais de nove litros de gasolina por 100 quilômetros rodados. 


O trem de força incluía um câmbio S tronic de sete velocidades extremamente confiável e uma embreagem hidráulica de discos múltiplos no sistema de tração. 

O RS 3 Sportback acelerava de 0 a 100 km/h em 4,6 segundos. 

Para-lamas de polímero reforçado com fibra de vidro (CFRP) comprovavam a filosofia de projeto com peso reduzido da quattro GmbH.


ACESSE TODAS AS POSTAGENS E SAIBA TUDO SOBRE O MUNDO AUTOMOTIVO.