quinta-feira, 30 de junho de 2016

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA CONTINUA NA PAUTA DAS DISCUSSÕES. HÁ A EXIGÊNCIA MÍNIMA DE 12,1% NO CONSUMO DE COMBUSTÍVEL POR KM/L


Alta Roda

Nº 895 — 30/6/16
Fernando Calmon

Acorda Brasil

A eficiência energética é tema importante e que veio para ficar. Pode-se considerar até uma conquista e o único aspecto merecedor de apoio incondicional do controvertido programa Inovar-Auto implantado no quinquênio 2013-2017. 

Sua principal consequência está sendo a modernização e o lançamento de motores novos por quase todos os fabricantes de veículos leves no Brasil.

Ainda causa suspense saber quem vai optar pelo bônus para superar a meta obrigatória na média de todos os veículos produzidos por cada fabricante. 

A exigência é redução mínima de 12,1% no consumo de combustível em km/l (na realidade, autonomia) ou megajoule/km, unidade que expressa de forma correta as diferenças de poder calorífico entre etanol e gasolina.

Entretanto, há um prêmio de 1% no IPI para os que atingirem 15,5% de incremento na eficiência energética e mais 1% para alcançar 19%, ou seja, a meta-alvo. 

Em 1º de outubro próximo se conhecerão as marcas habilitadas para tal e esse se trata de segredo estratégico.

Recentemente, em São Paulo, a Associação Brasileira de Engenharia (AEA) organizou o II Simpósio de Eficiência, Emissões e Combustíveis. 

Ficou ressaltado o sucesso de 30 anos do Proconve (Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores) e a junção bem-sucedida com as metas do programa de eficiência energética, a única parte do Inovar-Auto que merece e deve ter continuidade depois de 2017.

Também recebeu total reconhecimento o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV), conduzido com alta competência pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), e a consolidação confiável dos valores de consumo de combustível, emissões de poluentes e de gás carbônico (CO2) numa única tabela. 

Daí se chegou à nota triplo A no País para automóveis e comerciais leves fabricados aqui ou importados.

Vários outros pontos foram debatidos entre eles as futuras normas de emissões PL7. Está difícil de chegar a um consenso. 

A Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do governo paulista) chamou atenção sobre a necessidade de apertar o controle de emissão de vapor de combustível durante o abastecimento nos postos e a utilização de parâmetros nacionais. 

Esses gases são precursores de ozônio ao nível do solo, um problema nas grandes cidades agravado no inverno.

Aditivos para gasolina foi assunto considerado importante quando se analisa em conjunto meio ambiente e eficiência energética. 

Infelizmente a aditivação básica obrigatória está atrasada por discordâncias entre a Petrobrás e o órgão regulador ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). 

Deve-se ressaltar que cada distribuidora, se assim optar, continuará a desenvolver e comercializar seu próprio pacote de aditivos, o que significa combustível ainda melhor.

A consultoria AVL destacou a eletrificação de sistemas e tecnologias híbridas. A combinação entre motores a combustão interna e elétrico, que na Europa ganhou muita força depois do atual imbróglio do diesel em automóveis, significará um grande salto em eficiência energética. O Brasil ainda não acordou para essa realidade.

Roda Viva

Novela de livre comércio de veículos entre Brasil e Argentina concluiu mais um capítulo. Agora o acordo se estenderá até 2020 e continua o estranho regime: a cada US$ 1,5 exportado, o Brasil pode importar US$ 1, sem taxas. 

Pelo tratado do Mercosul, desde o ano 2000 deveria haver livre circulação de produtos. Este é o sexto adiamento e, se espera, o último.

Quarta geração do Kia Sportage chegou ao mercado com mais espaço interno, estilo bastante atual e até com melhora aerodinâmica (Cx 0,33). Motor continua o 2-L/167 cv (etanol). 

Oferta será limitada pelas cotas de importação, porém a preço competitivo: R$ 109.990 a 134.990. 

Há dois bancos elétricos na frente; falta indicador de consumo no computador de bordo.

Audi A4 teve mudanças estilísticas discretas, mas ao rodar em cidade e estrada é fácil de notar as diferenças. 

Motor turbo 2-L/190 cv impressiona também pelos 32,6 kgfm de torque e economia de combustível. 

Interior está mais moderno e comportamento em curvas, exemplar. Avanços em direção semiautônoma ainda dependem de homologação no Brasil.

Pouco mais de três anos atrás, desavisados atribuíam automóveis caros ao “lucro Brasil”, embora os preços tenham caído em termais reais por quase uma década. 

Hoje, o cenário é oposto, segundo dados do Banco Central. As matrizes enviaram, de janeiro a maio deste ano, quase US$ 2 bilhões para cobrir o “prejuízo Brasil”. Há marcas perdendo US$ 1 milhão por dia...

Leitor
Everton Lima, de São Paulo, chama atenção para as seguidas negativas que vem enfrentando para obter carteira de habilitação por ter baixa acuidade visual. 

Nos EUA, as leis de trânsito permitem o uso de lentes de correção acopladas aos óculos, chamadas de telelupa kepler, de acordo com regulamentação específica. Pena o Brasil não aceitar essa possibilidade.
____________________________________

fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

VOLVO CARS INICIA PRÉ-VENDA DO XC60 DIESEL, COM MOTOR DE 220 CV, O MAIS POTENTE DO SEU SEGMENTO, POR R$ 199 MIL, ATÉ 31 DE JULHO. O MODELO SUECO QUE REPRESENTA 65% DAS VENDAS DA VOLVO NO BRASIL, PASSARÁ A CUSTAR 215.950,00



A Volvo Cars prepara uma série de novidades para sua linha 2017. A primeira é a chegada de uma nova opção do utilitário esportivo XC60, que ganha motorização a diesel. 

Para marcar a entrada do SUV Premium no segmento diesel, a fabricante sueca lança uma campanha com preços especiais: de 1º a 31 de julho, o modelo será ofertado ao preço de R$ 199.000,00.


Após esse período, os consumidores poderão adquirir o XC60 D5 nas 27 concessionárias da rede no Brasil a partir de R$ 215.950,00. 

Ao reforçar sua posição no segmento, o modelo mais vendido da marca no País vai além, ao trazer de volta a tração AWD e a motorização diesel mais potente dentre seus competidores, de 220 cv.


Atualmente, o XC60 é responsável por 65% das vendas da Volvo Cars no Brasil. Entre janeiro e junho deste ano, o SUV Premium acumula quase 900 unidades vendidas. 

Além da já reconhecida sofisticação, do luxo e da segurança do modelo, a linha 2017 do XC60 vai atender a todas as expectativas do consumidor com uma ampla gama de versões, também equipadas com o motor T5, de 245 cv.

FORD TEM OFERTA DIFERENCIADA PARA A LINHA NEW FIESTA 2017, TURBO, E A NOVIDADE ECOBOOST. A VENDA COMEÇA JÁ EM JULHO COM FINANCIAMENTO EM 18 PARCELAS E TAXA ZERO E AS VERSÕES 1.6 EM 24 PRESTAÇÕES. SEGURO ESPECIAL DA FORD E REVISÕES COM PREÇOS FIXOS COMPLETAM O PROGRAMA DE VENDAS DOS NOVOS FIESTAS




A Ford anuncia novas condições diferenciadas de financiamento e custo de revisão como parte do lançamento da linha 2017 do New Fiesta. 

Os modelos começam a ser vendidos a partir de julho e trazem como principal novidade a versão com motor EcoBoost, o 1.0 turbo mais potente e econômico do mercado.

A oferta de lançamento inclui financiamento com taxa zero, plano de revisões com garantia estendida e seguro com valor reduzido, sem perfil do motorista.

O hatch premium pode ser financiado com taxa zero mais entrada, em 18 parcelas para o modelo EcoBoost e em 24 parcelas para os demais modelos com motor 1.6. 

Os Seguros Ford também criaram uma cobertura especial com preço médio nacional de R$2.325 para o New Fiesta EcoBoost. 

A apólice considera somente o CEP do segurado para cálculo, sem perfil do condutor, com indenização integral, assistência de guincho e carro reserva por 10 dias.

A manutenção econômica é outra vantagem do New Fiesta 2017. A linha prevê três revisões, a cada 12 meses ou 10.000 km durante os três anos de garantia, que saem por R$1.540 para o EcoBoost 1.0 e R$1.456 para os modelos 1.6. 

O cliente que optar pelo plano Ford Protect Advanced, fazendo uma quarta revisão aos 48 meses ou 40.000 km (por mais R$1.024), pode incluir o valor total de R$2.500 no financiamento e ganha gratuitamente um ano a mais de garantia de fábrica.



Há ainda o plano Premium, que acrescenta uma quinta revisão aos 60 meses ou 50.000 km, por R$516, e eleva a garantia original de fábrica para cinco anos. 

O valor total de R$3.000 também pode ser financiado com o veículo.

“O plano Ford Protect é um produto exclusivo da marca, oferecido em parceria com a Ford Credit para o lançamento do New Fiesta 2017”, diz Fernando Pfeiffer, gerente de Marketing da Ford. 

“O objetivo é facilitar o acesso dos clientes à tecnologia turbo mais avançada do segmento, em um compacto ágil e moderno que oferece o máximo de eficiência e segurança.”

PSA PEUGEOT CITRÖEN SE COMPROMETEU NA ONU A APOIAR AS AÇÕES DO EMPODERAMENTO DAS MULHERES DA ORGANIZAÇÃO NO INCENTIVO JUNTO ÀS EMPRESAS PARA QUE ADOTEM MEDIDAS A FAVOR DA IGUALDADE DE GÊNEROS. AS MULHERES OCUPAM NA PSA 13% DO QUADRO DE ALTOS EXECUTIVOS, PERCENTUAL QUE CHEGARÁ A 20% ATÉ 2025. ESTÁ LONGE AS MULHERES GANHAREM O MESMO QUE OS HOMENS E SEREM RESPEITADAS COMO SERES HUMANOS NESTE PLANETA

O Grupo PSA anunciou, ontem, 29 de junho, aos seus parceiros sociais, reunidos no Conselho Global de Trabalho, na França, que se comprometeu a apoiar a Organização das Nações Unidas (ONU) no que se refere aos Princípios de Empoderamento das Mulheres. 

A iniciativa da ONU tem como objetivo incentivar as empresas a tomar medidas a favor da igualdade gênero.

O Grupo PSA já pratica uma política voluntarista de igualdade de gênero em seus ambientes de trabalho, acreditando que desta forma está agregando valor e estimulando um melhor desempenho em suas atividades profissionais.

A adesão aos Princípios das Nações Unidas sobre o Empoderamento das Mulheres traz ao Grupo PSA um referencial muito valioso pelo seu reconhecimento internacional e permite sua aplicação em todas as empresas do Grupo e países onde está instalado. 

Esse referencial será usado para uma avaliação das realizações praticadas em diferentes países, para identificar novas ações de progresso e promover as melhores práticas.

Os compromissos do Grupo PSA:A diversidade de gênero nas profissões.
Processos de RH que garantam a igualdade profissional (por exemplo: 
situações de comparação entre homens e mulheres no emprego, salários, trajetórias de carreira).

Acesso das mulheres a todos os níveis de responsabilidade.

Os números mostram que o Grupo tem feito um bom progresso
As mulheres representam hoje 19% do número total de colaboradores, sendo mais de 20% do quadro de executivos e 1/3 dos engenheiros e gestores com idade inferior a 30 anos. 

Além disso, elas representam 13% do quadro de altos executivos - um número que o Grupo PSA pretende aumentar para 20% até 2025.
O Grupo PSA foi a primeira empresa a receber a certificação “France's Equal Opportunity”, em 2005. 

Ela foi renovada em 16 de Dezembro de 2014, atestando o compromisso contínuo do Grupo e seu processo de melhoria contínua. 

A estratégia de diversidade se aplica a todos os países onde o grupo está presente. Na Espanha, o Grupo PSA recebeu um prêmio similar concedido pelo Ministério dos Assuntos Sociais e de Igualdade, no ano de 2013.

A RENAULT CUMPRE A PROMESSA DE VENDER A SUA PICAPE COM CÂMBIO AUTOMÁTICO, SISTEMA QUE FOI SENTIDO LOGO QUANDO DO LANÇAMENTO DA DUSTER OROCH. ELA, ASSIM COMO A SUV DUSTER SAEM DE FÁBRICA NOS MODELOS 2017, TAMBÉM, COM DIREÇÃO ELETRO-HIDRÁULICA. OUTRAS MELHORIAS MECÂNICAS, A RENAULT SUBLINHA QUE FOI BUSCÁ-LAS À FÓRMULA 1 E QUE GERARAM ECONOMIA DE CONSUMO DE COMBUSTÍVEL, COM QUE OS "PNEUS VERDES" CONTRIBUEM. O CONFORTO E A ERGONOMIA AVANÇARAM. OS PREÇOS DA DUSTER VÃO DE R$ 66.490.00 ATÉ R$ 84.690.00. E A PICAPE OROCH VÃO DE R$ 66.080,00 A R$ 76.580,00



Todas as versões 2.0 16V dos modelos 2017 Duster e Oroch passam a ser equipadas com direção eletro-hidráulica, de série, e a picape já oferece a opção de câmbio automático de quatro marchas.

As novidades anunciadas pela Renault para os dois modelos 2017 vêm atender às expectativas dos consumidores que esperavam esses benefícios, que tornam os modelos mais eficientes e confortáveis.


Os dois carros da Renault são apontados como sucesso de venda e ganharam 
uma notável melhoria em eficiência energética de até 11,5% nos motores 2.0, em relação ao modelo anterior.

A Renault sublinha o sucesso de vendas no Brasil, do SUV Duster e da Picape Duster Oroch que conquistaram o público "graças à sua robustez, inovação, amplo espaço interno e versatilidade". 


A Renault explica que buscou soluções da Fórmula 1 para melhorar a eficiência energética do SUV e da picape.

O sistema ESM (Energy Smart System) de regeneração de energia funciona de forma simples e eficiente. 

Durante a desaceleração do carro, quando o motorista retira o pé do acelerador, o motor continua girando sem consumir combustível. 


Nesse momento, o alternador passa, automaticamente, a recuperar energia e enviá-la para a bateria, que aumenta sua carga sem consumo de combustível.

Durante a aceleração, o alternador não precisa “roubar” energia do motor para enviar à bateria, já que houve a carga na desaceleração.


Outra notável evolução em matéria de conforto e redução de consumo é a adoção da direção eletro-hidráulica. 

Para o motorista, isso representa uma direção ainda mais leve e um menor esforço na hora de realizar manobras. 

A direção com esforço variável ainda se ajusta de acordo com a velocidade, ficando mais pesada em altas velocidades e proporcionando maior segurança. 

Como nesse sistema a bomba da direção passa a ser acionada por um motor elétrico a parte, e não pelo motor do carro, evita-se a perda de potência e se reduz em até 2% o consumo de combustível.

Produzido na fábrica da Renault em São José dos Pinhais (PR), o motor 2.0 16v passa por uma evolução. 


A partir de uma mudança da força tangencial no anel do cilindro, houve uma redução de atrito interno, gerando uma melhoria no consumo de combustível. 

O motor 2.0, que manteve os números de potência e torque, é destaque no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV), elaborado pelo Conpet, com nota “A” em consumo de combustível no Duster equipado com câmbio manual e na Duster Oroch, incluindo a nova versão com câmbio automático.

A adoção de "pneus verdes" para o Duster 2.0 (item já presente na Duster Oroch), com menor resistência ao rolamento, também contribui para melhorar a eficiência. 


Estes pneus são mais leves e aquecem menos, graças à adição de alguns compostos especiais à mistura original de borracha e sílica que dá origem aos pneus, sem comprometer em segurança, aderência e durabilidade.

O desenvolvimento da linha 2017 da Duster Oroch e do Duster envolveu 74 engenheiros da RTA (Renault Tecnologia Américas), que tem o objetivo de desenvolver produtos voltados às necessidades e ao perfil do consumidor latino-americano. 

Em um período de dois anos, foram testadas 121 unidades em países como Brasil, Argentina e França com o foco na redução de consumo de combustível.


Para o consumidor que busca uma maior redução no consumo de combustível, tanto o Duster quanto a Duster Oroch oferecem a função EcoMode, que pode ser acionada por meio do botão localizado no painel central.

Este modo limita a potência e o torque do motor, além de reduzir a potência do ar-condicionado, o que permite uma redução de 10% no consumo de combustível. 


Outro recurso é o indicador de trocas de marchas Gear Shift Indicator (GSI), o qual auxilia o motorista a dirigir de forma econômica e eficiente ao sugerir quando reduzir ou aumentar a marcha para melhor aproveitar as características dos motores.


Tanto o Duster quanto o Duster Oroch também evoluíram em ergonomia para melhorar o dia a dia dos passageiros.


O comando de controle dos retrovisores elétricos, por exemplo, agora está na porta do motorista. 

Outra mudança foi na adoção do vidro “one-touch”, que traz maior conforto e praticidade aos passageiros. 


Há ainda o fechamento global dos vidros pela chave na versão Dynamique, bastando ao motorista dar dois cliques no controle remoto do carro, para que os vidros subam automaticamente.

Câmbio automático
A inovadora picape Duster Oroch, que criou um segmento entre as picapes pequenas e grandes, aumenta sua gama de versões com a adoção da caixa automática de quatro marchas, a mesma que já equipa o SUV Duster. 


O confiável câmbio automático garante ao motorista o máximo de conforto sem abrir mão da robustez e versatilidade já características da picape.

Com a nova transmissão, a Duster Oroch oferece conforto de rodagem ainda maior, principalmente para os usuários que a utilizam na cidade. 


Hoje, cerca de 48% dos consumidores dos grandes centros urbanos, como Rio e São Paulo, optam por carros automáticos.

O câmbio automático da Duster Oroch é comprovadamente um dos mais robustos do mercado, ideal para a aplicação em picapes, devido à necessidade de carregar carga. 


Mesmo sendo um câmbio automático, se o motorista desejar trocar as marchas manualmente, basta dar leves toques na alavanca de câmbio.

A caixa automática foi desenvolvida levando em consideração a eficiência do carro, bem como conforto e velocidade de engate, além de oferecer toda a confiabilidade da Renault.

Preços


Duster
Expression Manual 1.6 16V Hi-Flex ..........R$ 66.490
Dynamique Manual 1.6 16V Hi-Flex ..........R$ 72.580
Dynamique Automático 2.0 16V Hi-Flex ....R$ 82.590
Dynamique 4x4 Plus 2.0 16V Hi-Flex ........R$ 84.690


Duster Oroch
Expression 1.6 16V Hi- Flex ......................R$ 66.080
Dynamique 1.6 16V Hi- Flex…………........R$ 70.580
Dynamique 2.0 16V Hi- Flex…………........R$ 74.580
Dynamique Automática 2.0 16V Hi- Flex...R$ 76.580

quarta-feira, 29 de junho de 2016

ANFAVEA CELEBRA EQUILÍBRIO E A RENOVAÇÃO DO ACORDO SETORIAL, ENTRE BRASIL E ARGENTINA, QUE PREVÊ QUE POR CADA US$ 1,5 EXPORTADO PARA O NOSSO PAÍS, SERÁ IMPORTADO US$ 1, O QUE VALE ATÉ JULHO DE 2019. COM A POSSE DO PRESIDENTE MAGRI E A INTERINIDADE DE TEMER, FOI FINALMENTE DESATADO O NÓ QUE ATRAPALHAVA O COMÉRCIO ENTRE OS DOIS PAÍSES

Antônio Megale, presidente da Anfavea

Os governos do Brasil e Argentina concluíram as negociações sobre o comércio setorial após rodada final de negócios realizada em 23 e 24 de junho em Brasília, DF. 

Os países firmaram renovação do acordo automotivo até 2020, com a instalação de agenda de trabalho cujo foco será a integração produtiva e comercial equilibrada que possibilite o livre comércio.

O presidente da Anfavea, Antônio Megale, destaca a importância do equilíbrio destas negociações: "Um acordo com horizonte de médio e longo prazo é fundamental para dar mais previsibilidade ao planejamento e segurança na definição de investimentos. Por esta razão avalio de forma muito positiva a conclusão das negociações pelos governos, que demonstraram equilíbrio e maturidade ao enxergar a relação de complementariedade produtiva entre os países e prever agenda de trabalho visando ao livre comércio".

Antonio Megale
Pelo acordo, a relação entre o valor das importações e exportações - conhecida como flex - não deverá superar 1,5 no período de cinco anos, considerando 1º de julho de 2015 a 30 de junho de 2019. Para cada US$ 1,5 exportado do Brasil para Argentina, US$ 1 deve ser importado.

Nos últimos 12 meses do acordo - que termina em 2020 - o flex subirá para 1,7, com prévio acordo entre os países e desde que alcançadas as condições para o aprofundamento da integração produtiva e o desenvolvimento equilibrado de estruturas produtivas e de comércio.

MERCEDES-BENZ APRESENTOU SEUS CARROS ADEQUADOS À MOBILIDADE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, QUE JÁ PODE VENDER COM ISENÇÃO DE IMPOSTO, QUE INCLUI OS MODELOS C 180FF, UE CUSTA R$ 134.144,15, O 180 AVANTGARDE FF, POR R$ 146.766,76, ENTRE OUTROS. O MODELO SUV SERÁ INCLUÍDO NO PRÓXIMO SEMESTRE


A Mercedes-Benz participou pela primeira vez do Mobility & Show, em São Paulo, que em sua segunda edição reuniu automóveis, serviços e outros produtos com foco na mobilidade de Pessoas com Deficiência (PcD) e seus familiares. 

Durante o evento, a marca apresentou o Classe C nacional e todas as condições de venda com isenção de imposto para PcD’s, que a partir de agora está habilitada a operar de acordo com a Lei 8.989, de 24 de fevereiro de 1995.

Os visitantes puderam também participar de uma experiência de direção com dois automóveis Mercedes-Benz em uma pista adaptada, o Classe C e o segundo modelo a ser produzido na fábrica de Iracemápolis, o GLA. 

O SUV compacto, inclusive, será incluído na política de vendas para PcD a partir do segundo semestre, quando as primeiras unidades da versão nacional chegarem aos concessionários da marca.

As vendas de veículos Mercedes-Benz para Pessoas com Deficiência serão intermediadas pelos concessionários da marca espalhados pelo Brasil. 

Atualmente, os modelos oferecidos são C 180 ff (R$ 134.144,15), C 180 Avantgarde ff (R$ 146.756,76), C180 Exclusive ff (R$ 146.756,76), C 200 Avantgarde (R$ 160.088,50) e C 250 Sport (R$ 195.486,73). 

terça-feira, 28 de junho de 2016

FORD LANÇA O NEW FIESTA ECOBOOST TITANIUM COM MOTOR 1.0 TURBO DE ALTA POTÊNCIA E VOLTADO À ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL, QUE CHEGA DE 0 A 100 KM/H EM 9,6 SEGUNDOS, GRAÇAS AO MOTOR DE 125 CV E TORQUE DE 17,3 KGFM. O DIFERENCIAL DESTE NOVO FIESTA É A QUANTIDADE DE TECNOLOGIA EMBARCADA, INCLUSIVE EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA, QUE LHE DÁ O STATUS DE COMPACTO PREMIUM. O MODELO CHEGA AINDA NAS VERSÕES 1.6 SE E 1.6 SEL E TITANIUM. OS PREÇOS OSCILAM ENTRE R$ 51.990 E R$ 71.990



A Ford lançou um novo modelo da linha New Fiesta 2017, que vem com motor 1.0 turbo de alta potência e desenvolvido para obter a máxima economia de combustível. 

Exclusivo na versão Titanium, a mais completa em equipamentos, ele traz a tecnologia EcoBoost que introduziu um novo conceito em motores menores, mais eficientes e com performance.

Apresentado à Imprensa, hoje, em Campinas, no interior de São Paulo, o New Fiesta 1.0 EcoBoost é o mais potente da era turbo nessa categoria de veículo que está chegando ao Brasil. 

Com seu lançamento, a Ford aposta no segmento dos chamados compactos premium, onde estão os veículos mais sofisticados e com maior número de equipamentos de segurança.

O New Fiesta 1.0 EcoBoost Titanium traz sete airbags, sistema de partida sem chave Ford Power, chave com sensor de presença, bancos de couro, rodas de liga leve de 16 polegadas, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis, espelho retrovisor eletrocrômico, piloto automático, ar-condicionado digital, sistema de conectividade SYNC AppLink com comandos de voz e Assistência de Emergência. 
Tem também transmissão automática sequencial e seu preço é R$71.990.

Para este lançamento, a Ford criou um plano especial de financiamento com taxa zero em 18 meses. 

Oferece ainda a opção de incluir o valor das revisões no financiamento e ampliar a garantia de fábrica para quatro ou cinco anos, através do plano Ford Protect.

O motor
O novo motor tem potência de 125 cv e torque de 17,3 kgfm, que fazem dele o 1.0 turbo mais potente e forte do mercado. 

É também o campeão de economia: roda 12,2 km/l na cidade e 15,3 km/l na estrada com gasolina, com Selo Conpet de eficiência. 

Mais que isso, a apenas 1.500 rpm, a faixa de rotação mais usada no dia a dia, já entrega 90% do torque máximo. 

Isso se traduz em arrancadas e retomadas rápidas: acelera de 0 a 100 km/h em 9,6 segundos.

O EcoBoost 1.0 é o único na história eleito três vezes consecutivas como “Motor Internacional do Ano” e cinco vezes na categoria até 1.0 litro. 

Ele combina várias tecnologias de forma inovadora para atingir um padrão inédito de desempenho e eficiência.

Além de turbo, injeção direta de combustível e duplo comando variável de válvulas, conta com bomba variável de óleo, correia banhada em óleo, coletor integrado ao cabeçote, sistema duplo de aquecimento e arrefecimento e sistema de resfriamento dos pistões por jato de óleo.

Linha 2017
O New Fiesta 1.0 EcoBoost reposiciona a linha no segmento de compactos premium, com mais sofisticação, tecnologia e equipamentos, nas versões 1.6 SE, SEL e Titanium e 1.0 EcoBoost Titanium. 

“Desde o seu lançamento, o New Fiesta global é um carro compacto aspiracional, com design e tecnologias diferenciadas dentro da categoria”, diz Guy Rodriguez, diretor de Vendas, Marketing e Serviços da Ford.

O New Fiesta SE, com motor 1.6 Sigma e transmissão manual de cinco velocidades, traz itens como ar-condicionado, direção elétrica, vidros dianteiros, travas e espelhos elétricos, alarme volumétrico, som MyConnection geração três e computador de bordo, por R$51.990.

A versão SEL, com motor 1.6 Sigma e câmbio manual ou sequencial, acrescenta controle eletrônico de estabilidade e tração (AdvanceTrac), assistente de partida em rampa, sensor de estacionamento traseiro, faróis de neblina, rodas de liga leve de 15 polegadas, sistema de conectividade SYNC com comandos de voz, AppLink e Assistência de Emergência, ar-condicionado digital, vidros elétricos dianteiros e traseiros com fechamento global e chave de segurança MyKey. 

Sai por R$58.790 com transmissão manual e R$64.990 com a sequencial

A versão Titanium também é disponível com motor 1.6, por R$70.690.

COM A PROMESSA DE OFERECER AOS CLIENTES UMA MELHOR ESTRUTURA DE COMERCIALIZAÇÃO, A MRA AUTOMOTIVE ENTRA NO MERCADO BRASILEIRO DE AUTOPEÇAS

A MRA Automotive estreia no mercado brasileiro com a proposta de ampliar as vendas da indústria de autopeças no OEM e no aftermarket a partir de uma ideia inovadora: compartilhamento do departamento comercial. 

"Nosso foco de trabalho é fornecer aos clientes a melhor estrutura de comercialização", diz Mario Morelli, sócio fundador da MRA Automotive.

O modelo de compartilhamento do departamento de vendas desenvolvido por Morelli e seu sócio, Marcelo Rosa, dois executivos com atuação destacada no mercado de autopeças, é prestar serviço para a indústria de componentes automotivos na área de gestão comercial e estratégica. 

Isso significa por à disposição das empresas a equipe especializada e dedicada da MRA Automotive mas a custo competitivo. 

"Na prática o cliente dispõe de uma equipe nacional na área comercial eficiente e sem os custos de se manter essa estrutura", explica Rosa.

Dessa forma a MRA Automotive é o departamento de vendas das indústrias atuando como força de vendas, ao contrário dos distribuidores master responsáveis pela manutenção dos estoques. 

"Nosso trabalho é desenvolver e operar a estratégia comercial das marcas", resume Rosa.

Outro ponto favorável do modelo desenvolvido pela MRA Automotive é aumentar o poder de barganha das empresas perante os distribuidores. 

"Com portfólio variado todas as empresas ganham mais poder de negociação no mercado", afirma Rosa. 

O modelo de negócios da MRA Automotive surge no momento em que o segmento OEM está em queda e as vendas ao mercado de reposição tem crescido se tornando opção para assegurar o faturamento das empresas. 

De acordo com levantamento do Sindipeças a participação desse segmento no total faturado pelas empresas de autopeças passou de 14,5% em 2014 para 17,7% em 2015 e deve chegar a 18,2% este ano. "Nossa solução é ideal para a realidade atual do mercado", explica Morelli.

A inovação proposta pela empresa foi aceita pelos seguintes fabricantes de autopeças:
AxleTech International. 

Fabricante mundial de eixos, componentes de eixo, eixos planetários, freios, e peças de reposição para caminhões com especialidades, veículos militares, e máquinas fora-estrada utilizadas nos mercados de construção, manuseio de materiais, silvicultura, mineração e agricultura. A empresa tem sede em Troy (Estados Unidos). www.axletech.com/pt.

GE Lighting/BR Light. Fabricante global de Iluminação automotiva fornece ao mercado produtos como lâmpadas halógenas para faróis e lâmpadas de sinalização. 

A empresa foi fundada, em 1879, nos Estados Unidos, tem sede em Boston e escritórios ao redor do mundo. 

A BR Light é o distribuidor máster da empresa para o Brasil (exceto São Paulo e Região Sul). 
www.gelighting.com/lightingweb/br

HDS MecPar. Empresa com sede em Matão (SP) produz componentes para cardans e semieixos da marca Durex. www.mecpar.com

Sadar. Empresa da Argentina pertencente ao grupo Corvin tem sede em Moreno (Buenos Aires) e está estreando no Brasil. 

A companhia é especializada e dedicada a produção de amortecedores para o mercado de veículos pesados. www.sadar.com.ar

MAIS SIMPLES QUE A TOPO DE LINHA, MAS COM A MESMA MOTORIZAÇÃO E CÂMBIO, EXCELENTE ESTABILIDADE E CONFORTO, A CHEVROLET TRACKER LT CUSTA R$ 72.390. O MOTOR É O CONHECIDO ECOTEC 1.8 FLEX, 16 V, DE 144 CV ACOPLADO A UMA TRANSMISSÃO DE SEIS VELOCIDADES E APESAR DAS DIMENSÕES DO SUV É TÃO ECONÔMICO QUANTO UM CARRO MÉDIO. MUITOS PORTA-OBJETOS E 735 L DE PORTA-MALAS



Texto e fotos (no Museu do Açude): Arnaldo Moreira

Com um conjunto mecânico baseado no motor 1.8 Ecotec 16 V,  Flex, com potência de 144 cv, torque de 18,9 mkgf e uma transmissão automática de seis velocidades, com possibilidade de trocas manuais no botão na alavanca, o SUV Tracker LT é um dos carros mais confortáveis da Chevrolet. 

O fato foi constatado durante o test-drive realizado pelo Blog.





Equipado com ar-condicionado, direção hidráulica, freios ABS de quatro canais, trio elétrico, computador de bordo, faróis e lanterna de neblina, mas com um sistema de áudio mais simples, ao invés do moderno My Link que equipa outros novos modelos Chevrolet, o seu multimídia tem apenas leitor de CD MP3 Player e Bluetooth, o compacto esportivo da GM custa R$ 72.390.



Por fora, o spoiler traseiro integrado à carroceria ressalta a dinâmica do design e o excelente coeficiente de arrasto. 




O conforto da Tracker LT não está apenas nos bancos, revestidos de tecido, tanto dianteiros como traseiro, mas na suspensão com excelente absorção das irregularidades do piso - as rodas são de 16 polegadas -, que torna este SUV um carro de dirigibilidade muito agradável. 


Apesar de ser uma versão mais em conta, a versão LT do Tracker, tem direção hidráulica, trio elétrico, computador de bordo, faróis e lanterna de neblina, barras do teto e maçanetas na cor da carroceria. 

O bom arranque, a economia e a estabilidade da Tracker LT chamam a atenção, satisfazem o consumidor masculino e a quantidade de porta-objetos, no console central e em outros diversos locais atende o público feminino. Entre os bancos da frente faz muita falta um encosto de braço.


O interior possibilita oito configurações de assentos, a coluna de direção e banco do motorista com regulagem de altura e no console do teto há um porta-óculos. 


O carro tem 4.248 mm de comprimento, 1.776 mm de largura e 1.647 mm de altura, tem rack de teto que é possível expandir o volume a ser transportado com suporte de até 75kg, e porta-malas de 735L.


Um porta-luvas superior oferece fácil acesso ao motorista, além de possuir uma bandeja para acomodar o smartphone dentro daquele espaço. Há ainda uma entrada de áudio auxiliar.


MAIS SIMPLES QUE A TOPO DE LINHA, MAS COM A MESMA MOTORIZAÇÃO E CÂMBIO, EXCELENTE ESTABILIDADE E CONFORTO, A CHEVROLET TRACKER LT CUSTA R$ 72.390. O MOTOR É O CONHECIDO ECOTEC 1.8 FLEX, 16 V, DE 144 CV ACOPLADO A UMA TRANSMISSÃO DE SEIS VELOCIDADES E APESAR DAS DIMENSÕES DO SUV É TÃO ECONÔMICO QUANTO UM CARRO MÉDIO. MUITOS PORTA-OBJETOS E 735 L DE PORTA-MALAS








Texto e fotos (no Museu do Açude): Arnaldo Moreira

Com um conjunto mecânico baseado no motor 1.8 Ecotec 16 V,  Flex, com potência de 144 cv, torque de 18,9 mkgf e uma transmissão automática de seis velocidades, com possibilidade de trocas manuais no botão na alavanca, o SUV Tracker LT é um dos carros mais confortáveis da Chevrolet. 

O fato foi constatado durante o test-drive realizado pelo Blog.





Equipado com ar-condicionado, direção hidráulica, freios ABS de quatro canais, trio elétrico, computador de bordo, faróis e lanterna de neblina, mas com um sistema de áudio mais simples, ao invés do moderno My Link que equipa outros novos modelos Chevrolet, o seu multimídia tem apenas leitor de CD MP3 Player e Bluetooth, o compacto esportivo da GM custa R$ 72.390.



Por fora, o spoiler traseiro integrado à carroceria ressalta a dinâmica do design e o excelente coeficiente de arrasto. 



O conforto da Tracker LT não está apenas nos bancos, revestidos de tecido, tanto dianteiros como traseiro, mas na suspensão com excelente absorção das irregularidades do piso - as rodas são de 16 polegadas -, que torna este SUV um carro de dirigibilidade muito agradável. 


Apesar de ser uma versão mais em conta, a versão LT do Tracker, tem direção hidráulica, trio elétrico, computador de bordo, faróis e lanterna de neblina, barras do teto e maçanetas na cor da carroceria. 

O bom arranque, a economia e a estabilidade da Tracker LT chamam a atenção, satisfazem o consumidor masculino e a quantidade de porta-objetos, no console central e em outros diversos locais atende o público feminino. Entre os bancos da frente faz muita falta um encosto de braço.


O interior possibilita oito configurações de assentos, a coluna de direção e banco do motorista com regulagem de altura e no console do teto há um porta-óculos. 


O carro tem 4.248 mm de comprimento, 1.776 mm de largura e 1.647 mm de altura, tem rack de teto que é possível expandir o volume a ser transportado com suporte de até 75kg, e porta-malas de 735L.


Um porta-luvas superior oferece fácil acesso ao motorista, além de possuir uma bandeja para acomodar o smartphone dentro daquele espaço. Há ainda uma entrada de áudio auxiliar.


ACESSE TODAS AS POSTAGENS E SAIBA TUDO SOBRE O MUNDO AUTOMOTIVO.