segunda-feira, 30 de junho de 2014

BMW INAUGURA AMANHÃ DUAS NOVAS CONCESSIONÁRIAS EM SÃO PAULO E UMA EM GOIÁS. ASSIM A MARCA ALEMÃ SE PREPARA PARA VENDER OS CARROS QUE SERÃO PRODUZIDOS NA FÁBRICA BRASILEIRA EM CONSTRUÇÃO EM ARAQUARI, DE ONDE OS PRIMEIROS MODELOS SAIRÃO EM SETEMBRO DESTE ANO.


São Paulo, 30 de junho de 2014 – O BMW Group Brasil tem nova representação de vendas em Goiânia (GO), São Paulo (SP) e Alphaville (SP) a partir de amanhã, terça-feira, dia 1º de julho. 


Sob o conceito BMW Group Dealer, o Grupo Saga, em Goiânia, passará a comercializar modelos BMW, MINI e BMW Motorrad. 

A Grand Brasil representará a marca BMW em São Paulo e as marcas BMW e BMW Motorrad na região de Alphaville. 

Nas novas concessionárias, os clientes poderão contar com atendimento de vendas e pós-venda, assim como acessórios e produtos de lifestyle das respectivas marcas.

Sobre o Grupo Saga
O Grupo Saga atua no mercado de automóveis desde 1972 e está presente, atualmente, nos Estados de Goiás, Minas Gerais, Distrito Federal, Mato Grosso, Rondônia e Maranhão.

Sobre a Grand Brasil
Fundada há 20 anos e reconhecida no mercado pela excelência no atendimento, a Grand Brasil conta com 15 unidades, distribuídas nas quatro zonas da Grande São Paulo, incluindo Alphaville e Guarulhos.

Serviço

Concessionária Saga - Goiânia
Endereço - Deputado Jamel Cecílio, s/n, Quadra F 42 A – Goiânia/GO
Telefone: (62) 3412-5555

Concessionária Grand Brasil - São Paulo
Endereço – Rua Gastão Vidigal, 1595 – São Paulo/SP
Telefone: (11) 3883-7100

Concessionária Grand Brasil - Alphaville
Endereço – Alameda Amazonas, 832 – Barueri/SP
Telefone: (11) 3799-9000

Para mais informações sobre a BMW do Brasil acesse:
www.bmw.com.br

Redes sociais: www.bmw.com.br/interatividade

A FORD PELA TERCEIRA VEZ CONSECUTIVA CONQUISTA O PRÊMIO DE MELHOR MOTOR DO ANO DE 2014 COM O PROPULSOR DE TRÊS CILINDROS 1.0. O SEGUNDO LIGAR FICOU O MOTOR 4.5 V8, DA FERRARI




MECÂNICA ONLINE® 

Nº 71 — 30 / 06 / 2014



Três vezes o melhor motor mundial

Nova tendência mundial em motorização fica ainda mais evidente com a conquista do motor de três cilindros 
EcoBoost 1.0 litro, da Ford, 
eleito o “International Engine of the Year – 2014”.



Tricampeão! No clima da Copa do Mundo 2014 uma das mais prestigiadas premiações automotivas mundiais anunciou a conquista, pela terceira vez seguida, da motorização 1.0 litro EcoBoost, produzida pela Ford, como vencedora do “Engine of the Year 2014”.

Com um júri de 82 jornalistas automotivos de 34 países, inclusive o Brasil, o prêmio tem como base os critérios de dirigibilidade, desempenho, economia, refinamento e eficiência na aplicação de tecnologias avançadas nos motores. 


A premiação é organizada desde 1999 pela revista Motor Technology International.

Também pela terceira vez consecutiva o Mecânica Online® fez parte do seleto grupo de jurados. 

A conquista da Ford revela que as recentes tecnologias mecânicas buscam soluções alinhadas com eficiência energética, redução no consumo e na emissão de gases, mas sem perder desempenho. 



Observamos motores menores oferecendo rendimento anteriormente de motores maiores.

Entre os motores vencedores observamos a combinação de alta tecnologia, redução de peso e projetos com indução forçada. 

Embora tenhamos dois motores vencedores naturalmente aspirados. Também é destaque o aumento de aplicação de motores elétricos. 

Esse ano participaram novos produtos totalmente elétricos na categoria de motores verdes, com inovações importantes vindo da BMW, Tesla e Renault.

Muita expectativa em torno da categoria que escolhe o mais novo motor do ano, que representa o maior desenvolvimento de powertrain dos últimos 12 meses. 

Com uma série de novos motores BMW, incluindo o propulsor do i3, bem como o a gasolina de três cilindros e as unidades diesel no novo mini, a marca alemã foi surpreendida por sua fiel concorrente Mercedes-Benz e o seu motor 2.0 litros turbo AMG, que rende 360 cv.

Com três cilindros e uma tecnologia que combina injeção direta de combustível, turbo e comando variável de válvulas para reduzir o consumo sem sacrificar a potência, o propulsor ultra eficiente de 999 cilindradas desenvolvido pela Ford com a tecnologia EcoBoost alcançou 351 pontos, 70 a mais que o segundo colocado.

O EcoBoost 1.0 é oferecido atualmente na Europa e nos Estados Unidos em carros compactos como New Fiesta e B-MAX e modelos médios como Focus, C-MAX e Grand C-MAX. 

Num futuro próximo, vai equipar carros maiores como o novo Mondeo. Ele também será oferecido nos furgões Transit Connect e Transit Courier e nas vans de passageiros Tourneo Connect e Tourneo Courier.

A oferta do novo motor está sendo ampliada para vários mercados do mundo e já está disponível no Novo EcoSport vendido na Índia e na China e este ano será oferecido também no New Fiesta, na América do Norte.

Apesar da Ford anunciar um motor três cilindros para o Novo Ka, ele não será o vencedor que já roda mundo afora. 

Para o Brasil, o projeto será totalmente novo e exclusivo. 
Vamos aos vencedores em cada categoria.

Motor Internacional do Ano – Edição 2014
1. Ford 999 cc três cilindros turbo – 351 pontos, Ford Fiesta, B-Max, Focus, C-Max, Grand C-Max, (100 ps, 125 ps), EcoSport (125 ps) e Tourneo Connect (100 ps).

2. Ferrari 4.5 litros V8 – 281 pontos, Ferrari 458 Italia / Spider (570 ps), 458 Speciale (605 ps).

3. Volkswagen 1.4 litro TSI Twincharger – 254 pontos, Volkswagen Polo (192 ps), Beetle, Eos, Jetta, Passat, CC, Tiguan (160 ps), Touran / Cross Touran (140 ps, 170 ps), Audi A1 (185 ps), Seat Ibiza, Alhambra (150 ps), Ibiza Cupra (180 ps), Skoda Fabia RS (180 ps).

Melhor motorização até 1.0 litro
1. Ford 999 cc três cilindros turbo, Ford Fiesta, B-Max, Focus, C-Max, Grand C-Max, (100 ps, 125 ps), EcoSport (125 ps), Tourneo Connect (100 ps).

Melhor motorização entre 1.0 e 1.4 litro
1. Volkswagen 1.4 litro TSI Twincharger, Volkswagen Polo (192 ps), Beetle, Eos, Jetta, Passat, CC, Tiguan (160 ps), Touran / Cross Touran (140 ps, 170 ps), Audi A1 (185 ps), Seat Ibiza, Alhambra (150 ps), Ibiza Cupra (180 ps), Skoda Fabia RS (180 ps).

Melhor motorização entre 1.4 litro e 1.8 litro
1. BMW / PSA Peugeot Citröen 1.6 litro turbo a gasolina, Mini Clubman Cooper S, Countryman Cooper S, Coupe / Roadster Cooper S, Paceman Cooper S (184 ps), Clubman Cooper Works, Coupe / Roadster Cooper Works (211 ps), Countryman Cooper Works, Paceman Cooper Works (218 ps), Peugeot 208, 3008, 508 (156 ps), 308 (125 ps, 156 ps), 5008 (156 ps, 163 ps), 208 GTI (200 ps), RCZ (156 ps, 200 ps), RCZ R (270 ps), Citroen DS3 (156 ps), DS3 Racing (202 ps), C4 (156 ps), DS4 Racing (163 ps, 200 ps), C4 Picasso / Grand Picasso, C5 (156 ps), DS5 (156 ps, 200 ps).

Melhor motorização entre 1.8 litro e 2.0 litros
1. Mercedes-AMG 2.0 litros turbo, Mercedes-Benz A45 AMG, CLA45 AMG, GLA45 AMG (360ps).

Melhor motorização entre 2.0 litros a 2.5 litros
1. Audi 2.5 litros cinco cilindros turbo Audi RS Q3 (310 ps)

Melhor motorização entre 2.5 litros a 3.0 litros
1. BMW 3.0 litros Twin-power turbo seis cilindros a gasolina, BMW 135i, 640i, 740i (320 ps), 235i (326 ps), 335i, 435i, Z4 35i, 535i, X3 35i, X5 35i, X6 35i (306 ps), Z4 35is (340 ps).

Melhor motorização entre 3.0 litros a 4.0 litros
1. McLaren 3.8 litros V8, McLaren 650 S (650 ps), 12C (625 ps).

Melhor motorização acima de 4.0 litros
1. Ferrari 4.5 litros V8 Ferrari 458 Italia / Spider (570 ps), 458 Speciale (605 ps)

Motorização verde do ano 2014
1. Tesla Full-electric powertrain, Tesla Model S (306 ps, 367 ps, 422 ps)

Mais novo motor do ano 2014
1. Mercedes-AMG 2.0 litros turbo
(Mercedes-Benz A45 AMG, CLA45 AMG, GLA45 AMG) (360ps)

Motor de melhor performance de 2014
1. Ferrari 4.5 litros V8 (Ferrari 458 Italia / Spider) (570ps), 458 Speciale (605ps).

..........................................................................................................................................................
Tarcisio Dias – Profissional e Técnico em Mecânica, além de Engenheiro Mecânica com habilitação em Mecatrônica e Radialista, é gerente de conteúdo do Portal Mecânica Online® (www.mecanicaonline.com.br) e desenvolve a Coleção AutoMecânica.

E-mail: redacao@mecanicaonline.com.br

Coluna Mecânica Online® - Menção honrosa (segundo colocado) na categoria internet do 7º Prêmio SAE Brasil de Jornalismo 2013, promovido pela Sociedade de Engenheiros da Mobilidade.

BMW BRASIL CRIA UMA PÁGINA QUE PERMITE CADASTRAR, OBTER INFORMAÇÕES E CONTATAR AS EQUIPES DE VENDAS CORPORATIVAS E MARCAR TEST DRIVE DAS MARCAS MINI E BMW E BMW MOTORRAD






O BMW Group Brasil inaugura neste mês uma página exclusiva para vendas corporativas no site da marca BMW, por meio da qual será possível efetuar cadastro no programa de vendas corporativas do grupo, obter informações atualizadas sobre o serviço e entrar em contato com a equipe de vendas. 

O site tem o objetivo de aprimorar ainda mais o atendimento oferecido pelo programa, que atingiu um crescimento de 500% comparado a 2012 e está disponível no endereço eletrônico: http://www.bmw.com.br/br/pt/insights/vendasCorporativas/index.html.

Criado em 2011, o serviço de vendas corporativas está disponível para as três marcas do grupo no Brasil: BMW, MINI e BMW Motorrad. 

O programa consiste em oferecer condições especiais para empresas e vantagens como descontos, prazos negociados, test-drive com executivos e o atendimento direto da montadora e de sua rede de concessionários, com executivos de vendas dedicados a este serviço.

"O crescimento considerável do programa de vendas corporativas do BMW Group Brasil reflete os bons resultados que temos atingido com as marcas do grupo e também a satisfação dos clientes corporativos com as condições especiais de vendas, que são diferenciais para a conclusão de novos negócios. Com o lançamento desta página exclusiva no site, estaremos ainda mais próximos dos clientes e interessados no serviço", garante Martin Fritsches, diretor de vendas da BMW do Brasil.

O SUCESSO DO FOCUS QUE JÁ VENDEU 140 MIL CARROS NO MUNDO DESDE 2002, LEVOU A FORD A LANÇAR A VERSÃO ST DE 185 CAVALOS, COM MOTOR DIESEL - QUE NÃO PODERÁ SER VENDIDO NO BRASIL - E A VERSÃO ECOBOOST, A GASOLINA, DE 250 CV, QUE CHEGA DE 0 A 100 KM/H EM 6,5 SEGUNDOS E A 248 KM/H DE VELOCIDADE MÁXIMA, MAS COM CONSUMO DE 14,7 KM/L. O NOVO CARRO SERÁ APRESENTADO NO GOODWOOD FESTIVAL OF SPEED, NO INÍCIO DE 2015


A Ford lançará seu novo Focus na versão ST, com aprimoramentos que melhoram o desempenho, a dirigibilidade e a economia de combustível do esportivo, 
no Goodwood Festival of Speed, tradicional evento do Reino Unido voltado a carros de alta performance.

O Focus ST ganha pela primeira vez uma versão a diesel. O carro traz tecnologias avançadas de controle de chassi, suspensão e direção e um visual mais agressivo que inclui a opção de pneus de 19 polegadas feitos sob medida.


O novo Focus ST com motor diesel 2.0 TDCi de 185 cv acelera de 0 a 100 km/h em 8,1 segundos e tem velocidade máxima de 217 km/h, com um consumo de apenas 22,72 km/l. 

Na versão EcoBoost 2.0 a gasolina, de 250 cv, faz de 0 a 100 km/h em 6,5 segundos e chega a 248 km/h, com consumo de 14,7 km/l – o menor já obtido em um Focus ST a gasolina.

Os dois modelos vêm com sistema Auto Start-Stop, que desliga o motor nas paradas e o religa automaticamente para economizar combustível, e transmissão manual de seis velocidades. 


Suas relações de marcha foram desenvolvidas individualmente para cada motor para uma aceleração rápida nas arrancadas e velocidade de cruzeiro confortável.

Dinâmica aprimorada
Refinar a experiência de direção foi o objetivo principal no desenvolvimento do novo Focus ST, feito pelo Ford Team RS, braço europeu do grupo global de veículos de desempenho da marca. 

A suspensão traz novas molas dianteiras e nova calibração dos amortecedores dianteiros e traseiros para um comportamento dinâmico ainda mais afiado.

O controle eletrônico de estabilidade ganhou uma nova função, a “Electronic Transitional Stability”, que monitora a estabilidade do veículo e as ações do motorista e intervém conforme a necessidade para manter o controle em mudanças rápidas de direção em velocidade, como numa mudança de faixa. 


O controle eletrônico de torque em curvas também foi revisado para otimizar a tração e a agilidade.

"A Ford tem reputação em hatchbacks de desempenho com excelente dinâmica de direção e o novo Focus ST faz jus a esse pedigree", diz Joe Bakaj, vice-presidente de Desenvolvimento do Produto da Ford Europa.

Visual esportivo
O novo Focus ST tem um estilo mais alegre e agressivo que a geração anterior, com capô esculpido, faróis mais finos com lentes escurecidas e carroceria rebaixada. 

O pacote inclui saias laterais na cor da carroceria, spoiler traseiro redesenhado e escapamento duplo central. 

As opções de cores são tangerina Scream, branco Frozen, preto Panther e vermelho Race, além das novas cinza Stealth e azul Deep Impact.


A cabine de estilo “cockpit” ganhou um design mais simples e intuitivo. O painel de instrumentos exibe três novos mostradores, de pressão do turbo, temperatura e pressão de óleo. 

O volante revestido em couro macio, a alavanca do câmbio em cromo acetinado e os pedais esportivos também são novos, assim como os bancos desenvolvidos pela Ford junto com a Recaro.

Tecnologias avançadas
O Focus ST vem com sistema de conectividade Ford SYNC 2, com controle de voz para áudio, navegação, temperatura e celular. Sua tela de oito polegadas, sensível ao toque e de alta definição, exibe o logotipo ST ao iniciar.

Os faróis adaptativos com lâmpadas Bi-Xenon HID, que ajustam a intensidade e o ângulo do facho conforme a velocidade do veículo, o ângulo de direção e a distância dos objetos, são outra novidade. 

O carro traz ainda alerta de tráfego cruzado e uma versão aprimorada do sistema de frenagem ativa na cidade, capaz de evitar colisões em velocidades de até 50 km/h.

Goodwood
O Goodwood Festival of Speed foi o local escolhido para a apresentação do modelo, que chega ao mercado europeu no começo de 2015 nas versões de cinco portas e perua. 

Desde que o Focus ST foi lançado, em 2002, a Ford já vendeu mais de 140.000 unidades do modelo em 40 países.


A SUBIDA DE PIKES PEAK, NO COLORADO, TEM UM NOVO CAMPEÃO, É O MiEV EVOLUTION III DA MITSUBISHI QUE AINDA ARRANCOU UM SEGUNDO LUGAR NA CATEGORIA DOS MOVIDOS A ELETRICIDADE


A Mitsubishi Motors conquistou, ontem, domingo, a vitória e o segundo lugar na Divisão de Carros Elétricos do Pikes Peak International Hill Climb, a corrida de subida de montanha mais tradicional do mundo, realizada anualmente no Estado americano do Colorado. 


Além dos dois primeiros lugares em sua categoria, os dois carros da marca dos três diamantes conseguiram o segundo e o terceiro lugares na classificação geral da competição.

A bordo do MiEV Evolution III, o piloto americano Greg Tracy percorreu o trajeto de 19 quilômetros em 9 minutos e 8 segundos, conseguindo o melhor tempo entre todos os carros da Divisão de Carros Elétricos Modificados. 


"Eu estou muito feliz de poder entregar a vitória a Mitsubishi Motors, que preparou um carro de corrida fantástico para mim", comemora o piloto, que, com o tempo marcado, também conquistou o segundo lugar na classificação geral.


Figura conhecida entre os amantes de velocidade, o piloto japonês Hiroshi Masuoka, que já venceu o Rally Dakar em duas oportunidades, veio logo atrás, com o tempo de 9 minutos e 12 segundos, também a bordo do MiEV Evolution III. 

"Eu não poderia estar mais feliz com o resultado que alcançamos. Fizemos uma corrida que beirou a perfeição. Durante as nossas outras duas participações no Pikes Peak, conseguimos desenvolver o carro, evoluindo cada vez mais nosso desempenho", conta o piloto.

Mantendo a tradição de importar o que há de mais moderno nas competições para as ruas, a Mitsubishi usará toda a tecnologia e aprendizado adquiridos pela equipe de engenheiros e mecânicos no aprimoramento dos carros elétricos e a criação de novas e modernas tecnologias para equipar futuros veículos da marca.

Os pilotos Greg Tracy e Hiroshi Masuoka.


A prova
O Pikes Peak é realizado anualmente no Colorado (EUA) e o grande desafio está no relevo e características da prova, já que a disputa é realizada nas estradas da montanha com uma série de ziguezagues e curvas de alta velocidade. 


A largada ocorre a 2.862 metros de altitude e a chegada é a 4.300m, em um percurso com pouco mais de 19 quilômetros e 156 curvas.

Para os pilotos, o desempenho dos MiEV Evolution III foi essencial para vencer esses desafios. Os carros contam com quatro motores elétricos com potência de 603 cavalos e tração integral. 


Além disso, o veículo foi construído com estrutura tubular, capô em fibra de carbono. Toda a aerodinâmica foi aperfeiçoada com o auxílio de um túnel de vento, deixando o MiEV Evolution III ainda mais rápido para enfrentar as curvas da montanha.

"O sistema S-AWC, que distribui a tração nas quatro rodas, não deixava o carro derrapar mais do que o necessário. Isso me permitiu atacar todas as curvas com muita confiança", comenta Greg Tracy.

Ficha técnica - MiEV Evolution III
Dimensões: 4,870 x 1,900 x 1,390 mm
Ocupantes: 1
Tração: 4x4 integral
Motores: 4 (dois na frente e dois atrás)
Potência máxima: 450 kW (112.5 kW x4) - 603cv
Capacidade máxima da bateria: 50 kWh
Chassi: estrutura tubular
Fibra de carbono
Pneus: 330 / 680-18

FORD INAUGURA CENTRO AUTOMOTIVO DE SERVIÇOS QUICK LANE, EM MOGI DAS CRUZES, O PRIMEIRO FORA DE UM DISTRIBUIDOR, NO BRASIL, QUE OFERECE SERVIÇOS COM A AGILIDADE DE UM CENTRO AUTOMOTIVO.


A Ford inaugurou o primeiro centro de serviços da marca Quick Lane no Brasil instalado fora de um distribuidor, em Mogi das Cruzes, SP, que segue o conceito de conveniência e transparência para o consumidor, com atendimento multimarca. 

Além de serviços rápidos como troca de óleo, pneus, alinhamento e balanceamento, freios e suspensão para veículos de todas as marcas, o local também está equipado para fazer as revisões de garantia de carros da Ford.

O Quick Lane oferece um novo conceito de serviços, combinando a estrutura técnica de uma marca global com a conveniência e agilidade de um centro automotivo. 

Como diferenciais, ele conta com sala de espera confortável climatizada, com rede wi-fi, TV a cabo e paredes envidraçadas para o cliente acompanhar a manutenção feita no veículo.

A marca Quick Lane está crescendo rapidamente no mundo. Nos Estados Unidos já conta com mais de 700 lojas e está presente também em países como Canadá, Índia e Argentina. 

Sua proposta é oferecer serviços rápidos com conveniência, qualidade e transparência.

“A Ford tem hoje produtos globais e está levando a sua experiência também para os serviços, com processos globais”, diz Luiz Armando Carvalho, gerente de Expansão da Rede de Pós-Venda e Satisfação do Cliente.

O Quick Lane, em Mogi das Cruzes, está instalado em uma área de 900 metros quadrados, na Av. Francisco Ferreira Lopes, 235. 

Dispõe de quatro elevadores de serviço e, entre outras novidades, tem um sistema automatizado de bomba de óleo que injeta a quantidade exata de lubrificante indicada para o veículo e evita sobras na embalagem.

O novo centro automotivo tem por trás a tradição e experiência do grupo Ford Horizonte, instalado há 30 anos em Mogi das Cruzes. 

“Estamos levando a nossa experiência para o atendimento multimarca, acompanhando o crescimento da cidade que é muito próspera e tem uma demanda grande de serviços”, diz Valdir Pereira Ramos, diretor do Grupo Horizonte. 

“Nossa proposta é oferecer um novo conceito de oficina, com ambiente agradável, conveniência e preços competitivos”, conclui.


domingo, 29 de junho de 2014

AUDI INTRODUZ ANDROID E IOS NOS AUTOMÓVEIS DEPOIS DE DESENVOLVER COM O GOOGLE E A APPLE UMA INTENSA PARCERIA QUE DISPONIBILIZARÁ NOVAS FUNÇÕES NOS SEUS MODELOS A PARTIR DE 2015, QUE INTEGRARÁ DEFINITIVAMENTE OS SMARFTPHONES AOS AUTOMÓVEIS


A Audi está introduzindo nos automóveis as plataformas de software Google Android Auto e Apple CarPlay. As principais funções dos dois sistemas serão integradas no futuro no sistema Audi Multi Media Interface (MMI).

"Nossos cliente querem estar sempre conectados e usar os recursos de seus smartfones também nos automóveis", declarou o prof. dr. Ulrich Hackenberg, membro do conselho de direção da Audi para o Desenvolvimento Tecnológico. 


"Para isso, estamos trabalhando juntamente com companhias líderes no segmento, como a Google e a Apple. No futuro, nossos clientes poderão usar as funções disponíveis em seus smartphones também através dos sistemas de operação de seus carros”, detalha.

Hackenberg ainda afirma que a facilidade de utilização e baixo nível de distração são parâmetros importantes para a integração dessas funções. 

A segurança vital: “Estamos separando as funções relativas ao veículo dos itens de informação e entretenimento, protegendo assim os dados contra o acesso não autorizado. O cliente tem que dar autorização expressa para o uso dos dados gerados no veículo", complementa o executivo.


A Audi é a única fabricante de carros premium a participar como fundadora da Google Open Automotive Alliance (OAA). Essa iniciativa foi lançada no começo de 2014 com o objetivo de integrar a plataforma Android e seus aplicativos nos carros sob a bandeira "Android Auto". 

Os resultados iniciais já estão disponíveis na forma de serviços como a navegação através da Google Maps e do serviço de streaming Google Play Music. 

 A integração do CarPlay também está sendo efetivada através de uma intensa colaboração entre o laboratório de desenvolvimento da Audi no Vale do Silício e a Apple.

Este desenvolvimento conjunto permite uma perfeita integração das duas plataformas de smartfones mais utilizadas no mundo com o sistema Audi MMI. 

Os clientes poderão escolher, a qualquer momento, qual dessas plataformas desejam usar em seus carros.

QUEM COMPROU UM CAMINHÃO VOLVO ATRAVÉS DO CONSÓRCIO DA MARCA AGORA PARTICIPA DAS ASSEMBLEIAS PELA INTERNET. DE QUALQUER PONTO DO PAÍS, O CAMINHONEIRO PODE ACOMPANHAR OS SORTEIOS ON-LINE NUM SIMPLES SMARTHPHONE,


A Volvo Financial Services Brasil inovou mais uma vez. Agora, as assembleias do Consórcio Volvo estão sendo realizadas on-line, pela internet. 

Os participantes podem acompanhar os sorteios por tablets, smartphones ou computadores. 

“É mais flexibilidade para os clientes e tudo ficou mais fácil e ágil. Sabemos como o tempo é importante e como a tendência da mobilidade é irreversível”, afirma Adriano Merigli, diretor comercial do Consórcio Volvo.

“Nossa intenção é nos aproximar ainda mais de nossos clientes”, diz Merigli. Dos escritórios, das residências, das rodovias ou de qualquer ponto do País, o motorista de caminhão e os transportadores podem acompanhar o sorteio dos grupos ao vivo.

Para assistir a assembleia do Consórcio Volvo ao vivo pela internet, é só acessar o site www.bancovolvo.com.br e clicar no link assembleia Consórcio Volvo.

“É mais uma evolução. Queremos que as novas tecnologias facilitem o acesso dos clientes ao consórcio”, destaca o executivo.

Evolução constante
O Consórcio Volvo foi pioneiro em transmitir o sorteio ao vivo via televisão, em 1994, tornando totalmente transparente o sorteio dos grupos para os clientes da marca. 

“Estamos sempre inovando, para que o transportador possa ter o maior acesso possível”, lembra o diretor.

Durante a assembleia também são transmitidas entrevistas gravadas e ao vivo sobre diversos temas de interesse do setor de transporte, como informações sobre o mercado e as novidades do Grupo Volvo nos segmentos de caminhões, ônibus, equipamentos de construção e motores Penta.


O Consórcio Volvo já vendeu mais de 40 mil cotas em 20 anos, entregando mais de 30 mil bens, principalmente caminhões e ônibus da marca. Já soma cerca de R$ 5 bilhões em créditos concedidos no Brasil.

O produto consórcio é uma ótima opção para aquisição de produtos Volvo, com diferenciais como prazo de até 100 meses e parcelas com valor reduzido até a contemplação.

Graças às vantagens e confiança dos clientes, o Consórcio Volvo registrou recorde de vendas no último ano no mercado brasileiro.

Além de consórcio, a VFS oferece seguros e diversas opções de financiamento. “Reunimos as vantagens de um banco com o conhecimento que a marca tem dos seus produtos para desenvolver soluções e atender as necessidades específicas do transportador”, finaliza Merigli.

A Volvo produz caminhões pesados e semipesados e chassis de ônibus em sua fábrica de Curitiba, no Paraná. Em Pederneiras, interior de São Paulo, a empresa fabrica equipamentos de construção.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

É DE FATO UM TORMENTO NACIONAL UM PAÍS QUE JÁ PRODUZ CERCA DE QUATRO MILHÕES DE VEÍCULOS POR ANO E ALMEJA ATINGIR ATÉ O FINAL DA DÉCADA OS CINCO MILHÕES NÃO PROJETA O AVANÇO DOS EQUIPAMENTOS OBRIGATÓRIOS NOS CARROS AQUI FABRICADOS. ISSO NÃO É MNOVIDADE NENHUMA PORQUE O BRASIL É FALHO EM PESQUISAS E ESTATÍSTICAS, MAS ESSA MENTALIDADE DO DEIXA ANDAR PRECISA MUDAR.


Alta Roda 

Nº 790 — 26/6/14 
Fernando Calmon — 

TORMENTO NACIONAL

Após seis meses de introdução obrigatória de freios ABS e bolsas de ar duplas em todos os veículos leves produzidos e vendidos no Brasil, nada se avançou em novas propostas para continuar a incrementar os itens de segurança. 

Não se trata, sem estudos ou mero voluntarismo, de inventar listas de equipamentos caros ou que acabem por limitar o crescimento do mercado. 

Para tudo deve haver equilíbrio dentro de equação inteligente entre custo e benefício.

Logo em janeiro, esse colunista indagou ao presidente da Anfavea, Luiz Moan, se o Contran (Conselho Nacional de Trânsito, órgão governamental responsável pelos regulamentos de segurança veicular) tinha algo em vista para os próximos anos. 

Afinal, qualquer mudança exige prazos e escalonamento da produção para diluição dos custos ao longo do tempo. 
Sua resposta: “Ainda não houve iniciativas, mas a entidade estuda algumas sugestões, entre elas o sistema de fixação Isofix para bancos infantis”.

Um país que mantém um mercado interno próximo a quatro milhões de unidades/ano e caminha para cinco milhões até o fim da década, deveria obrigatoriamente apertar o passo nesse assunto. 

Alguns itens já poderiam estar na lista de obrigatoriedades e sua ausência só serve para que o fabricante ofereça preços de aparência atraente em um modelo de entrada.

Inaceitável oferecer como opcional algo tão simples como cintos de segurança retráteis nas posições laterais do banco traseiro e até mesmo dois encostos de cabeça. 

Cintos que precisam de regulagem são um convite para “esquecimento”. Nada precisaria mudar no projeto do carro e em seis meses deveria se tornar obrigatório.

Outros recursos têm custo baixo, porém adaptá-los a modelos mais antigos ainda à venda precisaria de prazo elástico. 

É o caso do próprio Isofix, que poderia ser obrigatório inicialmente para carros de projeto novo, como se fez com ABS/airbags. 

Modelos sem viabilidade técnica ou econômica para sua colocação e ainda sem cinto de três pontos retrátil também na posição central do banco traseiro, não deveriam ser fabricados a partir de 2019. Isso, porém, teria que partir do Contran, até o final deste ano.

É normal o prazo de três anos para veículos de projeto novo e cinco anos para os demais. A Argentina, por exemplo, quer aproveitar que todos os modelos têm freios ABS para exigir o ESC, sistema de controle de trajetória/estabilidade, simples extensão do ABS. 

Dentro do Mercosul tudo precisa estar regulamentado em conjunto, mas o governo brasileiro não se mexe. 

Há previsão de vendas totais, apenas nos quatro países do cone sul, superior a seis milhões de veículos por ano, no fim da década.

Tal volume viabiliza, desde que planejado com responsabilidade e antecedência, vários outros recursos. 

Um deles, obrigatório nos EUA e na Europa (novembro próximo), é o TPM (em inglês, monitoramento de pressão dos pneus), inclusive usando o próprio ABS. Nesse caso há dupla vantagem. 

No lado de segurança, estudo na França estimou que 9% dos acidentes fatais ocorrem por pressão baixa nos pneus.

TPM também proporciona economia de combustível, menor poluição, vida útil maior aos pneus, menor suscetibilidade a furos e danos menores ao conjunto roda-pneu em buracos, este último um tormento nacional.

RODA VIVA

NEM Vezel, nem HR-V e nem Urban. Honda procura um nome para seu utilitário esporte compacto que será lançado no próximo ano, quando inaugurar sua nova fábrica em Itirapina (SP). 

Essa faixa de produto, muito disputada, terá também o Peugeot 2008. Pouco acima estará o Jeep Renegade e pouco abaixo o VW Taigun. Até 2016 Hyundai e Toyota se habilitarão.

FIAT não confirma, mas rumores na Europa dão conta de que o Punto italiano seria substituído pela versão ampliada, de cinco portas, do novo Fiat 500 em 2015/16. Se chamaria 500+ e produzido na Polônia. 

Como já existe o 500 L, em setembro o 500 X e o Bravo não teria sucessor, ficaria apenas essa “família”, com ligação ao 500 original só pelo nome, e o Panda.

GOL Rallye forma conjunto robusto e graças à suspensão elevada em 2,3 cm (mais 0,5 cm por conta de pneus de maior perímetro) enfrenta com galhardia condições ruins de ruas e estradas. 

Ainda se dá bem em trechos fora de estrada, desde que não sejam dos piores. Novo motor 1,6 L, duplo comando (16 V) 120 cv, tem respostas ágeis e suavidade acima da média.

SAIU o terceiro estudo da frota brasileira em operação de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus, agora da Jato, consultoria inglesa com filial em São Paulo. 

Para a empresa são 36.792.872 unidades em circulação, pois estima taxa de sucateamento pouco superior à da Anfavea (cerca de 39 milhões) e do Sindipeças (em torno de 40 milhões).

FIM de vida do mais antigo automóvel em produção: Hindustan Ambassador. Era um Morris Oxford, de 1956, produzido sob licença na Índia desde 1958, praticamente sem alterações. 

Nenhum modelo na história da indústria ficou tanto tempo em linha. “Coroa” passou ao mexicano Nissan Tsuru (ancestral do Sentra), há 30 anos no batente.

_____________________________________
fernando@calmon.jor.br e twitter.com/fernandocalmon

TOYOTA REVELA DESIGN E PREÇO DE SEU SEDÃ FCV MOVIDO A CÉLULA DE COIMBUSTÍVEL


Sedã que foi apresentado como conceito no último Salão de Tóquio, deve ser lançado no primeiro semestre de 2015 e custará cerca de US$ 68 mil dólares, livre de impostos sobre consumo.


A Toyota Motor Corporation apresentou na quarta-feira, 25 de junho, o design externo de seu sedã movido a célula de hidrogênio. O modelo, que foi apresentado pela primeira vez como carro conceito no Salão do Automóvel de Tóquio 2013, será lançado no primeiro semestre de 2015, no Japão. 

Além disso, a montadora também já está com os preparativos em andamento para a fase de lançamento nos mercados norte-americano e europeu.

No Japão, o sedã movido a célula de hidrogênio será vendido ao preço de cerca de sete milhões de ienes (aproximadamente US$ 68 mil, livre de impostos sobre consumo). Inicialmente, as vendas serão limitadas apenas para as regiões onde a infraestrutura de abastecimento de hidrogênio está sendo desenvolvida. 

Os preços para os mercados dos EUA e Europa ainda não foram definidos. No futuro próximo, além do preço, a Toyota irá divulgar também informações mais detalhadas, tais como especificações e metas de vendas.


Design e tecnologia do sedã FCV reforçam a preocupação da Toyota em desenvolver tecnologias que contribuam para a promoção de uma sociedade com mobilidade sustentável




O hidrogênio é considerado como uma das alternativas de combustível mais promissora, uma vez que pode ser produzido com uma variedade de fontes de energias primárias, como a solar e eólica. 

Quando comprimido, o hidrogênio apresenta densidade de energia mais elevada do que as baterias, sendo de fácil amarzenagem e transporte. 

Além do seu potencial como combustível para uso doméstico e em automóveis, o elemento pode ser utilizado em uma vasta gama de aplicações, como a geração de energia em grande escala.

A Toyota tem desenvolvido veículos movidos a célula de combustível há mais de 20 anos. O sistema da Toyota inclui o FC Stack, que gera eletricidade a partir da reação química entre hidrogênio e oxigênio, além de tanques de hidrogênio de alta pressão. 

Em 2002, a Toyota disponibilizou, de forma limitada, o aluguel do “Toyota FCHV”, um SUV de célula de combustível, no Japão e EUA.

Desde então, avanços significativos foram feitos ao sistema de célula de combustível. O FCV revelado hoje pela Toyota, por exemplo, se destaca pelo seu desempenho, que se assemelha a um veículo de motor a gasolina, com autonomia de aproximadamente 700 km (de acordo com medições realizadas pela Toyota com base nos parâmentros considerados pelo Ministério Japonês de Turismo, Infraestrutura e Transportes). 

O motor, quando acionado, emite apenas vapor d’água produzido pela reação entre hidrogênio e oxigênio. O tempo de reabastecimento é de cerca de três minutos.


Veículos movidos a células de combustível contribuem para a diversificação de combustíveis automotivos, não emitem CO2 ou substâncias nocivas para o ambiente durante a operação, mantendo a mesma conveniência dos veículos movidos à gasolina. 

A Toyota acredita no potencial dessas fontes alternativas de combustível, por serem amigas do meio ambiente e ideais para a promoção de uma sociedade com mobilidade sustentável.

As empresas do Grupo Toyota também estão envolvidas em outras iniciativas relacionadas ao uso de hidrogênio, realizando testes em residências e na produção de empilhadeiras e ônibus.

ARAXÃ CONSAGRA-SE COMO EXPOSIÇÃO DE VEÍCULOS DE QUALIDADE, PÚBLICO QUALIFICADO E DE LEILÃO DE ANTIGOS. A SENTENÇA É DO JORNALISTA E ESPECIALISTA EM ANTIGOMOBILISMO, COLUNISTA DO BLOG, ROBERTO NASSER QUE APRESENTA UM PANORAMA COMPLETO DA FESTA MINEIRA DOS CARROS ANTIGOS E MUITO MAIS.



Coluna nº 2614 - 26 de junho de 2014
___________________________________

Do bom Encontro de Antigos, em Araxá

Encerrado o XXI Encontro Nacional de Veículos Antigos, adequadamente realizado no arquitetonicamente imponente Grande Hotel de Araxá, MG, a dúvida sobre a concorrência com outro evento em Águas de Lindóia, SP, dissipou-se. 

Araxá, como usualmente chamado, mostrou sua fórmula correta: veículos de qualidade, esforço para apresentar novidades, público qualificado e leilão de antigos. 

Dos veículos relevantes, Ferrari 212 Barchetta, restaurada no Ferrari Classiche, departamento desta fábrica para cuidar dos antigos; Bugatti 1938, carroceria Grangloff Stelvio; Alfa Romeo 2500, carroceria Boneschi, de 1950; Cadillac V16, 1939, e, curioso e raro Cadillac 1958, sedã quatro portas sem coluna, versão Brougham, teto em aço escovado, de aparência incrivelmente leve sobre a carroceria com linhas bolhosas e excessos típicos do final dos anos ’50.


Ferrari 212 Barchetta


Alfa Romeo 2500 Boneschi


Vista do evento



Curiosidades
1 - Troféu Fábio Steinbruch, oferecido pelo Alfa Romeo Club não a proprietário da marca, mas ao renomado pumista Caiko Botelho; 

2 – Organização reverenciou jornalistas Teresa Gago e Atos Fagundes pelo dedicado trabalho no setor; 

3 – Colecionador Eduardo Azevedo apresentou seu recém concluído Reggia, chassi em treliça, carroceria em fibra, linhas inspiradas nas barchettas dos anos ’50, primoroso exemplar único; 

4 - Histórias surgiram: uns viram correr, outros sabiam de exemplar com o primo do motorista do amigo do diretor..., vizinho possuiu mas vendeu a peso após acidente em Interlagos, estas coisas do País que não lê; 

5 – Merecidíssima a homenagem ao Horácio, o Fusca 1974, com casal Erwin e Flávia Moretti. Poucos promovem a marca e a união antigomobilista como eles; 

6 – Hispano Suiza 1911, pioneiro, na pioneira Coleção Lee, reapareceu oferecido pela herdeira ao Museu que se instala na cidade de Caçapava. Desaparecido há 20 anos exibia sua aura; 

7 – Impecável, marcante visual e auditivamente os 100 cilindros de Ferrari, milhares de equinos, em desfile próprio pela passarela; 

8 - Leilão, corajosa iniciativa agora sedimentada, deixou claro ser lugar para veículos de maior preço. Os nacionais, baratos, tinham lances pequenos, demorados, cansativos; 

9 - E exibiu vício conhecido de lances desmesuradamente elevados, porém não aceitos pelos vendedores, deixando a dúvida se pretendiam apenas ser referência para negócios futuros – ou para conversas de happy hour... 

10 – Carlos Quintana, lojista argentino, presente com livros e emblemas. Vale a pena?, perguntei, para ouvir que em antigomobilismo valem as vendas do momento e o conhecimento para negócios futuros. Sábio; 

11 – Colecionador Oswaldo Borges da Costa, um dos criadores do Encontro, ausente ao último, reapareceu em grande estilo, faturou três prêmios com Rolls-Royce Sedanca De Ville 1934; Peugeot 1908; e o Troféu Roberto Lee com o Bugatti Stelvio 1938; 

12 – Mesmo lacrado pela Justiça para inviabilizar-se, o Museu Nacional do Automóvel, de Brasília, mantém-se ativo: levou uma treliça da Fórmula Brasil, última remanescente da iniciativa de Chico Landi e Toni Bianco, sua última descoberta; 

13 – E foi premiado com Alfa Romeo 2300 de 1974, o chassi 00001, marcando os 40 anos do início da produção deste veículo.


Um convidado curioso
No incontável público na cerimônia de canonização do Papa João Paulo II, um será, pelo menos, insólito. É o automóvel polonês FSO, modelo Warszawa – Varsóvia -, fabricado em 1958.

Como tudo envolvendo a então União Soviética e seus países satélites, tem a marca da superação, o defasar em estilo, motorização, construção. 

Quando ainda com o nome civil Karol Wojtyla, o então Bispo da Cracóvia comprou o automóvel, mantendo-o em serviço por 20 anos, até ser ungido condutor da Igreja Católica. Então, servido por Mercedes novos, vendeu-o ao seu motorista.

Há dois anos, o superado e gasto automóvel mudou de padrão ao ser adquirido por colecionador alemão, assumindo sua origem. Restaurado, irá à festa.

Tralha
Sabe aquela frase em adesivo usualmente colocado nos automóveis nacionais de coleção, “Não ria. Seu pai teve um”? Pois é. Por pouco não foi produzido no Brasil. 

Ao tempo da implantação da indústria automotiva no Brasil, com poucos incentivos, porém, reserva de mercado e a perspectiva de inquantificada, contudo, projetadamente grande clientela, muitos fabricantes se habilitaram a produzir aqui. A polonesa FSO, iniciando fazer o Warszawa, foi uma delas. Não veio.

O produto era o carro do Bispo Wojtyla, de origem projeto russo de automóvel, o Pobeda – Vitória – criado na estatal GAZ, cedido à subjugada Polônia pelo ditador Joseph Stalin. 

Inspiração norte-americana pré-II Guerra, pesado, lento, motor de quatro cilindros, comando e válvulas no bloco de ferro, 2.0 e 50 hp.

Ainda bem que seu pai não teve um deles.

Warszawa ex Papa


Roda-a-Roda

Tentativa – Na Argentina novo plano para reativar vendas de carros feitos lá, caídas em 30%: desconto pelos fabricantes, entre três e 13%, e financiamento pelo estatal Banco de La Nación Argentina, 10% de entrada, 60 pagamentos, juros de 17% a.a., inferior à inflação de balcão.

Limites – Validade de três meses, teto em 120 mil pesos – só para a gama baixa, Renault Clio, Chevrolet Classic, Fiat Novo Palio Essence. Após, a carros brasileiros. Valor da prestação limitada 30% da renda do interessado.

Copa – Tentando empurrar produção e vendas do Clio, em via de substituição, Renault argentina e seus concessionários oferecem, durante os jogos da Argentina na Copa do Mundo, descontos sensíveis para a versão Confort Plus, cinco portas. De 116.500 pesos, a 98.120. Resultados iniciais pequenos.

Simpatia – Mercado difícil, ano com vendas menores, em 30%, que 2013, vale tudo para vender carros novos na Argentina. 

Volkswagen ao lançar o up! usou o brinde de bicicleta dobrável Think Blue para atrair aos primeiros 500 compradores. O mimo é alemão e não existe no mercado brasileiro.

Tempo – Chinesa National Electric, dona da sueca SAAB, sustou a produção destes competentes automóveis. Micou o caixa.

Pesquisa – JD Power, conhecida empresa de pesquisas automobilísticas, pelo 28º ano levantou índices de satisfação de compradores de carros novos até três anos de uso nos EUA. 

Porsche lidera, Jaguar, em segundo, empurrando Lexus, marca Toyota para ser irretocável em qualidade, ao 3º. lugar.

Aqui – Pesquisa no Brasil deu empate entre Hyundais e Toyotas. Curiosidade, os coreanos,
 os importados pela representante CAOA, no mercado a Hyundai do B, estão à frente dos Hyundai HB 20 aqui produzidos pela Hyundai original.

Festa – Ford comemora 111 anos fazendo filme nos continentes onde produz, para demonstrar válida a verdade do fundador Henry Ford com o seu Modelo T, chamado The Universal Car, primeiro a ser montado e exportado mundo a fora. 

Hoje, em 24 horas, os 183.000 funcionários da empresa produzem mais de 17.300 veículos. Quer ver? 


Governo? – No desvario criativo da economia nacional, governo federal quer aumentar a 27,5% volume de álcool adicionado à gasolina. 

É para diminuir importação deste combustível, e gasto de divisas na desequilibrada balança comercial.

E? – Pode servir a muitos, exceto proprietário de veículo, pois quanto maior a quantidade de álcool, maior o gasto km/litro. 

Haverá álcool? Eleição fomentando a criatividade, vantagens para poucos, desvantagens para muitos.

Motores – Escolha do International Engine of the Year – Motor do Ano – deu resultado insólito: pela terceira vez, o mais importante como tecnologia foi o Ford 1.0 Ecoboost, de três cilindros. 

Segundo, 70 pontos – 20% - atrás, o V8 Ferrari 4,5 litros. Depois, VW 1,4 TSI com turbo e compressor; Mercedes-AMG 2,0 turbo, e elétrico estadunidense Tesla.

Processo – 82 votantes internacionais, cinco do Brasil – o Colunista um deles -, representando 34 países, e foco em tecnologia e aplicação real, futuro. Daí, exceto o Tesla, nenhum dos motores é dos EUA.

Motor Ford 1,0 turbo, Motor do Ano



Situação – Após sofrer vandalismo e grandes perdas por atos de terrorismo, revendas na avenida de acesso ao estádio Mineirão, em Belo Horizonte, blindam os negócios em dias de jogo: painéis metálicos vedando os vidros, ou deposição de containers em torno das lojas.

Justiça – Tribunal de Justiça de Brasília cancelou permissão concedida pela Câmara Distrital, aprovada pelo Governador do DF
aos táxis cobrar Bandeira 2 durante a Copa do Mundo. 

O Ministério Público do DF arguiu a incoerência da medida, um saque contra o consumidor e desestímulo ao uso dos táxis em período de grandes libações. 

Ano eleitoral é fogo. Faz até Legislativo e Executivo voltar-se contra o público.

Mercado – Para exibir-se no mercado norte-americano, Mitsubishi desenvolveu carros especiais para a subida no Pikes Peak, montanha no Colorado, 19 km, 156 curvas. Elétricos, quatro motores, 603 cv, tração integral.

Razão – Vencer o PP é relevante no mercado norte-americano. A Mitsubishi faz o elétrico MiEV e vende nos EUA, Europa, Japão. 

Candidatou-se montá-lo aqui, mas não ouviu facilidades para compensar os maiores custos de produção.

Figuração – A volta de honra nas 24 Horas de Nurburgring, a demolidora prova alemã de resistência, teve dois Bugatti 16.4 Grand Sport Vitesse a liderar os 175 participantes. 

O super carro francês, com 1.200 cv, tem o recorde mundial para carros esporte de produção: 408,84 km/h de velocidade final.

Escada – Brasiliense Felipe Nasr, disputando a temporada de GP2, é segundo após excepcional performance no circuito de Spielberg, onde assumiu a liderança. Fez a volta mais rápida, e venceu. Sobe a escada para a Fórmula 1.

Retífica RN – Leitor Lico Azevedo, antigomobilista e conhecedor do produto e história, sacou rápido e indicou engano na Coluna passada: Bugatti, de 1937, exposto no grande Encontro de Araxá, MG, não seria o Tipo 57 Atlantic, com dupla de unidades remanescentes.

Razão – Tem-na. O automóvel exposto usa carroceria Gangloff Stelvio, em aço. A outra é em Elektron, liga de alumínio e magnésio.



Bugatti Stelvio



A Fiat e seus prêmios, em Cannes

Sorrisos na Fiat. Os cortes nas verbas de divulgação, em vez do previsível resultado de baixar veiculação e vendas, mostraram resultado inverso: instigaram a criatividade da empresa e como resultado internacional, faturou cinco prêmios no Cannes Lions 2014, um dos festivais de comunicação mais importantes do mundo.

Na pioneira categoria Inovação, criada ano passado, levou o prêmio pela campanha "Vem p’ra Rua", de grande oportunidade, ao ser veiculada junto às inexplicadas manifestações populares e protestos nas ruas. 

A ideia da empresa, de produtos mais vendidos no mercado durante 12 anos, era demonstrar conhecer as ruas com intimidade. 

Outra abordagem direta gerou prêmio, a "Fiat Live Store", trocadilho bem achado com Love Story. 

É projeto único no mundo, ao utilizar tecnologia para conectar clientes a especialistas nos produtos Fiat. 

O contato é feito em tempo real e de forma interativa. Pelo sítio WWW.fiat.com.br/livestore, ou pelo Facebook, o cliente escolhe um modelo e um especialista, usando um fone de ouvido com câmera de alta resolução e microfone, mostra diretamente o que foi pedido pelo consumidor para conformar um carro e tira dúvidas diretamente. 

O negócio funciona em galpão na fábrica de Betim, montado pela agência Click Isobar.

João Batista Ciaco é o diretor de Publicidade e Marketing de Relacionamento, e as agências premiadas foram Click e Leo Burnett Taylor Made.


Campanha Vem p’ra Rua, vencedora

_____________________________________eedita@rnasser.com.br 

NOVO TROLLER T4 REPERCUTE NO BRASIL E NO EXTERIOR E COMEÇA A SER VENDIDO NO SEGUNDO SEMESTRE.


Apresentado em alto estilo pela Troller numa das ruas mais movimentadas de São Paulo, com a participação de fãs do veículo, o Novo T4 começa a ser vendido no segundo semestre, depois de mais algumas etapas do pré-lançamento com programas para a Imprensa e intensa divulgação no facebook.

O novo veículo recebeu elogios pelo design, pela sua estrutura off-road e foi considerado pela mídia internacional como um projeto brasileiro de grande relevância e aguardado com grande expectativa pelo público que deseja um carro para a aventura, esporte e diversão.

Sites automotivos de renome, como o Car Scoops, Autoblog España e Autoweek, fizeram reportagens sobre o Novo Troller T4 e abriram espaços para os comentários de seus leitores. 


Destacando o design agressivo do modelo, as mensagens interativas mostraram um tom altamente positivo ao veículo, desenhado e desenvolvido por designers e engenheiros brasileiros. 

Já o Autoblog España notíciou que o Novo T4 mantém suas habilidades off-road e ganha em estética e conforto em comparação com a geração anterior. 


Estamos satisfeitos com a ampla repercussão do Novo T4 que vem despertando muita curiosidade tanto no Brasil como em várias regiões do mundo. 


O fato de ser um legítimo off-road com visual empolgante, que transmite sua proposta de utilização com muita propriedade, foi o tema principal das reportagens, diz Wilson Vasconcellos Filho, gerente de Vendas, Marketing e Serviços da empresa.

Detalhes do Novo T4 no site de lançamento:

ACESSE TODAS AS POSTAGENS E SAIBA TUDO SOBRE O MUNDO AUTOMOTIVO.