terça-feira, 30 de junho de 2015

CHEVROLET CRUZE SEDAN, TEM PORTE, LINHAS ESPORTIVAS, MODERNO E UM BOM DESEMPENHO


A GM entregou ao Blog do Arnaldo Moreira, para uma avaliação, um Cruze, sedan, LTZ, hatch, branco. 



É um carro de porte altivo, de linhas esportivas, modernas, e a frente enriquecida e enaltecida pelas luzes de LED, que desempenham um papel importante pela visibilidade que proporcionam aos outros veículos e aos pedestres principalmente de dia.




O Cruze agrada ainda pelo conforto e pela dirigibilidade, com bom desempenho no trânsito, tanto na cidade quanto na estrada, graças também à bela transmissão automática de seis marchas - que permite trocas manuais, mas na manopla do câmbio.




Na minha opinião, o Cruze merecia um motor mais potente para movimentar seus 1.400 kg, não que o Ecotec 1.8 de 144 cv (140 cv gasolina), e 17,8 kfmn de torque (com etanol) tenha dificuldade em fazê-lo, apenas faz isso mais lentamente. O carro vai de 0 a 100 km/h em 11,5 s.

Na cidade, o consumo mostrado pelo computador de bordo foi, em média, 6,5 km/l e na estrada, incluída a subida da serra para Teresópolis, 8,5 km/h.



Numa coisa o Cruze é campeão e me agradou muito, pois, considero super importante para quem viaja com a família: o ótimo porta-malas de 450 litros.

O interior do Cruze é bonito no seu conjunto. Porém, o painel é coberto por plástico duro que no piso irregular de paralelepípedos deixa perceber alguma trepidação, o que não acontecia no antigo Vectra - que eu tive e que o Cruze substitui - que era de material macio, tipo acolchoado.


Na estrada, tem uma rodagem macia e é um carro seguro, com bom comportamento nas curvas, até nas apertadas em que é mais exigida uma boa relação motor x câmbio.


Tem um bom isolamento acústico, que permite ouvir música sem barulho externo, o que é quebrado quando se elevam as rotações do motor.





Equipamento
A versão LTZ testada tem com ar-condicionado, direção elétrica progressiva, retrovisor interno com antiofuscamento, airbags frontais e laterais, controle de tração e de estabilidade, isofix e sistema multimídia com Bluetooth e comandos de voz, sistema que fecha os vidros ao travar as portas e os vidros são elétricos e erguidos automaticamente assim que o usuário trava as portas pelo controle remoto.


O topo de linha LTZ traz sensor de chuva, acendimento automático dos faróis, câmera de ré, GPS, airbag de cortina, retrovisores com rebatimento elétrico, sensor de estacionamento traseiro, sistema presencial de abertura das portas, teto solar elétrico, My Link com tela de LCD de sete polegadas sensível ao toque e partida por botão Start/Stop.




A novidade na versão LTZ é a inclusão do sistema que permite ligar o motor remotamente pelo controle remoto a uma distância de cerca de 30 metros.


Outra novidade é a possibilidade de acionamento do motor por meio de uma tecla no chaveiro do veículo minutos antes de entrar no carro em um dia quente, o usuário pode acionar a ignição remotamente para ativar o ar-condicionado e climatizar a cabine.


O Cruze tem rodas de alumínio de 17 polegadas, com desenho exclusivo para as versões LT e LTZ.





Preços das versões do 
Cruze Sedan


LT 1.8 16V Evotec, Flex, 2015 - 
R$ 74.190,00


LTZ 1.8 16 V Ecotec, Flex, 2015 - 
R$ 85.150,00



PEUGEOT TEM NOVO DIRETOR COMERCIAL NO BRASIL. DOMINGOS BORAGINA, QUE SAIU DA CITRÖEN DEPOIS DE 15 ANOS NA MARCA, ASSUME O CARGO SUBSTITUINDO ABELARDO PINTO


Domingos Boragina assume a direção Comercial da PEUGEOT do Brasil. O executivo de 57 anos ingressa na marca após 15 anos de atuação na Citroën. 

Ele substitui Abelardo Pinto, que comandou o departamento por cerca de dois anos.

“Tenho orgulho em integrar a equipe da PEUGEOT em um momento tão especial para a marca no Brasil. Com o reposicionamento de nossos produtos e a criação de uma nova rede, vamos oferecer aos clientes uma experiência única, que reúne produtos modernos, com uma ampla lista de equipamentos de série, e qualidade na prestação de serviços”, afirma Boragina.

O novo diretor é bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e tem pós-graduação em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), com extensão em Finanças na Fundação Getúlio Vargas (FGV). 

Atua como profissional na indústria automotiva e sistema financeiro desde 1979.

Nesse período, passou por diversas áreas como comércio, vendas corporativas, produtos financeiros, nomeação e desenvolvimento de rede de distribuição e relações com mercado, em passagem por empresas como França Ribeiro e Almeida Advogados Associados, Bosch/Wapsa, Volkwagen, Varig, Banco Bozano, Simonsen S.A. e Asia Motors S.A.

Sua experiência mais recente é na Citroën do Brasil, onde integrou o quadro como diretor Comercial em 1999 e, desde 2012, como o responsável pelo desenvolvimento da rede, implantando a mudança para uma nova imagem de marca.

DOBLÒ CARGO É A FURGONETA DE CARGA COM MAIOR VALOR DE REVENDA. A FIAT POSSUI UM PORTFÓLIO RICO EM VEÍCULOS DE CARGA LEVES


O Fiat Doblò Cargo é o vencedor da categoria Furgoneta de Carga do Prêmio Maior Valor de Revenda – Veículos Comerciais 2015, entregue pela Agência Autoinforme e revista Frota & Cia. 

O ranking aponta os veículos que se mantiveram mais valorizados após três anos de uso. 

O índice de depreciação da Doblò foi de 18,7% no período, comprovando mais um fator que torna o veículo uma ótima escolha.


A categoria Furgoneta de Carga foi amplamente dominada pela Fiat. Em segundo lugar, ficou o Fiorino Furgão, com índice de depreciação de 26,2%, seguido do Uno Furgão, com 26,5%. 

A Ducato também se destacou no ranking conquistando a segunda posição em duas categorias: Furgão de Carga (16% de depreciação) e Minibus (17,9%).

Os números são resultado de um estudo feito pela Agência Autoinforme com base na cotação de preços da Molicar. 

Para elaborar o índice de depreciação foram considerados os valores médios de venda dos automóveis zero quilômetro em 2012 e seu valor de revenda em 2015, após três anos de uso. 

No total, foram avaliados 164 modelos, em nove categorias.


Utilitários Fiat
A Fiat oferece uma ampla gama de veículos comerciais, projetados para os mais variados usos. 

Cada produto é desenvolvido levando em conta as características de utilização, a facilidade e rapidez na manutenção (incluindo disponibilidade de peças de reposição e mão de obra capacitada na rede de concessionárias) e o valor de revenda. 

Assim, a Fiat oferece para o mercado produtos que agregam valor ao negócio do cliente.


O Fiat Doblò Cargo é um ótimo exemplo. Com amplo espaço interno, alto nível de conforto, excelente capacidade de carga de 3.200 litros, muita versatilidade e agradável dirigibilidade, é referência em seu segmento desde o lançamento. 

O modelo traz conteúdos que deixam o veículo ainda mais atraente para o seu público, como sensor de estacionamento e chave-canivete com telecomando, além de diversos itens de conforto.

O Novo Fiorino teve sua linha 2016 lançada recentemente e manteve a tradição de ter o melhor custo-benefício do segmento. 

Na versão 1.4 Flex oferece muito conforto, economia, design arrojado, além de ter o melhor preço da categoria. 

Características que o tornaram um grande sucesso de vendas da Fiat: o modelo emplacou 23.837 unidades em 2014, o que representa 90% a mais em relação ao ano de 2013.


Também chegou recentemente ao mercado a linha 2016 do Uno Furgão. 

O veículo desenvolvido exclusivamente para o trabalho tem lugares para dois ocupantes e amplo porta-malas adaptado para carga, com capacidade de 400 quilos ou mil litros. 


Para maior comodidade, oferece iluminação no compartimento de carga, vidros laterais traseiros escurecidos, além de revestimento do assoalho em plástico reforçado com fibra de vidro.

CADA VEZ MAIS OS CARROS SURGEM NO MERCADO COM MAIS E EFICIENTES ITENS DE SEGURANÇA E O SISTEMA DE FRENAGEM AUTÔNOMO - ACTIV CITY STOP QUE DETECTA O PERIGO DE COLISÃO E FREIA O VEÍCULO SEM A AÇÃO DO MOTORISTA. O MODELO 2016 DO FORD FOCUS VIRÁ EQUIPADO COM O ACS


MECÂNICA ONLINE®

30 / 06 / 2015

Saiba como funciona o assistente de frenagem autônomo - 
Active City Stop


            
É cada vez mais comum a presença da tecnologia no automóvel, inovações que vão permitindo mais prazer ao dirigir, sendo ainda melhor quando esses recursos permitem mais segurança para o trânsito de um modo geral.

A Ford disponibiliza um novo recurso à nova geração do Focus que chega ao nosso mercado, em agosto. 



Chamada de Assistente de Frenagem Autônoma – ou Active City Stop, essa tecnologia infelizmente não é completa quando comparada com outras já disponíveis no mercado e você vai entender a razão em nossa apresentação abaixo.

Unicamente oferecido na versão Titanium Plus 2.0 AT o assistente de frenagem autônomo (Active City Stop) é um sistema operado por sensor óptico que monitora continuamente o tráfego à frente e reduz a velocidade do veículo ao detectar uma colisão iminente. 

Nessa situação ele pré-carrega os freios e, se o motorista não tomar nenhuma ação, aciona automaticamente os freios.

Ele tem capacidade para atuar em velocidades de até 50 km/h. 

Em velocidades até 20 km/h, o sistema é capaz de evitar a colisão. A 50 km/h, ele apenas reduz o impacto.

“O sistema funciona automaticamente e está sempre ativo quando o veículo é ligado, mas pode ser desativado pelo motorista”, explica Luiz Morroni, engenheiro-chefe da Plataforma C da Ford.

O assistente de frenagem autônomo opera por meio do sistema conhecido como LIDAR – sensor de detecção de distância por reflexão de luz. 

A distância do objeto é medida pela diferença de tempo entre a emissão de um pulso laser e a detecção do sinal refletido, de forma semelhante à tecnologia de radar.

Para essa detecção, são usados elementos reflexivos da traseira dos veículos, como placa, lanternas, brake-light e refletores de para-choque.


O problema desse sistema é que pedestres, animais, ciclistas e motocicletas, que muitas vezes têm poucas áreas de reflexão, podem não ser detectados, assim como portões, paredes e outros obstáculos. 

Para-brisa sujo também pode influenciar na capacidade do sistema de detectar objetos.

Agindo assim, essa tecnologia abre espaço para o que poderíamos chamar de falhas, o que a torna perigosa.

Pesquisas revelam que o fator humano é a causa principal de 95% dos acidentes de trânsito. 

Já o ambiente em que se trafega (ruas e estradas) contribui em 30% e as condições dos veículos representam 10% dos fatores que resultam em acidentes.

Enquanto o veículo autônomo ainda não é uma realidade, os sistemas de assistência estão cada vez mais presentes para ajudar o motorista na condução do veículo.

E um dos sistemas de segurança que merece destaque é o ACC (Piloto Automático Inteligente ou Active Cruiser Control ou Controle de cruzeiro adaptável), que representa uma comodidade para o motorista e o ajuda a manter-se a uma determinada distância/intervalo de tempo do carro à frente. Essa distância pode ser configurada pelo motorista.


Nem mesmo nos Estados Unidos, o Ford Focus é oferecido com esse recurso, que permite uma condução, de verdade, mais segura.

Podemos afirmar que o novo Focus custa menos que o Volkswagen Golf e tem mais novidades que o Cruze Sport6, principais rivais, mas a falta de opção dessa tecnologia, faz uma grande diferença para o motorista que busca uma condução mais segura e confortável.
____________________________________

Tarcísio Dias – Profissional e Técnico em Mecânica, além de Engenheiro Mecânico com habilitação em Mecatrônica e Radialista, é gerente de conteúdo do Portal Mecânica Online® (www.mecanicaonline.com.br) e desenvolve a Coleção AutoMecânica.
E-mail: redacao@mecanicaonline.com.br

Coluna Mecânica Online® - Menção honrosa (segundo colocado) na categoria internet do 7º Prêmio SAE Brasil de Jornalismo 2013, promovido pela Sociedade de Engenheiros da Mobilidade.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

IVECO ENTREGA 40 CAMINHÕES AO CORPO DE BOMBEIROS DE SÃO PAULO. QUE SERÃO DISTRIBUÍDOS PELOS DIVERSOS QUARTÉIS DA CORPORAÇÃO NA CAPITAL E NO INTERIOR PAULISTA

 Fotos: Gaspar Nóbrega

A tradição de mais de 150 anos da Iveco no desenvolvimento de veículos de combate a incêndio chegou de forma definitiva ao Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, com a entrega de 40 caminhões modelo Tector 170E28, implementados com itens de alta tecnologia para atender as atividades da corporação. 

A solenidade de entrega foi realizada neste domingo (28) no Parque da Independência e contou com a participação de autoridades e representantes da Iveco, como o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin; o comandante geral do Corpo de Bombeiros de São Paulo, coronel Marco Aurélio Alves Pinto; Marco Borba, vice-presidente da Iveco para a América Latina; Marco Mello, diretor Iveco para veículos de combate a incêndio; Marcos Wanderley, diretor da Dzeta, representante comercial da Magirus no Brasil; dentre outros.

Da esquerda para a direita: Marco Borba, vice-presidente da Iveco para a América Latina; Geraldo Alckmin, governador do Estado de São Paulo; Marco Mello, diretor Iveco para Veículos de Combate a Incêndio; Marcos Wanderley, diretor da Dzeta, representante comercial da Magirus, no Brasil


“Para a Iveco, é gratificante integrar os esforços dos Corpos de Bombeiros para tornar essa admirada instituição cada vez mais forte. A marca Iveco completou 40 anos na última semana, mas somos uma empresa que nasceu da união de outras tradicionais companhias, como a alemã Magirus, empresa detentora da mais alta tecnologia no desenvolvimento e na fabricação de veículos e equipamentos de resgate e combate a incêndios, fundada em 1864”, afirma Marco Borba, vice-presidente da Iveco para a América Latina.


Adquiridas junto à concessionária Iveco Cofipe, por meio de licitação pública, as unidades serão utilizadas no atendimento às ocorrências de combate a incêndio em diversas cidades de São Paulo. Cada veículo foi fabricado sobre o chassi dos caminhões semipesados Iveco Tector 170E28, com motores NEF 6 FPT Industrial de seis cilindros, 280 cavalos de potência e tração 4x2. O câmbio utilizado é o automático Alysson série 3000, de seis marchas, um diferencial especialmente utilizado para essa aplicação, para o cumprimento de regras internacionais do segmento de veículos de combate a incêndios.


Juntamente com um tanque de 5 mil litros de água, uma poderosa bomba de incêndio, com comandos automatizados de pressão e vazão, faz parte dos sistemas anti-incêndio do veículo da Iveco. O recurso gerencia o bombeamento a partir da tecnologia TPG, um módulo eletrônico dedicado, que troca informações com o motor e transmissão, gerenciando a pressão e o volume de água. Esse recurso representa uma das melhores soluções técnicas do mercado.


Segundo Marco Mello, diretor Iveco para veículos de combate a incêndio, as configurações do Tector 170E28 foram decisivas nas negociações durante o processo de licitação. "A Iveco está na vanguarda dos mais variados segmentos, sendo este setor de combate a incêndio um dos que mais evoluíram em termos de tecnologia, estando em linha com os elevados padrões internacionais", comenta.


Mello destaca ainda que a automação de determinados dispositivos é peça fundamental no aprimoramento das atividades do Corpo de Bombeiros. "O câmbio e o motor gerenciados eletronicamente permitem que os oficiais se concentrem exclusivamente na sua missão de salvar vidas, sem ter a necessidade de se preocupar com a troca de marchas ou no controle de pressão da água, como é o caso do sistema TPG", finaliza. 

Da esquerda para a direita, Marcos Wanderley, Marco Mello e o comandante-geral do Corpo de Bombeiros de São Paulo, coronel Marco Aurélio Alves Pinto.

Linha Tector
A Iveco conta com a linha Tector, que circula entre os médios e semipesados. Perfeito para aqueles que buscam o que há de mais moderno e eficiente em transporte. 

O caminhão oferece conforto, economia, potência, durabilidade e produtividade. 

Os diversos modelos podem facilmente dar conta de qualquer demanda, desde entregas comerciais menores até transporte de grãos. 

Com duas opções de câmbio e quatro opções diferentes de entre-eixos que permitem um total de 16 versões, fazendo com que o Iveco Tector se destaque pela versatilidade.

Visite www.iveco.com.br e www.cnhindustrial.com.


A MAIORIA DOS CARROS NOVOS NÃO TEM MAIS AQUELE TANQUINHO DE GASOLINA PARA AJUDAR O MOTOR A ÁLCOOL A PEGAR QUANDO ESTÁ FRIO, O QUE É PIOR NO INVERNO. PARA OS QUE TÊM CARROS COM O RESERVATÓRIO DE GASOLINA AQUI VÃO ALGUMAS DICAS DA NKG PARA FACILITAR SUA VIDA


Revisão de cabos e velas de ignição, abastecimento do reservatório de gasolina, que como mostra a foto, no Honda Civic fica no para-lamas dianteiro direito, e bom estado da bateria evitam transtornos em dias frios.

Com o preço mais vantajoso do que o da gasolina, o etanol tem sido a primeira opção do consumidor em diversos estados brasileiros. 


Embora ofereça benefícios econômicos, a maioria dos motores abastecidos com combustível à base de cana pode apresentar dificuldades para a partida em dias frios. 

A NGK, especialista mundial em velas de ignição, destaca cuidados para evitar o problema.

Segundo Hiromori Mori, consultor de Assistência Técnica da NGK, a falha geralmente ocorre pela falta de manutenção do reservatório para gasolina. 

Porém, velas e cabos de ignição desgastados também contribuem para o mal desempenho do motor durante o inverno, principalmente após longo período desligado.

“A vela de ignição trabalha sob condições severas, como pressão e altas temperaturas. Com o uso, sofre um desgaste natural, que nem sempre é percebido pelo motorista. Por isso, a NGK recomenda a sua inspeção a cada 10 mil quilômetros ou anualmente, o que ocorrer primeiro”, informa. 


O especialista ressalta que aumento no consumo de combustível, falhas de funcionamento e elevação dos níveis de emissões de poluentes, também indicam problemas com a peça.

Os cabos de ignição, responsáveis por conduzir a alta tensão produzida pela bobina (transformador) até as velas, igualmente necessitam de checagem periódica, que deve ser feita junto com as velas.

Além da atenção com estes componentes, os proprietários de modelos que utilizam reservatório para gasolina (tanquinho) devem mantê-los abastecidos com gasolina nova e de boa qualidade. 


A recomendação é que o combustível 
seja trocado a cada 90 dias. 

Assista o vídeo aleucidativo:

É preciso que o sistema de partida a frio esteja operando corretamente e sem vazamentos. 

O estado da bateria também pode prejudicar o funcionamento do carro em dias frios e merece atenção.

Outra dica do técnico de Assistência Técnica da NGK para veículos flex é percorrer de 10 a 15 quilômetros, antes de deixar o carro com o motor desligado por um longo período, quando houver a mudança de combustível. 

O especialista explica que a ação é necessária para que o sistema de controle do motor reconheça o novo combustível no tanque e reprograme a estratégia de funcionamento, inclusive durante a partida a frio.
Em casos de falha ao dar a partida, insistir para ligar o motor pode 
encharcar as velas. 

A recomendação é desligar o veículo e aguardar até que o combustível evapore por completo, o que pode levar até 30 minutos, dependendo do carro.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

FPT INDUSTRIAL ANUNCIA NOVA PRESIDENTE GLOBAL.



Annalisa Stupenengo substitui Giovanni Bartoli que irá se aposentar em 30 de junho, após 40 anos trabalhando na CNH Industrial e ex-empresas do Grupo.
A executiva foi diretora de compras da empresa e está sendo substituída por Sergio Carpenter, atual chefe do departamento de compras de motores para os mercados da EMEA para a Fiat Chrysler Automobiles. Recentemente, a FPT Industrial anunciou Marco Aurélio Rangel como novo Presidente para a América Latina.

PSA PEUGEOT CITRÖEN FUNÇÕES EM NÍVEL DA DIREÇÃO MUNDIAL DO GRUPO: PHILIPPE DORGE É NOVO DIERETOR-GERAL ADJUNTO E XAVIER CHÉRAU OCUPARÁ A DIREÇÃO MUNDIAL DE RECURSOS HUMANOS. AS ALTERAÇÕES ACONTECERÃO EM SETEMBRO DE 2015

Philippe Dorge, diretor Mundial de Recursos Humanos da PSA Peugeot Citroën, passará a integrar o Grupo La Poste a partir de setembro de 2015, no cargo de diretor-geral Adjunto, responsável pela área de serviços, correios e encomendas.

Nessa data, Xavier Chéreau, responsável pela Diretoria de Desenvolvimento dos Recursos Humanos e pela gestão da Alta Direção desde 2013, será nomeado diretor Mundial de Recursos Humanos da PSA Peugeot Citroën e entrará para o Comitê Executivo do Grupo.

Pós-graduado em RH pelo Instituto de Estudos Políticos de Paris, Xavier Chéreau ingressou no Grupo PSA Peugeot Citroën em 1994, onde exerceu diversas funções operacionais abrangendo todas as atividades ligadas a Recursos Humanos: emprego, desenvolvimento de RH e relações sociais. Esteve à frente da área de Recursos Humanos e Relações Sociais dos Centros de Produção de Poissy e Trémery.

Encarregado da Responsabilidade Social do Grupo entre 2003 e 2006, promoveu as políticas de diversidade e de igualdade entre mulheres e homens da empresa, assim como o acordo-quadro mundial RSE (Responsabilidade Social Empresarial).

Durante esse período, Xavier Chéreau esteve na origem do ISM (Instituto Superior de Management), programa de desenvolvimento destinado aos futuros dirigentes do Grupo.

Em 2009, foi nomeado DRH da divisão industrial e de P&D do Grupo, incluindo a condução operacional das atividades de protótipos, nomenclaturas e meios de ensaios de engenharia.

Carlos Tavares, presidente Mundial do Grupo PSA Peugeot Citroën, agradeceu “em meu nome e em nome do Comitê Executivo, a Philippe Dorge por seu grande profissionalismo, sua contribuição ao desenvolvimento da função de Recursos Humanos do Grupo e à reconstrução econômica da empresa, especialmente pelo acordo «Novo Contrato Social», assinado em 2013, que acrescentou uma nova dimensão ao diálogo social da PSA Peugeot Citroën. Os 18 meses em que colaboramos estreitamente demonstraram a contribuição essencial de um Diretor de Recursos Humanos em linha com os desafios empresariais para a implementação do plano Back in The Race”.

CHRYSLER COMEMORA 90 ANOS E PREPARA NOVO 300C PARA O BRASIL. UMA DAS MAIS EMBLEMÁTICAS MARCAS NORTE-AMERICANAS CELEBRA NOVE DÉCADAS PRODUZINDO VEÍCULOS DE QUALIDADE, REPLETOS DE ESTILO, CONFORTO E TECNOLOGIA INOVADORA. REESTILIZADO, MODELO 2015 DO SEDÃ GRANDE CHRYSLER 300C ESTÁ PRESTES A DESEMBARCAR NO PAÍS


A Chrysler comemora seus 90 anos de vida colocando à venda, já no mês de julho, no mercado brasileiro o seu sedan de luxo, um dos mais emblemáticos do mundo, o moderno 300C reestilizado na linha 2015. 

A empresa Chrysler foi fundada em junho 1925 por Walter P. Chrysler, e foi o comprometimento dele com o público que fez a marca entregar aos consumidores veículos com qualidade, beleza, desempenho, conforto, classe e ótimo custo-benefício. 

Ao longo dos últimos 90 anos, esta vem sendo a missão da Chrysler. Hoje, a marca é a expressão moderna dessa visão de seu fundador.

“Há 90 anos, Walter P. Chrysler sedimentou a base para a filosofia que ainda é empregada hoje - qualidade, design, inovação e tecnologia, tudo por um preço acessível”, disse Al Gardner, presidente e CEO da marca Chrysler. 


“Essas premissas ecoam ainda hoje nos produtos da Chrysler, como o sedã grande 300C e a minivan Town & Country, quanto em seus consumidores”.

No final de 1925, bem antes de a empresa completar um ano, a então chamada Chrysler Corporation tinha mais de 3.800 concessionárias, acumulando 100 mil carros vendidos, e era a quinta maior do setor nos EUA.

O maior sucesso era o Chrysler Six, que tinha motor de seis cilindros de alta compressão e sistema hidráulico de freios nas quatro rodas – de série, algo inédito num carro de passeio.

Muitas inovações viriam nos anos seguintes, como o sistema Floating Power em 1930 – novo método de posicionar o motor, de modo a isolar a vibração da carroceria. 

Em 1936, foi a vez do primeiro teto conversível com acionamento automático. 

Em 1940, surgia a patente de um pneu que não se soltava da roda quando furado, e, em 1959, os primeiros retrovisores internos com sensores para uso automático da função dia/noite.


Isso sem falar em avançadas soluções aerodinâmicas e de distribuição de peso para a época, como o impressionante e fluído Chrysler Airflow, de 1934, que teve mais de 50 unidades de desenvolvimento testadas nos primeiros túneis de vento. 

Ou ainda as inovações estilísticas que ditaram moda nos anos 50, como os carros desenvolvidos pelo genial designer Virgil Exner, contratado em 1949 junto à Studebaker, e que criaria clássicos para a Chrsyler até sua aposentadoria, em 1962. 

Ele é o pai do celebrado sedã 300, de 1955, entre outras lendas.

Novo 300C




Falando em 300, um dos sedãs mais emblemáticos do mundo, o moderno Chrysler 300C foi reestilizado para a linha 2015 e começará a chegar às concessionárias brasileiras em julho. 

A dianteira mudou significativamente, com uma nova e maior grade, que passou a abrigar a asa estilizada que forma o símbolo da marca. 


A entrada de ar inferior também foi refeita, ladeada pelos faróis de neblina, que passaram a ser de LEDs. Internamente, o volante é novo e o painel evoluiu com a adoção da tela multifuncional de TFT de sete polegadas no quadro de instrumentos e do seletor giratório do câmbio, a exemplo do recém-lançado Dodge Durango 2015.


As rodas de aro 20 exibem novo desenho, mesclando esportividade e requinte. 

Na traseira, as alterações são mais sutis, mas reforçam a personalidade do 300C, como o contorno de LEDs nas lanternas e a faixa cromada que percorre a parte superior do para-choque. 

Moderno e eficiente, o conjunto mecânico conta com o motor Pentastar V6, de 3,6 litros, que ganhou 10 cv a mais, agora entrega 296 cv, além do câmbio automático de oito marchas.

HÁ 19 ANOS NO MERCADO CHEGA FINALMENTE AO BRASIL O ONSTAR, UM SISTEMA DE TELEMETRIA AVANÇADO QUE OFERECE SERVIÇOS DE EMERGÊNCIA, CHEGA AO BRASIL E EQUIPARÁ O MODELO CRUZE DA CHEVROLET


O sistema inovador e pioneiro estará disponível inicialmente no Chevrolet Cruze, recentemente renovado no País e apresentado no último Salão Internacional do Automóvel de São Paulo.

O OnStar é um sistema de telemática avançado que oferece ao motorista serviços de Emergência, Segurança, Navegação e Conectividade.


Com sete milhões de usuários no mundo, o OnStar está há 19 anos no mercado e é líder global em soluções de segurança conectada, serviços de mobilidade e tecnologia avançada de informação.

“O OnStar irá proporcionar aos proprietários do Cruze um novo patamar de conectividade, segurança e proteção patrimonial jamais visto no mercado automotivo brasileiro”, explica Santiago Chamorro, presidente da General Motors do Brasil.

“Esta nova tecnologia combinada às inovações mecânicas, de design e conforto promovidas recentemente no Cruze brasileiro estão em linha com o posicionamento do Find New Roads no país”, afirma Chamorro.

Entre os principais 
serviços do OnStar estão


Segurança - ajuda no processo de recuperação em caso de roubo do veículo.


Emergência - notificação automática de acidente, assistência 24 horas por meio de uma central de atendimento e de informações.

Conectividade - possibilidade de comandar e verificar diversos itens do carro à distância por meio de aplicativo no smartphone, incluindo o travamento/destravamento das portas e o acionamento da buzina e do pisca-alerta, por exemplo.

Navegação – envio do destino de forma remota ao sistema multimídia do veículo.


Para contatar um atendente do OnStar em qualquer hora do dia, basta o motorista pressionar um botão localizado na base do espelho retrovisor central do carro ou fazê-lo por meio do aplicativo do smartphone.

No Brasil, os serviços do OnStar serão customizados de acordo com as preferências do mercado local e suas funcionalidades serão anunciadas em breve.

OnStar, LLC (OnStar) é uma subsidiária da GM Holdings LLC ("GM"). Junto com a afiliada Shanghai OnStar Telematics Co. Ltd. (uma joint venture envolvendo OnStar, Shanghai General Motors Co., Ltd (SGM) e Shanghai Automotive Industry Corporation (SAIC)), o OnStar possui sete milhões de assinantes na América do Norte e na China. 

OnStar é um provedor de serviços de emergência, segurança, navegação, diagnóstico e conectividade. 

O OnStar com 4G LTE está atualmente disponível em mais de 30 modelos 2015 da GM nos EUA e Canadá.

VOLKSWAGEN INVESTE R$ 460 MILHÕES NA FÁBRICA DE MOTORES DE SÃO CARLOS QUE JÁ PRODUZIU QUASE 10 MILHÕES DE PROPULSORES


A Volkswagen do Brasil acaba de anunciar o investimento de R$ 460 milhões em sua fábrica de motores, em São Carlos (SP), até 2018. A unidade já produziu cerca de 10 milhões de propulsores.


O aporte tem como foco o início de produção no Brasil de uma tecnologia global para motores, a TSI, que agrega ao motor um desempenho extraordinário a um baixíssimo consumo de combustível.

Presente na linha de importados como Golf, Tiguan, Passat, Jetta e CC, o primeiro modelo nacional a receber a tecnologia TSI será o up!, com um diferencial: o motor será Total Flex. 


Com isso, o modelo passa a ser o primeiro 1.0l Flex produzido no Brasil a contar com essa inovação. 

Assim, a empresa reforça o compromisso com a estratégia de downsizing, que são motores menores e mais eficientes, em sintonia com os motores mais avançados oferecidos na Europa.

O motor 1.0l TSI Total Flex é o propulsor com a melhor eficiência energética da Volkswagen no mercado brasileiro e é considerado o estado da arte em motores a combustão interna. 

Ele faz parte da nova geração de motores EA211, que, além do TSI, conta com as versões 1.0l de três cilindros e a 1.6l de quatro cilindros, presentes em modelos como o up!, Fox, Gol Rallye e Saveiro Cross.

O motor TSI é um exemplo da alta tecnologia da Volkswagen, associando a redução da capacidade cúbica, a precisão da injeção direta de combustível, dos comandos de válvulas variáveis e o alto desempenho do turbocompressor. 

Por isso, a tecnologia TSI é a mais premiada do mundo no International Engine Award, proporcionando aos veículos da Volkswagen um excelente desempenho dinâmico, com reduzido consumo de combustível.

Com a tecnologia TSI, a potência do motor 1.0l três cilindros foi aumentada de 82 cv para 105 cv, abastecidos com etanol. 

Com gasolina, o novo motor TSI atinge 101 cv de potência máxima. 

O torque do TSI é ainda mais espetacular: 165 Nm (16,8 kgfm), abastecido com etanol ou gasolina, o que garante ao up! o melhor desempenho no segmento de compactos no mercado brasileiro.

Fases do investimento
Os novos investimentos na fábrica de São Carlos serão divididos em três fases, com o foco na nova família de motores EA211: uma linha de produção de motores, incluindo a linha específica para montagem de componentes necessários para a fabricação dos motores TSI; uma preparação para o aumento da capacidade produtiva da fábrica e uma nova e inédita linha de virabrequim.

Entre 2012 e 2013, a fábrica já havia recebido R$ 425 milhões, para o desenvolvimento do novo prédio produtivo e instalação de novas linhas para a produção dos motores EA211 e para o aumento de capacidade produtiva dos motores EA111 na unidade.

“Estamos trazendo o que há de melhor no mundo Volkswagen para os nossos clientes também no Brasil. A produção local de motores TSI significa a introdução de uma tecnologia mundial de ponta em um carro de volume. Será o primeiro 1.0 TSI Total Flex produzido no Brasil”, declara o presidente da Volkswagen do Brasil, David Powels.

Virabrequim




O investimento possibilitará também a implantação de uma nova e inédita linha de virabrequim da marca em São Carlos, a partir início de 2016.

Com isso, a marca deixará de importar parte do volume total de outras fábricas da Alemanha e produzirá no Brasil um item que, em sua maioria, era importado da Alemanha.

A linha de usinagem de virabrequim, uma das peças vitais do motor, terá excelência em tecnologia e utilizará equipamentos com o mesmo conceito das linhas de virabrequim do Grupo Volkswagen no mundo.

Árvore de manivelas, também conhecido como virabrequim, possui precisão micrométrica e é o componente do motor (ao qual estão presas as bielas e pistões) responsável por transformar a energia produzida pela combustão em torque, que é enviado às rodas e movimenta o carro.

Família EA211
A família de motores EA211 é a mais moderna fabricada pela Volkswagen no Brasil, produzida na fábrica de São Carlos, tanto no que diz respeito ao seu processo de produção, quanto aos mais modernos recursos tecnológicos de que dispõe.

O novo motor – cujo nome completo é EA211 1.0l R3, em que o “R” identifica o termo alemão “Reihe”, “linha” em português – é um projeto global e foi desenvolvido segundo critérios de maior eficiência energética e menor consumo de combustível.

Motor do Ano 2014
Produzido na fábrica de motores da Volkswagen em São Carlos, o motor EA211 1.0l R3 que hoje já equipa o up! foi eleito o “Motor do Ano 2014”, por um júri formado por jornalistas especializados e engenheiros. 

A premiação, uma das mais importantes da indústria automobilística brasileira, é organizada pela revista Autoesporte, da Editora Globo.


Fábrica de São Carlos se aproxima da marca de 10 milhões 
de motores produzidos

Inaugurada em 1996, a fábrica de São Carlos é responsável pela produção dos propulsores das famílias EA111 e EA211 de 1.0l e 1.6l que equipam os modelos up!, Voyage, Saveiro, Fox, CrossFox, SpaceFox e Gol.

Para o mercado brasileiro, 100% dos motores recebem a tecnologia bicombustível Total Flex. Para o mercado externo são produzidos motores a gasolina.

Ao longo de seus 18 anos, completados no último dia 12 de outubro, a unidade passou por diversas etapas de ampliação, tendo sua área construída atual em 87 mil m², um aumento de mais de 200% desde 1996. 

Com três prédios produtivos: EA111, EA211 e o de Usinagem e Montagem de Cabeçotes, a fábrica possui atualmente seis linhas de montagem de motores, quatro linhas de usinagem de blocos, duas de usinagem de cabeçotes e três de montagem de cabeçotes.

Sustentabilidade
O tema sustentabilidade se faz presente desde o início das atividades da fábrica, que foi a primeira unidade do Grupo Volkswagen fora da Europa a conquistar o certificado ambiental ISO 14001, em 1997, e se tornou referência em gestão ambiental para as demais unidades na América do Sul.

Com a maior área verde entre as fábricas da Volkswagen do Brasil, em um total de 730 mil m², a fábrica de São Carlos possui 18,6 hectares de área de reserva legal.

Preservando o cerrado, adota práticas sustentáveis permanentes por meio do reflorestamento da mata nativa, visando a preservação ambiental.

Neste ano, conquistou avanços significativos em preservação dos recursos naturais e consumo consciente. 

A unidade implementou diversos projetos para redução do consumo de água e energia elétrica, sob a coordenação de um comitê interno composto por executivos e empregados de todas as áreas da unidade.

Um dos projetos de destaque consiste na captação da água de chuva para ser utilizada na torre de resfriamento, que é usada para reduzir a temperatura das máquinas no processo produtivo.

Nas linhas de produção dos motores da família EA 211, da qual faz parte o TSI, é aplicado o conceito do MQL (Mínima Quantidade de Líquido), que reduz em 80 vezes a necessidade de água no processo de usinagem, responsável por transformar os blocos e cabeçotes brutos de alumínio em peças acabadas.

As iniciativas estão em linha com o programa “Think Blue. Factory.”, lançado em nível mundial pelo Grupo Volkswagen com o objetivo de reduzir em 25% o consumo de água, energia emissões de resíduos, CO2 e solventes em todas as suas unidades industriais no mundo até 2018, comparado aos números registrados em 2010.

ACESSE TODAS AS POSTAGENS E SAIBA TUDO SOBRE O MUNDO AUTOMOTIVO.