quinta-feira, 31 de julho de 2014

A ECOSPORT, SUV DA FORD MAIS VENDIDA DO BRASIL, SURGE NA LINHA 2015 COM A VERSÃO INTERMEDIÁRIA, FREESTYLE 2.0 POWERSHIFT, COM CÂMBIO POWERSHIFT, DE SEIS VELOCIDADES QUE CUSTA R$ 73.900,00. AS VERSÕES SE E TITANIUM, CONTAM COM O PACOTE DE ACABAMENTO FREESTYLE.E O CÂMBIO POWERSHIFT.


A Ford lançou um novo catálogo do EcoSport na linha 2015, o FreeStyle 2.0 PowerShift, juntando dois itens muito procurados no utilitário esportivo: o câmbio sequencial Powershift, de seis velocidades e o pacote de acabamento FreeStyle. 


Até então, o EcoSport só oferecia a versão FreeStyle, que é a mais vendida da linha, com transmissão manual.


“O novo catálogo FreeStyle é uma resposta aos pedidos dos consumidores. Com isso, o EcoSport passa a oferecer a transmissão PowerShift nas versões SE, FreeStyle e Titanium”, diz André Leite, gerente de Marketing do Produto da Ford. 

Equipamentos e preço
O novo EcoSport FreeStyle 2.0 Powershift cria uma opção intermediária entre os modelos 2.0 SE e 2.0 Titanium, com preço de R$ 73.990. 

Ele vem com motor Duratec 2.0 16V Flex, de 147/141 cv, e transmissão sequencial PowerShift de seis velocidades, que permite selecionar três modos de condução (automático, esportivo ou manual sequencial) e tem padrão A de economia de combustível no programa de etiquetagem do Conpet/Inmetro.


Como itens adicionais em relação à versão SE PowerShift, o FreeStyle 2.0 PowerShift traz: rodas de liga leve de 16 polegadas com pneus 205/60 R16, bagageiro de teto com barras transversais, grade dianteira e retrovisores na cor cinza London Grey, computador de bordo, alarme volumétrico, sensor de ré, vidros elétricos dianteiros e traseiros com fechamento a u
m toque, abertura e fechamento global, ajuste lombar do banco do motorista, volante e manopla do câmbio revestidos em couro, ponto de força de 12 V, retrovisores externos com piscas integrados e sistema de som com quatro alto-falantes dianteiros e dois tweeters.


O modelo já vem também com: direção elétrica, ar-condicionado, porta-luvas climatizado, controle eletrônico de estabilidade e tração (AdvanceTrac), piloto automático, faróis de neblina e sistema de conectividade SYNC com rádio, CD-player, conexão Bluetooth, entradas USB e auxiliar, comandos de voz para áudio e celular e tela multifuncional de 3,5 polegadas no painel.

“Como toda a linha EcoSport, o novo catálogo pode ser adquirido com taxa zero dentro da campanha de varejo que a Ford está promovendo este mês”, completa André Leite.


Novas cores
O EcoSport também passa a oferecer três novas cores na linha 2015 – a sólida branco Vanilla, a metálica prata Dublin e a perolizada vermelho Merlot – que destacam o seu design arrojado e esportivo. 

Elas completam as cinco opções já conhecidas – as sólidas branco Ártico, preto Ebony e vermelho Arpoador e as metálicas laranja Savana e prata Riviera – e estão disponíveis para toda a linha, nas versões SE, FreeStyle, Titanium e 4WD.

NOVA MISTURA DE BIODIESEL NO DIESEL TEVE DESEMPENHO COMPROVADO PELO CENTRO DE PESQUISAS DA PETROBRAS. MISTURA REDUZIRÁ A IMPORTAÇÃO DE 1,2 BILHÃO DE DIESEL





Pesquisas da Petrobras indicaram boa estabilidade no desempenho dos veículos com misturas de biodiesel no diesel em até 7% (B7). 

Os testes, promovidos pelo Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), prepararam a companhia para o momento atual em que se inicia a oferta, em todos os postos do Brasil, da nova mistura obrigatória no diesel - de 5% para 6% a partir deste mês, e para 7% do dia 1º de novembro em diante.

As análises foram realizadas no Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec), localizado em Curitiba (PR). 

A entidade, ligada à Rede Temática Desenvolvimento Veicular da Petrobras, é parceira da companhia em pesquisas, incluindo ensaios de emissões de gasolina e diesel e com misturas de biodiesel.

O aumento da mistura do biodiesel no diesel para 7% deve permitir um aumento de 40% na produção de biodiesel no País. 

Segundo o Ministério de Minas e Energia, com a mudança, será possível reduzir as importações de diesel em 1,2 bilhão de litros ao ano.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

O BRASIL NÃO TEM UMA FÁBRICA DE AUTOMÓVEIS DOMÉSTICA. O PAÍS FAZ SUCESSO NA FABRICAÇÃO DE AVIÕES, MAS NÃO CONSEGUE SE IMPOR QUANDO SE TRATA DE CARROS. A ÚLTIMA EXPERIÊNCIA FOI DA TROLLER NASCIDA NO CEARÁ, MAS TRANSFERIDA OITO ANOS DEPOIS PARA O PODER ESTADUNIDENSE DA FORD. SERÁ QUE ESSE QUADRO PODE MUDAR E O PAÍS PODERÁ TER UMA MARCA LEGÍTIMA BRASILEIRA DE CARROS?



MECÂNICA ONLINE®

Nº 74  — 30 / 07 / 2014


Um novo cenário na 
produção nacional de veículos

]
Qual o fabricante nacional de veículos? O Brasil não tem um único nessa seleta lista mundial de marcas como Volkswagen, Ford, Fiat, General Motors e tantas outras. 

E olha que fabricamos aviões, mas não carros. Fabricamos, sim, mas sempre por meio de multinacionais.

Ainda assim, a notícia é positiva. Um novo cenário na produção nacional de veículos começa a ser desenhado com o aumento da quantidade de fábricas instaladas em nosso território. 

Um agente que impulsionou esse crescimento foi o Programa Inovar-Auto, que, de certa forma, obrigou qualquer empresa estrangeira a investir numa linha de montagem local para ter condições de competir.

Nada menos que nove fábricas estão sendo inauguradas nos próximos anos, duas delas inclusive, já estão operando e abriram essa nova onda de investimentos, a da Toyota, em Sorocaba, e a da Hyundai, em Piracicaba.

Apesar da concentração no Estado de São Paulo, já observamos a descentralização. Santa Catarina e Pernambuco, onde BMW e Fiat investem em novas instalações fazem suas estreias nesse mapa.

O Nordeste avança, acompanhando o bom momento econômico da região e suas previsões de consumo, cada vez maiores.


A convite da Ford estive na cidade de Horizonte, no Ceará, onde a fabricante realizou a reinauguração da fábrica da Troller, onde é produzida a nova geração do T4. 

Foram mudanças significativas em todos os setores para a produção da segunda geração do utilitário, com foco na qualidade e produtividade. 

O objetivo foi estruturar a unidade para a ampla renovação feita no veículo, que vai desde a carroceria até a motorização e equipamentos.

Os investimentos na modernização da planta incluíram novos processos de estamparia, soldagem, pintura e montagem e também a construção e reforma de instalações de apoio. 


Entre elas, dois novos depósitos de peças, pista de testes, estacionamento, portaria, restaurante e vestiários, além de reforços na infraestrutura, como uma nova subestação de energia, canais de drenagem, sistemas de iluminação e segurança.

Com a ampliação a fábrica passou a contar com 21 mil metros quadrados de área construída, em uma área total de mais de 95 mil metros quadrados. 


A soldagem por robôs e a estampagem de peças por compressão a quente estão entre os novos sistemas adotados na manufatura.

Solda por robôs e estampagem a quente - O Novo Troller T4 utiliza chassi com perfil retangular fechado e um novo conceito de carroceria, chamado “space frame”. 


A sua estrutura tubular metálica é soldada por robôs, o que garante mais qualidade na montagem e estabilidade dimensional do veículo. 

Sobre essa base são aplicadas as peças estampadas em compósito especial – um material de fibra de vidro, resistente ao fogo, corrosão e impactos.

A produção dessas peças também é feita por um processo novo e exclusivo, chamado SMC (“Sheet Moulding Compound”), de moldagem por compressão a quente em moldes de aço. 

Suas principais vantagens são a estabilidade dimensional e resistência, além de menor peso e excelente acabamento de superfície, que refletem na qualidade final do produto.

O sistema de pintura da fábrica também recebeu importantes modificações. Uma nova cabine foi instalada, com uma tecnologia que permite a definição da cor do veículo através do toque de apenas um botão. 

Ela torna o processo mais rápido e eficiente e conta com equipamentos que reduzem a emissão de compostos orgânicos voláteis.


Na linha de montagem foram instalados novos dispositivos, ferramentas e um novo sistema eletrônico para aperto e torque de parafusos. 

Além disso, a fábrica passou a contar com um novo processo de testes e validação de todo o conteúdo eletrônico dos veículos.

Além das mudanças na área de manufatura do Novo T4, os investimentos na planta incluíram a construção de nova portaria, novos vestiários, um novo restaurante para os empregados e uma pista para testes específicos em todos os veículos que saem da linha de produção, com simulação de pisos de estrada e fora de estrada.


O FIAT LINEA QUE DEVERIA TER SIDO QUANDO SAIU EM 2008 UM CONCORRENTE DO TOYOTA COROLLA E DO HONDA CIVIC, MAS SÓ AGORA GANHA ESSE STATUS COM UMA CARACTERÍSTICA: A ECONOMIA ABASTECIDO COM ÁLCOOL. ROBERTO NASSER CONTA ESSA HISTÓRIA. A CHINESA LIFAN DE VOLTA AO BRASIL TRAZ O 530, UM SEDAN QUE ENTRA NO MERCADO EM AGOSTO POR R$ 40 MIL. O EDOSPORT APRESENTA-SE COMO FORTE CANDIDATO A "CARRO DO ANO 2015". E, INCRÍVEL, A CONFIÁVEL SUBARU CHAMA PARA RECALL O ESPORTIVO FORESTER XT 2013 A 2015.



Coluna nº 3114 - 30 de julho de 2014
 __________________________________________________________________________

Linea, agora como deveria ter sido

Quando lançado, em 2008, o Linea pretendia inscrever a Fiat como concorrente na faixa dos sedãs médios – Toyota Corolla e Honda Civic, sonho aspiracional de todo diretor de vendas de fábrica de automóveis no Brasil, Ford Focus, GM Vastra – entenda-o com o letreiro Vectra. 

O pacote envolvente se impunha com refinamento em decoração, a diferenciada opção do motor 1.4 Turbo com injeção direta. 

Mancava um pouco com o motor 1.9, misto de peças a partir do 1.600 com décadas de projeto, depois substituído pelo ex-BMW 1.8. 

Diferente pelos conceitos torino milaneses em design e soluções. Pretendia a Fiat vender ambiciosas 2.500 unidades mensais.

Não deu certo. Honda baixou o preço do Civic em R$ 10 mil, quase chegando ao Linea. 

Jogava com o arraigado conceito de presumida confiabilidade nas marcas japonesas, e vendedores de outras marcas o comparavam nas medidas onde era menor: comprimento e distância entre eixos – na prática o espaço aos passageiros de trás. Ficou claro, ao decolar, o Linea levara tiros na asa.

O automóvel se manteve, digno, confiável, mas de procura restrita a 700 ao mês. O engano não foi no produto, mas na postura comercial.



Linea 2015. Deveria ter sido assim em 2008.


Regulagem
Em meio a múltiplas atividades, lançamento do Novo Uno, atualização e desenvolvimento de novos produtos, picape cabine dupla e três portas, Gran Siena, implantação da fábrica em Pernambuco, o Linea foi deixado de lado, até novo acerto. 

De imaginar, a solução veio da Honda, do hatch Fit fazendo o três volumes City, de inexplicável sucesso. 

Modesto em mecânica, restrito no espaço traseiro, caro, muito lucrativo, vende 1.400 unidades mensais – dobro do Linea.

Linha 2015 fez pequenas alterações externas. À frente substituiu a esportiva grade quadriculada, por barras horizontais cromadas, atual assinatura dos Chrysler, seus irmãos norte americanos. 

Mudou o para-choques arrematando-o com friso cromado, como o dos Mercedes novos. Atrás, elevou a placa à tampa do porta-malas – ótimos 560 litros albergando o Manual do Proprietário, defenestrado do porta-luvas -, redesenhou o para-choques. Mudança tópica, manteve a elegância do traço.

Dentro operou harmonia. Por custos adota instrumentação e comandos de sua base Punto. 

Inclui-se aí a posição de acendimento automático dos faróis e os piscas rápidos. Usa Preto e Bege no revestimento do painel, bem ajustado e de contato agradável, sintonizados com laterais e bancos. 

Opcional na versão Essence e presente na superior Absolute, o Night Design, imprecisa definição para fios de luz no painel e laterais das portas.

Motor 1.8 herdado à BMW e adequado ao Brasil, suas auto-peças e no ser flex, ganhando a indicação EtorquE, 130-132 cv, bom torque de 18 kgmf, caixa de transmissão mecânica, cinco velocidades, com automatizador Dualogic de 2ª geração, com melhor operação, menos lentidão, sem trancos nas mudanças. 

Opcional em versão Essence, de série na Absolute. Manetes para mudança atrás do volante servem para freio motor, e maior rapidez na troca. Coisa cara: R$ 3.400. GPS, Bluetooth, facilidades eletrônicas.

Andando
O Linea bem trata os ocupantes do banco dianteiro. Os de trás, se educados, não reclamam. 

Condutor bem acolhido, regulagens mecânicas no banco, coluna de direção. Comandos às mãos, pedais no eixo do corpo do motorista.

Freios a disco nas quatro rodas, com ABS e EBD. Precisos. De emergência por alavanca no console. 

Rolagem agradável, suspensão com calibragem firme, permitindo condução rápida sem ondulações e balanços, adequada ao veículo. 

Uma das marcas da Fiat é o acerto fino e adequado de suspensão, direção e freios. O Linea é exemplo, mesclando conforto com estabilidade em retas e curvas.

O andar é muito confortável, agradável pelo bom trabalho de isolamento térmico e acústico, tratamento de nível superior.

Parece, a Fiat o direciona a compradores pós-City, anunciado como carro de executivo Júnior, com filhos pequenos e sem bagagem. 

Porém, oferece mais espaço, maior porta-malas, disposição e, características ausentes no City, prazer de condução, e estilo individualizado. 

Hoje, são indistintas as marcas de olhos puxados, japoneses, coreanos e chineses.

Andei uns 1.500 km com o automóvel. Destes, duas vezes roteiro padrão de 320 km: cidade em avenida, estrada com e sem velocidade, passagem por cidades; cidade do interior; 6 km de estrada de terra, boa parte em 1ª e 2ª marchas – retorno idêntico. 

Um, com álcool, outro, com gasálcool, e conta surpreendente: 11,1 km litro de álcool. Maior surpresa, 11,9 km litro de gasálcool, diferença de menos de 10% entre um e outro, energeticamente inexplicável. Nos termos, ecológico, sugere o uso de álcool.

E?

Preços variam pela dificuldade econômica do revendedor e sua negociação. Considere uns R$ 52, 53 mil pela versão de entrada – comprá-la-ia se com as rodas de liga leve aro 17¨. 

Preço não admite calotas de plástico. Absolute vem apenas com o câmbio Dualogic, e tem valor uns R$ 10 mil acima.


Interior bi color, charmoso


O Vito, a ser feito na Argentina
Daimler apresentou, em Berlim, o novo Vito. Família de veículos utilitários, em porte abaixo do Sprinter. 

Será feito pela empresa na Espanha e na Argentina, 2015, como informou a Coluna. Versões para carga e 10 passageiros, capacidade máxima de 1,37 t, comprimento entre 4,89m e 5,14m.

Motores na Europa, os OM turbo diesel, 1,6 litro e 88 e 114 cv; 2,1 litro gerando 136, 163 e 190 cv, com uso dependendo da versão. Transmissão manual de seis velocidades ou, na versão de topo, automática com sete.

O pacote de itens de segurança é automobilístico: bolsas de ar possíveis em todo o carro, joelhos, janelas, freios com ABS e EBD, freio automático ante obstáculos, alarme para sono do motorista, para mudança de faixa de rolamento, estabilizador contra ventos laterais.

Números expõem comportamento automobilístico: versão equipada com motor de 190 cv: acelera de O aos 100 km em 9s !, e velocidade final de 206 km-h.

O Brasil será, naturalmente, seu maior mercado. E característica doméstica provocará lançamento igualmente antecipado pela Coluna: um picape.



Família Vito, feita na Argentina, várias versões


Roda-a-Roda

Síntese – Ford enxugou a linha de produtos, retirou o a nós desconhecido Escape – um EcoSport maior -, e sintetizou os dois no novo Edge. Brasil importa as versões de topo, curiosamente 2014.

Menos – Mecânica padrão, motor V6, 3,5 litros e 289 cv, caixa automática de 6 velocidades. 

Tração apenas dianteira, R$ 131.490. Nas quatro rodas, R$ 151.490 – opção cara. Teto solar outros R$ 10.100.

Mais um – Lifan 530, montado no Uruguai, será o terceiro modelo da marca chinesa no País. 

Motor 1.5, 103 cv, muitos equipamentos, foco em clientes de VW Voyage e Fiat Palio, pelo preço projetado em R$ 40 mil. Agosto.

Lifan 530, anti Voyage


Melhor – Fiat promove seu Grand Siena. Automóvel com ótima relação custo+benefício vem em série Itália. 

Fugaz, já serviu a outros Fiat: Uno, Palio, Punto e Idea, caracterizada por equipamentos com preço contido.

Itália - No caso, máscara nos faróis, volante coberto em couro, comandos do rádio, vidros elétricos traseiros, retrovisor externo direito rebatendo com o engrenar da marcha a ré para facilitar manobra junto ao meio fio. R$ 49.950.

Passe – A expectativa de acordo para promoção comercial por tarifa zero com Colômbia, Peru e Equador frustrou-se. 

Idem para a União Europeia durante a 46ª Cúpula dos Presidentes do Mercosul, em Caracas. 

Disse a Presidente Dilma, posição do Mercosul está posta desde 2010, cabendo à UE fazer sua oferta. 

Parece, pela despreocupação quanto ao prazo, nosso comércio exterior está altamente positivo.

Do Ano – Ford EcoSport projetado no Brasil é um dos 31 concorrentes ao "Carro do Ano" 2015, em júri mundial por jornalistas do ramo. 

Na relação Jeep Renegade, Citroën C4 Cactus, Mercedes Classe C, S Coupé, Passat.

Elogio – Hyundai Caoa enfatiza qualidades do caminhãozinho HR e garantia de 4 anos. Pessoal da Fiat feliz. 

Seu motor Euro V não é coreano, mas mineiro de Sete Lagoas, feito na FPT, ramo dos italianos. Estoque antigo, alguns 2013.

Raridade – Título de farto uso em anúncios de carros usados, porém verdadeiro. O único exemplar de Pagani Zonda F no país está à venda em S Paulo. 

Importado e presente ao Salão do Automóvel de 2008, foi vendido em 2010, e agora anunciado no portal Webmotors.

Um pouco – Produto artesanal na Itália pelo argentino Horácio Zonta. Carroceria em fibra de carbono, mecânica V12 Mercedes-Benz, 7,2 litros, mais de 600 cv de potência. Dizem-no capaz de atingir 340 km hora.

E, - Reúne conceitos aparentemente inconciliáveis: velocidade, esportividade – e conforto. 

Gostas de automóvel; és superior ao aviso do Santander quanto ao futuro do País? Bala na agulha? Boi na sombra? Café no bule? O exclusivo encontrou seu par. Acessível por R$ 4,2 bilhões.

Recall – Surpresa, recall em Subaru, boa marca mal explorada no País: no utilitário esportivo Forester XT, 2013 a 2015, revisão no módulo de injeção para evitar batidas de pino, superaquecimento do interior do motor e seu travamento, causando riscos a ocupantes e terceiros. Tens? Veja em

http://www.subaru.com.br.

Tecnologia – Belo pacote de tecnologia em duas rodas, a nova MV Agusta F3 pela Dafra, em Manaus. 

Três cilindros, 800 cm3 gerando 148 cv, 173 kg, para arranhar os 270 km horários. É evolução da F3 675, e o ganho dinâmico cola o conceito de superbike no de superesportiva.

Ajuda – A ótima relação peso-potência, 1,17kg-cv, por segurança desenvolveu sistemas para harmonizar eletronicamente acelerador e tração, esta em oito níveis selecionados no guidão. R$ 56 mil.

MV Agusta F3 800


 7x1 – Coisa do P
aís dos 7 a 1: roubaram o quadriciclo de piloto favorito ao Rallye dos Sertões. 

O UTV Canam de Rodrigo Varela em oficina paulistana nos ajustes finais da tecnologia de preparação para corridas quando surrupiado.

Citrô – No circuito francês das 24 Horas de Le Mans, 8 e 10 de agosto, o Euro Citro. Não é negócio com cítricos europeus, mas evento de Citroëns antigos.

Modelo - 3.000 veículos aguardados; atrações usuais – leilão, Concours d’ Elégance; os nove carros de rallye de Sebastien Loeb; artistas em quadrinhos Citroën autografando obras. Mais? www.eurocitro.org


Gente – Osmair Garcia, brasileiro, 51, diretor de Controle Corporativo da VW, promoção. 

OOOO VP de Finanças. Supre Carsten Isensee, mandado a mesma função na China. 

OOOO Philipp Schiemer, presidente da Mercedes no Brasil, referência. 

OOOO Chairperson no 11º. Fórum SAE Brasil de Tecnologia de Motores Diesel, Curitiba, 2 e 3 setembro. 

OOOO A Mercedes quebrou o mito, pioneira no fazer o primeiro motor diesel no país, e na eletronização. 

OOOO Simpósio, pelos participantes, pode corrigir o curso do diesel no Brasil. 

OOOO Um dos pontos, defendidos por Luso Ventura, ex-engenheiro chefe da Mercedes, é seu uso em automóveis.
____________________________________
edita@rnasser.com.br 

COM O DIA DOS PAIS À PORTA, MUITA GENTE FICA INDECISA, SEM SABER QUE PRESENTE DEVE COMPRAR. A COOPERÁRVORES, COOPERATIVA PARCEIRA DA FIAT, CRIOU UM PORTA-GRAVATAS, UMA PASTA EXECUTIVA, UM REVISTEIRO E UM PORTA-TERNO COM PREÇOS ENTRE R$ 30 E R$ 60. ENCOMENDE PELO SITE OU PELO TELEFONE

O porta-gravatas, a pasta executiva, porta-terno (foto)  e o revisteiro têm cores neutras e trazem como diferenciais a elegância e a durabilidade. Os preços variam de R$ 30 a R$ 65.





Para presentear os pais apaixonados por automóveis e que não abrem mão do cuidado com o planeta, a Cooperárvore lança uma linha de produtos que vai surpreender com a mistura do design, sustentabilidade e praticidade. 

A coleção comemorativa do Dia dos Pais reúne quatro produtos fabricados inteiramente com aparas de cinto de segurança e tecido e carpete automotivos.

A cooperativa é uma iniciativa de moradores da região do Jardim Teresópolis, em Betim (MG), e integra a plataforma do programa social Árvore da Vida, desenvolvida pela Fiat Automóveis em parceria com as instituições CDM e Fundação AVSI. 

Em oito anos de atuação, a Cooperárvore contribui com a geração de trabalho e renda e incentiva a empoderamento feminino por meio da criação de acessórios de moda e objetos de decoração e casa a partir da reutilização de resíduos da indústria automotiva, doados pela Fiat e parceiros.

Somente no período de 2013 a maio de 2014, cerca de 20 mil produtos foram vendidos para diversos estados no País. 


Os produtos podem ser encomendados pelo site da cooperativa - www.cooperarvore.com.br - ou pelo telefone (31) 3591-5896.

HONDA ABRE INSCRIÇÕES PARA VAGAS DE ESTÁGIO E TRAINEE DO PROGRAMA JOVENS TALENTOS 2015 PARA AS SUAS FÁBRICAS DE SÃO PAULO, SUMARÉ, RECIFE E MANAUS PÁRA AS ÁREAS DE ECONOMIA, DIVERSAS ÁREAS DE ENGENHARIA, COMUNICAÇÃO SOCIAL, PSICOLOGIA, PEDAGOGIA E CIÊNCIAS CONTÁBEIS. AS INSCRIÇÕES ESTARÃO ABERTAS ATÉ 15 DE SETEMBRO. QUEM FOR APROVADO COMEÇARÁ A TRABALHAR EM JANEIRO 2015.



A Honda, fabricante de motocicletas, automóveis e produtos de força presente no Brasil há mais de 40 anos, abre as inscrições para o Programa Jovens Talentos 2015 e oferece vagas de estágio e trainee para as suas unidades fabris e administrativas de São Paulo (SP), Sumaré (SP), Recife (PE) e Manaus (AM).

A empresa busca candidatos recém-formados e estudantes do penúltimo ou último ano dos cursos de Administração, Comunicação Social, Marketing, Relações Internacionais, Economia, Engenharias, Ciências Contábeis, Ciências da Computação, Letras, Psicologia e Pedagogia, com domínio da língua inglesa e que estejam preparados para atuar em um ambiente desafiador.

As inscrições para o processo seletivo da Honda, que conta com o suporte da consultoria Page Talent, seguem até o dia 15 de setembro e podem ser feitas pelo site www.honda.com.br/jovenstalentos, que também traz todos os detalhes sobre o programa. Os aprovados iniciarão as atividades em janeiro de 2015.

Presença no Brasil
A Honda está presente no País, desde 1971, quando começou a importar, e em seguida a produzir motocicletas em Manaus (AM), a Moto Honda da Amazônia Ltda. é atualmente a maior fabricante de motos do Brasil, com mais de 19 milhões de unidades produzidas. 


Desde 2001, a empresa produz, também em Manaus, modelos de motores estacionários, além de comercializar geradores, motobombas, roçadeiras, cortadores de grama e motores de popa importados de outras unidades da marca no mundo. 

Em 1992, com a criação da Honda Automóveis do Brasil Ltda., a empresa entrou no competitivo mercado automobilístico brasileiro também por meio de importações e, a partir de 1997, com a produção nacional de automóveis no município de Sumaré (SP). 

Em 2013, anunciou sua segunda planta de automóveis, em Itirapina, interior de São Paulo, com inauguração prevista para 2015. 

Em uma iniciativa inédita no segmento automotivo no país, a empresa iniciou, no mesmo ano, a construção do seu primeiro parque eólico na cidade de Xangri-lá, no Rio Grande do Sul. 

Para administrar as operações do parque, que irá suprir toda a demanda de energia elétrica da fábrica de Sumaré, foi criada a Honda Energy do Brasil. 

No País, o grupo Honda Serviços Financeiros reúne o Consórcio Nacional Honda, a corretora Seguros Honda, a Leasing Honda e o Banco Honda presentes na rede autorizada de todo o Brasil, facilitando o acesso dos clientes aos produtos da marca.

A ETAPA DE GOIÂNIA DO MERCEDES-BENZ CHALLENGE ACONTECE NESTE FIM DE SEMANA E SERÁ TRANSMITIDA PELA REDE TV E PELA BANDSPORTS


São Paulo, SP, 30 de julho de 2014 - Depois da etapa de Curitiba (27/07), com uma semana apenas de intervalo, o Mercedes-Benz Challenge volta à ativa neste fim de semana (1º a 03 de agosto), quando será disputada a quarta etapa da temporada 2014 no remodelado Autódromo Internacional de Goiânia. 

O traçado, com extensão de 3.835 metros, vai receber pela segunda vez no ano a competição, a corrida anterior no circuito aconteceu em junho (06 a 08).

A etapa do próximo domingo é encarada com muito otimismo pela Rsports Racing. A equipe chefiada por Leandro Romera aproveitou pouco período de pausa para trabalhar intensamente e deixar os bólidos prontos. 


Os pilotos Fernando Amorim Junior (CLA Cup - nova categoria da competição, com os novíssimos modelos CLA 45 AMG da marca alemã), Victor Amorim, Cristian Mohr e Beto Rossi (C250 Cup - categoria que mantém na pista os Mercedes-Benz C250 Turbo) estão afiados para Goiânia.

Considerando as características do circuito de Goiânia, que conta com uma longa reta, Fernando Amorim (AMG CLA 45 #88), vice-líder com 41 pontos, acredita que o desempenho obtido na última etapa disputada no circuito goiano credencia a Rsports Racing a obter mais um ótimo resultado na temporada.

As atividades de pista começam na sexta-feira, com a realização do primeiro treino livre a partir das 13h10. 

Na manhã de sábado, os pilotos voltam à pista para um dia intenso que compreende o segundo treino livre e a sessão classificatória. 


A corrida que acontece no domingo às 12h10, terá transmissão ao vivo pelo portal Terra e pelo canal Bandsports, enquanto a RedeTV exibe o VT na íntegra a partir de 14h30 (horário de Brasília).

Programação - Etapa Goiânia:

Sexta-feira, 1º de agosto
10h00 - 10h15 - Shakedown Stock Car
11h30 - 12h10 - 1º Treino Livre (Grupo 1) Brasileiro de Turismo
12h20 - 13h00 - 1º Treino Livre (Grupo 2) Brasileiro de Turismo
13h10 - 14h10 - 1º Treino Livre Mercedes Benz Challenge CLA 45
14h20 - 15h20 - 1º Treino Livre Mercedes Benz Challenge C 250
15h30 - 16h10 - 1º Treino Livre (Grupo 1) Stock Car
16h20 - 17h00 - 1º Treino Livre (Grupo 2) Stock Car
17h15 - Foto oficial


Sábado, 2 de agosto
08h10 - 08h50 - 2o Treino Livre Brasileiro de Turismo
09h00 - 10h00 - 2º Treino Livre (Grupo 1) Stock Car
10h10 - 11h10 - 2º Treino Livre (Grupo 2) Stock Car
11h45 - 12h45 - 2º Treino Livre MB Challenge
13h20 - 13h40 - Classificação Turismo
14h00 - 15h00 - Classificação Stock
15h10 - 15h30 - Classificação MBC CLA 45
15h40 - 16h00 - Classificação MBC C250
16h45 - Largada Corrida 1 (25 min de prova + 1 volta) Brasileiro de Turismo
17h20 - 18h00 - Volta Rápida




Domingo, 3 de agosto
08h30 - Largada (35 min de prova + 1 volta) Brasileiro de Turismo
10h30 - Largada (50 min de prova + 1 volta) Corrida do Milhão Stock Car
12h10 - Largada Mercedes Benz Challenge (45 min de prova + 1 volta)
14h45 - 15h45 - Volta Rápida

Classificação do campeonato, após três etapas:


CLA AMG Cup (10 primeiros):
1) 77 Arnaldo Diniz Filho, Comark Racing, 53
2) 88 Fernando Amorim, Fiolux/Rsports Racing, 41
3) 32 Fernando Fortes, J. Star, 39
4) 77 Edson Coleho Jr, Comark Racing, 33
5) 88 Renan Guerra, Fiolux/Rsports Racing, 32
6) 11 Neto De Nigris, De Nigris/Europamotors, 28
7) 27 Cláudio Dahruj, Comark Racing, 26
8) 71 Rodrigo Hanashiro, A. Mattheis, 25
9) 50 José Vitte, Cordova Motorsports, 24
10) 8 Eduar Merhy Neto ,Hitech Racing, 23

C250 Cup ( 12 primeiros)
1) 97 Luiz Sena Jr, WCR, 41
2) 21 Peter Michel Gottschalk, Paioli Racing, 38
3) 111 Marcos Paioli/Peter Gottschalk, Paioli Racing, 35
4) 3 Cristhian Mohr, Rsports Racing, 32
5) 22 Rafael Zapelini, Rodoerre Racing, 32
6) 90 Marcos Ramos, Center Bus Racing Team, 26
7) 12 Leo De Nigris, De Nigris/Europamotors, 26
8) 60 Cesar Urnhani, Center Bus Racing Team, 26
9) 52 Victor Amorim, Fiolux/Rsports Racing, 26
10) 44 Cesare Marrucci, Cordova Motorsports, 25
11) 25 Renato Camargo, De Nigris/Europamotors, 22
12) 13 Beto Rossi, Divena Racing/Rsports Racing, 19

C250 Cup - Master (cinco primeiros)
1) 111 Marcos Paioli/Petter Gottschalk, Paioli Racing, 48
2) 12 Leo De Nigris, De Nigris/Europamotors, 46
3) 90 Marcos Ramos, Center Bus Racing Team, 45
4) 25 Renato Camargo, De Nigris/Europamotors, 41
5) 13 Beto Rossi, Divena Racing/Rsports Racing, 40

Calendário 2014 - Mercedes-Benz Challenge

Etapa 1 - 25/05 - Interlagos (SP)
Etapa 2 - 08/06 - Goiânia (GO)
Etapa 3 - 27/07 - Curitiba (PR)
Etapa 4 - 03/08 - Goiânia (GO) - com a Corrida do Milhão *
Etapa 5 - 07/09 - Velopark (RS)
Etapa 6 - 19/10 - Curitiba (PR)
Etapa 7 - 15/11 - Ribeirão Preto (SP)*
Etapa 8 - 30/11 - Curitiba (PR)*

*junto com a Stock Car e as demais com a Copa Petrobras de Marcas

terça-feira, 29 de julho de 2014

CHEVROLET MONTANA 2015 SAI COM DIREÇÃO HIDRÁULICA DE SÉRIE E SUPORTE PARA BICICLETA.


São Caetano do Sul – A Chevrolet já comercializa a linha 2015 da Montana, que traz como principal novidade a direção hidráulica como item de série também na versão de entrada (LS). 


Dessa forma, o modelo passa a ser a picape compacta equipada mais acessível do seu segmento.


Banco do motorista e cinto de segurança com regulagem de altura, para-choques na cor da carroceria, alerta para o esquecimento dos faróis ligados e freios ABS com EBD (assistente de frenagem de emergência), por exemplo, são outros diferenciais de série do veículo, que pode vir com ar-condicionado e comando elétrico dos vidros, das travas e dos retrovisores externos.


A Montana também se destaca por sua capacidade de carga. São até 768 kg, cerca de 10% superior à das principais concorrentes.

A caçamba comprida e alta transporta com segurança até objetos grandes, como uma motocicleta.

Para preservar o assoalho e assegurar o valor de revenda, o modelo vem com protetor de caçamba, 10 ganchos para amarração de cordas e o degrau side step, que facilita o acesso ao compartimento pela lateral. Já a tampa traseira possui trava antifurto com chave.

“Estes atributos reforçam a imagem da Montana como a picape de cabine simples com a melhor relação custo-benefício do mercado”, ressalta Marcos Munhoz, vice-presidente da General Motors do Brasil.

Para o executivo, a introdução da direção hidráulica ao catálogo de entrada do veículo traz vantagens também ao consumidor frotista que busca maior produtividade e conforto para o motorista.

Outra novidade da linha 2015 é a opção de carroceria na cor preto Carbon Flash, que estará disponível nas lojas a partir de setembro. 


Por ser metálica, a pintura deixa o veículo ainda mais atraente. A picape Chevrolet também é comercializada nas cores Branco Summit e Vermelho Pepper (sólidas), além da Cinza Astec e Prata Switchblade (metálicas).

A lista de acessórios está ainda mais completa com o novo suporte de bicicleta. Projetado para ser instalado na caçamba da picape, o item permite a fácil fixação da bicicleta em pé, de modo que o quadro não encoste em nenhuma superfície.

Sensor de estacionamento, santo antônio e capota marítima são alguns dos outros itens disponíveis para o modelo na rede Chevrolet, com mais de 600 concessionárias no país.


Pronta para o lazer
A Montana possui ainda a versão Sport, voltada principalmente para o consumidor que procura um automóvel versátil de dois lugares para o dia a dia e para o lazer.

Além de vir completa de série, essa configuração se destaca ainda pelo acabamento visual mais sofisticado. 

Rodas de liga leve de 16”, faróis com máscara negra, luzes de neblina, rack de teto e adesivo de coluna estão entre os diferenciais.

Por dentro, há sistema de acendimento automático dos faróis, coluna de direção regulável em altura, controle de velocidade de cruzeiro, computador de borbo e sistema de som com Bluetooth e entrada USB. 

A versão Sport também é caracterizada pelos apliques decorativos na cor cinza “Midnight” na cabine que, devido ao conceito MaxCab, comporta bagagens de mão na parte posterior dos bancos.

A Montana é equipada com o motor 1.4 litro mais potente da categoria. O EconoFlex da Chevrolet desenvolve até 102 cavalos e 13,5 kgfm de torque, garantindo elevado nível de desempenho mesmo com o carro carregado.

A transmissão é a manual de cinco velocidades F1X de segunda geração, com engates curtos, precisos e ré sincronizada. 

Um conjunto desenvolvido para proporcionar alta eficiência energética e resistência mecânica.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

NISSAN ANUNCIA UMA ELEVAÇÃO EM SEU LUCRO PARA 122,6 MILHÕES DE IENES NO PRIMEIRO TRIMESTRE DESTE ANO. O CRESCIMENTO SEGUNDO O PRESIDENTE DA MONTADORA JAPONESA ACONTECEU DEVIDO AOS INVESTIMENTOS EM NOVAS FÁBRICAS E AUMENTO DA DEMANDA NA AMÉRICA DO NORTE, CHINA E NA EUROPA. A NISSAN ESTIMA VENDER 5.650 MIL VEÍCULOS ATÉ O FIM DE 2014, EM VIRTUDE DO CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO NO BRASIL E NO MÉXICO.

Vendas do Nissan LEAF superam as 124 mil unidades
Yokohama – O lucro operacional da Nissan Motor Co., Ltd, no primeiro trimestre de 2014, subiu para 122,6 bilhões de ienes no período, representando margem de 5% sobre a receita líquida, que subiu para 2,47 trilhões de ienes – aumento de 10,4%.

O anunciou os resultados financeiros da montadora japonesa foi feito hoje em Yokohama pelo presidente e CEO da companhia Carlos Ghosn.

"A Nissan está bem posicionada para cumprir seus objetivos por conta da continuação da nossa ofensiva com novos produtos junto com as medidas que aumentam a nossa competitividade e a participação de mercado e com os benefícios contínuos da nossa Aliança estratégica", garantiu.


Resultados financeiros AF 2014*
Primeiro Trimestre
Sobre ano-fiscal 2013
Receita líquida
2,47 trilhões de ienes
(US$ 24,13 bilhões/€ 17,60 bilhões)
+10,4%
Lucro operacional
122,6 bilhões de ienes
 (US$ 1,20 bilhão/€ 880 milhões)
+13,4%
Lucro ordinário
148,8 bilhões de ienes
(US$ 1,46 bilhão/€ 1,06 bilhão)
+29,6%
Resultado líquido
112,1 bilhões de ienes
(US$ 1,10 bilhão/€ 800 milhões)
+36,7%
Baseado sobre taxa de câmbio de 102,2 ienes para US$ 1 e 140,1 ienes para € 1

"A Nissan manteve o seu progresso nos primeiros três meses do ano-fiscal com a demanda por nossos novos produtos, investimentos em novas fábricas e a melhora na condição da marca em mercados importantes como América do Norte, China e Europa, que ajudaram a aumentar as receitas e os lucros", disse Carlos Ghosn. 

Boa parte do incremento do resultado é decorrência do forte aumento nas vendas da Nissan nos Estados Unidos e na China, que cresceram 14,1% e 21,1%, respectivamente. 

A empresa também se beneficiou do aumento da demanda por produtos como os novos Qashqai, Rogue e X-Trail, todos derivados da Common Module Family (Família Comum de Plataformas Módulares), desenvolvida pela Aliança Renault-Nissan.

Durante o primeiro trimestre do ano-fiscal 14, a Nissan vendeu 1,240 milhão de veículos em todo o mundo, 6% acima do mesmo período do último ano-fiscal.

A companhia também continuou a expansão da sua liderança em emissão zero. Desde o lançamento, em 2010, até o momento, as vendas totais do veículo 100% elétrico Nissan LEAF somam mais de 124 mil unidades, resultado que lhe garante o título de veículo elétrico mais vendido na história. 

Em junho, a Nissan levou a emissão zero para o segmento de veículos comerciais leves com o lançamento do e-NV200, modelo que oferece versatilidade e os melhores custos de propriedade da sua categoria.

A Nissan também forneceu uma atualização financeira em base pro forma de gestão, que inclui a consolidação proporcional dos resultados da joint-venture na China. 

Os resultados pro forma do primeiro trimestre mostram que a receita líquida aumentou para 2,69 trilhões de ienes, até 7,2% na comparação anual do período. 

O lucro operacional foi de 32,3% superior em relação ao ano passado, subindo para 155,8 bilhões de ienes, resultando em uma margem de lucro operacional de 5,8%, aumento de 1,1 ponto porcentual.

Perspectivas para o ano-fiscal 2014
A Nissan reforçou sua previsão de vendas globais para o ano-fiscal 2014. A empresa espera vender 5,65 milhões de unidades, aumento de 8,9%, considerando o aumento da capacidade de produção em mercados como o Brasil e o México. 

As vendas de novos modelos, como os Nissan Qashqai e Rogue, além do Datsun GO e do Infiniti Q50, também irão contribuir para o crescimento.

Com base nessa perspectiva de vendas, a Nissan manteve as previsões feitas anteriormente para a Bolsa de Tóquio, em maio. 

Calculada pelo método de equivalência patrimonial para a joint venture na China, para o ano-fiscal que termina em 31 de março de 2015, as previsões foram:

Perspectivas para Ano-Fiscal 2014*
Receita líquida
10,79 trilhões de ienes
(US$ 107,9 bilhões/€ 77,07 bilhões)
Lucro operacional
535 bilhões de ienes
(US$ 5,35 bilhões/€ 3,82 bilhões)
Lucro ordinário
620 bilhões de ienes
(US$ 6,20 bilhões/€ 4,43 bilhões)
Resultado líquido
405 bilhões de ienes
(US$ 4,05 bilhões/€ 2,89 bilhões)
Calculado sobre taxa de câmbio de 100 ienes para US$ 1 e 140 ienes para € 1

*Desde o início do ano-fiscal de 2013, a Nissan registrou números calculados pelo método de equivalência patrimonial para a sua joint-venture com a Dongfeng, na China. 

Embora os relatórios de lucro líquido permaneçam inalterados sob este método de contabilidade, as demonstrações dos resultados de equivalência patrimonial contábil já não incluem os resultados da Dongfeng-Nissan em receitas e lucro operacional.

O PILOTO AUSTRALIANO DANIEL RICCIARDO VENCE NA RAÇA O GP DE FÓRMULA 1 DA HUNGRIA. AO VOLANTE DO INFINITI RED BULL RAGING, COM MOTOR RENAULT.


Daniel Ricciardo, piloto da Infiniti Red Bull Racing, escuderia que usa motor Renault, venceu neste domingo o Grande Prêmio da Hungria depois de travar uma batalha de vigorosa com Fernando Alonso, da Ferrari e Lewis Hamilton, da Mercedes. É a segunda vitória do australiano na temporada.


Sebastian Vettel, seu companheiro de equipe , chegou no sétimo lugar, duas posições atrás de Felipe Massa, da Williams, enquanto Jean-Eric Vergne da Escuderia Toro Rosso terminou em nono.

Três monopostos motorizados pelo Grupo Propulsor Renault Energy F1-2014 terminaram a corrida entre os 10 melhores.


Grandes momentos da corrida:
Daniel Ricciardo soube dominar as condições de pista inconstantes para assumir a liderança do Grande Prêmio na nona volta, no momento da primeira intervenção do Carro de Segurança.

Ele manteve a liderança até a segunda neutralização da corrida antes de passar uma terceira vez pelos boxes na terceira e última parte da prova.


O australiano em seguida se recuperou e ultrapassou Rosberg para se elevar à terceira classificação, antes de tentar uma manobra audaciosa sobre Lewis Hamilton na 67ª volta para ganhar o segundo lugar.

Uma volta mais tarde, o piloto da Infiniti Red Bull Racing levou a melhor sobre Fernando Alonso na primeira curva, obtendo novamente a liderança da corrida.


Em seguida, Ricciardo rapidamente consolidou uma diferença de cinco segundos a fim de alcançar o segundo sucesso de sua carreira, o segundo igualmente para o Grupo Propulsor Renault Energy F1-2014.

Sebastian Vettel evoluiu entre os três primeiros até a primeira saída do Carro de Segurança. O alemão partiu para a reta dos boxes uma volta após seus concorrentes, o que prejudicou sua classificação.


O piloto travou uma batalha acirrada pelo quarto lugar com Vergne, Rosberg e Hamilton.

Entretanto, na metade da corrida, Vettel colidiu com o muro dos boxes após ter passado com uma roda sobre a zebra molhada.

O atual campeão do mundo rodou, mas conseguiu continuar. Caindo para a 13ª posição, ele conseguiu subir para o sétimo lugar.

Jean-Eric Vergne, piloto da Escuderia Toro Rosso, duelava com Fernando Alonso pela liderança da corrida durante a primeira parte do Grande Prêmio.

O francês conseguiu resistir às investidas de um Lewis Hamilton que o pressionou até que a valsa das paradas o fez recuar para os 10 primeiros.

Vergne conseguiu, entretanto, manter um ritmo competitivo, terminando em nono. Seu companheiro de equipe Daniil Kvyat teve sua corrida comprometida desde a largada, quando seu motor travou.

O jovem russo conseguiu recuperar a classificação para terminar em 14º.
Após ter largado no 20º lugar do grid, Pastor Maldonado da Equipe Lotus de F1 cruzou a linha de chegada na 13ª posição.

Seu companheiro de equipe Romain Grosjean teve que abandonar na 11ª volta, devido a um acidente ocorrido na pista molhada.

A equipe Caterham de F1 sofreu dois abandonos. Marcus Ericsson colidiu com as barreiras de segurança após ter rodado na pista úmida na 8ª volta, enquanto Kamui Kobayashi teve de abandonar na 25ª passagem devido a um problema no circuito de combustível.

Rémi Taffin, diretor das atividades de pista da Renault Sport F1: “As condições meteorológicas nos ofereceram uma corrida palpitante de ponta a ponta. Daniel e sua escuderia merecem amplamente esta vitória neste domingo.

"Sabemos que os circuitos sinuosos nos beneficiam muito mais. A associação chassi/grupo propulsor funcionou perfeitamente e permitiu que Daniel tivesse o monoposto e a confiança necessários para lutar pela vitória.

"Melhoramos verdadeiramente as performances de nosso propulsor nos últimos Grandes Prêmios.

"Nossa dedicação com a equipe foi incansável, e trabalhamos inúmeras horas para nos tornarmos o mais competitivos possível.

"É claro que ainda temos margem para continuar a melhorar, o que é sempre positivo.

"Agora devemos ter o objetivo de mostrar nossa performance, sejam quais forem as condições.

"Esta vitória também deve servir de fonte de motivação adicional quando chegar a segunda parte da temporada.

"Ela deve ser bem mais árdua após a nossa pausa, mas sabemos perfeitamente quais são nossos trunfos.

"A propósito, vamos trabalhar em desenvolvimentos interessantes, que certamente nos ajudarão.

"Agora cabe a nós aproveitar qualquer ocasião e otimizar todas as oportunidades em nosso benefício, como acabamos de fazer neste domingo.”

FLÁVIO KATH E RAFAIN WALENDOWSKY, DE BLUMENAU, VENCERAM A 3ª ETAPA DO RALLY TRANSCATARINA DEPOIS DE SUPERAR DIFICULDADES DA CORRIDA, COMO TEMPERATURAS PRÓXIMAS DE ZERO GRAU E 180 KM E TODA A SORTE DE PISO


27 de julho de 2014 - Os carros off road 4x4 do rali invadiram para uma volta na Arena Jaraguá em uma pista indoor (um quilômetro) e movimentaram a cidade no interior catarinense, neste sábado (26), local da chegada da terceira e última etapa do Rally Transcatarina, após 180 quilômetros de percurso desde a largada às 8h em Rio Negrinho (SC). 



Ricardo Barra e Vanderlei Hirt, da Equipe Niterói Rally Team, conquistaram 13º melhor tempo na Super Máster, com a Mitsubishi Pajero Full (#21) e 115 pontos. 

A dupla marcou a 12ª posição no dia e a cerimônia de premiação aconteceu no Clube Atlético Baempendi, às 19h30.

Os 158 veículos inscritos tiveram três dias de prova de regularidade entre os dias 23 a 26 de julho, de Fraiburgo a Jaraguá do Sul (SC), que contou com aproximadamente 800 quilômetros na sexta edição do Rally Transcatarina, passando por 21 cidades, em que os participantes estiveram divididos em seis categorias: Super Máster, Graduados, Júnior, Jeep, Adventure e Passeio. 


Os termômetros chegaram a marcar temperaturas próximas de zero e no primeiro dia de disputas a chuva apimentou a disputa com piso escorregadio.

A Super Máster, a qual Ricardo Barra e Vanderlei Hirt pertencem, configura a categoria mais disputada do Transcatarina e é onde estão inscritas as melhores equipes e pilotos do rali de regularidade do País. 

A dupla desde a formação do grid de largada, após o Prólogo realizado no dia 23, em Fraiburgo, e nas demais etapas da edição 2014, confirmaram a sua evolução, com as médias de regularidade bem próximas dos primeiros colocados.

No terceiro e último dia, a largada aconteceu às 8h, atrás do Pavilhão dos Imigrantes (Ginásio de Esportes). "Tivemos trechos técnicos e diversos laços, a prova passou pelo autódromo de terra de São Bento do Sul e por cultivo de bananais na região de Corupá", comentou o navegador Vanderlei Hirt.

As expectativas da dupla foram correspondidas para o Transcatarina, com relação ao evento e o desempenho do time, que aproveitou a ocasião também para testar os ajustes nos equipamentos. 

"A SC Racing, organizadora do evento, manteve a mesma qualidade das edições anteriores, recepção e nível técnico do percurso. Ficamos satisfeitos também com o desempenho de toda a equipe, foi uma grande experiência e nos deixa motivados para as próximas etapas do ano", ressaltou Ricardo Barra.


Resultado da 3ª etapa (Canoinhas/Rio Negrinho) - Categoria Super Máster:

1) 18 Flávio Roberto Kath/Rafain Walendowsky (Blumenau/SC), 179
2) 7 Rone Branco/Enedir Silva Jr (Curitiba/PR), 171
3) 5 Marnes Alexandre Floriani/Cristian Mueller (Rio Negrinho/SC), 158
4) 1 Acyr Hideki Rodrigues da Silva/Renan P. Medeiros (Corupá/SC), 155
5) 4 Oscar José Schmidt/Gustavo Schmidt (São José/SC), 136
6) 9 Elvis Bonatti/Carlos Brandernburg (Corupá/Jaraguá do Sul/SC), 131
7) 20 Vinicius Lustosa Polati/Marcos Fernando Evangelista (Curitiba/PR), 129
8) 17 Márcio Ruckl/Márcio Ruckl Jr (Rio Negrinho/SC), 122
9) 2 Aparecido Matias Fernandes/Rodrigo Juliano Borges (Maringá/PR), 121
10) 6 Leandro Pereira Moor/Claudio Roberto Flores (Apucarana/PR), 121
11) 8 Otávio Enz/Allan Enz (Apucarana/PR), 120
12) 3 Paulo Roberto de Goes/Jhonatan Ardigo (Joinville/SC), 119
13) 21 Ricardo Barra/Vanderlei Hirt (Niterói/RJ), 115
14) 12 Marcelo Felipe Rorig/Roberto Luiz Spessatto (Palotina/PR), 110
15) 23 Márcio Schindwein/Fernando Amorim da Silveira (Palhoça/SC), 110
16) 14 Evaldo Martin Schulze/Matheus D. Schulze (Caçador/SC), 104
17) 13 Olair Fagundes/Waldomiro Teodoro dos Anjos Jr (Cuiabá/MT), 102
18) 15 Carlos Alberto Mendonça/Erick Fernandes de Brito (Criciúma/SC), 82
19) 22 Victor Pudell/Caio Boscolo (Toledo /PR), 79
20) 19 Rogério Augusto Franciosi/Ilca Nunes Franciosi (Tangará da Serra/SC), 57.

ACESSE TODAS AS POSTAGENS E SAIBA TUDO SOBRE O MUNDO AUTOMOTIVO.