quarta-feira, 31 de outubro de 2012

A HONDA ESTÁ TRABALHANDO NO CONCEITO DE SEU NOVO SUPERESPORTIVO, O NSX QUE SERÁ APRESENTADO EM JANEIRO NO SALÃO DO AUTOMÓVEL DE DETROIT. TUDO INDICA QUE SERÁ UM CARRO HÍBRIDO COM 400 CV DE POTÊNCIA



A versão de produção do futuro Honda NSX será apresentada no próximo Salão de Detroit, em janeiro de 2013. 


O carro deverá  contar com um sistema híbrido de última geração da Honda, o SH-AWD, que combina um motor a combustão (possivelmente um V6 de 3.5 litros) montado na traseira, com dois pequenos motores elétricos no eixo dianteiro, para uma potência em torno dos 400 cv.


O futuro superesportivo da Honda já tem uma versão concept, em que está sendo trabalhado o modelo de produção. O novo NSX será produzido nos Estados Unidos, mercado no qual será vendido com o logotipo da Acura, marca de luxo da Honda. Na Europa e Japão, contudo, o NSX será comercializado como Honda.


O INSTITUTO RENAULT DIVULGA, HOJE, NO SALÃO DO AUTOMÓVEL DE SÃO PAULO O 2º RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE EM QUE MOSTRA OS IMPACTOS CAUSADOS PELA SUA ATVIDADE E APONTA OS CAMINHOS PARA MELHORAR O SEU DESEMPENHO E ANUNCIA QUE SEGUE A PARTIR DE AGORA AS DIRETRIZES DA ISO 26.000

Educar, transformar, preservar e proteger. Estas são as palavras-chave que definem a atuação do Instituto Renault, que neste mês de outubro comemora dois anos de vida e divulga seu 2º Relatório anual de Sustentabilidade em evento que acontece hoje, dia 31 de outubro, no estande da marca no Salão do Automóvel. 

Desde sua criação em 2010, o Instituto investiu R$ 5,5 milhões em projetos que impactaram mais de 290 mil pessoas e já é referência para seus pares de outros países. A partir de agora, o Instituto Renault também passa a seguir as diretrizes do ISO 26.000, norma internacional que tem por objetivo garantir as melhores práticas em gestão social e meio ambiente.

A publicação anual do Relatório de Sustentabilidade, modelada de acordo com os indicadores GRI – Global Reporting Initiative -, reforça a prática da empresa de medir e divulgar os impactos causados por suas atividades e os caminhos de melhoria de seu desempenho, além de reafirmar o compromisso em crescer por meio de um relacionamento direto e transparente com seus stakeholders: colaboradores, parceiros e comunidades em que atua. 

Desde 2011, o Brasil tornou-se o segundo maior mercado do mundo para o Grupo Renault. A montadora é a que mais cresceu no segmento este ano – até setembro, a marca já registra 36,2% de crescimento em relação a 2011, enquanto o mercado alcançou 5,5% no mesmo período. 


“Essa posição nos leva a buscar ferramentas cada vez mais eficazes para sedimentar uma base sólida de crescimento sustentável capaz de associar rentabilidade à responsabilidade socioambiental”, afirma Olivier Murguet, Presidente da Renault do Brasil e do Instituto Renault. 

A apresentação do Relatório acontece no estande de 2 mil metros quadrados, que nesta edição do Salão do Automóvel terá neutralização de carbono. As emissões de CO2 geradas pelo espaço serão compensadas pela preservação de árvores em uma área de proteção permanente, no Paraná. 

Eixos de atuação

“O progresso das pessoas e da comunidade. Essa é a missão do Instituto”, ressalta Antonio Calcagnotto, Vice-Presidente do Instituto Renault, para quem assegurar o futuro é seguir incrementando planos de ação que envolvem desde qualificação da educação até sustentabilidade ambiental. Essas ações estão contempladas em quatro eixos estratégicos de atuação do Instituto: educação, segurança no trânsito, desenvolvimento social e sustentabilidade ambiental/mobilidade. 

• Educar 

Um dos destaques deste eixo é o Renault Experience, que envolve universitários de diversas áreas do conhecimento como Engenharia, Design e Comunicação. O objetivo é trazer o dia a dia da indústria automobilística para os jovens que hoje estão na faculdade, mas logo estarão no mercado de trabalho. Mais de 25 mil estudantes de universidades de vários estados já participaram da iniciativa. 

O Instituto Renault desenvolve também projetos em educação infantil, fundamental e de ensino profissionalizante que contribuem para a melhoria de indicadores educacionais, principalmente na região de São José dos Pinhais. Alguns exemplos são o Centro de Educação Infantil Árvore dos Sapatos apoiado pela Renault desde 2003 e o lançamento do Centro Municipal de Educação Infantil Renault, previsto para 2013. 

• Transformar - desenvolvimento social e diversidade

O objetivo central do Instituto Renault é melhorar a qualidade de vida das comunidades locais com a criação de oportunidades de desenvolvimento pessoal, profissional, social e também de valorização da mulher. 


A atuação da empresa privilegia iniciativas e parcerias com caráter transformador e duradouro, em vez de ações puramente assistencialistas. Assim, abrem-se oportunidades para jovens que não tinham perspectivas de bons empregos, mulheres que só conheciam o trabalho doméstico e pessoas com deficiência que sentiam dificuldades para ingressar no mercado de trabalho.

A Associação Borda Viva é um forte exemplo de transformação. Parceira do Instituto Renault desde 2010, tornou-se um núcleo de desenvolvimento social para a comunidade do bairro Borda do Campo, em São José dos Pinhais (PR). Lá, crianças, jovens, mulheres e famílias são atendidas com refeições, formação profissional para a geração de renda, atividades socioeducativas e um espaço de convivência. 


Projetos como o Cozinha Comunitária, que deve se tornar autossustentável em 2013, e o Costura Escola são algumas das iniciativas. Em 2011, o Instituto Renault recebeu o Prêmio Zilda Ars em reconhecimento ao trabalho com a Associação Borda Vida.


• Proteger – Segurança no trânsito

A Renault usa seu conhecimento sobre automóveis e normas de segurança para apoiar e criar projetos que ajudem a reduzir o número de acidentes de trânsito. Uma série de ações, principalmente educativas, são estruturadas nas comunidades em que a empresa atua. 


Exemplos disso são o projeto Cine Escola Caravana, voltado para crianças de 6 a 14 anos, e parcerias do Instituto Renault com a Ecovias e o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito). Em 2013 será implementado o projeto O Trânsito & Eu, uma iniciativa para educar e conscientizar as crianças e jovens - que são pedestres, ciclistas e futuros condutores -, sobre segurança e atitudes no trânsito. O projeto já está em fase piloto em São José dos Pinhais e conta com a gestão pedagógica da PUC-PR. 

• Preservar

A Renault investe em mobilidade sustentável, educação ambiental, redução de emissões atmosféricas, reutilização de recursos como água da chuva, gestão de resíduos. A preocupação com o meio ambiente não é nova, vem desde os primeiros passos da construção de sua fábrica no país, em 1996. 


No Complexo Ayrton Senna, onde está a unidade fabril, 60% dos 2,5 milhões de metros quadrados são de mata nativa preservada. Hoje, nenhuma outra montadora no País possui uma área de preservação como essa. 
Além do trabalho de biólogos, engenheiros ambientais e químicos com a meta ambiciosa de buscar soluções para preservar a área, a parceria entre Renault e a UFPR (Universidade Federal do Paraná), monitora espécies da fauna e flora locais. 


Vale destacar também que os resultados conquistados pela Renault na redução de consumo de energia em suas fábricas no Paraná posicionaram a filial como padrão a ser atingido por outras unidades do grupo no mundo.

Projetos para o público interno
Oferecer melhor qualidade de vida ao colaborador e sua família é princípio da política de recursos humanos da Renault. Para que seus mais de seis mil colaboradores diretos cresçam profissional e humanamente, a empresa dispõe de uma série de iniciativas que foram reconhecidas publicamente em 2011 e 2012 pela revista Exame, que classificou a Renault como uma das 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil. 


Programas de formação e qualificação, de saúde e segurança do trabalho, de remuneração e benefícios, além de uma comunicação eficiente para fazer circular estratégias e novidades da empresa são prioridade.

Mulheres@Renault
Mais de 50 colaboradoras da Renault se reuniram na última sexta, dia 26, no estande da marca no Salão do Automóvel para uma visita comentada. Elas fazem parte do programa Mulheres@Renault, que também celebra dois anos de vida. 


Grupo transversal formado por colaboradores – incluindo homens – o objetivo é provocar ações e atitudes inovadoras que estimulem a atuação da mulher dentro da companhia e traga mais público feminino a todos os seus departamentos. 

Além de uma palestra sobre a importância da mulher nos negócios da montadora, as colaboradoras foram convidadas a fazer uma visita guiada pelo Salão do Automóvel com o objetivo de identificar novas tendências de mercado.


O programa faz parte da rede mundial Women@Renaut, que conta com mais de 3.300 membros e comunidades locais em 11 países. Esta rede faz parte da estratégia de responsabilidade social da empresa, que tem a promoção da diversidade em todos os setores como um dos seus componentes.

Olivier Murguet, Presidente da Renault, ressalta a importância da diversidade de gênero para a companhia. “No Brasil, um dos eixos de atuação do Instituto Renault é a diversidade, com destaque para ações que estimulam a participação feminina na empresa e na sociedade. Queremos que as mulheres participem de A a Z na vida da empresa, da operação ao board”, afirma.

Referência mundial
A estrutura que o Instituto Renault criou no Brasil tem sido referência para seus pares de outros países onde o grupo mantém a iniciativa. Aqui, além de oferecer apoio aos quatro eixos estratégicos estabelecidos, o Instituto atua também em ações esportivas e culturais para atender demandas locais. 

Outra prática exemplar instaurada no país é um sistema de inscrição virtual de projetos candidatos a investimento e parceria, o que permite uma avaliação mais justa ao criar uma escala qualitativa para enquadramento desses projetos, reduzindo a subjetividade das avaliações.

Outras informações sobre o Instituto Renault: http://www.renault.com.br/mais_renault/instituto-renault/

HYUNDAI REÚNE UM MILHAR DE TÉCNICOS DAS MAIORES COMPANHIAS DO SETOR AUTOMOTIVO PARA APRESENTAR NOVAS TECNOLOGIAS DE MOTORES E CÂMBIOS MAIS ECONÔMICOS, MAIS LEVES E MAIS EFICIENTES. A MONTADORA COREANA DEIXOU CLARO QUE ESTÁ INVESTINDO PARA LIDERAR ESSAS TECNOLOGIAS NO MUNDO


Com o objetivo de mostrar que pretende conquistar, nos próximos anos, a liderança na tecnologia de fabricação de motores, menores e mais econômicos, e de transmissões mais leves, de menores dimensões e que contribuam para menor consumo de combustível, a Hunday apresentou essas suas mais recentes descobertas na Conferência Internacional Hyundai-Kia Powertrain, de que participaram mais de 1.000 técnicos das maiores empresas mundiais do setor automotivo, entre elas, a Bosch, Continental, Delphi, Denso e Magna Powertrain.
No encontro, realizado nos dias 23 e 24 de outubro, na sua sede, na Coreia do Sul, em que tema principal foi a ‘Convergência entre Meio Ambiente, Motorizações e a Humanidade’, a Hyunday apresentou os atuais projetos em desenvolvimento no que diz respeito à tecnologia de motores, anunciando ainda as grandes linhas de desenvolvimento para o futuro.

Alinhada com a tendência mundial de redução da cilindrada das motorizações, a Hyundai tem vindo a expandir a introdução na sua gama de modelos do motor turbo a gasolina de injeção direta (T-GDI), ao mesmo tempo que confirmou o seu comprometimento em melhorar a tecnologia desses motores, desenvolvendo blocos mais pequenos e mais potentes. 

Em termos de motorizações Diesel, a Hyundai revelou que vai continuar a alargar a sua oferta com base na avançada tecnologia existente nos motores U, R e S para responder de forma mais eficaz à diversificada procura por parte dos clientes a nível mundial.

A montadora coreana deixou clara a sua intenção de tornar-se líder na tecnologia das transmissões mantendo sua determinação de desenvolver caixas de velocidades leves e de pequenas dimensões e simultaneamente altamente eficientes no consumo de combustível, política com que pretende 
oferecer motorizações adaptadas às condições dos diferentes mercados e impulsionar as suas vendas dos modelos Hyundai pelo mundo.

Nesse evento, a Hyundai exibiu os motores Kappa 1.0 TCI, Kappa 1.2 T-GDI, Gamma 1.6 T-GDI, Nu 2.0 CVVL, Theta 2.0 T-GDI, U2 1.1 WGT Diesel, Euro 6 R 2.0 Diesel e o Kappa CVT - Continuously Variable Transmission (Transmissão Contínua Variável) para evidenciar a sua avançada tecnologia de grupos propulsores.

O motor Kappa 1.0 TCI (Intercooler Turbocharger) debita 106 CV com um binário máximo de cerca de140 N.m sem sacrificar a proteção ambiental, uma vez que emite menos CO2 do que a sua versão original a gasolina. Uma variedade de soluções tecnológicas foram adotadas para maximizar a economia de combustível e o desempenho do motor Kappa 1.0 TCI, incluindo as 12 válvulas, dupla árvore de cames à cabeça (DOHC), turbocompressor e cambota descentrada. Além disso, o bloco em alumínio, o coletor de admissão e a tampa da cabeça do motor em plástico reduziu o peso total do conjunto, enquanto a estrutura de apoio do motor diminui o NVH (ruídos, vibrações e aspereza).

FORD ESTUDA A FABRICAÇÃO DE UM CAPÔ DE PLÁSTICO REFORÇADO COM FIBRA DE CARBONO QUE JÁ MOSTROU NAS EXPERIÊNCIAS BONS RESULTADOS NOS TESTES DE ATROPELAMENTO E DE CRASH. O PROTÓTIPO ESTÁ MONTADO NUM FORD FOCUS E REDUZIRÁ O PESO DO CAPÔ ATUAL, EM AÇO, EM 50%


A Ford está testando a produção de um capô de plástico reforçado com fibra de carbono, 50 por cento mais leve do que a atual peça construída em aço. Os testes iniciais desse novo capô montado num Ford Focus mostraram bons resultados quanto à rigidez e boa performance nas experiências de impacto e de atropelamento.


Utilizando plástico reforçado com fibra de carbono, material mais comummente utilizado nos carros de competição e em modelos superesportivos, este capô protótipo (não deverá ser aplicado a breve prazo nos seus automóveis) é . Além disso, o desenvolvimento alcançado no método de produção poderá permitir a sua passagem para uma linha de montagem comum. 

Apresentado durante um evento em Dusseldorf, na Alemanha, o projeto, que foi iniciado em 2010 e durará até setembro de 2013, conta com a parceria da Universidade de Aachen de Engenharia Automóvel, Henkel, Evonik, IKV (Instituto de Processamento de Plásticos), Composite Impulse e da Toho Tenax para a Hightech.NRW.


Uma das principais características da fibra de carbono é a sua resistência extraordinária. Ela, apesar de ter um terço do peso do aço consegue ser até cinco vezes mais forte e duas vezes mais rígida, do que o aço. A utilização desses novos materiais é uma das soluções para a redução do peso dos automóveis até 340 kg, prevista até final da década e, consequentemente, a redução do consumo de combustíveis e das emissões poluentes.


Os testes iniciais sugerem que os componentes em CFRP como este capô protótipo montado no Ford Focus respeitam o padrão da marca em termos de rigidez e performance em caso de impacto e de atropelamento.

A VOLVO RECEBEU UM PRÊMIO DA SOCIEDADE DE ENGENHARIA GAÚCHA PELA PRODUÇÃO DE ÔNIBUS HÍBRIDOS QUE JÁ CIRCULAM EM CURITIBA. ESSES ÔNIBUS FUNCIONAM COM MOTORES ELÉTRICO E DE COMBUSTÃO, CONSUMINDO APENAS BIODIESEL E ALÉM DA ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL POLUI MUITO POUCO O AR. OS CARIOCAS ESPERAM QUE O PREFEITO EDUARDO PAES DETERMINE QUE AS EMPRESAS DE ÔNIBUS CARIOCAS ADQUIRAM ÔNIBUS HÍBRIDOS, COM URGÊNCIA


Há notícias que embora não tenham um interesse mais amplo, à primeira vista, sua veiculação é importante, como esta divulgada pela Assessoria de Imprensa da Volvo do Brasil que anuncia o recebimento pela empresa do prêmio "Inovação em Engenharia 2012", pela produção de ônibus híbridos, que funcionam com motores elétrico e a combustão, contribuindo significativamente para a economia de consumo, no caso de diesel, e para a redução de emissões de CO2, o que significa menos poluição do ar.

O prêmio foi concedido a outras seis companhias gaúchas pela Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul, na categoria Engenharia Mecânica. O gerente da linha de urbanos da Volvo Bus Latin America, Euclides Castro, ao agradecer disse que "é uma honra para nós receber este prêmio, pois somos a única empresa de fora do Rio Grande do Sul, um estado que tem uma indústria mecânica forte”.

Os projetos das empresas premiadas foram avaliados por uma equipe técnica formada por engenheiros da Faculdade de Engenharia da PUC – RS, da Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e da Unsinos e da Faculdade de Tecnologia - Fetc. 

A Volvo iniciou a produção dos chassis híbridos no país em junho deste ano e várias unidades já estão em operação em Curitiba, a primeira cidade brasileira a adquirir veículos com esta tecnologia.
Tecnologia híbrida
O ônibus híbrido da Volvo é produzido com uma tecnologia que permite uma economia de combustível de até 35% e reduz em 90% as emissões de gases poluentes, em relação aos ônibus com tecnologia Euro 3, que estão em circulação atualmente. Outra vantagem do veículo é não emitir ruído em cerca de 30% a 40% do tempo de operação.

A solução híbrida usada nos veículos é a mais avançada já desenvolvida no mundo. Chamada de “Híbrida em Paralelo”, foi projetada para um ônibus com dois motores, um a diesel e outro elétrico, que funcionam em paralelo ou de forma independente.

O motor elétrico é utilizado para arrancar o ônibus e acelerá-lo até uma velocidade de aproximadamente 20 quilômetros por hora, e também é usado como gerador de energia durante as frenagens. O motor diesel entra em funcionamento em velocidades mais altas.

A cada vez que se acionam os freios, a energia de desaceleração é utilizada para carregar as baterias. Quando o veículo está parado, seja no trânsito, em pontos de ônibus ou em semáforos, o motor diesel fica desligado e o arranque é feito com o motor elétrico.

Rio de Janeiro precisa dos híbridos
Cidades como o Rio de Janeiro necessitam urgentemente trocar a atual frota de ônibus com motores de combustão pelos híbridos. O prefeito Eduardo Paes precisa determinar às empresas de ônibus cariocas a substituição dos ônibus a diesel que servem à cidade pelos híbridos. É importante salientar a redução significativa da emissão de CO2 no ar obtida pelos ônibus híbridos. Essas troca justifica-se ainda pelo estado ruim de muitos ônibus que circulam na cidade.


QUE OS BRASILEIROS SÃO APAIXONADOS POR CARROS, ISSO NÃO É SEGREDO PARA NINGUÉM. E EMBORA A COBIÇA SEJA PECADO (?) QUEM NÃO DESEJARIA PODER IR PARA O TRABALHO, AO SUPERMERCADO, À PRAIA, MONTADO NUM FERRARI, QUE ATINGE VELOCIDADE MÁXIMA DE 340 KM/H E VAI DE 0 A 100 KM/H, EM 3,4 SEGUNDOS, O AUTOMÓVEL MAIS COBIÇADO DO MUNDO? NO SALÃO DO AUTOMÓVEL DE SÃO PAULO, A FIAT-CHRYSLER, TEM DOIS MODELOS 458 SPIDER EXPOSTOS QUE ENCHEM OS OLHOS E PROVOCAM OS SONHOS MAIS BELOS A QUEM NÃO PODE TOCÁ-LOS...



Carro é sonho de consumo da maioria dos brasileiros. Só assim, se justifica o crescimento mensal das vendas das montadoras e diversas outras fábricas estarem construindo ou decidirem instalar suas linhas de produção no Brasil. A minha jovem professora de natação, é um exemplo disso. Há pouco, depois da aula confessou-me que comprar carro era um sonho que "consegui realizar e estou muito feliz, apesar da despesa que ele me dá". 

Eu imagino quantas pessoas, que como a Kátia, compram carros populares ou até de luxo, mas sonham em ter um Ferrari, modelo a que muito poucos - e não apenas no Brasil, mas por todo o mundo - têm acesso pelo custo elevadíssimo de qualquer desses belos e desejados bólidos construídos com preciosismo na fábrica de Maranello, na Itália.  


A Fiat-Chrysler, dona atual da marca, levou dois Ferraris 458 Spider, vermelhos, para o Salão do Automóvel de São Paulo - que estará aberto até o próximo dia 4 de novembro - que enchem os olhos e de sonhos os milhares de visitantes do certame. 

Esses e os milhões de brasileiros que um dia vibraram com as vitórias de Ayrton Senna, e derramaram lágrimas de dor quando de sua abrupta e estúpida morte, não conseguiram ver o maior piloto da história da F1, na Ferrari. 


Jean Todt, o poderoso chefe da Ferrari, jura que, em 1993, assim que assumiu o comando da equipe, acertou verbalmente a ida de Ayrton Senna para a Ferrari, assim que ele encerrasse o contrato com a Williams. Esse desejo dos brasileiros, porém, materializou-se apenas no quadro “O sonho dourado”, de Paulo Solaris, retratando Senna na Ferrari. 



Na comemoração dos 60 anos da Ferrari, em Silverstone, o sobrinho de Ayrton, Bruno Senna - que hoje corre na F1, pela  Williams, disputou e vendeu as duas provas do Ferrari Challenge - nome dado ao campeonato monomarca no qual os pilotos usam unicamente carros Ferrari F430 Challenge.

Na cobertura do Salão do Automóvel, para o Blog, dei-me ao trabalho de observar as pessoas que embevecidas olhavam os Ferraris nos tronos, cercados, ali a menos de três metros, tão perto, mas sem poderem tocá-los. 


Seus olhos denunciavam o desejo de abrirem as portas, levantar o capô, olhar o motorzão enorme, poderoso dono daquele ronco inconfundível, sentarem-se ao volante, sentir o conforto dos bancos envolventes de competição, verem de perto todos os mostradores, cujos ponteiros registram o trotar dos 570 cavalos, espremidos sob o capô, mas, que deveriam apenas, ao serem olhados, medir a alegria, a emoção de quem se acomodasse no cokpit do bólido. A estética, o estilo, as linhas, as curvas do Ferrari são hipnotizantes.

A Ferrari 458 Spider é a primeira berlinetta do mundo a contar com a arquitetura de motor posterior-central e capota rígida rebaixável. Solução adotada para o carro, de teto rígido descapotável, que se utiliza de um inovador sistema patenteado pela Ferrari. 



Para o máximo de conforto de marcha quando a capota está aberta, o 458 Spider conta com um providencial defletor de ar ― feito de vidro ―, que tem sua altura regulada eletronicamente. Isso faz com que o fluxo de ar seja melhor distribuído pelo interior do carro, permitindo que seus ocupantes possam conversar normalmente. Mesmo que ele esteja andando em velocidades superiores a 200 km/h.
O teto rígido, construído totalmente de alumínio, oferece inúmeros benefícios em relação à tradicional capota de lona. Além de diminuir seu peso em 25 quilos, o tempo da sua abertura ficou reduzido a apenas 14 segundos. Quando baixado, fica perfeitamente integrado ao desenho do carro. Foi projetado para se dobrar e se encaixar em um exíguo espaço existente atrás do compartimento do motor. 



O 458 Spider traz em sua estrutura um motor V8 com injeção direta de combustível, 4.499 cm3 de cilindrada e 570 cv de potência. Esse propulsor recebeu o prêmio internacional Engine of the Year (Motor do Ano) de 2011, que reconhece a excelência do seu desenvolvimento tecnológico no que diz respeito a dirigibilidade, desempenho, eficiência e refinamento de projeto.


Seu sistema de transmissão é constituído pelo célebre câmbio F1 de dupla embreagem e sete marchas, com mudanças feitas por intermédio de borboletas posicionadas no volante. A parte dinâmica do carro é gerenciada pelo sistema E-Diff3, que integra o controle de tração F1-Trac e o ABS de desempenho. A velocidade máxima do 458 Spider é de 320 km/h, e ele vai da imobilidade aos 100 km/h em menos de 3,4 segundos.



terça-feira, 30 de outubro de 2012

RENAULT COMEMORA A CONQUISTA DE 150 VITÓRIAS, DESDE 1979, EM GRANDES PRÊMIOS DE FÓRMULA UM, COM CARROS EQUIPADOS COM O MOTORES RENAULT. NA ATUAL TEMPORADA, SEBASTIAN VETTEL MUITO PROVAVELMENTE LEVARÁ A MARCA FRANCESA À 151ª VITÓRIA COM O MOTOR RS27

Sebastian Vettel e o Red Bull com o motor Renault que deu certo 
O piloto Sebastian Vettel, da Red Bull Racing Renault – equipada com o motor Renault RS27, fornecido pela Renault Sport F1 – divisão esportiva da Renault na Fórmula 1 –venceu o GP da Índia, assegurando sua quarta vitória consecutiva e se consolidando na liderança do Campeonato Mundial de Pilotos, abrindo 13 pontos de vantagem em relação ao segundo colocado (Fernando Alonso - Ferrari).

Vettel mais uma vez no alto do pódio, à esq., Alonso, e à direita seu companheiro de equipe Mark Webber, garantindo a dobradinha.
A vitória de Sebastian Vettel no GP da Índia – a segunda consecutiva no Circuito Internacional de Buddh – também entrou para a história vitoriosa dos motores Renault na F1, já que, essa, foi a 150ª vitória de um propulsor Renault na categoria máxima do automobilismo mundial. 

Seu companheiro de equipe, Mark Webber, completou a “dobradinha” no pódio, chegando na terceira posição. Esse resultado da Red Bull Racing Renault consolidou ainda mais a sua liderança no Mundial de Construtores. 


Após passar a maior parte da prova em segundo lugar, o australiano sofreu uma perda de potência no KERS (Kinetic Energy Recovery System - Sistema de Recuperação de Energia Cinética) e foi ultrapassado por Fernando Alonso a menos de 1,2 Km do final da corrida.

Kimi Raikkonen perde a posição para Felipe Massa e cruza a meta em sétimo lugar.

Já Kimi Raikkonen, da equipe Lotus Renault, travou uma disputa ferrenha com Felipe Massa (Ferrari). Massa chegou em sexto, terminando a corrida na sétima colocação. 



Seu companheiro de equipe, Romain Grosjean (foto acima), cruzou a linha de chegada na nona posição, seguido de Bruno Senna, da equipe Williams Renault, que obteve a 10ª posição, depois de ultrapassar Nico Rosberg nas últimas voltas. Com o resultado obtido por Senna, 50% das 10 primeiras colocações, que conquistam pontos, ficaram nas mãos dos pilotos equipados com motores Renault.


Pastor Maldonado (foto acima), também da equipe Williams Renault, terminou em 16º, depois de ter um pneu furado no início da prova, enquanto os dois carros da equipe Caterham Renault terminaram o GP da Índia, com Vitaly Petrov em 17º e Heikki Kovalainen em 18º.

Após o Grande Prêmio da Índia, a equipe Red Bull Racing Renault amplia ainda a mais a sua liderança no Campeonato Mundial de Construtores com 407 pontos, contra os 316 da  Ferrari, 2ª colocada, com 316 pontos. 


A McLaren é a terceira com 306. A equipe Lotus Renault mantém o quarto lugar, com uma vantagem confortável sobre a Mercedes. As equipes Williams Renault e Caterham Renault ocupam a 8º e a 11ª colocação, respectivamente.

150ª vitória de um motor Renault na F1




Quando o piloto Sebastian Vettel cruzou na linha de chegada do GP da Índia, na primeira colocação, escreveu mais um capítulo na história vitoriosa dos motores Renault na F1: essa foi a 150ª vitória de um prolpulsor Renault na categoria máxima do automobilismo. 

A Renault entrou para a F1 em 1977, competindo com os seus próprios monopostos, com que ganhou várias corridas, como construtora ou como fornecedora de motores. Após o início, em Silverstone, em julho de 1977, a Renault venceu pela primeira vez no GP da França, em 1979, tendo conquistado vitórias com todos os motores que desenvolveu: 1.5 l V6 turbo, V10 3.5 e 3.0 l
 e o atual V8 de 2.4 l.

“Com esta vitória, conquistamos dois importantes números em duas corridas. Após comemorarmos a 200ª pole position na Coreia, conquistamos a 150ª vitória na F1 - em pouco mais de 500 largadas, o que representa 30% de vitórias. Estamos muitos orgulhosos, pois vencemos com todos os motores que já desenvolvemos. Desde o V6 e o V10, até o V8 atual, todos tiveram sucesso e conquistaram títulos. Isso demonstra a força e o desempenho dos motores Renault, assim como, a nossa capacidade de adaptação. Mais uma vez, queremos agradecer a todas as equipes e a todos os pilotos que nos proporcionaram a oportunidade de nos destacar”, comemorou Jean-François Caubet, diretor-geral da Renault Sport F1.

Vitórias da Renault de 1979 a 2012
Vitórias por motor 
1.5 V6 Turbo: 20 vitórias
3.5 V10: 38 vitórias 
3.0 V10: 47 vitórias 
2.4 V8: 45 vitórias

Vitórias por piloto: 
Vettel: 25 vitórias 
Hill: 21 vitórias 
Alonso: 17 vitórias
Prost: 16 vitórias
Mansell: 15 vitórias
Villeneuve: 11 vitórias
Schumacher: 9 vitórias
Webber: 9 vitórias
Arnoux: 4 vitórias
Senna: 4 vitórias
Patrese: 4 vitórias
Boutsen: 3 vitórias
Jabouille: 2 vitórias
Herbert: 2 vitórias
Fisichella 2 vitórias
De Angelis: 1 vitória
Coulthard: 1 vitória
Frentzen: 1 vitória
Berger: 1 vitória
Trulli: 1 vitória
Maldonado: 1 vitória

Vitórias por equipe: 
Williams: 64 vitórias
Red Bull: 34 vitórias
Renault: 35 vitórias
Benetton: 12 vitórias
Lotus: 5 vitórias.


Senna chegou quatro vezes ao alto do pódio pilotando carros com motor Renault


segunda-feira, 29 de outubro de 2012

BMW MOTORRAD LANÇA NO SALÃO DE MOTOCICLETAS DE MILÃO UMA SÉRIE ESPECIAL DA K 1300 S, NA COMEMORAÇÃO DO 30º ANIVERSÁRIO DA SÉRIE K


Uma edição limitada e exclusiva da moto BMW Motorrad K 1300 S, comemorativa do 30º aniversário da série K, será lançada no Salão de Motocicletas de Milão - EICMA, em 2013.
Essa K 1300 S sairá em três tipos de acabamento em branco Alpino, negro Zafiro e vermelho Racing, parabrisas pintado, ajuste eletrônico de suspensão ESAII, pacote de segurança RDC e ASC, câmbio esportivo semi-automático, descanso de pés HP para piloto e passageiro, silenciador esportivo Akrapovic, punhos forrados, computador de bordo e amplo equipamenento e acessórios de alta qualidade, padrão BMW.

A primeira série K, a K 100, foi lançada em 1983, equipada com um motor de quatro cilindros em linha refrigerado a água, introduzindo uma tecnologia revolucionária para a época. 



A VOLVO CE NOMEIA O BRASILEIRO AFRÂNIO CHUEIRE PRESIDENTE PARA TODA A AMÉRICA LATINA. CHUEIRE ERA DIRETOR FINANCEIRO

Afrânio Chueire é o novo presidente da Volvo Construction Equipment Latin America. Ele substituirá Yoshio Kawakami, que ocupou este cargo por 12 anos e está deixando a empresa para se dedicar a outros projetos profissionais. 


Com 53 anos, casado, duas filhas, Chueire está na Volvo CE desde 2000, quando assumiu o cargo de CFO (Chief Financial Officer). Ele assume a presidência em 1º de novembro, e se reportará a Goran Lindgren, presidente da Volvo CE Região Américas.

Engenheiro civil graduado pela Universidade Estadual do Paraná, com MBA em finanças pela Fundação Getúlio Vargas, o novo presidente da Volvo CE tem larga experiência no setor industrial. Antes da Volvo, passou um longo período na companhia norueguesa Kvaerner. O substituto de Chueire será informado oportunamente.

Sediada em Curitiba, no Paraná, e com fábrica em Pederneiras, interior de São Paulo, a Volvo CE Latin America vem mantendo um ritmo de crescimento contínuo há 12 anos. Atualmente, a empresa é um dos principais provedores de escavadeiras e carregadeiras do Brasil.

A companhia oferece uma ampla linha de produtos de qualidade, seguros e ambientalmente eficazes. São mais de 150 modelos de equipamentos Volvo disponíveis na América Latina, de máquinas como carregadeiras de rodas, motoniveladoras, caminhões articulados, escavadeiras de esteiras, minicarregadeiras, miniescavadeiras e compactadores.

A Volvo também oferece uma diversificada gama de serviços como rental (aluguel de máquinas), treinamento de operadores, comercialização de máquinas usadas na rede de 79 distribuidores estrategicamente distribuídos pela América Latina.

FIAT ADOTA MELHORIAS NO IDEIA SEM ELEVAR O PREÇO DO MODELO. O CARRO PASSA A CONTAR COM CÂMBIO DUALOGIC PLUS.


Ter um carro com câmbio automático ou mesmo semi-automático é mais sentido nos engarrafamentos diários das horas de rush das grandes cidades, pelo conforto que proporciona no processo de para-arranca que obriga o engate e o desengate da primeira marcha dezenas de vezes.

A Fiat lançou o seu modelo Idea com câmbio Dualogic Plus nas versões Essence (foto acima) e Adventure. Essa nova tecnologia traz também duas novas funções, "Creeping" e "Auto-Up Shift Abort", que aumentam o conforto no dirigir.

A função "Creeping" proporciona manobras mais confortáveis e seguras, já que o sistema se encarrega, automaticamente, de mover lentamente o veículo, sem que o cliente aperte o acelerador, como em qualquer modelo automático convencional. Com isso, o condutor tem mais facilidade e comodidade em manobras de estacionamento e arrancadas em rampas leves.

Já a função “Auto-Up Shift Abort”, torna ainda mais inteligente, o sistema, ao ser capaz de identificar o exato momento de uma retomada de velocidade e abortar, se for o caso, a troca para uma marcha superior, mantendo a rotação do motor elevada para disponibilizar mais torque e potência.

O Fiat Idea com o novo câmbio Dualogic Plus fica ainda mais atraente para o consumidor já que mantém os preços de suas versões. Além do Idea, o novo câmbio Dualogic Plus já está disponível nos modelos Punto, Bravo e Linea.


QUEM NÃO DESEJA UM SUV COMO O PORSCHE CAYENNE GTS? SUA CARACTERÍSTICA É DE UM CARRO DE ALTO DESEMPENHO COM SEU MOTOR DE 420 CV. O VERDADEIRO ESPORTIVO NO MUNDO DOS SUVs É UM DOS 500 CARROS EXPOSTOS NO SALÃO DO AUTOMÓVEL DE SÃO PAULO.


Espaço, conforto e visibilidade de um SUV e o prazer de condução, dinâmica e agilidade de um esportivo. Esse é o novo Cayenne GTS que está exposto no estande da Porsche, no Salão do Automóvel de São Paulo, no Anhembi, até o dia 4 de novembro.



Produzida para práticas esportivas, a nova versão alia mais potência, suspensões mais rígidas e carroceria rebaixada em relação ao solo, mantendo o conforto tradicional do modelo.

Através de uma afinação muito especial, o Cayenne GTS consegue transmitir estas características, com grande intensidade, a todos os sentidos dos passageiros: puro prazer de condução.

Enquanto continuação rigorosa do conceito GTS, introduzido na linha dos SUVs pela geração anterior, o Cayenne GTS não só se situa entre o Cayenne S e o Cayenne Turbo como representa um modelo com caráter próprio, inteiramente desenvolvido para evocar emoções. 


A orientação esportiva fez de seu antecessor um modelo de sucesso: o Cayenne GTS da primeira geração teve 15.766 unidades vendidas, 17% nas vendas totais do Cayenne no período em que foi comercializado.

Os principais dados do novo modelo:
Cayenne GTS Motor V8 de 4,8 litros com 420 cv; Porsche Traction Management (PTM) com tração integral ativa; câmbio Tiptronic S de 8 velocidades; aceleração dos 0 aos 100 km/h em 5,7 segundos; velocidade máxima 261 km/h;
consumo em NEDC 9,3 km/l; CO2 251 g/km;

O caráter esportivo do novo Cayenne GTS se nota pelo comportamento dinâmico e também pelo seu exterior. Uma característica típica do Cayenne GTS é a seção
dianteira com as suas entradas de ar de refrigeração de maiores dimensões – semelhantes às do Cayenne Turbo – e a seção inferior dianteira exclusiva com entradas de ar adicionais. 

Do Cayenne Turbo provém também o grafismo de iluminação com o seu design noturno característico, reconhecível pelas luzes dianteiras nas entradas de ar exteriores, bem como pelas quatro luzes LED de circulação diurna nos faróis principais.

30 DE OUTUBRO (AMANHÃ) SERÁ O DIA DE COMBATE À ADULTERAÇÃO DE COMBUSTÍVEIS, EM ARACAJÚ. A PETROBRAS DISTRIBUIDORA REALIZA O DIA DA QUALIDADE, UMA AÇÃO DO PROGRAMA DE OLHO NO COMBUSTÍVEL, EM OITO POSTOS DE SUA BANDEIRA, NA CAPITAL DE SERGIPE


Para combater a adulteração de combustível em sua rede de postos, a Petrobras Distribuidora fará, amanhã, testes de qualidade da gasolina e do diesel vendidos em oitos postos de sua bandeira, em Aracajú. 

A operação contará com o apoio de quatro Laboratórios Móveis de Qualidade (LMQs) que operam no Programa "De Olho no Combustível", criado em 1996, com o objetivo de atestar a qualidade dos combustíveis comercializados nos postos Petrobras, em todo o Brasil.

O programa, de acordo com o diretor da Rede de Postos de Serviço da Petrobras Distribuidora,  Luiz Claudio Caseira Sanches, objetiva mostrar a importância de se combater a prática de adulteração. 

 “O monitoramento da qualidade dos combustíveis nos postos Petrobras certificados pelo programa tem permitido aos consumidores um abastecimento com segurança, minimizando os riscos de compra de combustível adulterado”, afirmou Luís Sanches.
Veja a lista dos postos Petrobras que participarão do Dia da Qualidade:

• B&P COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA – Av. Heráclito Rolemberg, 2003 – Farolândia
• POSTO PIRANEMA LTDA – Av. Melicio Machado, 545 – Atalaia
• POSTO BEL SANTA RITA LTDA – Rua Firmino Fontes, 233 – Farolândia
• POSTO CAMINHO DO MAR LTDA – Rua Poeta Mario Jorge Menezes, VI 3444 – Coroa do Meio
• LEIVAL SERV. COM. LTDA – Av. Tancredo Neves, 670 – Grageru
• SÃO PAULO VER. DE COMB. LTDA – Praça da Bandeira, 171 – Centro
• P. PRESIDENTE LTDA – Av. Francisco Porto, 1086 – Salgado Filho
• POSTO PRESIDENTE LTDA – Av. Tancredo Neves, 4930 – Jabotiana

FIAT LANÇA EXTENSOR DE CAÇAMBA PARA A PICAPE STRADA. O EQUIPAMENTO É DE GRANDE UTILIDADE PARA OS DONOS DAS STRADAS QUE PRECISEM DE MAIS ESPAÇO NA CAÇAMBA


Ampliando a área útil de carga e versatilidade da linha Strada, a Fiat apresenta no Salão do Automóvel um acessório original e inédito para as picapes da marca: um extensor de caçamba que aumenta a capacidade volumétrica do modelo em até 250 litros.


O equipamento foi desenvolvido pela Engenharia Fiat em parceria com a Rontan, empresa especializada em transformação veicular, e utiliza a própria tampa do compartimento de carga rebatida, que suporta até 50kg, como área útil para a melhor distribuição de objetos. 

A grade extensora pode ser instalada também na caçamba da Strada Adventure

Disponível para todas as versões e tipos de cabine do Fiat Strada, este acessório tem fácil instalação e manejo. Por meio de dobradiças e travas, pode ser rebatido sem grande esforço, ou mesmo retirado completamente para a acomodação e transporte de cargas diferenciadas, como uma motocicleta, por exemplo. Além disso, no modo rebatido, o acessório ainda permite a divisão da carga, possibilitando organizar e distribuir melhor a bagagem.

O equipamento segue resolução do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), possui iluminação de segurança e posição de placa suplementar.  O extensor de caçamba mantém todas as garantias de fábrica do modelo, permitindo transportar volumes maiores com segurança e conforto.



domingo, 28 de outubro de 2012

VENDAS DA AUDI CONTINUAM CRESCENDO. EM SETEMBRO O AUMENTO FOI DE 13,6%. AMERICANOS COMPRAM MAIS AUDIS DO QUE OS CHINESES

A SUV Audi Q7 é carro de polícia, na China
As vendas da Audi continuam crescendo dois dígitos: somente no mês de setembro, a empresa entregou cerca de 136.600 automóveis em todo o mundo, um aumento de 13,6%. 

Nos primeiros nove meses deste ano, cerca de 1.097.500 clientes escolheram a marca dos quatro anéis - 12,8% a mais do que no mesmo período do ano anterior. 

No mês passado, a fabricante alemã foi destaque principalmente nos Estados Unidos (+26,5%) e na China (+20,5%). Além disso, a AUDI AG mais uma vez se sobressaiu na Europa e, mesmo com as difíceis condições do mercado na região, o incremento nas vendas totalizou 7,4%, em relação à setembro de 2011.

"Em apenas nove meses chegamos a marca de um milhão de carros vendidos. Essa conquista prova que estamos no caminho certo para conquistar nossos objetivos estratégicos", comenta Luca de Meo, vide-presidente mundial de marketing e vendas da AUDI AG.

 "Temos visto nossos novos modelos se tornarem sucesso no mercado, refletindo o bom gosto dos clientes", completa de Meo.

Modelos como o A1 Sportback, o Q3 e o A6 Avant alavancaram o crescimento de 7,4% (comparado a setembro de 2011) na Europa. Com isso, a Audi manteve o seu bom desempenho no mercado alemão, registrando um saldo positivo de 3,5% nas entregas (20.712 unidades). 

No acumulado dos primeiros nove meses do ano, as vendas unitárias na Alemanha já atingiram 198.777 automóveis (+7,4%). 

O segundo maior mercado Europeu para a Audi também deu um salto em vendas no mês passado: o Reino Unido terminou setembro com 20% a mais nas vendas (22.389 unidades entregues).


Nos Estados Unidos a fabricante alemã continua batendo recordes. Em setembro, a empresa vendeu 26,5% mais veículos do que em 2011. Grande parte desse aumento é decorrente das vendas da nova geração do A4 (foto acima) e do A5, bem como da grande procura pelo Q7 (modelo que, desde setembro de 2011, foi escolhido por quase o dobro de clientes: 94,6%).

Com 100.694 veículos vendidos, esta é a primeira vez que a Audi americana ultrapassa a marca de 100.000 vendas ainda no terceiro trimestre do ano. Em 2011, esse número foi atingido somente em novembro. 

O sucesso dos modelos do segmento C e D foram os grandes responsáveis por este resultado, representando 31,3% das entregas da companhia nos Estados Unidos nestes nove meses.

Também na China, o bom desempenho foi impulsionado pela venda dos modelos SUV e de luxo da fabricante alemã. Ao todo, 35.512 veículos foram entregues em setembro, 20,5% a mais do que em 2011. 

No acumulado do ano, a Audi entregou 297.060 automóveis, representando uma taxa de crescimento de 31,4%. O modelo mais procurado pelos clientes continua sendo o A6 Longo, com de 96.100 unidades vendidas.

MARCELO COSTA É CAMPEÃO NA ÚLTIMA PROVA NO AUTÓDROMO DE JACAREPAGUÁ, JÁ COM PARTE DAS ARQUIBANCADAS DEMOLIDAS.



Único no mundo que sediou as três principais competições de velocidade – F-1, F-Indy e Mundial de Motos – o autódromo de Jacarepaguá recebeu um ponto final em sua história. 

Sob intenso calor, pilotos e dirigentes com lágrimas nos olhos e muitas lembranças, o circuito da zona oeste do Rio sediou neste domingo a rodada de encerramento do Estadual de Marcas, a última da história do autódromo que leva o nome do tricampeão de F-1 Nelson Piquet. Marcelo Costa se tornou o último campeão do Regional.

A primeira prova do dia, equivalente à 17ª etapa do Regional de Turismo, foi marcada por dois momentos que acabaram por deixar a disputa pelo título ainda mais apertada. O primeiro foi a saída de João Scalabrin, então segundo colocado, logo na segunda volta, após uma falha no sistema de frenagem que resultou na quebra do motor. 

Marcelo Costa vinha bem, atrás apenas do líder Celso Vianna, obtendo o que poderia ser o resultado do título. Entretanto, o piloto do carro 81 não contava de ter que abandonar a prova a duas voltas do final, também por falha mecânica. Vianna terminou em primeiro, seguido por Paulo Coelho em segundo e Rodrigo de Paoli em terceiro, que, com este resultado, entrou na briga pelo campeonato.

Da segunda prova do dia, correspondente à 18ª etapa, sairia o nome do último campeão do Estadual em Jacarepaguá. Devido ao problema que o tirou da prova anterior, João Scalabrin não foi além da primeira volta. 

Como apenas Marcelo Costa e Rodrigo de Paoli possuíam chances reais de título, todos os olhares se concentraram nos carros 81 e 50 do grid. Em corrida marcada pela regularidade, Costa cruzou a linha de chegada na sexta posição e comemorou a conquista do último Estadual realizado em Jacarepaguá.

“O título é a prova máxima de um ano de trabalho que deu certo”, resumiu o piloto campeão. “Mas o sentimento é uma mistura de felicidade com tristeza. Eu trocaria o título pela permanência do autódromo”, completou. 

Ao pensar no futuro do esporte no Rio, o campeão lembrou de promessas de políticos não cumpridas, em passado recente: “Há alguns anos, quando foi demolido para a construção do oval, houve a promessa de que a cidade ganharia um novo kartódromo. Mas, nada foi feito”.

Presidente da Federação de Automobilismo do Estado do Rio de Janeiro, Djalma Neves lembrou o compromisso assumido pelas três esferas de poder - municipal, estadual e federal - do Rio voltar a ter, em breve, um novo autódromo, para concluir: “a continuidade da história do automobilismo do Rio de Janeiro necessita da construção do circuito em Deodoro”.´

Veja o resultado da rodada de
encerramento do Estadual de Marcas:

17ª etapa
1º lugar – Celso Vianna – 38m01s291
2º lugar – Paulo Coelho, a 0.387
3º lugar – Rodrigo de Paoli, a 2.168
4º lugar – Chiquinho, a 2.784
5º lugar – Jorge Claudio Schuback, a 8.018

18ª etapa
1º lugar – Paulo Lanfredi Neto – 37m12s398
2º lugar – Celso Vianna, a 0.644
3º lugar – Rodrigo de Paoli, a 6.959
4º lugar – Jorge Claudio Schuback, a 7.526
5º lugar – Rafael B. Franco, a 17.624

CHEVROLET TRAILBLAZER É UMA DAS NOVIDADE ENTRE OS UTILITÁRIOS EXPOSTOS NO SALÃO DO AUTOMÓVEL DE SÃO PAULO. FABRICADO NO BRASIL, O TRAILBLAZER É UM CARRO TOTALMENTE NOVO, TEM TRÊS ANOS DE GARANTIA E DUAS OPÇÕES DE MOTOR, UMA DELAS TURBO, A DIESEL

Chevrolet Trailblazer

O utilitário esportivo oferece sete lugares e assento dobrável, para aumentar a capacidade do porta-malas, de mais de 1.800 l, e já está à venda em todo o País


“O Trailblazer é forte e capaz. Está pronto para o fora de estrada, mas é igualmente competente para cidade e viagens de longa distância. Ele já é comercializado na Tailândia e agora chega ao Brasil, produzido no complexo industrial de São José dos Campos, em São Paulo. É mais um produto Chevrolet de classe mundial que demonstra a capacidade, compromisso e a atenção aos detalhes do nosso time de engenheiros”, afirma Grace Lieblein, presidente da General Motors do Brasil.


Além do Brasil, o Trailblazer passou por diversos testes de validação na Tailândia para sintonizar o seu desempenho global e atender às condições locais, incluindo estradas abertas, estradas montanhosas e terrenos de extrema condição off-road, com capacidades de carga diferentes, para garantir que ele se comporte como um verdadeiro utilitário esportivo.


Traseira mais alta e volumosa
“Não se trata de um modelo derivado de uma picape. Começamos a desenhar o novo Trailblazer junto com a nova S10. Seus traços e sua traseira tiveram forte influência e uma importante participação no desenvolvimento da picape. São dois veículos que nasceram juntos no papel”, afirma Carlos Barba, diretor executivo do centro de design da GM América do Sul.


O Trailblazer oferece excelente espaço interno, contando com uma terceira fileira de bancos retráteis. A capacidade do porta-malas traseiro vai de 205 litros a 1.830 litros, este último com todos os bancos rebatidos. Os designers também conseguiram elevar as segunda e terceira fileiras de assentos, sem sacrificar o espaço para a cabeça, permite melhor visibilidade também para os ocupantes que vão em outros bancos.

Os assentos da terceira fila oferecem conforto e espaço, mesmo para adultos, em viagens longas e o interior tem semelhanças com o da versão LTZ da nova S10. Os comandos ficam posicionados console central, incluindo o regulador do ar-condicionado. 



As linhas e a qualidade do acabamento garantem uma aparência de luxo em todas as interfaces de controle e superfícies – cluster com computador de bordo, console central integrado a e assinatura do design Chevrolet no painel dual cockpit.

O interior do novo Trailblazer tem controle separado para o sistema de climatização do carro (ventilação, calor e ar condicionado) montado no telhado na parte traseira. O controle de ar-condicionado é separado na parte traseira e na frente, enquanto um sistema de entretenimento premium mantém o condutor e os passageiros entretido em viagens longas. 



Turbo diesel


Para o mercado brasileiro o novo Trailblazer, em versão única, LTZ, tem duas opções de motores e tração 4×2 (gasolina) e 4×4 (turbodiesel). Um, o inédito motor V6 de 3.6 litros e 239 cavalos, a gasolina e o já conhecido 2.8 Turbodiesel CTDI

“Entre as tecnologias que o 2.8 Turbodiesel CTDI tem, está o turbo de geometria continuamente variável. Ele se difere dos atuais turbos de geometria fixa por ter pás que se movimentam continuamente, tornando a captação dos gases de escape mais eficiente em qualquer rotação e eliminando o turbo lag. É a garantia de maior torque em todas as rotações, respostas mais rápidas e melhor dirigibilidade”, afirma Paulo Riedel, diretor de engenharia de Powertrain da General Motors do Brasil.


O TrailBlazer vem com transmissão automática de seis marchas, dotado do sistema Active Select, que permite o controle total da transmissão, por meio de trocas manuais, e maior esportividade. O câmbio conta com o sistema Clutch to Clutch, que proporciona mudanças suaves e extremamente rápidas e com o EC3, sistema que gerencia o travamento do conversor de torque, proporcionando menor consumo de combustível.


Luxo e sofisticação na versão LTZ
Independentemente da configuração de motor e tração, o Trailblazer chega equipado com freios ABS com EBD, controles de tração e estabilidade, ar-condicionado digital, computador de bordo, piloto automático com comandos no volante, rodas aros 18 com pneus 265/60R18, sistema premium de som, incluindo rádio double din com CD Player, MP3, Bluetooth, entrada mini-USB e entrada auxiliar, três tomadas de 12V (uma para cada fileira de bancos), entre outros itens. A  garantia, a exemplo da picape S10, é de três anos, sem limite de quilometragem.


ACESSE TODAS AS POSTAGENS E SAIBA TUDO SOBRE O MUNDO AUTOMOTIVO.