sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

FIAT UNO TURBO I.E. FAZ 20 ANOS. DEPOIS DELE VIERAM O TEMPRA TURBO E STYLE E O MAREA TURBO. HOJE, A FIAT CASA POTÊNCIA COM ECONOMIA E FABRICA MOTORES SÃO CADA VEZ MENORES E MAIS POTENTES.


Lançado em março de 1994, o primeiro carro a gasolina com motor turbo de fábrica trazia requinte, esportividade e alta potência. 

O Uno Turbo i.e, porém, não será lembrado apenas pelos seus números privilegiados de performance, mas também como o carro que iniciou a tendência downsizing, no Brasil. 



Depois dele, a Fiat concretizou o downsizing no Brasil e abriu caminho para outros modelos marcantes, como Tempra Turbo e Tempra Stile, além do Marea Turbo. 



Atualmente, a Fiat avança no downsizing com as tecnologias MultiAir, propulsores multiválvulas da família E.torQ e os esportivos Punto T-Jet e Bravo T-Jet que, com apenas 1.4 litros de cilindrada, dispõem de 152 vc.

Hoje, palavras como eficiência energética, motores pequenos e potentes, baixo consumo de combustível e fun-to-drive fazem parte do vocabulário comum. 



Mas, há 20 anos, realmente eram inovações. Inovações que vieram junto com o Uno Turbo i.e.

Equipado com um pequeno e eficiente motor de quatro cilindros, 1.4 litros e turbo-compressor, o Uno Turbo desenvolvia 118 cv, potência equivalente a motores 2.0 litros de aspiração natural da época. 


Com tamanha potência, o Uno Turbo i.e era referência no desempenho, acelerando de zero a 100 km/h em apenas 9,2 segundos e chegando a velocidade final de 195 km/h, números invejáveis até hoje. 



Com tamanha potência, houve uma revisão completa no Uno. Sua caixa de cinco marchas foi completamente revista, com novas relações, enquanto todo o sistema de suspensões e freios foram redimensionados. 



Sua carroceria era 10 mm mais baixa, os pneus traziam as dimensões de 185/60/14, montados em exclusivas rodas com 5,5 polegadas de largura e os discos de freio dianteiros eram os mesmos do Tempra, assim como os tambores traseiros.

O painel era muito completo e de fácil visualização, como em todo bom esportivo. 


Trazia dois grandes mostradores, velocímetro e contagiros, e contava também com manômetro de turbo (pressão de trabalho de 0,8 bar), temperatura de água, pressão e temperatura do óleo lubrificante. 



Como particularidade, seu estepe saiu do cofre do motor e ganhou o porta-malas, caso único em todos os Uno comercializados no Brasil.

O Uno Turbo i.e marcou uma geração de clientes que procuravam um carro pequeno, muito veloz e extremante exclusivo: ele foi fabricado somente entre 1994 e 1996. 



FAZER MARCHA A RÉ (MARCHA ATRÁS, EM PORTUGAL) OLHANDO PARA TRÁS JÁ É COISA DO PASSADO E FAZER A MANOBRA OLHANDO PARA OS RETROVISORES SE TORNA MAIS RARO COM AS CÂMERAS DE RÉ INSTALADAS NOS CARROS. AGORA A NISSAN APRESENTA NO SALÃO DE GENEBRA UM RETROVISOR INTELIGENTE COM UMA TELA DE LCD NO ESPELHO INTERNO. O TESTE SERÁ NAS PRÓXIMAS 24 HORAS DE LE MANS.


A Nissan apresentará durante o Salão de Genebra 2014, que começa no dia 6 de março, na Suíça, um retrovisor inteligente que utiliza tela de LCD no espelho tradicional com o objetivo de oferecer ampla e clara visibilidade em diversas condições. 

O primeiro modelo a receber a novidade será o bólido com motor elétrico Zeod RC, que disputará as 24 Horas de Le Mans deste ano. 

Depois, será a vez dos carros de corrida da Nismo e de modelos de produção, que começam a ser equipados a partir de 2015 com a inovação.

O espelho inteligente de LCD está montado dentro da estrutura do retrovisor tradicional, trabalhando em conjunto com uma câmera de alta resolução instalada na parte de trás do veículo. 

Dessa forma é possível visualizar claramente o que há em pontos cegos, como nas colunas C, por exemplo. 

Outra vantagem é ter visibilidade completa quando há passageiros no banco traseiro, situação que normalmente atrapalha o motorista em manobras. 

É possível escolher, por meio de um botão na parte inferior, entre o uso do espelho tradicional ou do inteligente.

A novidade também fornece imagem nítida e clara em várias condições de luz e de ambiente, incluindo chuva, neve, etc graças à alta qualidade de resolução da câmera e ao sistema de processamento de imagem no monitor LCD. 

O brilho na tela é mínimo para o motorista, mesmo durante o nascer ou pôr do sol ou quando há veículos atrás utilizando o farol alto.

Para evitar que as imagens captadas por uma câmera padrão ficassem distorcidas, a Nissan desenvolveu um equipamento de alta performance com ângulo estreito e 1.300.000 pixels, formatada especialmente para o novo sistema do retrovisor inteligente. 

Além disso, os monitores convencionais possuem uma proporção 4:3 ou 16:9, que não exibiriam adequadamente as imagens. A saída foi criar um monitor de LCD com a proporção de aproximadamente 4:1.

A Nissan tem usado historicamente suas câmeras de alto desempenho para ajudar a ampliar a visão do motorista. 

Um exemplo é o Around View Monitor, já disponível em modelos de produção em escala, que facilita as manobras de estacionamento e a visualização do que está ao redor do carro com sua imagem em 360º.


AUDI TEM NOVO EMBAIXADOR NO BRASIL, É O IATISTA ROBERTO SCHEIDT, MEDALHISTA OLÍMPICO ESTARÁ PRESENTE NOS EVENTOS ESPORTIVOS E PROMOÇÕES DA MARCA.


A Audi do Brasil acaba de eleger o iatista brasileiro Robert Scheidt para ser o embaixador da marca no País. O atleta é o maior medalhista olímpico brasileiro, ao lado do também velejador Torben Grael. 

O competidor foi medalhista na classe Laser em 1996, 2000 e 2004, e na classe Star em 2008 e 2012. Ele também foi vencedor 13 vezes em campeonatos mundiais nas categorias Laser (10) e Star (03). 

A Audi tem forte relação com o esporte em todo o mundo e acredita que a imagem de um atleta como Scheidt reforça os pilares de esportividade e tecnologia da marca.

O iatista é um dos esportistas brasileiros que mais trouxe títulos ao país, tendo obtido 225 pódios em sua carreira, desde que começou a velejar no Yatch Clube Santo Amaro. 


“Robert Scheidt é um vencedor e a Audi também. Está em nosso DNA o apoio ao esporte. Em todo o mundo investimos em esportes como futebol e automobilismo, além do iatismo, modalidades que acreditamos ter forte identificação com a marca”, afirma Jörg Hofmann, presidente e CEO da Audi do Brasil. 

No País, a relação com o iatismo começou antes da escolha de Scheidt como embaixador, com o patrocínio das equipes de vela do Yatch Clube Santo Amaro (YCSA), que prevê a criação do Audi YCSA Sailing Team, que contará com 56 jovens atletas em quatro categorias pré-olímpicas: Laser, Optimist, 29er e 420. A parceria com o Scheidt reforça o foco da marca Audi no iatismo brasileiro.

A Audi também entende que a tecnologia como fator fundamental para o sucesso em competições de vela. 

A aproximação da Audi do Brasil com o Yatch Club Santo Amaro (YCSA) é o resultado natural dessa dedicação a esportes de alta performance. O YCSA foi fundado em 1930 e seu histórico inclui dezenas de importantes títulos olímpicos, nacionais e internacionais conquistados por atletas formados pela agremiação, entre eles o novo embaixador da Audi do Brasil, Robert Scheidt.

ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL É A ORDEM NO BRASIL E ATÉ 2017 AS MONTADORAS TERÃO DE ACELERAR O PASSO DEPOIS DE PASSAREM DOIS ANOS POUCO LIGANDO PARA O PROBLEMA. ATÉ 2020, O GOVERNO ESPERA UMA REDUÇÃO ADICIONAL DE 15,4% A 18,8%


Alta Roda 

N º 773 -  25/2/14
Fernando Calmon 



CONSUMO É COISA SÉRIA

Depois de anos sem grandes preocupações em investir em economia de combustível, a indústria terá que acelerar bastante o passo para atingir metas – obrigatória e voluntárias incentivadas – do programa Inovar-Auto. 

Mesmo o objetivo compulsório de diminuir o consumo (ganho de 12% em eficiência energética) até 2017 não parece tão fácil porque refletirá a média da frota de modelos vendidos por cada fabricante. 

A Fiat que está em processo de fusão com a Chrysler, por exemplo, tem modelos como Jeep que são pesados e empurram a média para cima.

Em parte, essa negligência se deu porque o combustível ficou mais barato em termos reais (descontada a inflação). 

Quando o governo se deu conta de que os gastos com importação de gasolina estavam em curva cada vez mais ascendente, resolveu intervir. 

E estimulou um esforço até 2020 para atingir uma redução adicional: 15,4% e 18,8% com corte temporário de 1% e 2% de IPI, respectivamente. 

Caso todos os fabricantes encarem o desafio máximo, se conseguirá economia bem além de 12 bilhões de litros de gasolina, em sete anos.

Vários obstáculos precisam ser removidos, conforme se discutiu no Seminário de Eficiência Energética, da Autodata. Antônio Megale, presidente da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (que completa 30 anos de existência), lembrou que avanços em eficiência dependem também de melhora na infraestrutura viária e de controle eletrônico do tráfego (semáforos inteligentes). 

O estado de ruas e estradas implica aumento do vão livre dos carros e a consequente piora do coeficiente aerodinâmico. 

Seguir as dicas de economia de combustível em computadores de bordo exigirá adesão maior dos motoristas.

Fabricantes de pneus admitiram que todos os carros novos, até 2016, terão tecnologia de menor resistência ao rolamento. 
Podem custar até 10% mais, contudo se pagam rapidamente ao economizar combustível. 

De novo, buraqueira e lombadas atrapalham. Há limitações, por isso, em compostos de borracha e dificuldade de generalizar o uso de estepormas brasileiras são mais rígidas que europeias, estas muito vistosas, porém longe da realidade. 

Função desliga-liga o motor, por exemplo, reflete-se no ciclo europeu e aqui, não. Compressores de ar-condicionado de geometria variável poupam combustível, mas sua vantagem desaparece na captação de dados. 

Monitor de pressão de pneus igualmente atua nos números potenciais de consumo, sem receber nenhum bônus.

Apesar de admitir que, pela experiência no exterior, programas mandatórios funcionam melhor que os voluntários, o governo escalonou até 2017 a adoção de etiquetas de consumo. 
Trata-se de decisão contraditória e agravada pela falta de fiscalização. Basta ir aos salões das concessionárias: relativamente raro ver etiquetas e muito menos alguém disposto a esclarecer dúvidas dos consumidores.

RODA VIVA

DOIS lançamentos de peso estão na programação da VW este ano: a reestilização do Fox (inclusive versão CrossFox) e a picape Saveiro cabine dupla (permanecerá apenas com duas portas; duas a mais sairia muito caro). 

Previsão para primeiro e segundo semestre, respectivamente. Produção do up! 2-portas já começou e vendas, fim de março. Em seguida, câmbio automatizado.

FAMÍLIA Peugeot agora partilha controle da PSA Peugeot Citroën com chinesa Dongfeng e governo francês. 

Atuação de famílias no setor, entretanto, ainda continua bem forte. Em alguns casos, executivos do clã estão no comando direto mesmo em empresas de capital aberto. 

Entre outras BMW, Fiat, Ford, Hyundai, Suzuki, Toyota e VW (duas famílias, Porsche e Piëch).

OUTRA combinação preciosa de motor turbo (1,6 L/165 cv, mais potente que versão europeia) e hatch médio-compacto: Peugeot 308 não merece menos que isso. 

Atmosfera interna do carro é bem atraente. Suspensões, freios, direção e câmbio automático de seis marchas formam conjunto muito equilibrado. 

Só as portas, ao bater, deveriam ter sonoridade encorpada.

COSTUMA se dizer que “apenas” em quatro Estados o etanol tem preço competitivo em relação à gasolina, na maior parte do ano. São eles São Paulo, Paraná, Goiás e Mato Grosso do Sul. 

Há um pormenor esquecido: interessa saber a frota que pode usufruir. No caso, representam quase 50% (47%, em 2013) do total de veículos em circulação no País. Muda de figura.

CONDIÇÕES de concorrência levaram os bancos controlados pelos fabricantes a manter a taxa de juros quase estável (subiu de 1,25% para 1,27% ao mês), de 2012 para 2013. 

Isso apesar da disparada da taxa básica de juros (Selic). Mesmo comportamento no varejo: de 1,52% para 1,62% ao mês. Cenário deve se repetir em 2014.
____________________________________fernando@calmon.jor.br e www.twitter.com/fernandocalmon













O AUTÓDROMO VELLO CITTÀ VOLTA A RECEBER AS CORRIDAS DO CAMPEONATO MITSUBISHI LANCER CUP. AS ETAPAS DE 2014 COMEÇARÃO NO FIM DE SEMANA DE 11/12 DE ABRIL


Marcada para o início do mês de abril, a 2ª temporada da Mitsubishi Lancer Cup vem repleta de novidades. Serão sete etapas durante o ano, uma a mais do que em 2013, com a participação de dois carros na competição: o novo Lancer RS e o renovado Lancer Evo R.

"A temporada de estreia em 2013 consolidou a Mitsubishi Lancer Cup no automobilismo nacional. Para este ano, vamos crescer ainda mais, aumentando uma etapa e o número de carros no grid", comemora Corinna de Souza Ramos, diretora de projetos especiais da Mitsubishi Motors.

Depois de receber elogios dos pilotos gentlemen drives durante toda a temporada, o Lancer Evo R recebeu atualizações importantes que o deixarão ainda mais veloz e fácil de guiar na pista. Entre as principais novidades estão freios com Sport ABS e o novo acabamento do interior.

Com o Lancer Evo RS também na pista, as disputas serão ainda mais acirradas, já que mais carros estarão no grid, disputando simultaneamente a prova, que tem 25 minutos, mais duas voltas cada. 

Todas as etapas serão disputadas no moderno autódromo Velo Città, da Mitsubishi. Com 3.430 metros de extensão, recebeu no fim do ano passado a homologação da FIA, tornando-se um dos três autódromos do Brasil reconhecido pela entidade.


Apesar dos carros largarem juntos, a premiação é dividida em três categorias: Lancer Evo RS e Lancer Evo R, do primeiro ao quinto colocado, e Lancer Evo R Master, destinada a pilotos com mais de 45 anos, premiando do primeiro ao terceiro.

Primeira temporada
Na temporada 2013, o primeiro campeão foi o jovem Bruno Mesquita, que já garantiu sua vaga para as etapas deste ano. 

"Fiz meu primeiro campeonato no automobilismo com a Lancer Cup. Tenho certeza que comecei a correr em uma das melhores provas do Brasil", disse.

Com instrutores como Ingo Hoffmann e Duda Pamplona, os pilotos puderam evoluir a cada prova. 

"A qualidade dos instrutores, histórico esportivo e paciência são grandes diferenciais. Sem contar as instalações de primeiro mundo" afirma Maurício Zanella, que fez parte do grid em 2013.

A Mitsubishi Lancer Cup tem patrocínio de Petrobras, BTG, Pirelli, Armura e Columbia. Mais informações no site www.mitsubishimotors.com.br, no Facebook Mundo Mit (www.facebook.com/Mundomit) e no site do autódromo Velo Città (www.velocitta.com.br).

Lancer Cup - Sit&Drive
Seguindo o formato de sucesso utilizado em sua temporada de estreia, a Mitsubishi Lancer Cup conta com o sistema sit&drive. 

Nele, os veículos da competição são alugados para os pilotos, possuem mecânica e preparação idênticas e, durante a temporada, toda manutenção e apoio necessários são feitos pela equipe de mecânicos e engenheiros da marca dos três diamantes.

Para saber mais informações e como participar da Mitsubishi Lancer Cup, acesse o sitewww.lancercup.com.br ou envie um e-mail para lancercup@mmcb.com.br.


Calendário - Lancer Cup 2014
1ª etapa - 11 e 12 de abril
2ª etapa - 09 e 10 de maio
3ª etapa - 13 e 14 de junho
4ª etapa - 18 e 19 de julho
5ª etapa - 15 e 16 de agosto
6ª etapa - 26 e 27 de setembro
7ª etapa - 24 e 25 de outubro

Ficha Técnica - Lancer Evo R
Motor 2.0L MIVEC Turbo
Potência 306 cv
Torque 55 Kgfm
Transmissão mecânica "Close Ratio" de cinco marchas
Tração integral 4x4 com diferencial central ativo hidráulico.
Capô, portas, para choques, tampa traseira em fibra.
Para-lama dianteiro com extração de ar
Spoiler em fibra
Aerofólio traseiro em fibra de carbono
Gaiola de proteção homologada pela FIA.
Painel digital touch screen, Pro Tune® de 4.3" com: conta giros digital, shift light, medidor de força G, voltímetro, pressão de combustível, velocímetro, GPS, tempo de volta, além de outras funções
Sistema Pro Tune® de aquisição e analise de dados
Sistema de freio BREMBO com SPORT ABS
Pastilhas de freio High Performance de competição.
Pneu Pirelli® slicks 265/645-18.
Rodas liga leve Enkei®, 18" x 8,5"


Ficha Técnica - Lancer Evo RS
Motor 2.0L MIVEC Turbo
Potência 340 cv
Torque 42 Kgfm
Câmbio sequencial de seis marchas com alavanca em fibra de carbono.
Tração integral 4x4 com diferencial central ativo hidráulico.
Capô, portas, para choques, tampa traseira em fibra.
Para lama dianteiro com extração de ar
Spoiler em fibra
Aerofólio traseiro em fibra de carbono
Gaiola de proteção homologada pela FIA.
Pintura interna na cor cinza quantium
Painel completo em plástico injetado com acabamento em fibra da carbono
Painel digital touch screen, Pro Tune® de 5,6" com: conta giros digital, shift light, medidor de força G, voltímetro, pressão de combustível, velocímetro, GPS, tempo de volta além de outras funções.
Sistema Pro Tune® de aquisição e analise de dados
Amortecedores Öhlins® coil over com regulagem de bump e rebound.
Camber plate na torre dos amortecedores dianteiros.
Sistema de freio BREMBO com SPORT ABS
Pastilhas de freio High Performance de competição.
Pneu Pirelli® slicks 265/645-18.
Rodas de silício 7 = 9,5"

SALÃO DE GENEBRA DESTE ANO COMEÇA SEMANA QUE VEM.MOSTRANDO O NOVO FORD FOCUS, OS FIAT FREEMONT E PANDA CROSS, A 3ª GERAÇÃO DO AUTI TT HINDA CIVIC TYPE R E MUITOS OUTROS. TOYOTA LIDERA VENDAS MUNDIAIS, SEGUIDA DA VW E DA FORD, COM CHEVROLET NA 5ª POSIÇÃO COM A HYUNDAI NOS CALCANHARES.


Coluna nº 0914 - 28 de Fevereiro de 2014

____________________________________

Salão de Genebra, 6 a 16 de março, tem posição mercadológica bem definida para sobreviver na disputa entre a poderosa meia dúzia que se impõe ao setor: novidades europeias e pesquisas para os novos tempos com os automóveis – menores consumo, e emissões, integração com eletrônica, novos combustíveis.

Novidades
De veículos comuns, motores de ciclo Otto – combustível vaporizado e velas de ignição -, ainda tem seu lugar e serão, por tempos, maioria das vendas.

Ford Focus - No setor, é a novidade mais palpável a consumidores brasileiros, exibindo as próximas mudanças a serem aplicadas no produto feito na Argentina. 

Mudança maior, frontal, grade mais elevada, trabalho no grupo óptico, idem para o traseiro. 

Dentro, trabalho em materiais como o cromo satinado, no console, porta-luvas, para mudar, melhor operar, oferecer sensação de aconchego e refinamento. 

Mudança maior, embora culturalmente difícil ao mercado brasileiro, é a opção de um novo motor: três cilindros, 1.0, 12 válvulas, injeção direta e turbo, 123 cv e uns 15 quilos de torque. 

Este motor será produzido no Brasil, inicialmente com aspiração atmosférica, marcando o sucessor do Ka. Caixa de seis marchas, suspensão, direção e freios reacertados.

Ford Focus, refrigério nas linhas.

Freemont Cross – Tecnologia brasileira permeando a carro norte-americano. As invenções Fiat sob o rótulo Adventure aparecerão no Freemont e em outro Fiat, o Panda. 

Coisas conhecidas, decoração com grade, molduras de faróis em preto, bancos mesclando tecido e couro. 

Para o mundo, duas versões de motor: 2.0, 16v, 140 cv e 2.4, 170 cv, este tracionando as unidades enviadas ao Brasil. Tração dianteira com cinco marchas, 4x4, seis velocidades.

Audi TT – Terceira geração do esportivo TT; a configuração prática do protótipo mostrado no Salão de Detroit, o Allroad Shooting Brake – utilitário esportivo de performance. 

Da marca, a versão S, com tração total, do A1, sem sucesso no Brasil. Série especial, a RS4 Nogaro comemora 20 anos da RS2.

BMW – Série 2 Tourer, primeiro BMW de tração dianteira, concorrente de Mercedes Classe B. Outro nível, a Série 4 Grand Coupé.

Citroën C1, Peugeot 108 – Revisão estética do C1, lançamento do 108, pequenos franceses com a mesma base no pânico da sobrevivência o carro também é o Toyota Aygo. 

Da Citroën, o Cactus, nova experiência construtiva, com envolvente moldura chamada Airbump, um para-choques a meia altura.

Ferrari – Revisão no modelo Califórnia, incluindo turbo alimentador em motor V8 3,9 litros para produzir 560 cv e abundante torque em baixas rotações, dando extrema maneabilidade.

Honda Civic Type R – Cupê endemoniado, seguindo a tendência das grandes marcas. Quer chamar atenção arrancando 276 cv de um motor 2.0.

Hyundai – Crescendo em vendas e participação mundial, quer tomar posição de coragem, fazendo concorrente para os Mercedes Classe S, o
 Hyundai Genesis. V6, 3,8 litros e V8 5,0.

Lamborghini Huracan – Sucessor do Gallardo, carroceria marcada por intensiva combinação de metal e fibra de carbono, motor V10, 5,2 litros, 601 cv e pouco imagináveis 325 km/h de velocidade final.

Mercedes S-Class Coupé – Impactante versão duas portas do novo parâmetro em automóveis de luxo. Junto, versão Estate - camionete, perua, station wagon ... Ambos V8, 4,7 litros, 450 cv.

Mini - Nova plataforma, prática, maior, permitirá instigadora versão como a do Mini em 6 - 6! - portas.

Mercedes S Class, coupé. Classudo.


Renault – Tenta voltar aos tempos do Twingo, genial produto. Novo modelo, desenvolvido com a Smart, criou solução não aplicada pela Renault há quatro décadas, o motor traseiro. No caso, o tricilíndrico do Smart ForFour.

Volkswagen – Atualização e ampliação da linha Polo. Versões, motorizações e, até, CrossPolo. 

E ficará de olho no Vision C, proposta de sua marca menor, e mais atrevida em design, a Skoda. Se bem recebido pelo mercado, será co-optado.

Mercado mundial, uma olhada

Fechados os números das vendas de automóveis em 1014, a Jato Dynamics, consultoria brasileira em informações automotivas, ilumina o caminho. 

Chineses, vendendo 19 milhões mantiveram a primeira posição crescendo incríveis 18% apesar de projetados números menores, garroteados por ação antipoluição - ganhou a indústria, perdeu o mundo. 

EUA, 2º, novamente, entre sorrisos expandiu 7,6% em relação a 2012, crescimento ascendente. A crise de 2009 foi-se. 

Terceiro mercado, Japão, 5,3 milhões, estável, quarto Brasil, 3,5 milhões, queda de 1,6%; Alemanha quinto, com retração de 4,1%. Todos os BRICS tiveram queda.

Marcas
Num ranking de marcas Toyota mantém-se líder: 6,4 milhões; VW segunda 5,9 milhões; Ford terceira 5,3 milhões; Chevrolet 4,3 milhões. 

Pouco imaginável ao nosso mercado, a Nissan é a quinta mais vendida no mundo, 3,9 milhões, à frente da Hyundai, 3,7 milhões.

Sétima a Honda, colada na mesma centena de milhar. Oitava Kia 2,1 milhões; Fiat 1,7 milhões e Renault, pouco mais de milhão e seiscentos mil automóveis vendidos. 

Quando você olha a Kia, pouco mais que adolescente, superar as centenárias Fiat e Renault, com expansão garantida por exportações vê, o mundo do automóvel mudou.

Por categoria, picape mais vendido o Ford F 150. Utilitário esportivo, Honda CR-V, 8º. na lista geral. Automóvel, Ford Focus, em torno de milhão de unidades.

Roda-a-Roda

Choque – Choques na matriz Ford. Apesar do salto em 50% nas vendas, seus carros híbridos não cumprem exigências de consumo pelo governo dos EUA, e empresa dos EUA, a Paice LLC a aciona.

Desacordo - Diz, a fabricante de automóveis aplica sua tecnologia sem acertar cessão de direitos ou pagamento de royalties. 

Mesma empresa acionou a Toyota – e ganhou e está em arrepios com Kia e Hyundai pelas mesmas razões.

Cenário – Wanxiang, chinesa, com US$ 149,2M arrematou os ativos da Fisker Automotive, promissora fábrica de carros elétricos nos EUA – sem marca e logo.

Novela - Não parece questão encerrada, pois a Wanxiang comprou a 123 Systems, fornecedora das baterias, fechou a torneira, levou a cliente à falência.

Ocidentalização – Ética do método à parte - parte mafiosa, a se observar, marcham para o Ocidente. Dias antes compraram 15% da centenária e internacional Peugeot/Citroën.


Outra – Tesla, outra fabricante, capitalizada, pertencendo a Elon Musk, dono do Paypal, assustou-se com a situação da concorrente, comprou e desenvolve tecnologia para baterias, deixando de ser cliente da Panasonic.

Ampliação – Reformou antigas instalações da Nummi, ex-união GM e Toyota, mas não chegará a utilizá-las para seus carros e baterias. Novos planos tornaram-nas pequenas. Agora, diz, terá Giga fábrica.

Mercado – Incremento de vendas gerando expansão não apenas pela autonomia pretendida, 320 km, mas por custar menos, por ampliar o leque de produtos, com pequeno sedã para combater Mercedes C e BMW 3, e utilitário esportivo.

… II – Distantes, perdidos em discussões sobre o álcool ser atrelado à gasolina e esta agora importada, desconhecemos no Brasil a realidade e o crescimento da presença dos carros elétricos.

Futuro – Pacific Northwest National Laboratory, dos EUA, acelera ampliar o uso dos veículos movidos por eletricidade: desenvolveu baterias lítio-enxofre, capazes de armazenar quatro vezes mais energia – entenda-se a prática de maiores autonomia e duração.

Não deu – O GT 86, projeto Toyota de fazer esportivo usando mecânica 2.0 de Subaru, e da tração total eliminando a dianteira, não vende o esperado. 

Antes de desistir prepara versão com motor mais forte, e cancelou a opção conversível.

Claro – Um Subaru completo, tração integral, anda melhor e custa menos.


Atraso – Fábrica da JAC, em projeto na Bahia, continua presa à feitura das fundações, e assim não cumprirá o calendário do início de produção neste exercício. Apenas em 2015.

Coisa séria – Tens agradável e novo Citroën C4 Lounge 2013? Confira se o chassi tem número entre EG 500081 e EG 537375. 

Se, agende com revenda verificar o módulo de controle do freio. Nesta série, houve descalibração, exigindo muita força para frear.

Mercado – Novo Corolla chegará ao mercado na 2ª quinzena de março. Quer comprar a modelia atual? Barganhe. Dá negócio. 

Carro datado – na gíria o de modelo passado – em estoque neste ano atípico, é mico a ser esconjurado, do tipo melhor não ganhar agora para não perder depois.

Atrapalho - Fiat anunciou a apresentação do Linea 2015 - mas, em abril. Não tem problema com estoques, sinaliza o futuro, avisando a novidade para deter interessados em adquirir outras marca
.

Brincadeira – Diz a Hyundai, ampliará de cinco para seis anos a garantia de seus carros – caso o Brasil vença a Copa do Mundo, tornando-se hexacampeão. Parece brincadeira de mau gosto. Se tem qualidades por que não fazer desde já?

Novidade – Lotus mandou desenvolver moto com sua marca pelas empresas especialistas Holzer e Kodewa. Sua C-01 mantém a filosofia da marca, baixo peso e potência média. 

No caso, 210 cv vindos de motor V2, 1.195 cm3, transmissão de seis velocidades, em chassis de aço carbono e titânio. Experimentais, 100 unidades. Afim? inscreva-se em www.lotus-motorcycles.com/


O Zé, mecânico em Pirenópolis, Go, olhou e disse: “Mais feio que bater em mãe - no Dia das Mães ...”


Carnissan – Na Internet, o segundo filmete da hábil conexão proposta pela Nissan entre fabricar veículos e preparar desfile de Carnaval, seu caso com a escola de samba Salgueiro. Está em (facebook.com/nissanbrasil)

Esperança – Felipe Nasr foi contratado pela Williams como terceiro piloto e de testes. Bons patrocínios, como da Petrobrás e do Banco do Brasil permeando para a equipe, dar-lhe-ão boa visibilidade, atenção e divulgação.

Caminho – Itens importantíssimos numa atividade onde é rara a junção de capital e competência pessoal, como no caso. 

Nasr, sem o risco de elogio ao conterrâneo, é verdadeira esperança de ascensão na Fórmula 1, corolário de carreira construída por vitórias.

Derrapagem – Coluna 4813 se equivocou quando, no final de novembro antecipou a certeza da ida publicando inconfidência de familiares traçando opções para outras equipes. Errou a equipe. 

Felipe Nasr. Mais esperança.



Memória – Honda NSX 1992, ex-Ayrton Senna, segundo dono o banqueiro Antônio Carlos de Almeida Braga, não atingiu valor mínimo, US$ 125 mil – uns R$ 330 mil, em leilão no circuito inglês de Silverstone.

História – Dificuldade em nosso antigomobilismo é a falta de informação correta, lastreada. 
Grande maioria à base do soube, ouvi li, não sei onde, e por aí vai, sem rumo. 

Poucos clubes dão importância às referências, a Federação setorial filiando alguns, pouco se dá a respeito, omissa no traçar e abrir caminhos.

Descaminho – Sem pesquisas, pouco se sabe da realidade e, daí, a ignorância irresponsável, a falta de dados, e ante dúvida sobre algum item, logo rotula de “Série Especial” para explicar o que não sabe.

Sem rumo - Sem saber decupar números de registro para descobrir dados do produto, quantificar produção de modelos e versões, por total, ano ou período, na maioria das vezes usa a palpitologia baseada no desconhecimento.

Exceções – As há quanto a Malzonis e Pumas com motor Vemag; bom levantamento de Willys Executivo; dados dispersos com fontes diferentes relativamente à produção dos Willys Interlagos.

Simca - O bom sítio
www.simca.com.br, organiza cadastro e nele a listagem atingiu 474 unidades, de sucata a carros de museu. Belo trabalho. 

Tens Simca, conhece quem tem, conte ao sítio, ajude a salvar a memória da marca.

Gente – Alterações na área de relacionamento externo da General Motors. 

OOOO Aposentadorias, PDVs, demissões, transferência. 

OOOO Contratará nove recém-formados para moldá-los às funções. 

OOOO Issao Mizoguchi, engenheiro, tremenda promoção. 

OOOO 1º brasileiro a dirigir bloco de mercado da Honda, presidente da Honda South America. Mandará em tudo da marca: produção, importação, vendas de motos e automóveis. 

OOOO Dieter Zetsche, nº 1 da Mercedes, alegre. 

OOOO Resultados de vendas e lucros em automóveis, seu projeto pessoal, aumentaram seu bônus pessoal de 8,15 milhões para 8,25 milhões de Euros – uns R$ 26,5 milhões. OOOO
 ________________________________________________________________

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

MOTOCICLETAS YAMAHA COM DEFEITO NO FAROL EXIGEM RECALL NOS MODELOS YZF-R1 E XT-1200Z

Proprietários de motocicletas YZF-R1 e XT 1200Z para a substituição do subchicote do farol. Segundo a empresa, a resistência do material utilizado no terminal da lâmpada é insuficiente para aguentar a temperatura do farol e o calor pode deformar o item e superaquecer o conjunto, "causando derretimento do corpo de engate e possível falha no funcionamento do farol, com risco à condução".


Estão convocados a comparecer em uma concessionária da marca os proprietários dos modelos YZF-R1 fabricados entre 2010 e 2012 e também os produzidos em 2013 e 2014, com os seguintes chassis: JYARN26B0AA000301 até JYARN26B0AA001094 e JYARN301XEA000003 até JYARN301XEA000550.


Além disso, proprietários de motocicletas XT 1200Z, modelos de 2012 a 2014 e com chassi de JYADP02B0CA000004 até JYADP02BXEA001123, deverão fazer a substituição do material.


O Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Governo do Estado de São Paulo, informa que não há prazo limite para atendimento na campanha e que, se o consumidor tiver qualquer dificuldade para efetuar o reparo ou a substituição, deve procurar um órgão de defesa do consumidor.

O NÚMERO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO NO PAÍS, APESAR DA LEI SECA, AUMENTOU EM 2013, EM RELAÇÃO A 2012, O QUE MOSTRA NÃO SEREM OS MAIS OU MENOS BÊBADOS. É CLARO QUE A DIMINUIÇÃO DO NÚMERO DE VÍTIMAS MORTAIS TEM A VER COM EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA QUE ANTES OS CARROS NO BRASIL, FORA OS MAIS CAROS, NÃO TINHAM. O JORNALISTA ROMILDO GUERRANTE CHAMA À ATENÇÃO PARA O FATO.


Acidentes de trânsito aumentam, mas mortes diminuem

Por Romildo Guerrante


O último balanço divulgado pela Polícia Rodoviária Federal, a comparação de acidentes entre 2012/20133, incorre no mesmo erro - ou má intenção – que envolve todos os levantamentos. 

Na manchete, o Globo de 25/2 diz que houve menos mortes de lá pra cá, o que é verdade, mas atribui isso à campanha contra os “bêbados”, citando que foram presos quase 12 mil desses espécimes que apanhados com mais de 0,05 miligrama de álcool por litro de vapor nos bafômetros.

Estabeleceram uma correlação entre esses supostos “bêbados” detidos (mais de uma colher de chope) e o número menor de mortos e feridos. 

Mas o número de acidentes AUMENTOU, e eles atribuem isso, lá no finalzinho da matéria, ao crescimento vegetativo da frota. Sim, mas se houve mais acidentes, deveria ser maior o número de vítimas. Não é.

E eles não têm a honestidade de admitir que o uso mais intensivo do cinto de segurança e a renovação da frota com equipamentos que aumentam a segurança passiva (caso dos airbags e das estruturas deformantes) e também ativa (caso dos freios ABS) é que devem ser responsáveis por essa redução.

Depois, os chamados “bêbados” (assim chamados pra colocar a população a favor do álcool zero e da política caça-níqueis da Lei Seca) são responsáveis por apenas 1/6 dos acidentes. 

A maior parte dos acidentes ocorre em ultrapassagens malfeitas e por excesso de velocidade. 

Nada a ver com o álcool. Seria melhor que a Polícia Rodoviária intensificasse de fato a fiscalização nas estradas e que o Dnit fiscalizasse de fato o excesso de velocidade, tirasse de circulação os malucos (que trafegam pelo acostamento em alta velocidade e matam ambulantes todo dias) e corrigisse a falta de sinalização e os erros cavalares de geometria.

Já disse que se for apanhado em Lei Seca porque tomei uma taça de vinho no jantar, e o cara botar na ficha que eu estou embriagado ou bêbado, vou exigir exame médico para definir essa condição.

Nenhum agente desses que nós conhecemos é capaz de emitir um julgamento isento sobre essa condição, isso é função de médicos. 

Os policiais lá fora (que jamais fazem blitzes, isto é coisa de tupiniquim, jabuticaba bruta), quando param um cidadão que está dirigindo é porque suspeitam que algo está errado (trocar de faixa sistematicamente, rotina aqui no Brasil, por exemplo, é motivo para ser parado lá fora.) 

Bafômetro é o último a ser aplicado. Mandam sair do carro, conversam olho no olho (e observam os olhos), sentem o bafo, se ainda suspeitam de algo mandam andar 3m com os pés juntos, contar de trás pra frente etc. 

Só se persistirem sintomas de embriaguez (mais de 0,25 mg de álcool por litro de vapor), submetem o condutor ao bafômetro. 

Mas aqui, como existe apenas um fornecedor de bicos descartáveis de bafômetro (R$ 3 a unidade, US$ 0,25 lá fora), a ordem é aplicar geral e multar todo mundo. 

Dezoito estados já entraram nessa festa pra aumentar a arrecadação, que de tanto ser centralizada no governo federal está obrigando os demais níveis de governo a inventar taxas e multas (sem falar em grandes contratos de obras) para fazer alguma coisa que chame a atenção da população, nem que seja campanha de marketing.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

O NOVO FIAT LÍNEA CHEGA AO BRASIL EM ABRIL COM ALTERAÇÕES QUE O DEIXARAM MAIS CONFORTÁVEL E PREÇO COMPETITIVO. VAMOS AGUARDAR.


Com mudanças que o deixaram mais refinado e atraente, no início de abril está chegando ao mercado o novo Fiat Linea. 



Ele traz um novo visual externo, que o deixa mais moderno, e um interno totalmente reformulado, acentuando ainda mais o conforto e o prazer de estar a bordo do modelo.

Com os novos conceitos introduzidos para a linha 2015 do Novo Linea fica reforçada a premissa de um carro que sempre teve excelentes características de dirigibilidade, conforto e preço altamente competitivo.


CONSUMIDOR DE CARROS MINI DESDE OS ANOS DE 1960, PORTUGAL RECEBERÁ O NOVO MINI EM MEIO A UM FESTA EM QUE SE APRESENTARÃO DJS, BANDAS E DIVERSOS ARTISTAS. COM ALGUMAS ALTERAÇÕES INTERNAS O NOVO MINI CONTINUA UM CARRO DOS DESEJOS DE MUITOS. VEJA COMO PARTICIPAR DA FESTA.


O NOVO MINI chega a Portugal no fim-de-semana de 15 e 16 de março e, seguindo a tradição, a MINI vai comemorar este lançamento em ambiente de festa. 


É já no dia 8 de março que inicia esta viagem rumo ao THE NEW ORIGINAL na Sala XL do LX Factory, a partir das 22h30.

No Novo MINI, o velocímetro foi deslocado do centro do painel para trás do volante. No centro, ficou o sistema de áudio. 

Esta será a noite ideal para conhecer o NOVO MINI. O ambiente 100% MINI promete contagiar todos os presentes com a diversão e conectividade deste novo membro da família MINI. 

DJ Glue, The Voxels e The Poppers serão alguns dos artistas presentes, mas a festa contará com muitas outras surpresas e animações que irão contribuir para tornar esta MINIParty na “festa mais NOT NORMAL do ano”. 


Afinal não é todos os dias que podemos conhecer em primeira mão um original dos nossos dias.


Todos os MINIacs estão convidados, contudo será necessário um convite MINI para entrar na festa. 

Os convites estão disponíveis nos 23 Pontos da Rede Autorizada MINI (Concessionários e MINI Service) ou através do telefone 808 500 025, onde se pode pedir o seu envio para casa.

Após este passo, 
o registo poderá ser feito no site www.theneworiginal.pt, onde é também possível acessar informações mais detalhadas sobre a festa.

BMW Group
O BMW Group é o construtor premium de automóveis e motos mais bem-sucedido do mundo, com as suas marcas BMW, MINI, Motorrad e Rolls-Royce. 


Em termos globais, o BMW Group possui 28 fábricas em 14 países e uma rede global de vendas em mais de 140 países.

Em 2013, o BMW Group atingiu um volume global de vendas de aproximadamente 1.963 milhões de automóveis e de 115.215 motociclos. 

O resultado, antes de impostos, foi de 7,82 bilhões de euros, num total de 76.85 bilhões de euros de volume de negócios. Em 31 de Dezembro de 2012, a empresa empregava um total de 105.876 colaboradores.

O sucesso do BMW Group tem sido, desde sempre, construído numa ótica de longo prazo e assente numa conduta responsável. 

Desta forma, a o grupo estabeleceu a sustentabilidade ecológica e social em toda a cadeia de valores, bem como uma ampla responsabilidade de produto e um evidente empenho na conservação de recursos, como parte integrante da sua estratégia.

MAIS UMA MENTIRA DE SÉRGIO CABRAL - CONDENA, MAS DÁ SUBSÍDIOS ÀS BARCAS SA, AO METRÔ (DEFENDIDO PELA ADVOGADA PRIMEIRA DAMA DO ESTADO), SUPERVIA E OS TRÊS PRESTAM UM SERVIÇO DE PÉSSIMA QUALIDADE. ATÉ A BASE ALIADA DO GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REJEITA O SUBSÍDIO A TRANSPORTES NO ESTADO. CABRAL MOSTRA ASSIM QUE TEM UM COMPROMETIMENTO MUITO SÉRIO COM A MENTIRA E UM ENVOLVIMENTO COM CONCESSIONÁRIAS DE TRANSPORTES DE PASSAGEIROS QUE JÁ DEVIAM TER SIDO CASSADAS

Em todo o país, prefeitos e governadores, através de concessões a partidos, mantêm base aliada com maioria expressiva de cada casa, tendo como exemplo o Governo Federal. 

Nunca é demais repetir que a MP dos Portos, após meses de debate na Câmara, foi aprovada no Senado em horas, tendo o senador Cristóvam Buarque declarado: “Esta casa está de joelhos”. Mas, diante de certos absurdos, até os aliados protestam.

As 81 emendas apresentadas a projeto do governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, enviado à Assembleia Legislativa fluminense confirmam isso. Sem poder dizer não ao governador, os deputados ganham tempo. 

O projeto tenta estender o subsídio em transportes, já dado à Barcas S/A – do grupo CCR – ao Metrô – grupo Invepar, formado pela OAS e três fundos de pensão – e Supervia – da Odebrecht Transports.

Há dias, o governador havia afirmado o que toda a população sabe: tais concessionários não merecem qualquer apoio enquanto não melhorarem o serviço, mas parece ter mudado de opinião.

Nos três casos, os concessionários mantêm a frota já existente há décadas – principalmente trens e barcas – e apenas pintam os equipamentos e trocam fusíveis. Há barcas e trens operando há mais de meio século.

E, quando ocorre renovação, é com dinheiro público. O deputado Comte Bittencourt (PPS) lembrou que, após dois anos e meio, não foi feita auditoria na Barcas S/A para se saber como estão sendo usados os recursos do subsídio.

Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB) lembrou que, quando o governo de seu partido privatizou serviços públicos de transporte, a tese usada foi a de que, com isso, os particulares iriam investir seu próprio dinheiro. “Em vez de punição, maus concessionários vão ganhar prêmio”, disse Rocha.

Fonte: Monitor Mercantil/Sergio Barreto Motta

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

A FIAT LEVA PARA O SALÃO DE GENEBRA SEUS MODELOS FREEMONT E PANDA CROSS COM PACOTE AVENTUREIRO QUE INCLUI MAIS LUXO, EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA E QUE LHE DÃO APARÊNCIAS MAIS ROBUSTAS E CÂMBIO 4 X 4.


A Fiat escolheu o Salão de Genebra para fazer a estreia mundial dos modelos Freemont Cross e Panda Cross, propostas aventureiras que se posicionam no alto da gama de seus respectivos modelos. 


Eles trazem um estilo exclusivo, uma completa lista de equipamentos e o máximo bem-estar a bordo.




Novo Panda Cross
O novo Panda Cross é um aventureiro urbano ágil, fácil de manusear no tráfego da cidade, mas com o espírito e equipamentos típicos de um SUV 4x4 de categoria superior. 

O modelo traz o sistema de transmissão "Torque on demand", um equipamento que é ativado automaticamente, conforme a necessidade para que possa enfrentar situações mais difíceis. 

Também chega com ele o sistema ESC (Electronic Stability Control) completo, com função ELD (Electronic Locking Differential); que somados fornecem uma grande melhoria ao dirigir e ao arrancar em terrenos escorregadios.

Além disso, o Panda Cross também oferece um seletor para os amantes da condução off-road, que através do “Terrain Control” o motorista pode optar por três modos diferentes para utilizar o sistema AWD (All Wheel Drive), são eles:

• AUTO - Distribuição automática de torque entre os eixos, de acordo com a aderência da superfície da estrada.

• LOCK – A tração 4X4 é sempre acionada para a melhor utilização do carro em fora-de-estrada, com distribuição de torque entre as quatro rodas, frenagem das rodas com perda de aderência (ou que escorregam mais do que as outras), desse modo transferindo a força para aquelas com mais aderência.

• HILL DESCENT - Para uma performance segura em descidas íngremes, ou para descer vias extremamente irregulares o sistema ajuda no controle da velocidade.

Cada detalhe do Panda Cross foi projetado para torná-lo facilmente reconhecido, com uma linguagem estilística típica de um SUV. 

Seu novo visual traz uma para-choque que possui, com a parte inferior, a cor titânio acetinada, além de um design de orifícios que reinterpreta o tema "squircle" (quadrado com bordas circulares), característico do Panda. 

Ganchos de reboque são visíveis, em vermelho brilhante, dando ênfase ao seu caráter off-road. 

O conjunto ótico também é novo, a lateral possui alguns elementos característicos, como as caixas de rodas pronunciadas, faixa lateral com o emblema "Cross" e as novas barras de teto, que recebem também o acabamento na cor titânio acetinado. 

As rodas de liga de 15" exibem um design em V e um acabamento de metal polido. A traseira é caracterizada por um novo para-choque que recebe o design e o mesmo acabamento do dianteiro, além de ponteira de escape cromada.

O novo Panda Cross garante amplo espaço para os passageiros, a conveniência das cinco portas e um amplo espaço modular. 

O compartimento oferece acabamento em tecido exclusivo, volante e manopla de câmbio com revestimento em couro e acabamento diferenciado para o painel.

Entre seus equipamentos, o inovador City Brake Control, sistema que recebeu o prêmio "Euro NCAP Advanced 2013", que reconhece a presença de outros veículos ou obstáculos à frente do automóvel, freando automaticamente caso o condutor não consiga intervir diretamente para evitar uma colisão ou atenuar suas consequências; ativo para velocidades de até 30 km/h.

Duas versões de motor estão disponíveis, ambas com Start&Stop, a de 80 HP 1.3 MultiJet II Turbo e a diesel e 90 HP 0.9 TwinAir Turbo a gasolina, este último com transmissão de 6 velocidades, com a primeira marcha reduzida.





Novo Freemont Cross
O salão suíço também contará com a presença do novo Freemont Cross, que tem como foco o melhor equilíbrio entre funcionalidade, estilo e design. 

Ele é caracterizado por uma aparência robusta e diferenciada, graças aos para-choques dianteiro e traseiro, completamente novos, com detalhes na tonalidade Platinum Chrome, grade dianteira em preto brilhante, rodas de 19" com cinco raios e saias laterais na tonalidade também em Platinum Chrome. 

As molduras pretas dos conjuntos óticos dianteiros e traseiros conferem ao Freemont Cross uma personalidade ainda mais robusta, pronta para enfrentar qualquer estrada.

O Freemont Cross também oferece um interior exclusivo, com novos bancos em couro com inserções de tecido de malha esportiva e costura em cinza. 

Além disso, a versão conta com itens de série como o navegador por satélite Uconnect com tela de toque de 8.4", câmera de estacionamento traseira e sistema de áudio Premium Alpine, com seis alto-falantes, amplificador 368 W e subwoofer. 

O Freemont Cross conta ainda com espelhos retrovisores elétricos aquecidos e dobráveis, seis air bags, porta-copos iluminados, Keyless Entry e Keyless Go com botão de inicialização e controles de regulagem de áudio e velocidade de direção no volante.

A nova versão top de linha está disponível com o motor de 140 HP 2.0 MultiJet II com caixa de câmbio manual de 6 velocidades e tração dianteira, enquanto o motor 170 HP 2.0 MultiJet II traz a opção da versão 4×2 de câmbio manual e a versão AWD (tração nas quatro rodas) com transmissão automática de 6 velocidades.

ACESSE TODAS AS POSTAGENS E SAIBA TUDO SOBRE O MUNDO AUTOMOTIVO.