ACESSE TODAS AS POSTAGENS E SAIBA TUDO SOBRE O MUNDO AUTOMOTIVO.

sábado, 19 de agosto de 2017

Nestes tempos de vacas magras, a Ford Caminhões amplia oferta de contratos de manutenção para empresas frotistas



A Ford Caminhões introduziu em suas operações o contrato de manutenção para frotistas e tem registrado um aumento na procura por essa modalidade de serviço, que oferece mais segurança e previsibilidade na assistência técnica dos veículos. 

Com três tipos de plano, o serviço hoje já atende mais de 300 clientes de diferentes segmentos, desde coleta de resíduos e concreto a empresas de logística e redes varejistas.

O Ford Service está disponível tanto para empresas como para pessoa física, para todos os modelos de caminhões Ford Cargo e inclusive para a Série F. 

Os planos incluem desde as revisões de fábrica até serviços corretivos, que podem ser contratados para caminhões novos e usados da marca.

A extensão do plano para veículos usados foi uma novidade introduzida a pedidos dos clientes. Isso permite que, ao adquirir caminhões novos, o contrato de manutenção possa abranger também o restante da frota. Já os planos de pessoa física foram criados para atender principalmente os produtores rurais, tradicionais usuários dos caminhões Série F, que não dispõem de CNPJ.

“Uma das vantagens do Ford Service é que o frotista sabe exatamente quanto vai gastar na manutenção e tem a segurança de contar com o caminhão sempre revisado, minimizando a possibilidade de quebra e parada não programada. Ou seja, aumenta consideravelmente a produtividade da frota”, diz Paulo Carpenito, supervisor de Programas de Serviço da Ford Caminhões.


Como funciona

O serviço prevê o pagamento de um valor mensal com base na quilometragem percorrida e no custo por quilômetro definido no contrato. 

Quando for necessária a manutenção do veículo, o atendimento pode ser feito nos mais de 100 distribuidores da Rede Ford Caminhões no Brasil. 

A duração média dos contratos é de quatro anos, mas alguns chegam a oito anos, cobrindo todo o período de uso programado dos caminhões.

O contrato de manutenção Ford Service conta com três tipos de planos: manutenção preventiva (Class), manutenção preventiva mais peças de desgaste (Plus) e manutenção corretiva total (Prime).

O plano Class, de manutenção preventiva, inclui: mão de obra; filtros de ar, de óleo, de combustível e de água; óleo do motor, da caixa de mudanças e do diferencial; líquido de arrefecimento; graxas; fluidos de embreagem e de direção hidráulica. 

O plano Plus, de manutenção preventiva mais peças de desgaste, abrange também: embreagem, lonas e tambores de freio, reparo de motor de partida, bateria, lâmpadas e fusíveis.

Já o plano Prime, completo, de manutenção corretiva mais manutenção preventiva, inclui os itens anteriores mais: peças do motor, caixa de mudanças, eixos, suspensão, freio, cabine, chassi e direção, além do serviço de assistência 24 horas, S.O.S. Ford Caminhões, com socorro mecânico no local e guincho em todo o Brasil.

Linha 2018 da picape Fiat Strada é vendida com mais equipamentos e tecnologia, na versão Adventure. Racionalidade maior nas versões de trabalho Working e Hard Working. Central multimídia 6,2” Mopar de série na versão Adventure. Interior escurecido nas versões de trabalho – mais limpo por mais tempo. Os preços começam com R$ 47.250, na versão Working com cabine simples a R$ 75.490, na Adventure 1.8 cabine dupla



Sucesso de vendas e líder do seu segmento há 17 anos graças à sua versatilidade e robustez, o Fiat Strada chega renovado em sua linha 2018. 



Feita para o uso no dia-a-dia seja no trabalho, transporte de cargas, ou mesmo para a família e diversão, a nova linha da picape chega com o objetivo de atender o consumidor de uma forma ainda mais adequada aos propósitos de suas versões.

Em 2018 o Fiat Strada conta com uma configuração mais racional nas as versões Working e Hard Working, muito focada no trabalho e na utilização comercial do veículo. 

Colunas, tecido de teto, maçanetas e puxadores, forro de portas, entre outros itens foram escurecidos, dando uma aparência de mais limpo por mais tempo ao interior do carro.

Já na versão Adventure, a prioridade da linha 2018 ficou por conta da melhoria do conforto, oferecendo mais tecnologia a bordo e com a exclusiva central multimídia de 6,2 polegadas Mopar de série. 


Em todas as versões, foi alterada a localização da porta USB, que agora fica no console central, muito mais prática e mais acessível para o carregamento.

O Fiat Strada 2018 conta com seis opções de compra em sua nova gama: Working 1.4 Cabine simples, Hard Working 1.4 Cabine Simples, Hard Working 1.4 Cabine estendida (foto), Hard Working 1.4 Cabine Dupla, Adventure 1.8 Cabine Estendida e Adventure 1.8 Cabine Dupla.


Além do novo interior escurecido adequado ao trabalho e seus itens de série como computador de bordo, protetor e iluminação de caçamba, entre outros, a versão Working chega ao mercado oferecendo opcionais como protetor de cárter e grade do vidro traseiro, predisposição para rádio, rádio com a conexão USB e ar-quente.


As versões Hard Working trazem os mesmos pacotes da versão de entrada e ainda contam com a nova identificação da versão na traseira, ar-condicionado, direção hidráulica, ajuste de volante, rodas escurecidas, protetor de cárter, entre outros.


Como opcionais a versão oferece diversos itens como: capota marítima, porta-óculos, soleira das portas com inscrição “Hard Working”, faróis de neblina, vidros e travas elétricas, janelas traseiras corrediças, sensores de estacionamento traseiro, rádio Connect com CD player, USB e Bluetooth, calotas integrais e rodas de liga leve aro 14” para cabine dupla.

Nas versões topo de linha, a Adventure 1.8, o consumidor vai notar a nova central multimídia que vem com TV digital, CD/DVD player, rádio AM/FM, conexão Bluetooth, navegador GPS e câmera traseira de estacionamento, além de uma ampla gama de itens de série que contam com tudo que as versões Working e Hard Working já têm, como também contemplam diversos outros itens como bússola e inclinômetros, volante em couro com comando de rádio, capota marítima, rodas de liga leve de 16 polegadas, assim como toda a caracterização visual. Isso torna a Adventure um dos mais completos produtos de seu segmento. O único opcional é o diferencial Locker.


O consumidor poderá escolher entre 6 opções de cores, sendo três sólidas (Branco Banchisa, Vermelho Alpine e Preto Vulcano) e três metálicas (Prata Bari, Cinza Tellurium e Verde Amazon). Há ainda as cores Cinza Tellurium e Verde Amazon, exclusivas das versões Adventure.


Além dos 12 meses da garantia contratual, o consumidor poderá contratar mais 12 ou 24 meses de cobertura direto na concessionária através do MVP (Mopar Vehicle Protection), que também oferece, junto ao financiamento do veículo, o plano de revisão sob medida, podendo adquirir de duas a dez revisões. Há também a opção de extensão ou complemento dos produtos de Assistência 24 horas Confiat, que ampliam as proteções para o cliente.


Com novidades, mais versões e conteúdo de série, o Fiat Strada 2018 chega muito mais competitivo ao mercado, com ganho de tecnologia e opções para todos os gostos e bolsos.

Confira abaixo os preços das versões:


Strada Working 1.4 Cabine Simples – R$ 47.250,00

Strada Hard Working 1.4 Cabine Simples – R$ 53.490,00

Strada Hard Working 1.4 Cabine Estendida – R$ 60.240,00

Strada Hard Working 1.4 Cabine Dupla – R$ 63.740,00

Strada Adventure 1.8 Cabine Estendida – R$ 71.990,00

Strada Adventure 1.8 Cabine Dupla – R$ 75.490,00.


Mercado interno automotivo continua uma incógnita neste segundo semestre. A gangorra se mantem com vendas melhores num mês e piores em outro, mas a Anfavea acredita num aumento de 4% até 31/12, em relação a 2016. Calmon comemora hoje meio século de jornalismo automobilístico. Receba os parabéns do Blog.



Alta Roda          

Nº 954 — 19/8/17

Fernando Calmon


DEPOIS DO INVERNO



Continua difícil prever o que acontecerá nesse segundo semestre em termos de recuperação do mercado interno de veículos (automóveis e comerciais leves representam 95% do total). 

Depois da boa reação de junho, julho voltou a mostrar desaceleração no ritmo de vendas diárias. Ainda assim, é provável que no balanço final do ano o crescimento supere os 4% sobre os 12 meses de 2016, previstos pela Anfavea. 

São números descolados do aumento do PIB (soma de tudo que se produz no País) estimados em apenas 0,5% em relação ao ano passado.

Há algumas razões para isso. A primeira é o recuo de preços puxado pela baixa inflação, que deverá atingir apenas 3,5%, abaixo da meta de 4,5%. 

No caso da indústria automobilística isso ocorre de modo sutil. Além de realinhamentos de preços nominais, equipamentos agregam-se aos produtos sem mudanças nos preços sugeridos ou com acréscimos inferiores ao custo. Em termos reais, o comprador ganha, mas não é captado pelos institutos de pesquisa.

Recuo da inadimplência, em parte consequência da liberação de contas inativas do FGTS recém-concluída, refletirá em liberação de créditos para financiar automóveis neste segundo semestre. 

A taxa básica de juros (Selic) deverá recuar, no final do ano, para o nível mais baixo de sua história sem artificialismo. Ajudará a baixar juros do crédito ao consumidor.

Até o aumento de vendas diretas (frotistas, locadoras e outros) tem aspecto positivo. Mais pessoas procuram automóveis para trabalhar por meio de aplicativos de mobilidade urbana. 

Pode ocorrer um efeito negativo nas grandes cidades pela diminuição de interessados em manter carro próprio, porém nas de menor porte esse fenômeno deve demorar a surgir.

Um exemplo de que o setor automobilístico começa a se reerguer foi o 27º Congresso da Fenabrave (federação das concessionárias) realizado semana passada, em São Paulo. Além do presidente da República, nomes presidenciáveis para 2018 compareceram. 

Aos discursos de otimismo moderado com a recuperação econômica, apesar de incertezas da crise política, somaram-se anúncios de suportes à comercialização.

Um exemplo é a chegada ao Brasil da Kelley Blue Book, plataforma importante em cotações e informações on line sobre automóveis dos EUA, aqui em parceria com o site de compra e vendas iCarros. 

Por sua vez, o Itaú Unibanco anunciou ter desenvolvido uma ferramenta que “exige apenas três cliques para finalizar a simulação de compra e liberar o voucher de crédito”. 

Todo o processo pode demorar apenas 15 minutos. Segundo Rodnei Bernardino, diretor do banco, os preenchimentos de fichas cadastrais exigiam respostas a até 70 perguntas. Haja vontade de comprar um automóvel...

Já o Santander, dono do portal Webmotors, decidiu simplificar a compra e venda entre proprietários de veículos usados. 

Ampliação desse mercado facilitará a recuperação das vendas de carros novos aos primeiros sinais de volta da confiança e, por consequência, dos empregos. 

A longa série de lançamentos de modelos mais modernos e econômicos pode ser a centelha decisiva para o motor voltar a pegar depois do inverno.

RODA VIVA

Este colunista completará 50 anos de jornalismo sobre automóveis em 19 de agosto. Tudo começou em 1967 no programa “Grand Prix”, da TV Tupi, Rio de Janeiro, às 12h30. 

No banco ao lado, o parceiro Álvaro Costa Filho. Meio século de aprendizado contínuo que permanecerá enquanto leitores, ouvintes e atores desse setor assim desejarem. Obrigado a todos.

Ativa por 60 anos em São Bernardo do Campo (SP), unidade industrial de onde saía a Kombi abrigará produção do novo Polo. Foi totalmente modernizada com 373 robôs. 

Em cerimônia na fábrica, alguns Polos (só em outubro nas lojas) tinham capas na frente e na traseira. Volkswagen quer esconder pequenas mudanças estilísticas em relação ao modelo alemão.

Captur com câmbio automático CVT supre uma lacuna com motor de 1,6 litro. Respostas ao acelerador estão mais rápidas graças à redução adicional na polia de saída e possibilidade de seleção manual de seis marchas virtuais. 

Ao pisar fundo no acelerador as rotações do motor se elevam bastante e velocidade aumenta de forma lenta. Mas vai bem em acelerações progressivas.

Comboio de caminhões em estrada tende a se transformar na primeira aplicação em grande escala de condução semiautônoma. Previsão de Reynaldo Contrera, da Wabco América do Sul, fabricante de sistemas de controle veicular. 

Ganhos econômicos e, em especial, de segurança rodoviária vão estimular sua adoção relativamente rápida, inclusive no Brasil.

Ressalva: Cinco anos de garantia e três primeiras revisões gratuitas no Kwid valeram como pacote promocional de pré-venda por cerca de 50 dias (até 2 de agosto). 

Agora garantia é de três anos e apenas primeira revisão, grátis. Quem financiar pelo Banco Renault ganha os três primeiros serviços de manutenção gratuitos. A fábrica não marcou o fim dessa segunda promoção.
________________________________________________

fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

O eclipse solar que acontecerá no próximo dia 21 será o palco especial para o lançamento pela Mitsubishi do seu novo crossover Eclipse Cross. Haverá transmissão ao vivo pelas redes sociais com a presença do surfista de ondas gigantes e Atleta MIT Carlos Burle. O Eclipse Cross chegará ao Brasil em 2018 para se juntar ao ASX e ao Outlander



Um novo e moderno crossover com inspiração em um fenômeno raro e, ao mesmo tempo, encantador e fascinante, o Mitsubishi Eclipse Cross terá pré-lançamento mundialmente durante o eclipse total do Sol, na próxima segunda-feira, dia 21 de agosto.

Conheça o novo Eclipse Cross: https://youtu.be/np7SNMpHA0M


Recheado de tecnologia e o DNA 4x4 da Mitsubishi, o Eclipse Cross é um modelo que eleva o prazer da experiência de dirigir. As linhas dinâmicas do Eclipse Cross criam a mesma sensação de emoção e inspiração do efeito do anel de diamante durante um eclipse total. A cor vermelha de alta saturação foi especialmente desenvolvida para o modelo e traz referência ao brilho do halo do sol queimado por trás da lua.

O local escolhido para a apresentação mundial é a cidade de Portland, no estado americano do Oregon, primeiro local onde o eclipse total do Sol poderá ser visto. E contará com a presença do surfista de ondas gigantes e Atleta MIT Carlos Burle, que apresentará o SUV para os brasileiros.

A transmissão ao vivo no Facebook da Mitsubishi Motors (www.facebook.com/MundoMit) começa às 13h (horário de Brasília), no início do eclipse. Pouco mais de uma hora depois, às 14h17, será o ápice, com sombra total, que irá durar apenas 1min54.


O lançamento mundial do novo Mitsubishi Eclipse Cross será em 2018. Mais detalhes da vinda do carro ao Brasil serão divulgadas em breve. Ele chega para completar a linha de crossovers e SUVs da marca.

O nome Eclipse surgiu a partir de 1989 com a criação do lendário cupê esportivo de fama mundial. Agora recebe o sobrenome “Cross” que o eleva a outro patamar, tornando o veículo um SUV recheado de tecnologia e 4x4.


O eclipse solar
Há quase 100 anos os Estados Unidos não assistiam a um eclipse total do Sol que passasse de costa a costa do país.

No próximo dia 21 de agosto, a sombra da Lua projetada na Terra produzirá uma sombra de mais de 100 quilômetros, descolando-se do Oregon (noroeste) até a Carolina do Sul, que fica no outro extremo, passando por 14 estados em cerca de duas horas.

No Brasil, o fenômeno será parcial e só poderá ser visto em alguns estados das regiões Norte e Nordeste.



Para incentivar os fornecedores a venderem o Ford EcoSport e os consumidores a acreditarem no carro, a montadora realiza a partir de hoje o evento "Ecosport Week" que proporcionará a realização de test-drive em 350 concessionárias da marca em todo o País. Custa a partir de R$ 73.990. Vamos ver como se comporta o novo câmbio automático de seis marchas, que substitui a problemática transmissão Power Shift do modelo anterior



A Ford inicia hoje (18 de agosto) o evento EcoSport Week para apresentar o seu novo utilitário esportivo em mais de 350 distribuidores da marca em todo o Brasil. 

Robôs fabricam a carroceria do EcoSport, na fábrica em Camaçari

Será uma semana dedicada ao lançamento junto com um programa test-drivechamado Tecno Drive, um dos maiores já realizados pela Ford no País.


O EcoSport Week vai mobilizar toda a rede com múltiplos eventos diferenciados em cada região. O objetivo é oferecer ao público a oportunidade de conhecer o veículo que traz um novo padrão de conectividade, segurança e qualidade na categoria, com uma proposta de compra atraente no segmento – veja o vídeo do lançamento.



“Chegou a hora de os consumidores testarem tudo o que o Novo EcoSport 2018 oferece, desde o design, motores e nova transmissão automática ao novo interior com central multimídia SYNC 3 e tela flutuante de 8 polegadas”, diz Andre Leite, gerente de Produto da Ford.

O EcoSpoprt pronto na saída da linha de montagem

Para mostrar o desempenho e dirigibilidade, o Tecno Drive é uma parte importante da apresentação do produto. O inédito motor 1.5 Flex de três cilindros, com 137 cv, é um destaque: leve e econômico, garante respostas rápidas ao acelerador. 


Já a versão 2.0 Direct Flex, de 176 cv, é a mais potente da categoria. A nova transmissão automática de seis velocidades, com conversor de torque, conta com teclas para trocas manuais no volante. Aprimoramentos na carroceria e na suspensão também aumentam o conforto acústico do veículo.


Na cabine remodelada, as novidades incluem o painel de toque macio, a direção e bancos ergonômicos com descansa-braço central e o acabamento de qualidade, além do porta-malas com sistema flexível. O ar-condicionado conta com sete velocidades.


Disponível nas versões 1.5 SE e FreeStyle e 2.0 Titanium, a partir de R$ 73.990, o Novo EcoSport é o SUV compacto com o melhor conteúdo de série. 


Entre outros itens, já vem com sete airbags, controle eletrônico de estabilidade, assistente de partida em rampa, central multimídia SYNC 3 com acesso a Android Auto e Apple CarPlay, rodas de liga leve, sensor de pressão dos pneus e grade dianteira com controle ativo.

Célula de moldagem de capôs 

Na versão Titanium, topo de linha, oferece ainda  sensor de ponto cego com alerta de tráfego cruzado, sistema de acesso e partida sem chave, bancos de couro, acendimento automático dos faróis, sensor de chuva e faróis de xênon. 

Célula de produção do teto solar
O teto solar elétrico é o único opcional. Outro diferencial do Novo EcoSport é o baixo custo de posse. As revisões com preço fixo e o valor competitivo de peças e seguro destacam o veículo como opção atraente de compra.


quinta-feira, 17 de agosto de 2017

BMW Z4 Concept: Liberdade sobre quatro rodas



Munique, 18 de agosto de 2017
– O BMW Group acaba de revelar as primeiras imagens do BMW Z4 Concept. 


Dinâmico e progressivo a versão conceitual do novo Z4 desperta emoções, ostenta proporções compactas e contornos suaves, além de uma silhueta dinâmica e que abusa emocionalmente de formas atraentes. 


O estudo de design fornece algumas percepções sobre o modelo definitivo de produção do roadster, a ser apresentado no decorrer do ano que vem. 


"O BMW Z4 Concept é tudo o que podemos esperar de uma máquina completa", explica Adrian van Hooydonk, vice-presidente Sênior de Design do BMW Group. 

"Fazer com que o carro volte ao seu estado essencial, proporciona ao motorista uma experiência com todos os ingredientes de prazer pela condução com extrema fidelidade. Isto é liberdade total sobre quatro rodas", celebra o executivo. 


O protótipo da nova geração do icônico BMW Z4 será apresentado, em primeira mão, no dia 20 de agosto, durante a edição 2017 do Concurso de Elegância de Pebble Beach, na costa oeste dos Estados Unidos.


Para obter imagens em alta resolução acesse:

https://www.press.bmwgroup.com/global/photo/compilation/T0273522EN/the-bmw-concept-z4-freedom-on-four-wheels



Para mais informações sobre a BMW acesse:

www.bmw.com.br


Mercedes aposta no ajuste feito no modelo GLA para aumentar as vendas e cria o programa Mercado fala, Mercedes ouve. O mais barato 200ff Style custa R$ 158.900 e o mais caro AMG GLA 45 4Matic, R$ 359.900,com outras três versões pelo meio. Dicas para financiar seu 0 km. GM delineia plano para mercados em desenvolvimento e na pauta uma nova picape



Coluna nº 3.317 - 18 de agosto de 2017 
_________________________________________________________________________________
                                                               
Mercedes-Benz GLA

Mercedes ajusta GLA para crescer vendas

Nas modificações em sua linha de caminhões, empresa resume: As estradas falam, a Mercedes-Benz ouve. No caso dos automóveis feitos no Brasil, C e CLA, caminho assemelhado: Mercado fala, Mercedes ouve. 

Daí, para aproveitar previsão de aumento de consumo, Mercedes ajusta o GLA para crescer vendas. Automóvel feito em Iracemápolis, SP, ao lado do modelo C, sofreu pequenos ajustes em seus pontos de relevo, como o design frontal enfatizando o caráter de robustez do modelo.

Nova grade com aberturas retangulares, inspirada no GLS, maior da marca, novos para choques com tomadas para refrigeração, suspensão antes adotada na versão 250 elevou a altura livre do solo em 30 mm sugerindo visual off road. 

No grupo óptico buscou-se eficiência pela substituição dos faróis a Xenon por outros com iluminação em LEDs. Na traseira, novo para-choques, e grandes lanternas com tecnologia Stardust, aproveitada dos automóveis Classe E.
Trato interno, nova tela delgada, instrumentação com ponteiros vermelhos, itens cromados, novos botões.

Mecanicamente, mantido o motor 1.600 cm3,156 cv, 250 Nm, Flex nas versões 200. Na 250, cilindrada maior, 2.000 cm3, 211 cv, 350 Nm, e topo da linha, o AMG 45 Matic exuda 381 cv e 475 Nm, pelo motor dois litros mais potente do mundo. 

Para mantê-lo no solo, tratamento de suspensão, freios e direção pela AMG. Em todos o câmbio de duas embreagens e sete marchas.

Muita eletrônica pró-segurança: assistente de curvas; detector de sono; luzes de freio piscando em pulsos nas frenagens de emergência; sistemas Hold para facilitar saídas em subida; de pré carregamento dos freios em caso de chuva; o estacionador automático sem acionar o volante.

Já à venda. Versão com o mínimo a esperar num Mercedes é a Advance.

Quanto custa

Versão
        R$
200ffStyle
    158.900,00
200ffAdvance
    175.900,00
200ffEnduro
    203.900,00
250Sport
    232.900,00
Mercedes-AMG GLA 45 4MATIC
    359.900,00

0 Km. Qual o melhor financiamento? 
Se você quer financiar a compra de seu novo veículo leve 0 Km, uma observação da Associação de Compradores Proteste, será do seu interesse. 

Qual o melhor financiamento para o 0 KM? Talvez, após fazer contas e comparações você saberá a melhor escolha e, ante possível economia, se pode buscar produto superior. 

Um estudo de campo em praças e bancos diferentes, indicou diferenças de até R$ 4.500 nos juros de financiamentos sobre veículos ditos populares. 

A Proteste lista alguns cuidados:

Medida própria – Antes da compra, simule: quanto o custo da prestação influirá no seu orçamento? E o custo operacional, o combustível, as revisões, os impostos, seguro, estacionamentos? Que valor você pode suportar, sem sacrifícios?

Entrada maior – Quanto mais elevado o percentual pago à vista, maiores as facilidades para negociar o saldo com descontos nas parcelas. 

Se você for financiar diretamente no seu banco, sem a intermediação do concessionário, quando o valor for depositado em sua conta, pesquise e vá ao revendedor para negociar redução de preço e pagá-lo à vista.

Taxa Zero – Desconfie de tal oferta. É inexistente, e os custos com certeza estarão embutidos em algum lugar des
conhecido – como o preço sem desconto.

Confira o CET – Sigla significa Custo Efetivo Total. Despreze a informação do percentual da taxa de juros, calcule o valor da prestação em diferentes bancos. 

Pode variar muitíssimo e é a sua referência para chegar ao valor das prestações. O CET é fator fundamental para aumentar ou reduzir o custo das prestações.

Uma nova picape GM e muito mais
GM acabou de delinear novo plano para mercados em desenvolvimento – os com maior expectativa de expansão e lucros -, Índia, Sudeste Asiático, América Latina.

É projeto de sobrevivência para a GM, criando uma nova picape e muito mais. Internamente chamam-na GEM 2, indicando utilizar plataforma global para mercados emergentes, como era plano da Companhia, e a entrada da chinesa SAIC nos negócios da GM através de joint-venture, associação para atuar no mercado indiano. 

Incentivos e facilidades são oferecidos pelo governo para tornar seu mercado o terceiro do mundo em quatro anos. A GM decidira sair do país após pífia participação no mercado, e a associação permitirá produzir para exportar, em especial para México e América do Sul. Operação de valor impreciso, nele agregado o US$ 1B anunciado em 2016 para expandir a operação indiana.

Coreia será outra base de produção – exportando para EUA, Sudeste Ásia, Austrália e Paquistão. Na América Latina, o Brasil o fará para consumo interno e exportação continental.

Nova plataforma supera os projetos E-Car e Ambar, para substituir os carros de base na América Latina e a sociedade com os chineses, com produção na China e Índia busca reduzir custos, criar sinergia, economia de escala, fornecedores, e processos de marketing e pós-venda. 

Na América Latina mudará o atual leque de produtos – Prisma, Ônix, Sonic, Cobalt, Spin, um utilitário esportivo, e a novidade de um picape. A operação GM/SAIC pelo projeto GEM 2 quer vender 2M unidades/ano.

O que vem
Brasil produzirá nova picape entre a atual Montana e a linha maior, S10. Morfologia focará os participantes do novo segmento, Renault Oroch e pelo líder Fiat Toro, o mais vendido do País. 

O novo GM, com chegada prevista ao final de 2019, terá tração dianteira e opção 4x4. Dado importante, pelo projeto Brasil também fará nova família de motores de três cilindros, versões aspirada e turbo.

Roda-a-Roda



Tivoli marcará retorno SsangYong ao Brasil

De volta – Em terceira tentativa, a marca coreana SsangYong voltará ao Brasil. Desta vez, representada pela JLJ, empresa da cidade de Salto, SP, responsável pela vinda das chinesas Chery – depois assumida pela controladora – e Rely.

Breve – Atuação deverá ser divulgada, em setembro, e desta vez o leque de produtos, anteriormente dedicados a picapes e utilitários esportivo será reduzido. Iniciará com utilitário esportivo Tivoli.

Turma – 4,19 m de comprimento, motor 1,6 litro, produz 127 cv e torque de 160 Nm, câmbio manual ou automático, seis velocidades. 

Dimensões cuidadas, pouco menor ante o recém apresentado JAC T 40, Ford EcoSport... Mais um no pululante segmento de utilitários esportivos.

E? - Vendas em 2018, quando do vigor de nova regra para o setor, a Rota 2030. Por ela, o setor poderá importar sem o inexplicável ônus de 30 pontos percentuais calculados sobre o IPI.

Mercado – Sem adicional de imposto não se espere um galope de vendas de carros importados. Porta voz da Kia, maior no setor, é contido no pensar. Avalia, o primeiro ano será de suave crescimento.

Negócio – Com a assinatura de termo comercial entre a Colômbia e o Mercosul, Toyota Brasil iniciará exportar para o vizinho. 

Por enquanto, Corollas brasileiros, substituindo os automóveis exportados pelos EUA. De ora em diante, o abastecimento do mercado será feito pela Toyota do Brasil, parte do projeto da expansão regional da marca pelo continente.

Efeito Ônix – Avaliação informal quanto a conectividade ser pilar principal da liderança de vendas pelo Chevrolet Ônix instou Ford em aplicar a central multimídia SYNC3 em tela de 17 cm na linha 2017 do Fiesta Sedan. Curiosamente, Modelo 2017.

Mais – Motores Sigma L4 1,6 litro, 128 cv, transmissão mecânica de cinco velocidades ou a problemática Powershift. 

Versão de entrada SEL a R$ 66.500 inclui ar digital, direção elétrica, rodas 15” em liga leve, alarme volumétrico, sensor de ré, controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa e computador de bordo – sem o SYNC três.

Exceção – Fiat retirou motor 1,6 litro do Grand Siena e padronizou aplicação de 1,4 litro. Criou exceção: motor maior mantém-se nos carros destinados a táxi.

De volta – Mesma marca, depois de fazer razia na lista de produtos, deixando vagos e ociosos os salões dos revendedores – e estes insatisfeitos pela falta de variedade de modelos – fará experiência com o pequeno 500.

Teste – Reinicia importá-lo do México, portando pequenas mudanças nos para-choques apenas para caracterizar nova série. 

Versão básica: motor 1.4, sem  cabeçote Multi Air e sem transmissão automatizada Dualogic. Revendedores dizem, preço em torno de R$ 55 mil. Encomenda inicial é de 400 unidades para sentir mercado.

Revisão – Yamaha reedita sua motoneta NMAX 160: novas cores e itens diferenciativos como o sistema de variação na abertura de válvulas, freios a disco nas duas rodas, instrumentação digital. Preço? 11.700+ frete.
NMAX 160


Frustração – Colecionadores de Dodges estão frustrados. A maior representante midiática da marca, a futura PGR Raquel Dodge, com a visita noturna e soturna ao Presidente da República, ao repetir Joesley Batista, já começou falhando no ato e engasgando na explicação.
________________________________________________