ACESSE TODAS AS POSTAGENS E SAIBA TUDO SOBRE O MUNDO AUTOMOTIVO.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Desde o Ford T o setor automotivo teve um crescimento extraordinário, a ponto de estamos muito perto de termos carros andando pelas ruas e estradas sem o comando humano. Depois de alguns acidentes, as montadoras investiram muito para que a direção autônoma se torne uma realidade



Coluna 
MECÂNICA ONLINE® 


22 | MAIO | 2017


Mais perto da condução autônoma



Quem poderia imaginar que quando o primeiro modelo Ford T saiu da linha de produção em 1908, essas “carruagens sem cavalos” seriam capazes de se conduzirem sozinhas, melhor que qualquer humano?

Este é o principal desafio da batalha tecnológica no desenvolvimento do carro autônomo, colocando no mesmo ring os gigantes do Vale do Silício, incluindo Google, Uber e Tesla, competindo com os gigantes automotivos, de Detroit a Munique, sobre o futuro dessa viagem.

Mas, enquanto ela não começa, já estamos assistindo a ampla aplicação de sistemas de assistência ao condutor nos veículos oferecidos em nosso mercado. 


Vamos com a principal e mais recente novidade, o novíssimo BMW Série 5.

Além de um novo chassi, com centro de gravidade mais baixo e maior rigidez torcional, o modelo reduziu seu peso em cerca de 100 kg em comparação com a geração anterior, principalmente pela aplicação do alumínio, magnésio e aços de alta resistência.

Com novo sistema de Controle de velocidade de Cruzeiro Ativo (ACC) e a nova geração do sistema Auto Start/Stop, o modelo revela suas credenciais de recursos que vão tornar a condução autônoma cada vez mais perto.

Auxiliar de direção e de pista - Mantém o carro na trajetória em velocidades até 210 km/h, orientando-se tanto pelo veículo à frente como pelar marcações e faixas na pista. 

Em velocidades entre 30 e 70 km/h o sistema permite correções de rota sem as mãos no volante.

Auxílio de evasão - Sistema que ajusta a trajetória do veículo em caso de mudança brusca de direção de acordo com input do motorista ao volante. 

Além disso, ele usa sensores para detectar quanto espaço livre está disponível ao redor do carro. O sistema atua em velocidades até 160 km/h.


Aviso de Trânsito perpendicular - Utiliza sensores de radar para monitorar o tráfego em junções de difícil ângulo de visão ou quando for manobrar fora de um espaço de estacionamento localizado em um ângulo reto para a estrada.

Alerta de saída da faixa de rodagem - Avisa o motorista em caso de saída da faixa de rodagem e o auxilia a retomá-la. Atua entre 70 km/h e 210 km/h.


Aviso de colisão lateral - Condutor é avisado visualmente e através de vibrações no volante se outro veículo se aproximar muito. 

Caso o sistema detecta espaço suficiente no lado oposto, conduz o veículo neste sentido para o afastar da zona de perigo, dentro da faixa de rodagem. Atua entre 30 km/h e 210 km/h.


Active Cruise Control (ACC) - O sistema leva em conta agora as saídas das rodovias e rotatórias, além de adaptar a aceleração nessas situações. 

Além disso, ele detecta não só o veículo diretamente na frente, mas também o veículo em frente àquele no comboio. Funciona entre 0 e 210 km/h.

ConnectedDrive - Plataforma que oferece serviços conectados para os veículos BMW. Algumas das suas funcionalidades são a Chamada Inteligente de Emergência, o Concierge e a navegação com informação de trânsito em tempo real. 

O usuário ainda tem acesso ao BMW Online, que permite o acesso às contas de e-mail e o recebimento de notícias personalizadas durante o deslocamento.

BMW Connected: assistente de mobilidade pessoal que está disponível desde o final de março de 2016 na Europa, e foi lançado no Brasil no Salão do Automóvel de 2016, em novembro.

Atualmente, o foco está na oferta de serviços digitais que facilitam o planejamento de viagens e compromissos. 

Graças ao BMW Connected o usuário chega ao seu compromisso a tempo e sem stress.

O sistema aprende o padrão de mobilidade do usuário, antecipa seus destinos usuais, integra a sua agenda e seu calendário, transformando a experiência do cliente antes, durante e depois da viagem.

A partir da sua plataforma flexível, a Open Mobility Cloud, o BMW Connected processa informações na nuvem, permitindo a integração da vida digital do usuário a partir de uma série de dispositivos, o iPhone e o Apple Watch.


Apple CarPlay: O suporte ao Apple CarPlay é oferecido no novo sedã BMW Série 5 e está diretamente integrada ao ambiente do sistema do carro (telefone, incluindo seus aplicativos). 

O sistema é controlado através do Controlador iDrive ou através da operação com toque. 

BMW é o primeiro fabricante de automóvel a oferecer Apple CarPlay de forma completamente sem fio.


Head-Up Display e reconhecimento de voz: O novo Head-Up Display é 70% maior do que o antecessor e apresenta gráficos em 3D e entende frases inteiras por comando de voz.


==================================
Tarcisio Dias é profissional e técnico em Mecânica, além de Engenheiro Mecânico com habilitação em Mecatrônica e Radialista, desenvolve o site Mecânica Online® (www.mecanicaonline.com.br) que apresenta o único centro de treinamento online sobre mecânica na internet (www.cursosmecanicaonline.com.br), uma oportunidade para entender como as novas tecnologias são úteis para os automóveis cada vez mais eficientes.
Coluna Mecânica Online® - Aborda aspectos de manutenção, tecnologias e inovações mecânicas nos transportes em geral. Menção honrosa na categoria internet do 7º Prêmio SAE Brasil de Jornalismo, promovido pela Sociedade de Engenheiros da Mobilidade.
http://mecanicaonline.com.br/wordpress/category/colunistas/tarcisio_dias/

sábado, 20 de maio de 2017

JAC Motors anuncia a chegada de mais um modelo, a picape T6, maior do que as concorrentes à venda no País, multilink de última geração e capacidade de peso maior que as demais picapes.



Coluna nº 2017 - 19 de maio de 2017 
________________________________________________

JAC, picape diesel a preço menor



Março, picape JAC T6 diesel

SNS, importadora da chinesa JAC Motors, anunciou em convenção de revendedores importação de picapes T6, a partir de março de 2018. 


Terá a configuração de agrado ao mercado: cabine dupla, tração 4x2 ou 4x4, câmbio de seis velocidades à frente, e motor diesel.

Características adicionais, com 1,83m de largura e 1,81m de altura é mais espaçoso relativamente aos concorrentes; tem maior capacidade cúbica de carga ao nível das laterais da caçamba; e maior espaço para os cinco passageiros.

É atualizado ante Isuzu/GM, Ford, Nissan, Mitsubishi - e muitos chineses, e contra destes declara tal característica, assim como menor consumo de diesel.

Olhando o passado é incontestável evolução de seus modelos anteriores, cópias de Ford F 150, de GM Isuzu, e deste há notícias de ser inspirador do desenvolvimento e produção de motor próprio pela JAC. 

A configuração para o mercado brasileiro está em análise de factibilidade industrial, apesar de, na origem, o T6 ser anunciado como de resistência superior a testes de impacto, aptidão ao uso fora de estrada, e menor consumo.

Quanto a aparência e interior, atende às exigências do comprador nacional, em sua maioria utilizando-o bestamente como urbano sedã com porta-malas grande – e ocioso. 

Com dimensões maiores, supera, em porte, concorrentes do segmento médio; porta itens de segurança básicos incluindo ABS de nona geração; construção da cabine declarada como dotada de grande capacidade de absorção de impactos frontais e laterais – 4 estrelas no índice CNcap; decoração automobilística; painel com tela grande, gestora das funções e da infodiversão – navegador, rádio, tv, Bluetooth, conexão USB e Internet. Projeto foi desenvolvido pela JAC Design, com base em Turim, Itália.

JAC quer ampliar leque de produtos, mesmo com importações limitadas ao teto de 4.800 unidades anuais para toda a marca.


Ônix e seus perigosLatinNCAP, entidade plural dedicada a medir índices de segurança em veículos divulgou dado alarmante: o Ônix, líder de vendas Chevrolet, levou nota Zero em teste de impacto lateral a passageiro no banco frontal. 


Na avaliação – choque contra barreira deformável – permitiu intrusão do aríete na cabine; atingiu o peito do boneco de testes. 

E ocorreu o insólito: a porta traseira do lado impactado abriu. Para crianças o índice foi 3.

Proteste, associação de proteção ao consumidor, foi ao extremo: apoiada por assinaturas populares quer requerer ao Governo Federal determine suspender produção até a GM introduzir melhorias para evitar consequências tão danosas aos passageiros. 


E tornar os Ônix, desde o início da produção, em 2012, objeto de recall para correções – um processo mecânico muito difícil, pois a intrusão se deu por deficiência estrutural para os testes atuais, e não para os da época do projeto.

GM distribuiu nota oficial calcando no óbvio: o Ônix segue as leis do país. Adicionalmente, incluiu a desnecessária informação de seus investimentos locais, como se isto evitasse danos em acidentes.


E?
Resposta infeliz, com enorme repercussão negativa, tanto por conta do evento quanto consequência prevista ante as continuadas dificuldades da GM em seu relacionamento com os formadores de opinião. 


Mas, a fabricante, em seu comunicado, abre oportunidade a correção. 

Ao transmitir ao governo federal a responsabilidade da ocorrência de danos pessoais como resultado de legislação leniente, pode forçar um reestudo para atualização das regras legais sobre itens de segurança nos carros feitos no Brasil. 

As exigências brasileiras, leia-se sul-americanas e países emergentes, são inferiores às da comunidade europeia e EUA. 

Alega o Proteste, o Ônix não seria aprovado por regulamento das Nações Unidas, a UN95, nem pela norma federal norte-americana.

Outro resultado positivo pode advir de tal situação: reparar se nos próximos meses suas vendas cairão. 

Se isto ocorrer, será demonstração de mudança comportamental dos consumidores, há pouco tempo ainda optando por estofamento de couro ou som incrementado em lugar do então opcional ABS e air bags. 

Nesta época de Deputados querendo mostrar serviço para remover a nódoa geral sobre a classe política, baixar legislação atualizadora em segurança pode ser uma das consequências positivas.

No teste o aríete invade a cabine do Ônix e a porta traseira se abre


Roda-a-Roda


Expansão – PSA – Peugeot Citroën assinou acordo com a SC Uzavtosanoat, empresa do Uzbequistão para produzir comerciais leves. 

Coisa pouca, 16 mil unidades, em 2019, para mercado doméstico e exportações. 

Negócio típico de implantação: PSA entra com planos, projetos, cessões e gestão. Sócio com capital, país com incentivos e a regra de 50% de conteúdo local.

Amplo – Argo, próximo lançamento Fiat, para cumprir objetivo de conquistar clientes em várias faixas de preço, terá motores 1.0 3-cilindros – transmissão mecânica 5 marchas; 1.3 4-cilindros – transmissão automatizada GSR 5 marchas; e 1,8 litro EtorQ VIS com 139 cv e câmbio automático 6 marchas.


Enfim – Citroën iniciará vender em junho seus modelos C3 e Aircross com ótima combinação mecânica: motor 1,6 litro com transmissão automática de 6 marchas. 


Além de conforto, troca da antiga caixa automática com 4 marchas pelo sistema mais novo, oferece mais dinamismo e menor consumo,

Aqui – Leitor da Coluna sabia. Leu aqui há duas semanas o início das vendas de tal conjunto na Argentina e a óbvia comercialização no Brasil.


Olho... – Johannes Roscheck, novo presidente da Audi, fará périplo pelo País: conhecer a operação dos revendedores, de serviços a atendimento e vendas.


... do dono - Quer entender baixa performance, em especial quanto aos modelos de maior preço em seu processo de melhorar o rendimento da marca,


P’ra fora – Vendas domésticas em queda, fabricantes de veículos e auto-peças buscam clientes de fora do País. 


Volkswagen e Fiat focam ampliar na América Latina, com diretorias específicas. Zen, catarinense de impulsores de partida e polias de roda livre, expôs na Automechanika, em Dubai. Quer o mundo.

Motores – VW Brasil acertou-se com similar mexicana – e exportará 250.000 motores 1.4 TSI – turbo injeção direta -, até 2020. 


Em alguns produtos, viagem ociosa: VW mandará o motor e importará o carro por ele tracionado.

P’ra dentro – Varejo de venda de veículos mostrou índice positivo: média diária de vendas em 8.700 veículos superou abril de 2016 e março de 2017. 


Contra varejo não há argumentos. Índices poderiam indicar o fim da queda. Nas condições atuais qualquer aposta é nula.

Solução – Inspeção Veicular, necessidade premente para depurar a frota usada a partir de itens inseguros, não consegue ser implantada no Brasil, apesar de definida pelo Denatran, órgão regrador. 


Seu funcionamento em muito melhoraria o trânsito, reduziria acidentes e seus custos, diminuiria emissões poluentes, fomentaria venda de veículos novos.

E? - Política ou baixa política, fato é não consegue ser tornada obrigatória, pois talvez os números ofusquem o bom senso. 


Multiplique os incontáveis milhões de clientes obrigatórios pelo valor de inspeção, e terá quantia provocadora.

Caminho – Pode ser seja resolvida por outra via. Nas discussões do Rota 2030, o programa industrial para a indústria automobilistica tocado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio Exterior e Serviços, a inspeção e sua função de assepcia rodoviária está presente como programa de governo.


De fora – Simpósio de Eficiência Energética, Emissões e Combustíveis, pela AEA, Associação Brasileira da Engenharia Automotiva, 7 de junho, colocou o Rota 2030 em pauta. 


Tema é Inovação, Sustentabilidade e Impactos na Sociedade, e especialistas nacionais e estrangeiros somarão conhecimentos e esperanças quanto à implantação da Inspeção Veicular.

Semelhança – Como são assemelhadas as posturas do presidente Donald Trump, dos EUA, e do ex-Lula da Silva no Brasil. 


Tratam o país como se fosse propriedade privada, atropelam as regras com postura pessoal, se dizem perseguidos, especialmente pela imprensa. 

Lá,  sedimenta caminho para um pedido de impeachment. Aqui, tudo indica, prisão.

Opção – Em cores para veículos, encerrada a ditadura do Preto e Prata, o mandão Branco já foi superado. 


Moda geral agora é o cinza, em cabelos, decoração de ambientes e carros. 

É a mais vendida entre os Ford europeus e deve ter destaque no novo EcoSport.

Origem – Surgido na Índia como carro para países emergentes, e no Continente fabricado pela Toyota no Brasil, o Etios usa motores de 1,3 e 1,5 litro. É correto em pretensões – e manso de comportamento.


Tempero - Inquietos irmãos Alejandro e Marcos Galanti, pilotos de rallye, convenceram Toyota del Paraguay fazer o Etios mais rápido do mundo e competir na Categoria Rallye 5. A francesa AD Competition fez.


Futuro - Ajeitou a mecânica, aplicou motor 1.8 do cupê Celica, extremamente desenvolvido, gerando 315 cv. Atingiram o objetivo. 


Toyota não o fará, mas a aventura paraguaia exibe casamento factível em ponto menor, Etios com motor Corolla. Seria o up! TSI da Toyota.

Etios veloz. Receita pronta




Constatação – Esportivos de ponta são normalmente carros infelizes. Pouco usados, largados em garagens, óleos se degradam, pneus se deformam. 


Anos depois, vendidos como brinquedo envelhecido, no usual registram baixíssima quilometragem, e motores com pouca saúde.

Insólito – Revista inglesa Autocar localizou exceção, Lamborghini Murciélago, 2009, 420 mil km (!) de uso sofrido em locadora de esportivos. 


Sob motoristas buscando sensações, embreagem dura 30 mil km; pneus, um mês. Talvez o Lambo mais rodado no mundo, mecânica está surpreendentemente sadia.

Gente – Giancarlo Annoni, 82, engenheiro, agora Cavaliere – Mérito do Trabalho -, na Itália. 


OOOO Foi o último engenheiro da Alfa Romeo residente no Brasil, no desenvolvimento e produção do AR 2300.

OOOO Fernão Silveira, ex Dow Chemical, novo cep. 

OOOO Diretor de Relações Corporativas na Ford. 

OOOO Aposta ousada: implantar relacionamento com novos públicos, distantes do automóvel. OOOO

up!. Mantém a liderança tecnológica no segmento



Novo up! surpreende
Mais conectado, tecnológico e esportivo: com novo design, novo painel e sistema de som Composition Phone, permitindo conectar o veículo ao smartphone


Assim, é o VW novo up!, revolucionário em segurança, eficiência energética e design no Brasil.

Linha 2018 exibe a nova linguagem global de estilo da Volkswagen, jovial e esportiva, e traz tecnologias e equipamentos inéditos no segmento, apenas empregados em veículos de maior porte e preço. 


Faróis de neblina com luz de conversão estática (cornering light), sensores de chuva e de luminosidade (crepuscular), suporte para celular, e o aplicativo exclusivo “maps + more” desenvolvido pela Volkswagen possibilita monitorar as principais funções do veículo por meio do Smartphone.


Marca a modelia 2018 painel totalmente novo: do instrumento combinado maior e o acabamento refinado ao volante multifuncional de estilo global e a iluminação de ambiente (recurso inédito na categoria). Na prática um interior mais refinado.


Mantendo a vanguarda técnica oferece duas opções de motorização 1.0 de três cilindros: a MPI de até 82 cv (câmbio manual de cinco marchas ou transmissão automatizada I-Motion) e a TSI de até 105 cv (câmbio manual de cinco marchas).
____________________________________edita@rnasser.com.br


Harley-Davidson é a marca de motocicletas mais amada do Brasil em 2017. Pelo segundo ano consecutivo, a companhia é a grande campeã na categoria Motos, e também top 10 no ranking geral composto por empresas de diferentes segmentos de mercado, segundo estudo idealizado pelo Centro de Inteligência Padrão





Mais uma vez, a Harley-Davidson do Brasil é eleita como a marca mais amada do Brasil na categoria Motos, entre todas as montadoras de motocicletas estabelecidas no País. 

Segundo o estudo realizado pelo Centro de Inteligência Padrão e produzido pela Officina Sophia, a H-D é top 10 no ranking geral das marcas mais amadas pelos brasileiros.

Por meio de uma pesquisa de amostragem aplicada em fevereiro, foram realizadas mais de 1.500 entrevistas em todas as regiões do País. 

A avaliação considerou as classes socioeconômicas A, B e C e foi composta por homens e mulheres, entre 18 a 59 anos.


Segundo a metodologia de inteligência adotada na pesquisa, o amor pelas marcas foi avaliado levando em consideração uma escala de 0 a 10, sendo 10 o nível máximo de admiração a uma marca, com peso dois, enquanto qualquer outra nota tinha peso um. 

Este ano, para chegar às médias finais no índice que vai de 0 a 200, o estudo considerou apenas as avaliações de pessoas que já conheciam cada empresa.

A pesquisa também apontou que as marcas premium voltaram a crescer entre as mais amadas, depois de registrar o mais baixo índice médio de pontos, em 2016. 


Já em 2017, 47% das 20 marcas mais admiradas fazem parte deste nicho específico, com pontuação média de 97.

Segundo o Centro de Inteligência Padrão, foram consideradas cinco dimensões para a realização da pesquisa. 

São elas “qualidade do produto”, “identidade aspiracional” (o que a marca ajuda a pessoa a ser quem ela gostaria), “humana”, que é a capacidade de humanização da marca (ética e respeito com os seus funcionários e clientes), “conexão emocional do indivíduo com a marca”, se ela desperta desperta desejo e satisfação e “feita para mim”, ou seja, se ela supera as expectativas, atende às necessidades e ainda gera conforto.


“Ao contrário do resultado constatado da edição anterior do estudo, que apontou o crescimento das marcas de luxo entre as mais amadas, este ano nós podemos observar a melhora da qualidade de produtos nacionais e, consequentemente, uma maior procura por estas marcas”, explica o idealizador do estudo e especialista internacional em relações de consumo e varejo, Roberto Meir.

Em seus 114 anos de história, a Harley-Davidson tornou-se muito mais do que uma fabricante de motocicletas. 


Hoje, a marca é uma lenda do motociclismo e sinônimo de um estilo de vida único, disseminado pelas Américas, Europa, Ásia, África e Oceania. 

A companhia produz motocicletas Custom, Cruiser e Touring, além de oferecer uma completa linha de peças, acessórios, equipamentos funcionais, vestuário e produtos licenciados, por meio de suas mais de 1.500 concessionárias distribuídas pelo mundo.

“Nossos clientes buscam diferenciação e compartilham dos principais atributos da marca, que são a liberdade, atitude e irmandade", considerou 
Flávio Villaça, gerente de Marketing da Harley-Davidson do Brasil

Além disso, acrescentou, realizamos eventos anuais, como National H.O.G.® Rally e o Riders’ Camp, responsáveis por manter a ótima relação da H-D com seus principais clientes e entusiastas. 

"Eles são os mais apaixonados do mundo e tudo isso nos credencia como a verdadeira lenda do motociclismo”, ressalta Flávio Villaça.

Em sua trajetória de sucesso, a Harley-Davidson apresenta inovações em motocicletas para que seus consumidores, apaixonados pela marca, desfrutem da melhor experiência sobre duas rodas. 

Algo que começou como um sonho de jovens rapazes de Milwaukee, Wisconsin (EUA) e se transformou em uma lenda mundial do motociclismo.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Enquanto a União Europeia (EU), sem fronteiras, obrigou a unificação de exigências de segurança, apesar de diferenças de padrão de riqueza entre seus membros, o Latin NCAP continua a ignorar a diferença entre apontar falhas de segurança em testes de colisões, lança a confusão e dúvida em razão de protocolos de testes malfeitos

Alta Roda   

Nº 941  — 19/5/17

Fernando Calmon



Sensacionalismo barato

Fica difícil de acreditar que o Latin NCAP continue a ignorar a diferença entre apontar falhas de segurança em testes de colisões e lançar confusão e dúvida em razão de protocolos de testes malfeitos. 

O objetivo da organização parece ser o confronto, em busca de fama, sem construir base propositiva adequada à realidade da região.

São incomparáveis os esquemas técnicos montados pelo Euro NCAP e sua improvisada contraparte latino-americana. 

A União Europeia (EU) sem fronteiras obrigou a unificação de exigências de segurança, apesar de diferenças de padrão de riqueza entre seus membros, que antes resultavam em carros ocidentais muito mais seguros que os orientais. 

Foi um longo caminho de adaptação e conflitos resolvidos pelo diálogo.
O Brasil não tem fronteiras livres com todos os seus vizinhos, nem moeda única e nem livre mercado como na UE. 



Mas o Latin NCAP escolheu a picape Ford Ranger básica, vendida na Colômbia, para “punir” o fabricante que nem comercializa aquela versão no Brasil. 

Os Nissan March fabricados aqui e no México são iguais, mas a confusão formada por protocolos mudados, sob escassa discussão prévia com fabricantes, provoca dúvidas no consumidor e a perda de “estrelas”. 

Simplificando: a temperatura é a mesma, mas o termômetro, diferente.

Como se faz na EU? Simplesmente não se submete a testes o mesmo carro com protocolos diferentes antes de seis anos. 

Em abril do ano passado, o Euro NCAP criou um mecanismo chamado Dual Rating (em português, Dupla Classificação). 

Lá, continuam colisões de modelos básicos de cada marca. Mas o fabricante pode patrocinar outra rodada de testes com equipamentos de segurança adicionais e conseguir galgar uma ou duas estrelas extras.

Segundo a própria entidade europeia, “esse sistema permite gradualidade nas opções de compra, mantendo carros a preços acessíveis (grifo da Coluna), mas ao mesmo tempo dando oportunidade aos consumidores de obter importantes tecnologias de segurança”. 

Isso ocorre porque o custo alto da proteção adicional é insuportável para todos os consumidores. E ocorre em zona econômica de alto poder aquisitivo frente ao Brasil e vizinhos.

Essa possibilidade, pelas regras da Latin NCAP, não melhoraria a nota zero do Onix na proteção do passageiro adulto, mas talvez mudasse as três estrelas para passageiro infantil. 

Em outros casos, como do Peugeot 208, poderia fazer diferença, pois 90% dos modelos são comercializados com airbags laterais. 

O Euro NCAP, por exemplo, faz testes de bancos infantis à parte, diferentemente da forma mal executada nesta região.
Latin NCAP costuma dramatizar seus relatórios com frases apelativas como “grande desilusão” ou “ficamos decepcionados”. 

Sua associada local, Proteste, propõe recall para retirar de circulação modelos reprovados no teste de colisão em laboratório. 

Trata-se apenas de sensacionalismo barato e sem previsão em qualquer legislação no mundo.

O Brasil, no entanto, avança apesar de piruetas técnicas daquela “brilhante” entidade. 

A norma NBR 16204 regulamenta teste de colisão lateral nos veículos e entra em vigor em 16 de agosto de 2018. Entretanto, exigirá ainda regulamentação pelo Contran.

RODA VIVA

ENQUANTO em países centrais 95% dos carros ao final de vida são reciclados, aqui mal chegam a 1,5%. 
Pensando que um dia esse cenário pode mudar, a siderúrgica Gerdau criou sete estações móveis de reciclagem para automóveis, motos e caminhões. 

Antes de encaminhar as estruturas metálicas para o triturador, há completa descontaminação ambiental das carcaças.

RECÉM-APOSENTADO Ed Welburn, um dos mais famosos chefes de estilo da GM, recebeu algumas condecorações. 

Em entrevista à Car and Driver, destacou o Cadillac CTS-V Coupé como seu favorito. Sem identificar o modelo, apontou um em que frente, laterais e traseira pouco se entendiam e grade frontal parecia com a cara do Darth Vader. Desconfia-se do Pontiac Aztec.

COROLLA ALTIS se destaca pelo acabamento, espaço interno, solidez e um câmbio CVT que simula troca de 7 marchas ao apertar firme o acelerador. Faltou modernizar o painel. 

Sistema de projeção de velocidade no para-brisa tem aspecto improvisado. 

Versão esportivada XRS merecia, pelo menos, rodas de aro 18, embora as de aro 17 tenham bonito desenho.

RESSALVA: Na coluna da semana passada, vendas de veículos acumulados no primeiro quadrimestre de 2017 sobre igual período de 2016 tiveram queda de apenas 2,4%.

O recuo de 17% se deu na comparação entre abril e março deste ano em razão de menos dias úteis do mês passado. Provavelmente em maio a base comparativa acumulada seja zerada.

SEGUNDO a Procondutor, especializada no mercado de educação de trânsito e cursos de educação digital, são alarmantes os números de flagrantes em todo o País de motoristas dirigindo sem carteira de habilitação. Isso aliado à má formação teórica e prática colabora para o quadro péssimo de acidentes em 90% das vezes causados por imperícia, imprudência e negligência.
____________________________________
fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

quinta-feira, 18 de maio de 2017

TMD/Cobreq colocou, no mercado de reposição nacional, lonas dianteiras e traseiras do ônibus Volvo B270F em suas versões rodoviária, urbana e de fretamento



Como complemento de uma de suas linhas para pesados, a TMD/Cobreq colocou, no mercado de reposição nacional, lonas dianteiras e traseiras do ônibus Volvo B270F em suas versões rodoviária, urbana e de fretamento. 

As lonas dianteiras têm a referência de catálogo Cobreq 0815T e as traseiras 4710T.

O Volvo B270V possui motor MWM diesel 7.12 TCAE dianteiro totalmente eletrônico, injeção de combustível common rail, 6 cilindros em linha, 4 válvulas por cilindro, turboalimentado, intercooler e potência de 260 cv. A caixa de câmbio é da marca Eaton com 6 marchas totalmente sincronizadas.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Em um momento em que um número significativo de famílias brasileiras decidem residir em Portugal, informamos a chegada do Novo BMW Série 5 Touring. A nova geração do BMW Série 5 Touring já tem preços para o mercado português. Com as primeiras unidades a chegar em junho de 2017, o novo BMW Série 5 Touring será comercializado no país a partir de €58.360, preço da motorização mais vendida no mercado nacional, o BMW 520d Touring.


Assista o vídeo




A nova geração do BMW Série 5 Touring já tem preços para o mercado português. Com as primeiras unidades a chegar em junho de 2017, o novo BMW Série 5 Touring será comercializado, em Portugal, a partir de €58.360, preço da motorização mais vendida no mercado nacional, o BMW 520d Touring.



À semelhança do recém-lançado BMW Série 5 Berlina, a nova geração do BMW Série 5 Touring virá equipado com sistemas de assistência pioneiros e terá ainda avanços de destaque na conectividade digital, o que se traduz numa gama mais completa de equipamento de série e opcional, nomeadamente:


Ecrã de exibição touchscreen

Tecnologia voice command e sistema gesture control


Novo design de cockpit direcionado para o condutor

Projeção BMW Head-Up Display 70% maior
BMW ConnectedDrive

Função Remote Control Parking


Com novas e versáteis soluções de arrumação inovadoras, a capacidade do porta-malas do novo modelo é de 570 litros (1.700 litros com os bancos rebatidos).


O novo BMW Série 5 Touring teve ainda uma redução de peso de aproximadamente 100 quilos devido à utilização de materiais de baixo peso, como o alumínio e o magnésio, o que se traduz numa redução 11% de emissões comparativamente ao modelo antecessor.


Os preços de venda ao público recomendados para o mercado português são os seguintes:


ModeloCombustívelP.V.P. Recomendado
530i AutoGasolina70.740 euros
540i xDrive AutoGasolina89.420 euros
520dDiesel58.360 euros
530d AutoDiesel79.670 euros
530d xDrive AutoDiesel84.650 euros
520d AutoDiesel60.255 euros