sábado, 24 de julho de 2021

Teste de avaliação e uma deliciosa culinária russa e a Vila St. Gallen me levaram a Teresópolis para sentir o Chevrolet Onix Premier. É econômico, tem bom desempenho e boa estabilidade. Teste e verá!

 



Texto e fotos: Arnaldo Moreira

O dia nasceu nublado no Rio de Janeiro não propriamente ameaçando chuva, mas como um dia normal de Outono. Na véspera, tive o cuidado de consultar a meteorologia, no aplicativo do celular, pois escolhi a cidade serrana de Teresópolis para fazer o test-drive de avaliação do Chevrolet Onix Premier Flex. Como queria voltar ao restaurante D. Irene, especializado em culinária russa, deliciosa, liguei para lá e tive a informação de que a cidade estava banhada pelo sol, céu limpo e temperatura amena, condições ideais para um belo passeio tendo como objetivo sentir na estrada o comportamento desse 1.0 turbo automático, principalmente seu desempenho na subida da serra. Custa a partir de R$ 86.370,00 e tem três anos de garantia.

Carro ligado no botão de ignição e "pé" na estrada.

A saída do Rio pela Linha Vermelha foi tranquila, só encontrando uma pequena retenção no acesso à Rodovia Washington Luiz (BR-104) onde existe um pedágio caríssimo: R$ 18,80 para os carros de passeio. Alguns quilômetros à frente começamos a subir a serra dos Órgãos. 


O Onix que estava mostrando um desempenho excelente encarou a subida com a mesma disposição, fazendo valer seu motor turbo de 116 cv e o torque de 16,8 kgfm (álcool) e 16,3 kgfm (gasolina), com força de sobra para mover os 1.112 kg, trabalhando com a caixa automática de seis velocidades. 


O consumo misto - cidade e estrada -, como eu esperava, por conta do turbo, registrou a boa média de 15,7 km/l. Trata-se de um carro rápido que nos tranquiliza nas ultrapassagens, graças às boas retomadas de velocidade. Vai de 0 a 100 km/h em 10,6 s e tem velocidade máxima de 185 km/h. O consumo urbano chega a 13,8 km/l e na estrada, numa velocidade constante, atinge os 19 km/l.


À medida que subia, a cada curva, às vezes atacada com mais vigor, a excelente estabilidade era visível graças à suspensão dianteira Independente tipo "McPherson", barra estabilizadora ligada ao amortecedor, molas helicoidais com carga lateral e constante elástica linear, amortecedor telescópico pressurizado estrutural e traseira semi independente, com eixo torção, sem barra estabilizadora, mola helicoidal com constante elástica linear e amortecedores telescópicos pressurizados, além de sensor de estabilidade e de tração.



Confesso que não encontrei nenhum defeito na dirigibilidade do Onix. Os bancos - o do motorista tem regulagem de altura - são bem confortáveis e seguram o corpo nas curvas mais acentuadas feitas mais rapidamente. A direção elétrica progressiva oferece a segurança que o piloto precisa e o volante de couro, com  regulagem de altura e profundidade, contém os controles de som, voz, de velocidade automática e atrás as alavancas de acionamento dos faróis e limpador de para brisas. 


O painel de instrumentos além do velocímetro, indicador de troca de marchas e conta-giros, tem ainda o computador de bordo de 3,5" TFT que oferece dados de quilometragem, pressão de pneus, velocímetro digital, entre outras informações. No painel central estão o câmbio de seis marchas, apoio de braços do motorista e carona, os controles do ar condicionado e do rádio.



No item segurança o Onix Premier vem com seis airbags (duplo frontal, duplo lateral e duplo de cortina), os cintos de segurança dos cinco passageiros têm aviso sonoro e visual, para que ninguém esqueça de usá-los, e o do motorista tem regulagem de altura.



As rodas de liga leve são de 16" com pneus 195/55. Já o pneu sobressalente é o T115/70 R15 de uso emergencial. O sistema de freios conta com ABS, sistema de distribuição de frenagem ("EBD") e assistência de frenagem de urgência ("PBA"). Sensores de estacionamento traseiro e de acendimento automático de faróis.



À medida que chegava mais alto na serra Serra dos Órgãos, que é um importante parque nacional, o nevoeiro foi surgindo e adensando. Parei no mirante de onde se vislumbrava um mar de nevoeiro, que aproveitei como pano de fundo das fotos que fiz do carro, fotos inusitadas, diferentes. Seguindo para Teresópolis o tempo foi abrindo e ao chegar ao portal da cidade, lembrei que no mirante havia duvidado da informação que uma funcionária do restaurante D.Irene me dera. 



A hora era já de almoço de domingo, mais de três da tarde, e rumei para lá para saborear o famoso beef strogonoff, muito diferente do nosso, do D.Irene. 



O repasto começa com o Assorti, composto de 10 pequenas porções de peixe defumado, carnes frias, caviar de vegetais, panquecas de camarão... humm, imperdível. Sugiro ainda o Varenique, prato típico da Ucrânia - pequenos pastéis recheados de batata e ervas, acompanhados de escalopinhos de filé mignon grelhados e cebolinhas empanadas. O D.Irene serve uma vodka caseira saborosíssima, única, de receita guardada a sete chaves.



O sistema MyLink Chevrolet de multimídia, considerado eficiente, amigável e completo não é diferente no Onix: tela LCD sensível ao toque de 8",...

   ... com câmera de ré, 

integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, rádio AM/FM, função Audio Streaming, Bluetooth para até dois celulares simultaneamente e entrada USB, inclusive para os passageiros do banco traseiro, rádio AM/FM stereo, MP3/WMA player, Bluetooth e entrada USB dupla (apenas carregamento), projeção da tela do smartphone sem o uso de cabo. O carro conta com o sistema de apoio OnStar. 



Onix acomoda quatro passageiros com conforto, mas o quinto sentado no assento do meio do banco traseiro não pode dizer o mesmo. Mas há bom espaço para as pernas e boa altura até o teto. 



O encosto do banco traseiro é rebatível e aumenta a capacidade do porta-malas de 303 l, que até o teto salta para 413l, para 1.151 l com o banco rebatido.



O acabamento do interior, incluindo o porta-malas, é de boa qualidade. Os bancos têm revestimento híbrido (tecido e revestimento premium) disponíveis nas cores Preto Jet Black e Cinza Mid Ash Gray. 



O design do Onix chama a atenção com suas linhas modernas, lateral elegante, frente com a grade ampla ladeada pelos conjuntos óticos tipo projetor, e...

   ... a traseira com elegantes lanternas.

Não poderia deixar de dar outras duas dicas do que fazer em Teresópolis: visitar a Feira do Alto, de artesanato e roupa,...

 ... e a Vila St. Gallen, ... 


...a casa da cerveja Therezópolis, ...

    ... com seus diversos bares e restaurantes de arquitetura alemã.



Minha opinião: Construído como automóvel urbano, graças ao ótimo motor turbo é um ótimo estradeiro, com boa estabilidade e dirigibilidade, conforto e segurança e econômico, motivos porque ocupa status de carro mais vendido do Brasil. Se me perguntasse se compraria, a resposta seria, sim.





























O famoso Dedo de Deus pode-se ver entre as duas árvores









O regresso ao Rio







 


5 comentários:

  1. Excelente matéria, conduzindo o leitor a apreciar as belezas de Teresópolis e os atributos do carro. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Uma excelente matéria escrita como o jornalismo automotivo deve ser, despretensiosa, de fácil leitura, porém muito rigorosa. A integração do automóvel no meio ambiente do teste é um excelente complemento, faz com que a leitura desta matéria seja viver uma experiencia. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Uma excelente matéria escrita como o jornalismo automotivo deve ser, despretensiosa, de fácil leitura, porém muito rigorosa. A integração do automóvel no meio ambiente do teste é um excelente complemento, faz com que a leitura desta matéria seja viver uma experiencia. Parabéns!

    ResponderExcluir

ACESSE TODAS AS POSTAGENS E SAIBA TUDO SOBRE O MUNDO AUTOMOTIVO.